Mutunópolis

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Mutunópolis é mais uma das cidades miseráveis de pobres do norte de Goiás que sonha ser como Porangatu quando crescer, e olha que Porangatu nem é lá essas coisas toda.

História[editar]

Todas as agitações do centro de Mutunópolis.

Lugarejo criado a muito tempo atrás, como um quilombo coordenado pelo heroi da luta contra a escravidão Motumbo (por isso o nome da cidade Motunópolis, posteriormente Mutunópolis). A história da cidade é aquela velha história de escravos, infelizes e pobres reunidos que tocaram para frente uma vila no meio do nada.

A cidade até deu certo graças à BR-153 que liga o Inferno e a Terra do Metal, essa importante rodovia pode ser avistada do alto do morro. A população montada em seus burricos tem o costumo de descer para a estrada atirando para o alto, assaltando os forasteiros.

Em 1950 chegaram ali uns fazendeiros, e graças àquele bando de plantações de soja, a cidade não acabou.

Durante muito tempo pertenceu aos domínios de Porangatu, até que se separou para hoje ser uma cidade egípcia sob o domínio de uma única familia predominante a dinastia dos faraós de Tutanbraga.

Economia[editar]

Chegando nessa cidade você encontra uma pequena placa indicando que em breve a Coca Cola estará chegando por lá (e os seus nativos coitados, vivem em prol dessa espera).

Geografia[editar]

Para chegar a Mutunópolis basta estar na BR-153 e errar o caminho para Porangatu, é dessa forma que 100% dos forasteiros chegam em Mutunópolis.

Você só pode andar de primeira marcha, por que se você colocar a segunda sairá da cidade.

População[editar]

Vila de pouco menos de 4000 trouxas que poderiam ter algo melhor indo viver numa favela qualquer do Distrito Federal.

Os habitantes (nativos) de Mutunópolis vivem isoladamente do resto do mundo, e chegam a se assustar quando chega um carro com placa de outra cidade, chamando atenção até dos policias e bombeiros, ops! Não tem bombeiros há quilômetros de distância dessa currutela que se encontra no cu de Goiás..

Educação[editar]

Seu único meio de comunicação são entre os morados que se formaram na faculdade da cidade que comporta um único curso, o de Fofocologia situada na rádio Cisterna do Posto Mutum! Pois lá a única ocupação das pessoas é a vida alheia..

Turismo[editar]

A falta de hotel na cidade é tão grande que levam os turistas a dormirem embriagados em seus carros, depois de curtirem algo que eles chamam de festa com a presença de pouco menos de 50 pessoas.

A única atração turística da cidade é uma praça que era usada no século XIX para as gravações do desenho animada Caverna do Dragão, sendo mais tarde a casa dos Flinstones e também usada para as gravações de Planeta dos Macacos.