Nigel de Jong

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
81488162.gif CUIDADO! Nigel de Jong É UM JOGADOR AGRESSIVO


Não tire onda com ele se não quiser levar uma tesourada na cara!

Veja outros Cavalos jogadores desse mesmo feitio aqui.

PokeRyu.PNG Este artigo é sobre um(a) lutador(a)!
Se você ofender este fodão estragando este artigo, ele te enche de porrada!
Knux Smash.jpg
Nigga de Jong
Dejongapavoro.jpg
Minutos antes de mais uma execução
Nascimento 30 de Novembro de 1984
Bandeira dos Países Baixos Países Baixos
Ocupação Dar solada no peito dos otários
Influências Mark van Bommel (Mestre Jedi dele), Júnior Baiano
Vícios Matar

Nigel de Jong (30 de Novembro de 1984) é um dos maiores cavalos já paridos em território holandês, perto dele Felipe Melo e Sandro Goiano não passam de crianças choronas.

Ele não se destaca por ter passes precisos, nem por fazer belos gols, nem por defender bem, apenas por passar os adversários na porrada, quebrando os caras no meio, seguindo fielmente o estilo de jogo criado por Júnior Baiano, que consiste em "a bola passa, mas o adversário não".

Durante um bom tempo formou com Mark van Bommel na Seleção Holandesa a "dupla da pancadaria", apenas a presença destas duas lendas do MMA em campo já eram mais do que o suficiente para que os adversários começassem a tremer como garotinhas indefesas, e com razão, menos de uma lesão causada por jogo a dupla nem comemorava.

Vida[editar]

Nasceu em um octógono de UFC, após a tua mãe, grávida de nove meses, levar um chute invertido na barriga durante uma luta clandestina.

Ao nascer, foi abandonado nas montanhas, para alimentar os lobos famintos, mas o que ocorreu foi o contrário, de Jong que matou os lobos com voadoras, os comeu, usou os ossos para palitar os dentes e ainda usou suas peles para não morrer de frio.

Na adolescência, passou a ganhar a vida lutando clandestinamente em becos cheios de negões crackudos traficantes que apostavam grana alta em sua pessoa, visto que de Jong nunca tinha perdido uma única luta. As voadoras do moleque foram bem vistas por um dos olheiros do Ajax, que tinha apostado alto nele e ganhado, e para recompensá-lo, o levou para integrar as categorias de base do clube holandês.

Carreira[editar]

Ajax

de Jong demonstrando um dos golpes de finalização que aprendeu com seu mestre e companheiro de volância, Van Bommel.

Após alguns dias de treinamento nas categoria de base do Ajax, de Jong já contabilizava trinta e oito lesões causadas e três mortes, por isso, o treinador iria dispensá-lo, mas acabou morrendo misteriosamente com uma voadora na coluna um dia antes de entregar para de Jong sua carta de demissão.

Depois que matou mais alguns companheiros, de Jong ficou sozinho na base do Ajax, e como a equipe principal precisava de jogadores e não tinha mais ninguém para promover, levaram o homem mesmo, eles não teriam um futebolista em seu plantel, mas pelo menos teriam um lutador experiente para quando tivesse alguma briga numa partida contra o PSV.

Nas primeiras partidas, de Jong foi muito bem, ele quebrava geral do outro time, e nunca era expulso, pois ameaçava o juiz com as travas de sua chuteira. Assim ele lesionava o time adversário inteiro e o Ajax ganhava jogando contra ninguém. Foi assim que de Jong levou o Ajax ao título nacional mais fácil de sua história, e como recompensa, ele pediu para o presidente da equipe lhe dar uma chuteira de adamantium, pois assim ele poderia quebrar melhor os adversários sem se preocupar com a quebra das travas ou com uma possível lesão em suas pernas.

Tendo este monstro fora da jaula em seu plantel, o Ajax estava papando todos os títulos, pois os adversários estavam perdendo por W.O., não entrando em campo para preservar suas pernas e suas vidas. Percebendo que ter um animal destes no elenco é algo bastante vantajoso, o Hamburgo fez uma oferta para levá-lo para a Alemanha, oferecendo para o clube alguns milhões e para de Jong um monte de sparrings para ele treinar suas voadoras laterais quebra-ossos. Não podendo negar uma proposta como essas, de Jong aceitou.

Hamburgo

de Jong pronto pro combate.

