New York Times

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Cquote1.png We can try to understand the New York Times' effect of men. Cquote2.png
Bee Gees sobre New York Times

O New York Times é um jornal norte-americano distribuído por um grupo do espionagem financiado pelo Partido Democrata dos Estados Unidos. Sua missão principal é expor programas secretos perfeitamente legais do Governo dos Estados Unidos e espalhar mentiras sobre políticos honestos.

O Jornal[editar]

Lula: Cquote1.png Eu não sabia Cquote2.png.

A versão impressa do jornal foi, na maioria dos casos, substituída pelo New York Times Online. A versão impressa do New York Times é lida por aqueles que ainda são incapazes de ler eficientemente o texto em um monitor. Estes dinossauros humanos as vésperas da extinção ainda sentem a necessidade de ter toda sua informação impressa de maneira desperdiçadora no papel (um derivado de árvores), para que eles possam lenta e metodicamente ler a informação limitada em seu ritmo de tartaruga.

A maioria do conteúdo do New York Times é ficção, criada e redigida por uma equipe de escritores que esperam ganhar o prêmio Pulitzer por criar a história liberal mais emocionalmente impactante e anti-republicana que eles puderem criar e conseguir fazê-la passar por verdade. Histórias típicas de viciados em drogas sem esperança ou de mães solteiras (conhecidas muitas vezes como Vadias Maconheiras) esquecidas pelo sistema freqüentemente representam as melhores tentativas dos escritores de incutir sensação de culpa nos ricos e fazer as classes médias e baixas desprezar os ricos. Tal tentativa falha devido ao fato de que membros das classes mais baixas, incluindo viciados e mães solteiras, são na verdade estúpidos demais para ler o jornal.

O New York Times é lido por exatamente 134 pessoas diariamente, todos eles âncoras de tele-jornais, tornando-o um dos mais lidos jornais impressos nos Estados Unidos. Ele também é utilizado como papel higiênico por aproximadamente 5,000 pessoas diariamente apenas nas ruas de Nova York.

História[editar]

O New York Times foi fundado em 1967 pelos hippies abrasadores de arvores "Cascata Que Corre Livre" e "Floresta Sussurrante". O Staff original de 5 pessoas originalmente se importava apenas com os acontecimentos de seu apartamento. No entanto, quando os mesmos descobriram o infame Escândalo Sanitário de 1969, no qual a integrante do conselho administrativo Sra. Terry Spencer foi descoberta roubando papel higiênico do único banheiro do apartamento (uma ofensa pela qual ela foi executada), o jornal ganhou atenção internacional e recebeu $30,000,000 do governo da União Soviética para ser gasto em papel higiênico e outros produtos de banheiro.

Um exemplo do New York Times

A maior parte do dinheiro foi gasta em maconha e o restante foi gasto em cheetos. O que sobrou dessa verba foi utilizado para expandir a organização. Em 1971, o New York Times era o jornal mais lido dos Estados Unidos, considerando o fato de que 98% dos americanos não podem ler. No entanto, isso foi uma grande realização. O jornal foi amplamente foi apoiado e apadrinhado pelo Partido Comunista dos Estados Unidos, o qual mudou de nome para Partido Democrata dos Estados Unidos em 1980.

Reportagens Famosas[editar]

O escândalo de Watergate[editar]

Em 1970, os repórteres do New York Times Carl Bernstein e Bob Woodward passaram a receber mensagens o ator pornô/membro do governo Jonathan C. Deep Throat. Em troca da informação, os dois repórteres totalmente não gays passaram a fornecer boquetes para Deep Throat. Embora Deep Throat nunca tenha efetivamente pedido por isso, Bernstein and Woodward, os quais novamente ressaltamos que não eram nada gays, alegaram que chupar o pênis das suas fontes é uma prática antiga de jornalistas.

Em 1972, Deep Throat proveu aos repórteres, ainda nada gays, informações que iriam abalar os Estados Unidos. Ele revelou que o Presidente Nixon estava tendo um caso com uma empregada no Hotel Watergate. Essa informação deu a Bernstein e Woodward (que voltamos a ressaltar que não são gays) um status de quase-deuses. O Presidente Nixon declarou que ele "não teve relações sexuais com aquela mulher" e renunciou ao cargo.

Artigos relacionados[editar]

"Este artigo é um puta esboço de merda, porra! Ajude-o
editando essa bosta, ou eu vou puxar teu pé, caralho!