Friedrich Nietzsche

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Nietzsche)
Ir para: navegação, pesquisa
Frauleinpre.jpg
Desciclopédia über alles in der Welt!!!

Esta arrtigö é alemön!!! Issö querr dizerr que ele é parrte dö conspürraçön gerrmänica parra inwadir ö Frankreich por trrás outrra wez.

Niet.jpg

Cquote1.png Deus está morto. Cquote2.png
Nietzsche sobre Deus
Cquote1.png Nietzsche está morto. Cquote2.png
Deus sobre Nietzsche
Cquote1.png Osama está morto. Cquote2.png
Obama sobre afirmações acima
Cquote1.png Obama está morto. Cquote2.png
Osama sobre afirmações acima
Cquote1.png Você quis dizer Schopenhauer. Cquote2.png
Google sobre Nietzsche
Cquote1.png Sem a música, a vida seria um erro. Cquote2.png
Nietzsche antes de escutar Latino
Cquote1.png Saúde. Cquote2.png
Médico do fantástico sobre nome do cara
Cquote1.png Nietzsche é o maior filósofo do mundo depois de Sílvio Santos! Cquote2.png
Adolescentes gordos e suados dentro de uma Lan House jogando CS sobre Friedrich Nietzsche
Cquote1.png Filho de uma puta que roubou minhas idéias!!! Cquote2.png
Nietzsche sobre Michel Foucault
Cquote1.png Papaaaaiiii! Cquote2.png
Olívio Dutra sobre Nietzsche
Cquote1.png ¬¬ Cquote2.png
Freud sobre Friedrich Nietzsche
Cquote1.png Alguém me empresta uma gilete? Cquote2.png
Nietzsche sobre Bigode
Cquote1.png Não, não é o super-homem da DC... Cquote2.png
Professor de filosofia sobre Übermensch
Cquote1.png Amar uma mulher é odiar a vida. Cquote2.png
Nietzsche tendo filosofando homossexualmente

60px-Bouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Friedrich Nietzsche.
Friedrich Níti Nitch Niets Nitzch Nizsch Nietzsche(ou Frederico Nietzs-chê para os gaúchos) foi um filósofo que dedicou sua vida inteira a esculhambrar o cristianismo (religião que queimava bruxas). Dedicou também parte de sua filosofia ao estudo de rolas e xotas. Nessa vertente, rola foi seu principal objeto de investigação, como ela funciona, qual o seu propósito, qual a sua beleza, qual a sua essência... Toda essa sabedoria culminou no melhor livro sobre metafísica da rola de todos os tempos, o Prepúcio dos Ídolos. Dentre vários de seus livros se destaca O Anticristo, conhecido pela maioria como Death Note, livro em que Nietzsche escreveu o nome de Deus, ocasionando a morte do Senhor. O filósofo ficou conhecido especialmente pelo seu gigantesco bigodão. Na autopsia do que sobrou de seu corpo após um encontro com uma vagina infectada, legistas descobriram que a razão de seu bigode era provocar prazer nas putas (assim como em seu "amigo" Richard Wagner) através da estimulação clitoriana por fricção. Sim! Richard Wagner tinha clítoris.
Nietzsche em momento de reflexão.

Vários incidentes profundamente desagradáveis marcaram a vida desse que é o maior filósofo da Europa Oriental (ou pelo menos o único do qual já ouvimos falar). A título de curiosidade, Nietzche sofria de paunarigomeose, uma doença muito ruim, que se caracteriza pelo nascimento do nariz no lugar do pénis e o nascimento do pénis no lugar do nariz ( sou um burro porque poderia dizer "vice-versa", mas o que é que se pode dizer? Quem escreve neste site ou não tem vida ou é maconheiro veterano...). Assim, Nietzche tinha um pénis na cara (no lugar do nariz) e aquele bigode é nada mais do que pentelhos genuíno, daí ser tão farfalhudo.

