Mustafa Kemal Atatürk

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Papaizinho dos turcos Cquote2.png
Google sobre Mustafa Kemal Atatürk
Cquote1.png Turquinho! Cquote2.png
Lula sobre Atatürk
Cquote1.png Sai daqui!!! Cquote2.png
O Sultão reclamando de Atatürk
Cquote1.png Ditador de araque! Cquote2.png
Getúlio Vargas sobre Mustafa Kemal Atatürk
Cquote1.png Nãooooo!!!!!!!!!!!! Cquote2.png
Império Otomano sobre Mustafa Kemal Atatürk
Cquote1.png Vamos incendiar os Estados Unidos! Cquote2.png
Parceiro de Atatürk sobre Intenções do governo turco.

Mustafa, Que Mal! Ah tá, é turco! foi um ditador sanguinário da Turquia, fundador desta como país, em substituição ao demodê Império Otomano. Dizem que foi através dele que a nação turca se tornou a única no mundo islâmico a formar um Estado Laico, através da leitura de grandes obras iluministas, como o Crepúsculo, mas também deve ter alguma relação com a grande leva de turcos e demais povos árabes, então sob domínio otomano, que fugiram do país, e que hoje vendem produtos de excelente procedência nas ruas suburbanas de nações subdesenvolvidas.

Primeiros anos e vida militar

Mustafa Kemal, um amante da diversidade, mostrando seu afeto por todos os povos.

Mustafa Kemal nasceu em 1881, na cidade então otomana de Salônica. Era uma criança hiperativa, que tinha por hábito quebrar as pernas dos coleguinhas de escola de origem grega. Ao crescer, despertou o interesse de um dos seus professores de matemática. Este, com o tempo, passou a dar lições de anatomia ao orientando. O apelido Kemal, inclusive, foi dado pelo professor, e significa perfeição ou maturidade, em assuntos provavelmente restritos aos dois.

Com apenas quinze anos, ingressa na carreira militar. Em 1905, quando é enviado para Damasco, na atual Síria, juntou-se a uma organização revolucionária de resgate do orgulho gay, onde confabulou para a derrubada do Sultão governante, o que veio a dar início a um período bastante belicoso na vida otomana, como o envolvimento na Guerra dos Balcãs, na Primeira Guerra Mundial, ao lado dos alemães e austro-húngaros, e mais algumas pendengas eternas com os gregos.

Atatürk, o "painho" de cada turco.

A Guerra de Independência

Inicialmente, ele é convocado pela chefia do Movimento de Resistência para dar uma de Capitão Nascimento: botar ordem naquela porra toda e arrumar mais gente para morrer sem nem saber o porquê lutar pelo ideal de uma pátria turca livre. Cansou de brincar de exército, e desertou das fileiras militares, causando a ira do governo otomano, ao qual não obedecia à bastante tempo. Com o poder que conseguiu nas articulações separatistas, em 1920, conseguiu convocar eleições para o Parlamento.

O comportamento emo do sultão, que entregou tudo de mãos beijadas às nações que esfacelaram o Império, o que foi estabelecido pelo Tratado de Sévres. Kemal, assim como os outros milicos turcos, não aceitaram aquela putaria situação, e partiram para a guerra. Venceram a todos, nas Guerras Turco-Armênia, Grego-Turca, Franco-Turca, Turca-Turca, Grãos de Areia-Turca, Bonecos-Palito-Turca, Pontagrossense-Turca, e mais um mol de batalhas, vencidas vigorosamente pelas tropas de Atatürk.

Graças a esse vigor militar, o país passou a ter um grande poder de barganha durante as negociações do Tratado de Lausanne, que viria a estabelecer a partilha definitiva do Império Otomano. Depois de chorarem bastante e recusarem a quase tudo que era proposto, enfim o acordo foi estabelecido, e abriu caminho para a oficialização da Independência Turca, em 7 de setembro 29 de outubro de 1923.

Presidência

Atatürk eternizado em uma pose fashion.

