Navio

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Discionario em png.PNG
O Descionário possui um verbete sobre Navio

Cquote1.png Olha lá um avião... Cquote2.png
Náufrago do Titanic afundando (o náufrago e o Titanic).

Bem-vindo à bordo.

Navio é um barco em tamanho ereção e, diferente dos barcos que vão desde um barco de luxo até um barquinho que mais parece uma canoa, são sempre luxuosos... quanto a serem seguros, pergunte aos sobreviventes do titânico Titanic.

Aprofundando[editar]

Comandante, quer um cafézinho?

Antigamente, na língua portuguesa, os navios eram conhecidos como caravelas, que, apesar de mal terem lugar para [[bosta|defecar]para peidar e cagar eram mais seguros do que, um certo, já citado transatlântico. Nesse tempo aventureiros saqueadores ambiciosos como Cabral costumavam cruzar os mares (eu que pensava que o mar fosse uma coisa só, mas que seja, é questão de localização) em busca de madeira, ouro, etc.

Os desbravadores, não da nobreza, mas de espírito mais nobre, desciam dos navios, para estudar, botânica, antropologia, geologia, de lugares ainda não registrados... os índios do Brasil, por exemplo, permitiam, uma vez que para maioria das tribos da américa do sul, nada tinha dono... daí os europoeus se apossavam sem massacrar ninguem, como aconteceu na américa do norte, central, e porção oeste da américa do sul. Desta forma, quase sempre tranquilamente, os europeus enchiam os navios com tudo que podiam de mais precioso e iam embora, alguma vezes até mesmo uma índia gostosa entrava na cota. Bem , mas mesmo pacíficos, salvo pelas tribos canibais, os nativos brasileiros eram massacrados pelos europeus que ficavam... mas esse eram canibais também, mas não gostavam do estado da carne dos gringos.

Dias atuais[editar]

Não o condene: até um navio pode querer entrar numa vala apertada.
Os navios, tanto em termos de transporte, quanto carga, perderam um certo espaço para os aviões, mas ainda costumam levar carga e supercarga (quando transportam pessoas que são passageiros, fora quem trabalha no navio, é chamado supercarga. A carga humana é sempre supercarga, por mais pesada que a carga comercial seja. Se você viaja de navio e não trabalha nele considere-se uma supercarga... mas isso seu pai e sua mãe já sabem faz muito tempo.
Navio com fimose.

Quando os navios chegam, há nos portos muita gente anciosa pelo desembarque, mas não das pessoas, e sim da esperada carga comercial. Os navios atuais não costumam afundar, mas não cometem o mesmo estúpido erro de não haver barcos-salva-vidas o suficiente: ao menos a frota marítima garante que produtos cheguem até aqui. Mas nos portos brasileiros costuma chegar de tudo, até navios de lixo europeu já atracaram por aqui, mas isso os nativos já viram, com a diferença que nos tempos de Cabral, o lixo era falante, inclusive ele próprio. O caso amoroso do navio, mais do que com o porto, é o farol, que mesmo com toda a tecnologia de satélites e torres de comando, continua piscando seus olhinhos no meio do mar para o navio.

Tripulação[editar]

Marinheiro em suave treinamento para o caso de um naufrágio.

Se você pensar em fazer a besteira de tentar entrar para a marinha, deve saber que tem que ser uma dessas coisas abaixo ou algumas outras desse naipe:

  • Capitão:Em outras funções pode ser até bom, mas no caso dos navios, caso ocorra naufrágio, o Capitão deve afundar com o navio, mesmo que todos se salvem, ou seja, é uma boa função se você for suicida.
  • Marinheiro ou marujo: este precisa fazer tudo que todos mandam, inclusive se jogar no mar pra testar se afunda.
  • Mecânico de Bordo: quando ele é solicitado todos já mudam de cor...mas se após um tempo ele próprio aparecer com a cor mudada, aí é um desespero total de todas as cores mesmo.
  • Brigadeiro: Não, não, brigadeiro é só da Aeronáutica, mas se você for navegar, melhor não comer brigadeiro de nenhum tipo, porque a maresia pode ser braba.


Ver também[editar]