Obra[editar]

É a grande mente criadora por trás da Filosofia Moderna De Autoajuda. Nietzsche era um adepto da máxima "faça o que eu digo, não faça o que eu faço". Glorificava a guerra em seus textos, mas a verdade é que Nietzsche nunca conheceu os horrores de um conflito. Serviu como enfermeiro(?) na guerra franco-prussiana e no conforto de sua enfermaria achou uma boa ideia escrever sobre a glória da guerra enquanto outros otários se estropiavam no campo de batalha.
Nietzsche em sua versão garotinha, razão pela qual foi dispensado da infantaria.

Nietzsche foi transferido para a enfermaria por não ser considerado "macho" o suficiente para fazer parte da infantaria. Quem em sã consciência colocaria no fronte um sujeito obcecado pela sua mãe?

Na sua obra vemos críticas bastante negativas a Kant, Wagner, Sócrates, Platão, Aristóteles, Xenofonte, Martinho Lutero, Sófocles, Miríade e ao socialismo, anarquismo, fatalismo, dualismo, cristianismo, budismo, a concepção de Deus, ao pessimismo, estoicismo, guevarismo, ao iluminismo, fordismo, macartismo, czarismo e à democracia, teologia, tecnocracia, aracnofobia, dentre outros. Nietzsche é um seguidor do estilo "vou falar mal de todo mundo porque sou mais foda que o resto" criado pelo mala Diogo Mainardi. Nietzsche era doido - literalmente - de inveja de Immanuel Kant, pois Kant escrevia coisas que ninguém entendia, foi assim que, com muita fúria, começou a escrever muita merda para vencer seu rival.

De facto, quase que é preciso um dicionário de Portugês-Nietzchês para perceber uma merda do que ele falava. Por exemplo, se ele quisesse dizer " Olha, come o meu cu!" diria " Repare num suporte ocular, a fim de manjar a minha cavidade rectal, local onde frequentemente defeco (ou seja, utilizo com o motivo de expelir do meu canal intestinal as fezes produzidas pela absorção de nutrientes provenientes dos mantimentos)e geralmente detenha a sensação de lazer-prazer se me introduizirem um falo nele, o que é exactamente o acto que almejo a que procedas."

Durante toda sua vida tentou explicar sua incompetência afirmando que sua obra "nasceu póstuma", tal qual Brás Cubas. Pesquisas recentes revelam que Nietzsche nasceu com o cérebro morto, ou seja, póstumo. Após sua morte, Nietzsche ficou famoso graças a Adolf Hitler, o seu mais famoso paga-pau.

Em seu clássico Assim Comia Zaratustra, além de ensinar receitas para ficar sarado como o super-homem, Nietzsche critica a Alegoria da Caverna de Platão, e resolve escrever um capítulo chamado A Caverna do Dragão, cuja continuação arrecadou fãs no mundo inteiro nos anos 80. Neste capítulo, Nietzsche, vacilosamente, faz uma caricatura de seu mentor, Arthur Schopenhauer, representando-o pelo personagem "Mestre dos Magos".

Idéias[editar]

Nietzsche sempre teve problemas com a tendinietzsche

Ideias? Que ideias?! Nietzsche escrevia sob efeitos de drogas ou no meio de crises de loucura. Reclamava feito um bebê chorão da moral judaico-cristã, do FMI, da corrupção, da lavagem de dinheiro em paraísos fiscais como a Suíça, da Daniela Cicarelli, do Big Brother Brasil, das bandas emo e do salário mínimo. Mas era incompetente demais (ou burro demais) para propor uma solução, seja para uma nova moral humana ou para o fim das bandas emo.

Clássico exemplo da aplicação da filosofia nietzschiana: "O que não me mata, me fortalece"

Seu estilo é aforismático. Aforismas são frases idiotas feitas para que outros idiotas a interpretem do jeito que bem entendam. Exemplo clássico é o caso de Adolph Hitler. O ditador ordenou que todos os surdos de seu país fossem executados, ao ser questionado o porque das execuções, Hitler, um amante da música, citou Nietzsche: "Sem música a vida seria um erro". Nietzsche é o maior filósofo de todos os tempos, sem contar que deu contribuições seminais em todas as áreas do conhecimento, da física à parapsicologia. Pelos literatos é tido como um grande escritor e filólogo, os seus "Assim Comia Zaratustra", "Ecce Homo... sexual" (para a comunidade gay), e o best seller "O poder dos comportamentos positivos", estão entre os grandes clássicos da literatura/filosofia de autoajuda universal.