Com esse rebuliço todo resolvido, o Mustafa ficou de dono do botequim. No poder, começou a implementar uma série de medidas a fim de tornar a recém concebida Turquia um país moderno, democrático e que tivesse condições de, no futuro, desenvolver uma técnica de redução de narizes. O Kemalismo, como foi denominado o tipo de gestão empregado, que mal isso, hein? previa a formação de um Estado Laico, que, para você que acha que aulas de História são bobagem e prefere ficar desenhando putaria no seu caderno, trata-se de um país onde não há nenhum tipo de religião oficial, ou seja, não interfere nos assuntos políticos. Entre 1924 e 1925, Kemal acabou com o sultanato, ou seja, tirou o poder dos playboys que não faziam porra nenhuma.

Essa coisa de reduzir o papel da religão nas coisas do Estado, evidentemente, desagradou bastante gente, tanto que, de 1924 à 1927, aconteceu um grande número de confrontamentos entre os miguxos dos xeques e o oficialismo turco. Durante todo o governo, um mol de tentativas de assassinato ao presidente foram descobertas, e os envolvidos tiveram um fim merecido e silencioso.

Uma das atitudes mais louváveis do presidente é a de promover a educação, seja para homens ou mulheres, desde que não sejam judeus, armênios, curdos ou alguma outra minoria. Especialmente em relação ao público feminino, uma gama de medidas democráticas foram adotadas, como, por exemplo, a criação do Dia da Lavação de Pratos, para deixá-las mais valorizadas. O alfabeto também foi modificado, para facilitar o aprendizado daquele bando de burro das camadas populares. Abandonou-se o árabe, adotando-se o alfabeto turco. Fundou-se universidades em Ankara e em Istambul, popularizou-se os banhos turcos para homossexuais, entre outras medidas. Um Estado Turco, secular e plurissexual estava se formando.

O desejo de estabelecer uma nação iluminada era tão, mas tão grande que até algo absolutamente imporvável aconteceu: uma aliança turco-grega.Os dois países queriam se estruturar, e tinham problemas em comum, como uma indefinição identitária e a falta de banhos coletivos. E assim, de tratado em tratado, de acordo bilateral em acordo bilateral, Atatürk ia consolidando a pátria turca, e a sua popularidade com as moças de vários cantos do mundo.

O Sultão em 29 de outubro de 1923.

A crise econômica de 1929 enganbelou bonito os planos do líder turco. Com o país na bancarrota, ele se viu obrigado a eleger novas políticas de gestão econômica. Ou seja, teve de se render para o lado comunista da coisa, e adotar os famigerados planos quinquenais. Ao mesmo tempo, um mol de empresas estrangeiras chegaram, e começaram a diversificar a matriz produtiva turca.

As reformas religiosas e sociais iam de vento em poupa, bem como a recuperação da economia, porém, o gosto por uma bebidinha também se destacava. Mustafá entornava legal. Chegou um belo dia, enquanto tomava sua décima garrafa de rum, que as coisas tiveram um fecho trágico. Cirrose, no Kemal deu cirrose. Em 1938, morreu.

Os funerais duraram mais de oito mil horas, e congregaram quase toda a população turca, menos aquela que vivia na Alemanha e a qual a imigração não deixaria sair. O monumento erguido para servir de mausoléu, até hoje, é o mais visitado do país, inclusive sendo utilizado por alguns casais, para efetivar seus relacionamentos.

Vida

Atatürk adorava fazer lições inteligentes com mulheres, não importando a origem destas. Durante sua vida militar, desenvolveu muito do que sabia de estratégia e espionagem em suas fugas do quartel para os bordéis. Em suma, Atatürk era um Berlusconi e adorava que as mulheres, de preferência aquelas ainda na flor da idademlhe mostrassem o bumbum, e ia seguidamente à Paris, para aproveitar a noite local.

Geralmente, sua esposa o chingava e o chamava de traidor, desgraçado, besta, e outras delicadezas do gênero. Contudo, tudo acabou em paz, e Mustafa pode viver conforme a sua vontade, ou seja, de bar em bar, de mesa em mesa, bebendo cachaça, tomando cerveja.

Precedido por
Atatürk inventou a Turquia
Estatua ataturk1.jpg
Presidente da Turquia

19231938
Sucedido por
İsmet İnönü