Ao desembarcar na Alemanha, de Jong ordenou que os torcedores fizessem uma recepção pra ele com muito rock, putas pagas baratas, shots de tequila e alguns adeptos do fair play, para ele executá-los publicamente, quebrando suas pernas na frente de todos. Não sendo doidos, os torcedores acataram as exigências, e fizeram suas oferendas para o novo carrasco do time alemão.

Após banhar-se no sangue daqueles que não apreciam sua arte genocida, de Jong entrou em modo berserker, assim logo em sua estreia, ele quebrou o time adversário inteiro, com sua variação da solada lateral, a solada alta, que é mais eficiente, pois também serve para quebrar o braço de goleiros. Em condições normais ele seria expulso, mas como assassinou o juiz antes de levar o cartão vermelho, de Jong pode participar da partida seguinte.

Depois desta estreia brutal com muitos overkills, de Jong mostrou que estava adaptado ao pegado futebol alemão, e estava preparado para o seguimento da temporada. Assim, com muitas intimidações e lesões causadas, ele foi peça importante para a escalada do Hamburgo na tabela, que apenas não conseguiu deixar pra trás o Bayern de Munique, pois esta equipe possuía em seu plantel Van Bommel, o mestre insuperável na arte das pancadarias.

de Jong estava atraindo a atenção de diversos clubes, pois era melhor ter ele ao seu lado do que contra, apesar dele também bater nos companheiros durante os treinos. Assim, o Manchester City fez uma proposta para o carrasco fazer parte de seu elenco, o Hamburgo não queria aceitar a princípio, mas de Jong ameaçou os dirigentes de morte, e eles foram obrigados a aceitar a transferência.

Manchester City

Após ser seduzido pela fama do futebol inglês de ser truncado, pegado, porradeiro e animado por hooligans, de Jong foi lutar no Manchester City, acreditando que na equipe inglesa ele poderia aperfeiçoar seus golpes e criar novas finalizações. Todas as outras equipes ficaram apreensivas com esta contratação, e pediram para seus craques não dividirem bolas com de Jong, pois seus salários eram altos demais pra correrem o risco de lesão, que com a presença de de Jong em campo era de 99%, na verdade 100%, mas não é bom dar unanimidade em nada.

de Jong seguiu quebrando canelas no City por várias temporadas, até que o Emerson Sheik interessou-se no seu estilo de luta e o levou pra defender o Al Ahli.

Al Ahli

de Jong é um lutador secretão de Mortal Kombat, e o vencedor do torneio desde antes de nascer.

de Jong tá até hoje na Arábia, quebrando as corcovas de camelos e dando carrinhos em jogadores brasileiros medianos que são contratados pelos sheiks a preço de ouro.

Seleção Holandesa

Na Seleção Holandesa, de Jong jogou na Copa do Mundo de 2010 e foi titular em todas as partidas, até porque o técnico não tinha coragem de tirar ele de campo, e nem de tirar van Bommel, por isso a Holanda teve que jogar todas as partidas numa retranca da porra com dois volantes truculentos e deixando que Sneijder e Robben resolvessem lá na frente.

Na partida contra o Brasil, de Jong colou no Kaká, o meia brasileiro ficou com tanto medo que depois daquele dia nunca mais jogou nada, foi de melhor do mundo a figurante em equipe de várzea americana.

Nesta partida, ocorreu um encontro no mínimo curioso nesse jogo, entre de Jong e Felipe Melo, dois lutadores que poderiam até ser irmãos, parecidos tanto na aparência quanto no estilo de combate. Como de Jong sabia que não podia dividir nenhuma bola com Felipe Melo, para não causar o fim do mundo, ele resolveu se acalmar e, pela primeira vez na vida, amaciar um pouco o pé nas divididas, não quebrando muito o fêmur dos adversários. Mas, após ele ver que Felipe Melo tava nem aí e tava usando as lendárias técnicas de cavalagem em Arjen Robben, de Jong não mais se conteve, abriu a caixa de ferramentas e foi amarelado, como sempre, só não foi expulso porque não precisava mais bater em cachorro morto.

Na final, contra a Espanha, com o mundo inteiro assistindo, de Jong resolveu que era hora de mostrar ao mundo as técnicas lendárias que aprendeu com seu tutor van Bommel, assim, na primeira oportunidade, lascou a mitológica voadora direta bi-rotacional bem no peito de Xabi Alonso, que morreu na hora, mas pelo menos morreu sendo campeão do mundo, enquanto de Jong só ficou no cheirinho mesmo.