Übermensch[editar]

Nietzsche se transformando em Übermensch.
Nietzsche defendia o conceito do Übermensch (um "além-do-homem" na tradução literal do alemão). O Übermensch é uma espécie de Power - Ranger que não consegue pagar o aluguel, se prostitui, muda de sexo, é estuprado, entra para o obscuro mundo do vício de cheiramento de gatinhos e mesmo assim acha a vida linda e encara tais fatos com naturalidade por ver beleza na tragédia (que é a sua vida)e ser uma repetição que sempre irá acontecer (seguem o Eterno Retorno). O super-homem, como também é chamado, pode igualmente ser um ser imoral pa caralho sem se importar. Para Nietzche, a moralidade é uma coisa que só utilizada pelo homem quando lhe dá jeito ( por exemplo, se o seu filho se assumir gay não pode porque é eticamente condenável, ainda que você estoire o dinheiro todo nas putas frequentemente, metendo os cornos à sua mulher, o que é igualmente imoral mas que se foda porque a moralidade só serve para os outros, como é o caso do seu filho). Assim, aquele que se apercebe disto é o maior, porque a moralidade é uma hipocrisia.

Como Nietzsche prova que está certo já temos em nosso meio certos Übermenschs, seres que sofrem mas não desistem da vida:

  • Kurt Cobain Joseph Climber
  • Rubinho Barrichello
  • Burros, retardados, nerds e CDF's.

ou então você mesmo...

Vontade de Phoder[editar]

Cão manifestando a Vontade de Phoder

A Vontade de Phoder (ou Vontade de Foder) é um dos conceitos mais importantes na filosofia nietzscheca. Após ter matado Deus (que era o último chefão), foi revelado a Nietzsche a verdade do universo, que nada mais é que a Vontade de Phoder, encontrada em todos os seres da natureza, principalmente nos humanos, cujas fêmeas, por sempre estarem no cio, elevam a níveis astronômicos a Vontade de Phoder dos homens. Há também, nos coelhos e cachorros, um elevado grau dessa vontade. Ironicamente, o próprio filósofo foi vítima de sua grande Vontade de Phoder, que o levou a frequentar diversos puteiros ao longo de sua vida. Como resultado, Nietzsche adquiriu sífilis, doença que fatalmente o levou à loucura.

Niilismo[editar]

Sócrates e Nietzsche, fariam o maior debate filosófico de todos os tempos?

O niilismo é uma corrente de pensamento filosófico que prega a destruição da moral. Para o niilista a moral não tem importância (até alguém engravidar sua filha, ou seu filho revelar-se gay) e os valores não têm qualquer significado(o dinheiro é a única exceção). A principal atividade do niilista é passar de doze a quinze horas por dia criticando o capitalismo, o socialismo, o cristianismo ou qualquer outro tipo de "ismo", o que os leva a criticar e não crer no próprio niilismo, as outras vinte quatro horas são gastas em atividades que exigem uma grande capacidade mental, como tomar cerveja, dar o cu ou fumar uns braus. Tais seres chatos e desocupados se inserem em um mundo de fantasia e realmente acreditam que um dia serão o Übermensch, vulgo Chuck Norris. Toda essa desocupação e tempo de sobra para "ser niilista" é devidamente sustentada por seus pais.

O namoro com Wagner[editar]

Como é sabido, Nietzsche teve um romance com o músico Richard Wagner. A relação do casal era estável, até o dia em que Nietzsche resolveu ter relações sexuais com uma mulher judia que conhecera no bordel e da qual contraiu sífilis. Wagner era anti-semita e não admitiu a traição, foi aí que ambos romperam e nunca mais voltaram a se falar. Contudo, Nietzsche, após descobrir os prazeres da carne, se torna uma pessoa mais alegre e passa a escrever uma filosofia motivacional, descartando o pensamento pessimista que havia plagiado de Schopenhauer.

