Nazareno

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png tô brincano cocê não meu fii Cquote2.png
Frase usada em 90% das brigas da cidade
Cquote1.png O que foi que eu fiz? Cquote2.png
Pessoa que construiu a cidade, ou pelo menos tentou

Nazareno é uma cidadela de 10 mil habitantes, que não possui absolutamente nada de bom. É o lugar ideal para quem já viveu o que tinha que viver e aposta na ideia de que a vida é uma merda. Nazareno, por muitos visitantes (se é que alguém visita esse lugar) não é considerada uma cidade, mas sim um feto ou projeto de lugar que foi abandonado sabe se lá por quê. Os moradores não têm muito o que fazer, então dedicam suas miseráveis vidas a passeios a cavalos, fofocar sobre a vida alheia ou apenas tomarem um sorvete na sorveteria Planeta Gelado (que por mais engraçado que pareça, pode se chamar de monopólio).

Fundação[editar]

Alguém pensou "Vou fazer um sítio no meio do nada", mas resolveu abandonar a ideia. Com isso alguma família desconhecida resolveu procriar no lugar. Assim nasce Nazareno.

Pontos de lazer[editar]

A cidade (se é que se pode chamar assim) não possui absolutamente nada que proporcione algum tipo de diversão. A única opção é roubar algum cavalo ou tocar a campainha de alguém e correr (mas logo irão saber quem é pois você não poderá ir muito longe devido ao tamanho da cidade).

  • Pista de Skate: Calma, não existe pista, é só um rampa que sabe se lá por que foi construída. Geralmente têm duas pessoas andando de skate por lá, mas na maioria das vezes quem ocupa o lugar são os "pessoalzinho que não sabe o que são" ou os "funkeiros bandidos"
  • Sorveteria: Basicamente é o lugar mais movimentado da cidade. Situa-se na praça principal da cidade e fica quase sempre lotado de gente chata se amontoando pra comprar açaí.
  • Quadras de futebol e campinhos de areia: Há quem considere isso diversão. São quadras com chão de concreto grosso em que jovens de 7 a 30 anos vivem quebrando suas pernas e braços.
  • Praça principal: Não tem nada de interessante. É frequentado por qualquer tipo de pessoa da cidade que não tem o que fazer.

Habitantes e seus estilos de vida[editar]

A cidade, por ser um projeto malsucedido de sítio, não possui muitos estilos diferentes. Geralmente as pessoas levam o mesmo tipo de vida, falando da vida dos outros, andando a cavalo e afirmando para si mesmos que suas vidas são interessantes (coitados). Mas você pode saber mais sobre alguns deles abaixo:

  • Cowboys: Esses não fazem nada da vida, a não ser andar a cavalo, falar sobre cavalo e transar com cavalos, em alguns casos. Suspeita-se que esses possuem algum tipo de doença que os fazem usar botina e chapéu mesmo em um calor que nem um emo aguentaria (ainda bem que em Nazareno não existe emos).
  • Funkeiros não bandidos: 90% da cidade. São apenas caipiras como qualquer outro nazarenense, que não se interessam tanto por cavalos, então só ouvem funk mesmo.
  • Funkeiros bandidos: São caracterizados pelo uso de bonés cujo a aba tampa o rosto, moletom da Adidas, calça da Nike e chinelo Kenner comprado no camelô da cidade vizinha. Antigamente esse grupo de pessoas era quase que inexistente, mas por algum motivo eles começaram a crescer e, de certa forma, dominar a cidade. Se você é alguma mulher e não aceitar ficar com algum deles, provavelmente irá morrer. Ah, e isso também vale caso você, olhe para eles, ande perto deles, namore com alguma "amiga" deles, fale deles, respire perto deles, etc. Há rumores de que quem iniciou esse grupo foi um tal de Tibi, que atualmente encontra-se preso na cidade vizinha (porque nem cadeia lá tem) vestindo roupas de mulheres e servindo machos na prisão.
  • Playboys: Assim como toda cidade têm os seus filhinhos de papai, Nazareno não podia deixar de ser diferente. Mas o que muda nessa cidade é a definição de "playboyzismo". Lá você é considerado playboy se atender alguns desses requisitos: Estudar em Lavras, ter dois cavalos ou mais, e claro, seu pai ter um caminhão.
  • Nerds: Não preciso repetir que a cidade é uma merda, né? Por isso até os nerds de lá são burros. Para ser considerado um nerd em Nazareno, você só precisa de duas coisas: Fazer a lição de casa ou saber o básico de conhecimentos gerais que qualquer pessoa (de outra cidade) saberia. Mas não, você não seria considerado inteligente por isso. As pessoas só teriam raiva de você e os bandidinhos te espancariam.
  • Otakus: Por lá não tem. Na verdade, se você bater de porta em porta, talvez você ache uns dois, mas certamente são posers, pois gostam apenas de Naruto.
  • Rockeiros: Também não tem. Se você aparecer por lá com cabelo grande, camisa de banda, calça rasgada e coturno, você será o primeiro rockeiro da cidade. Mas não se anime, as pessoas não te achariam legal por isso, a menos que você seja um bandido ou cowboy, aí sim, garantiria as novinhas.
  • Famosinhos: Não há diferenças entres populares e não populares. Todo mundo conhece todo mundo. A questão é, você será conhecido por ser legal ou por ser babaca? Não importa. Todo mundo falará mal de você.
  • Pessoas inteligentes: É um grupo escasso. Há algumas pessoas que podem ser consideradas de intelecto superior por lá, mas as mesmas são pessoas que vieram de fora ou apenas doentes mentais (pelo menos na concepção da maioria).
  • Jovens cristãos: Até que esse grupo é bastante extenso. É uma pena (ou não) eles serem cristãos apenas no nome. Visto que são os que mais fazem merdas na cidade.
  • Filhos de donos de estabelecimentos: Geralmente esses são bastante populares na cidade. São comumente chamados de "ô fii do fulano" e nunca pelos seus respectivos nomes.
  • Gamers: E é claro que não podia faltar esse grupo na lista. Bom, como já dito, a população nazarenense não é das lá mais atualizadas em tecnologia, então, mesmo em 2016, os consoles predominantes na cidade são os playstation 2 (tem uns holandeses lá que compraram o 4). Também têm os gamers de lan house, que sempre roubam o dinheiro das mães e vão para a fila às 6:00 da manhã, esperar a lan abrir às 9:00 para jogar Minecraft pirata.
  • Pessoalzinho que não sabe o que são: Esses são alguns jovens de classe média, que estudam em um colégio particular em outra cidade, e por isso possuem uma noção de como é a vida fora da roça em que moram. Mas ao mesmo tempo, não abandonam o estilo de vida de um nazarenense e continuam a ter alma de caipira. Usam roupas normais, gastam a mesadinha do papai na sorveteria da cidade e tentam ao máximo serem descolados, mas não funciona (quer dizer, na cidade, sim).

