Nagasaki

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Jaspion metaltex.jpg

Made in Japan
Este é um artigo com tecnologia do sol nascente né.
A mão de desenhar mangá chega a tremer.

Somebody set up us the bomb!!!

Esta página contém elementos bélicos, químicos, atômicos ou bombásticos,
podendo causar um grande estrago no computador (e na mente) do leitor.
Bombaatomica.gif
Cquote1.png Você quis dizer: Hiroshima Cquote2.png
Google sobre Nagasaki

Cquote1.png BOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOMBA!!! Cquote2.png
Estados Unidos sobre Nagasaki
Cquote1.png Uma cidade cujo único acontecimento de destaque foi a sua própria destruição. Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Nagasaki

Nagasaki é uma cidade do Japão, localizada na ilha de Kyushu, conhecida por ser sempre secundária. Nem em desastres ela consegue ser a mais atingida. Ou você vai me dizer que, quando se fala em bomba atômica, lembra-se em primeiro lugar de Nagazaki, ao invés de Hiroshima?

História[editar]

Auge da cidade de Nagasaki.

O azar de Nagasaki, muito provavelmente, tem a ver com a sua fundação, mais exatamente por quem a fundou: os portugueses, em 1570. Ela serviu como ponto de trocas comerciais, e único ponto de contato do Japão com o resto do mundo, ou seja, era uma desgraça. Percebendo que aquilo ali só dava problemas, o Imperador mandou expulsar todo e qualquer lusitano que ali estivesse, e o lugar ficou às moscas. A cidade voltou a ter visibilidade mundial apenas no século XX, quando Giacomo Puccini, um famoso compositor de óperas italiano (WTF?) utilizou a cidade como cenário de sua ópera Madame Butterfly, que você provavelmente nunca ouviu falar, porque é um sem costumes.

Todavia, foi em 1945 que a cidade viria a marcar definitivamente o seu nome na história. E não fez nada para isso. Como a sua professora de história já deve ter dito, Estados Unidos e Japão foram rivais numa pendenga internacional chamada Segunda Guerra Mundial. No ano supracitado, os americanos resolveram acabar todos os problemas, utilizando um artifício que não fere em nenhum ponto os direitos humanos: a bomba atômica. O promeiro lugar a ser atingido foi Hiroshima, e sabe-se lá porque, a bomba apelidada como Fat Man foi lançada em direção a Nagazaki, torrando a cidade em segundos. Por ironia, a cidade foi reconstruída com recursos do Plano Colombo, promovido pelos Estados Unidos, e hoje configura-se como uma cidade padrão do Japão: meio milhão de habitantes e nada de interessante para se fazer, além de ler mangás e trabalhar em uma fábrica de eletroeletrônicos.

Uma bela e inofensiva praça em Nagasaki. O único detalhe é que a bomba caiu nesse exato lugar...

Atualidade[editar]

O Museu de Nagasaki mostra como os moradores da cidade aproveitaram os últimos minutos de vida.

A única coisa de interessante e que presta para alguma coisa na cidade é o seu porto, como acontece em qualquer outra cidade litorânea do país. Fora isso, podem ser encontrados inúmeros templos de origem chinesa, bem como um monte de igrejas, das mais variadas religiões, o que pode indicar, talvez, que o povo de Nagasaki é un tanto indeciso. Além disso, o legado da bomba é onipresente. O que antes foi um motivo de muita desgraça, hoje é um propulsor econômico, através de museus e da venda de souvenirs. Isso prova que o capitalismo é legal e supera essas pesadas dores em nome do benefício de todos.

Ver também[editar]