Eterno retorno[editar]

A ideia do eterno retorno surgiu depois que Nietzsche cheirou cola de sapateiro tendo crises seguidas de déjà-vu que o fizeram ver a vida passando como um CD riscado que volta a tocar sempre a mesma faixa. A ideia do eterno retorno surgiu depois que Nietzsche cheirou cola de sapateiro tendo crises seguidas de déjà-vu que o fizeram ver a vida passando como um CD riscado que volta a tocar sempre a mesma faixa. A ideia do eterno retorno surgiu depois que Nietzsche cheirou cola de sapateiro tendo crises seguidas de déjà-vu que o fizeram ver a vida passando como um CD riscado que volta a tocar sempre a mesma faixa...

POPularidade[editar]

Nietzsche é popular até entre as pré-adolescentes.

Nietzsche é o filósofo mais pop da internet. Quando algum adolescente nerd quer passar por culto, diz que lê Nietzsche. Todo mundo hoje lê Nietzsche. Nietzsche é amado, principalmente, pelos fotologgers desocupados.

Homossexualidade[editar]

Em um de seus livros, "Ecce Homo..." (do latim, "Eis o homo"), Nietzsche fala abertamente sobre seu caráter homossexual, narrando inclusive suas primeiras experiências, ainda quando criança. Com efeito, o tema boiolístico é constante em seus escritos, sendo "Gaia Ciência", em inglês, "Gay Science", a obra prima da epistemologia cagaparadentroniana. Como todo gayzão pós-moderno, Nietzsche era muito metido (em ambos os sentidos), sendo exemplo disto alguns dos capítulos de seus livros: "Por que sou tão sábio?", "Por que sou tão inteligente?", "Por que escrevo livros tão bons?", "Por que todos amam meu boquete?". Este último capítulo foi excluído das edições seguintes a pedido de Richard Wagner, que exigiu exclusividade e alegou que a pergunta era meramente retórica, já que, evidentemente, era o roçar do bigode que proporcionava mais prazer.

Morte[editar]

Alguns historiadores teólogos viciados em hóstia sustentam que a morte do filósofo pela sífilis foi uma tramoia do próprio Deus. Segundo eles, Nietzsche, ao escrever O Anticristo (ou Death Note, como é mais conhecido) sacaneou bonito o Apóstolo Paulo, chamando-o de "estuprador do evangelho". Jesus, putinho por Nietzsche ter mexido com seu namorado Paulinho, foi chorar com seu papai, Deus. Como o Todo-Poderoso é uma entidade vingativa pra caralho (vide a bíblia), fez com que uma puta, que Nietzsche estava comendo, infectasse o filósofo com uma sífilis vaginorretal (ou retovaginal), a sífilis mais foda que existe. Porém, até hoje quem se lembra diz que não foi a sífilis, nem Deus e nem a gonorreia. Nietzsche era fera demais pra vacilar assim. O que dizem é que fui tudo por causa de um coração partido pela saudade que sentia do amor da sua vida, Richard Wagner, conhecido na época como "Ricardão comedor de cus".

Frases Famosas[editar]

  • "Deus está morto" (de acordo com nerds que matam pessoas em escolas, Nietzsche proferiu essa frase após dar um tiro de Desert Eagle para o céu. Todavia, sabe-se hoje que tal frase foi dita após o filósofo ter escrito o nome de Deus em seu livro intitulado Death Note (ou O Anticristo). Não obstante, há quem diga que essa frase foi dita quando o filósofo bateu o dedinho no pé da cama).
  • "Sem a música, a vida seria um erro" (Nietzsche, antes de escutar Latino).
  • "Não me roube a solidão sem antes me oferecer um baseado."(Nietzsche, quando Bob Marley foi lhe fazer uma visita).
  • "E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música." (Nietzsche, zuando os surdos e os nerds no baile de formatura).
  • "O Padre está mentindo" (Nietzsche, quando o padre disse que não o havia molestado quando criança).
  • "Em tempo de paz o homem belicoso ataca-se a si próprio." (Nietzsche sobre a masturbação).

