Nina (Claymore)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Horo-amidst-nature.jpg Este artigo se trata de uma Hentai Girl

Ela é gostosa, mas nón ecziste. Ela participa de algum desenho, jogo ou quadrinhos e tem orgasmos infinitos.

Nina
Cquote1.pngCquote2.png
Nina1.jpg
Franjinha estranha
Informações inúteis
Classificação Claymore da nova geração
Ranking Claymore
Técnicas Shadow Hunter
Parceiros Clarice e mais duas figurantes
Status Atual Viva
Símbolo Supererro.jpg

Cquote1.png Você quis dizer: Nino Cquote2.png
Google sobre Nina (Claymore)
Cquote1.png Experimente também: Ino Yamanaka Cquote2.png
Sugestão do Google para Nina (Claymore)
Cquote1.png Buáááá! Cquote2.png
Clarice sobre o jeito que Nina a trata.
Cquote1.png Noobs. Cquote2.png
Miria sobre Nina e suas companheiras.
Cquote1.png Rá! Apareci mais que você! Cquote2.png
Raquel sobre a aparição de Nina.

Nina é mais uma claymore da geração corrente e mais uma fracote se comparada ao pessoal da panelinha da Miria. Sendo útil apenas para levar umas porradas e cair inconsciente na 2ª missão no Norte, desta vez sem objetivos suicidas ou afins, Nina é conhecida como a Claymore com a franja mais estranha assemelhando-se a da Ino Yamanaka.

Antes de virar claymore[editar]

Nina em sua fase guria retardada.

Nina nasceu loira, não houve problemas com a cor de seus cabelos durante a transformação, Nina era filha de um bêbado com uma mulher de vida fácil, os dois se amavam mas eles não estavam dispostos a aturar em uma casa um ao outro, arrumar empregos decentes e, ainda, ter de cuidar de uma criança que iria passar o dia inteiro apenas cagando, dormindo e cagando.

Nina, então foi deixada na porta de um orfanato, mas como as freiras estavam de greve sequer recolheram a cesta em que a guriazinha estava, ela acabou sendo encontrada por um youma que decidiu cuidar dela, para engordar, quando estivesse apetitosa ele iria traçá-la e se a garota ficasse gostosa de outro jeito ele também a traçaria, só que de variadas formas para depois cair no lado culinário da coisa.

Nina Williams, antes de fazer figuração em animes Nina passou pelo mundo dos videogames, para alegria dos nerds gamers.

A garota foi crescendo e despontando como uma bela moça, o papai youma, ele nunca contara isso a ela e as manchas vermelhas que apareciam na roupa dele sempre foi catchup derramado, ele era muito desastrado. A hora do abate se aproximava para a jovem, o youma já até tinha comprado o tempero, no entanto, uma loira mal-encarada acabou sendo contratada para dar um jeito nos bichos da região e o youma fora descoberto.

Após ter seu pai falso retalhado pela Claymore de uma Claymore a garota ficou sem chão, ainda mais após ver nas coisas do pai um livro de "1001 maneiras de cozinhar uma pirralha loira" com a página do "Guria a molho madeira" marcada.

Nina e sua técnica arrasadora de parar espadas com a cabeça.

A garota não sabia o que fazer e acabou aceitando o chamado da loira para virar um ser como ela, alto, altivo e altruísta, apenas esquecendo de mencionar humilde.

A passagem pela academia[editar]

Nina logo após ser salva foi recrutada, fez seu alistamento obrigatório, afinal toda órfã da ilha passa a ser uma claymore em potencial, eles as recolhem e as que sobreviverem a metamorfose em demônios loiros ganham uma espada e um uniforme que os fãs de hentai sonham que poderia ser menor, isto é, sem uma calça e mangas compridas, apenas a sainha e óbvio que com um tecido menos resistente, já que o uniforme das claymores jamais rasga, sendo do mesmo tecido que a calça do Goku.