Escolas[editar]

Existe duas municipais, mas são irrelevantes. Destaque para a estadual que em 2015 foi totalmente destruída e por isso os alunos tiveram que estudar o ano todo em um curral (não, isso não é uma piada). Alguns começaram a estudar em Itutinga (cidade próxima e igualmente fodida), mas por essas serem pessoas tão insuportáveis, era cogitável a ideia de estudar em um curral só para não ter que aguentar encheção de saco todo o santo dia às 7:00 da manhã e principalmente às 12:30, que era o horário em que os alunos achavam mais graça em se passarem por idiotas (por algum motivo).

Serviços públicos[editar]

Os serviços públicos de Nazareno são as coisas que mais interessam. Sim, isso é mentira. Existe qualquer outra coisa que é mais interessante do que os serviços públicos de Nazareno que não são lá muita coisa.

Administração[editar]

Aí ficam os políticos vagabundos que são manipulados pelos clones do mal de Nazareno. Eles ficam praticamente todo dia sentados em seus gabinetes até que precisem fazer um pronunciamento para a população sequestrada de Nazareno.

Tem alguma importância? Claro que não. Na verdade, só os alimentam e deixam eles em celas no subsolo até que precisem deles novamente.

Polícia[editar]

A polícia de Nazareno não faz muita coisa. Às vezes, quando os policiais não estão muito a fim de passar o dia sabe se lá fazendo o quê, eles resolvem coletar alguns dos funkeiros bandidinhos, levá-los para fora da cidade, espancá-los e deixá-los por ali mesmo. Mas isso é raro, na maioria da vezes eles estão batendo papo na rua.

Bombeiros[editar]

Você realmente acha que existe algum bombeiro nessa cidade?

Prostituição[editar]

Olha, não se sabe muito acerca das prostitutas de lá, visto que a maioria das mulheres liberam depois de 2 doses de pinga. Mas houve uma certa época em que duas meninas - na faixa de 14 anos- liberavam o brioco em troca de 10 reais.

Festas[editar]

A cidade é precária (jura?), então não há muita variedade de festas por lá. O que mais têm são festas de meninas de 15 anos, mas que bebem como se tivessem 30.

  • Encontro de motos: Ocorre uma vez ao ano. É um evento que trás consigo algumas bandas (covers) de Rock, e como a população é, em maioria, burra e caipiria, eles aparecem nas filmagens com cara de mongoloides.
  • Festa de setembro: Também ocorre uma vez ao ano e são apenas um monte de barracas com produtos do Paraguai que estragam logo na hora da compra. Ah, e os jovens cristãos são proibidos pelos pastores de saírem nas ruas nesse dia, mas é óbvio que eles não obedecem. Passam o dia desobedecendo o pastor e quando chega a noite, louvam ao senhor no culto.

Ver também[editar]