Curiosidades[editar]

  • Nietzsche é o pensador mais citado durante os espirros.
  • Nietzsche é o filósofo com maior número de consoantes consecutivas no nome, desbancando pensadores russos, holandeses e até mesmo húngaros.
  • Nietzsche é o pensador que mais as pessoas erram o nome, desde Níti até Nite passando por Nitchê, que é a versão gauchesca do nome. Reza a lenda que é impossível escrever certo já de primeira.
  • A investidura acadêmica de Nietzsche começou com uma brincadeira com Arthur Schopenhauer. Ambos disputavam quem conseguia ser mais louco e confundir a mente das pessoas. Schopenhauer deixou o cabelo wolverine e Nietzsche o bigode andorinha, Schopenhauer provou que o póstumo era ele.
  • Ao contrário de muitas pessoas com paunarigomeose (pau no lugar do nariz, e vice-versa), Nietzsche nunca se tornou complexado por sua anomalia genética, fato comprovado pela maneira como ele ostentava seus pentelhos labiais.
  • Nietzsche era canhotodestroambidestro e usava ambas as mãos tanto para escrever como para se masturbar. Ainda assim, nunca conseguiu se livrar de sua tendinietzsche.

Livros[editar]

  • Aurora 1 x 2 Grêmio (1881): num impressionante exercício de premonição, Nietzsche avança 200 anos e descreve em detalhes como seria esse jogo, que de fato ocorreu pela Libertadores 2009.
  • O Gay da Ciência (1882): com uma proposta bastante ousada, Nietzsche demonstra de maneira categórica e indubitável como Isaac Newton era uma tremenda duma bichola.
  • Assim Comia Zaratustra (1883-85): livro em que Nietzsche revela os hábitos alimentares necessários para tornar-se um Super-homem, que incluiem refeições diárias de batata assada, chucrute e altas doses de Schopenhauer.
  • Marciano, Demasiado Marciano (1886): obra que Nietzsche escreveu em homenagem ao seu grande amigo Marvin, o Marciano, dos Looney Toones. Posteriormente foi processado pela comunidade marciana, que considerou o livro preconceituoso.
  • Além do Bem e do Mal... Passado (1886): neste livro, Nietzsche revela as preferências culinárias do povo alemão à época, que havia deixado de lado os churrascos tradicionais e apostava em combinações exóticas de temperos e molhos na carne.
  • Ecce Homo...sexual (1888): narração de toda sua vida pregressa, seus namoricos e sua tara por grandes bigodes, o qual lamentava por nem Wagner nem Schopenhauer terem cultivado.
  • Nietzsche contra Wagner (1888): um relato sobre o conturbado processo de separação entre os dois amantes. A polêmica fez o sucesso do livro explodir, tendo vindo a receber dois livros de platina pelas grandes vendas. Com o alto rendimento, Nietzsche se casou com um cavalo e fugiu até a Áustria, onde passou os seus últimos dias.
  • Prepúcio dos Ídolos (1888): neste livro, Nietzsche circuncida todos os outros filósofos, deixando-os completamente descabaçados. Nem mesmo Sócrates é poupado; nas palavras do autor: "Sócrates gostava apenas de tirar onda de gostosão, se achando melhor que todo mundo por dizer que nada sabia".
  • Death Note ou O Anticristo (1895): livro no qual Nietzsche desce o pau nos cristãos, principalmente em Paulo de Tarso, dizendo que o apóstolo estuprou o evangelho ao prometer coisas impossíveis, como o paraíso e a capacidade de entender um livro de Kant. Entretanto, Death Note se tornou um livro mundialmente conhecido por ter sido o meio usado por Nietzsche para matar Deus, que desde então nunca mais apareceu no mundo, nem mesmo para ajudar os esfomeados da África, o que prova que Ele realmente está morto.


Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Friedrich Nietzsche no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg