Mulher sapiens

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Humanta
Mulher sapiens é poliglota, fala dilmês e várias merdas
Mulher sapiens é poliglota, fala dilmês e várias merdas
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Primates
Subordem: Haplorrhini
Família: Mulheridae
Gênero: Mulheril
Espécie: Mulher sapiens
Mulher sapiens Dilma, 1 d.L. (depois de Lula)
Mulher sapiens greloduro

Mulher sapiens é um ser obscuro, cuja existência apenas veio a tona em 2015, quando a bióloga e então presidanta Dilma, descendente indireta de Darwin, propôs que estes mamíferos são uma evolução lateral do homo sapiens tradicional.

Características[editar]

Mulheres sapiens são mamíferos que, na infância, possuem uma preferência em mamar na figura paterna, alimentando-se de um leite peculiar, mais espesso do que o leite materno. Por conta disto, cientistas propõem que, ao invés de ser uma variação do homo sapiens, as mulheres sapiens sejam, na realidade, uma variação dos machos virgens, a versão feminina e nada delícia dos mesmos.

Ao atingirem a maturidade, as mulheres sapiens sofrem uma mutação genética e adotam uma dieta onívora, alimentando-se principalmente de pão com mortadela pago com o dinheiro do contribuinte, pois elas não possuem predisposição para a labuta. Em alguns casos, quando a mulher sapiens não evolui mentalmente, ela continua mamando até o final de sua vida, passando a mamar nas tetas do Estado.

As mulheres sapiens possuem uma comunicação própria, cuja compreensão foge de todos os aspectos lógicos do mundo racional. Para esta linguagem incompreensível, que não possui padrões e muito menos sintaxe, os linguistas deram o nome de dilmês.

Os membros desta espécie também não seguem os princípios matemáticos do mundo racional, adotando métodos de cálculo únicos, compreendidos apenas por eles mesmos. Os conhecimentos das ciências exatas utilizados pelos homo sapiens tradicionais são alterados por esta espécie, em especial a subtração, que sofre uma alteração na forma como é feita, de uma forma que faz com que treze menos quatro seja igual a sete.

Religião[editar]

As mulheres sapiens são monoteístas, para elas o Deus único e verdadeiro é o Mandioca, por isso todas elas possuem um altar em suas ocas em homenagem a esta divindade, que elas saúdam todas as manhãs.

Mulheres sapiens também fazem, diariamente, procissões carregando imagens do profeta Lula, pois ele garante alimento para elas, fazendo com que os pães com mortadela apareçam magicamente em suas mesas sem que elas precisem pagar por eles.

Habitat[editar]

A única pessoa que sabe daonde as mulheres sapiens saíram é a nossa ex-presidanta, Dilma, que num esforço de salvar os últimos membros de sua espécie, botou a maioria no Diretório Nacional do PT, e algumas no triplex da Marisa Letícia. Nas horas vagas, elas seguram bandeirões e mostram o cu em prostestos, enfiando coisas nele mesmo não sendo necessário, só as mulheres sapiens sabem o porquê.

Hobbies[editar]

As mulheres sapiens possuem muitos hobbies, todos muito pouco usuais, entre eles se destaca o de estocar vento, item utilizado para embasar suas opiniões destrambelhadas, além de dar peido fedorentos e/ou barulhentos nas horas mais impróprias.

Outro hobby consiste em dobrar metas não estabelecidas ao lado de visitar e defender bandido condenado.

Ver também[editar]

v d e h
Mitologia Política, suas lendas, seres e outros negócios fantásticos
31 de junho31 de novembroAerotremAmeaça ComunistaAmeaça NazifascistaAmigo dono do triplexAnões do OrçamentoBolinha de papel que atingiu o José SerraBolsolulaCâncer útilCarlos Magno e os 12 Cavaleiros da Távola RedondaDemônio que possuiu Temer no discurso de posseDignidade institucional do Supremo Tribunal FederalEstocagem de ventoFigura oculta de um cachorroForças ocultasGrafenoIraqi Slap SonicaMenos com menos igual a 10MosquitaMulher sapiensNióbioPato da FIESPPolítico honestoPolítico work-alcoólicoPrincípio da meta aberta dobradaRepública de CuritibaSaudação à mandiocaSoviéticos do século XXITeorema do ganho e da perdaURSALZelite