A transformação nunca é tranquila, dói tudo, desde a unha encravada até as pálpebras e, até hoje, nunca foi explicado como conseguem mudar a cor da íris humana, que espécie de substância age dessa forma espetacular, talvez o segredo seja mantido para a manutenção dos lucros das empresas que fabricam lentes de contato, sim teorias conspiratórias sempre são aceitáveis.

Nina em seu modo terrorista.

Nina, após todo esse rolo de mutação genética, foi introduzida no novo nível de tortura da organização, o treinamento com espadas e outras armas, sem contar com as professoras super-carinhosas que a fazia sentir saudade de seu pai demônio, ela foi instruída na arte do combate após perder diversos membros, ser perfurada e comer poeira tanto quanto o C&A di Pégasuuuuuuuuu, obviamente mantido a devida proporção, já que o último é reconhecidamente um imortal.

Primeiras missões[editar]

Nina amou quando saiu da academia, não aguentava mais o ar fedorento de lá, afinal o chão de lá é banhado de suor, sangue e lágrimas das loirinhas agraciadas com o destino de virar uma bruxa dos olhos prateados, Nina ao sair de lá relembrou que as árvores eram verdes e o canto dos passarinhos gracioso, sim ela passou por uma momento extremamente emo/guria retardada ao rever a luz do sol, mas logo voltou a realidade e a sua expressão carrancuda e foi matar alguns youmas que enchiam o saco da população.

Nina deixando as coisas bem claras para a anta da Clarice, de uma forma super gentil.

Nessa nova vida de mercenária, nina enterrou os próprios sentimentos, virou uma máquina a número 9 da organização, acabou virando uma verdadeira mala, mas como ela estava no top 10 da organização ela ainda era respeitada, mesmo com ela odiando ter o saco lambido por suas companheiras, seria Nina mais uma futanari?

Nina mesmo sendo a número 9, sucessora da nada feminina Jean, a claymore que se apaixonara pela protaonista, mas convenhamos a Clare é bem bonitinha para um demônio. Nina teve uma meia dúzia de missões memoráveis, como por exemplo a vez em que ela enfrentou um kakuseisha com cara de pokémon, ou um outro parecido com a Glória Maria.

Nina usando sua técnica secreta, a "Perseguição das sombras", isso está mais para nome de jutsu de Naruto.

No Norte[editar]

Após sete anos da missão suicida que riscou todas as claymores figurantes do mapa, a bendita batalha de Pieta, a organização reuniu umas dígitos únicos e a Clarice, ninguém entendeu o porquê da última ter ido, as loiras (a Clarice é uma Claymore morena, WTF?) foram ver o que sobrara confirmar a morte das claymores indesejadas e quantos demônios feiosos ainda estavam por lá.

A Nina fica irada ao saber que mandaram na missão a mais inútil das claymores, mas detêm-se a mandar a Clarice ficar com a espada empunhada se quiser sobreviver, afinal ninguém ali era amiga de ninguém, as garotas então vão trabalhar, achar uns despertados e mandá-los para o outro lado, mesmo com a Clarice sendo capaz de apanhar para um youma pigmeu sem pernas.

Após andarem no meio da neve, e da Clarice quase pegar um resfriado, elas encontraram um bando de kakuseishas, um demônio mais feioso que o outro, mandíbulas estranhas, cara estranha, corpo estranho e as mulheres também podem reparar que eles tinha outras coisas bem estranhas, mas no trabalho as garotas deveriam encarar tudo que era possível e, mesmo, o que era extremamente impossível.

Nina e sua trupe contra uma tarântula gigante.

Começa a luta, em cerca de meia dúzia de páginas enevadas as claymores já estão caídas no chão, preparadas para serem sodomizadas por tentáculos cruelmente assassinadas e com alguma sorte aparecer numa fanfic guro. Mas aí, eis que surge a superliga da Miria, as claymores sobreviventes da desastrosa campanha do norte de 7 anos atrás, elas salvam as outras claymores e deixam tudo num ar de suspense, as loiras salvas não entendem porra nenhuma de como sobreviveram, mas nem pensam muito, preferem voltar para casa correndo.

Ver também[editar]