Nina Hartley

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Rabbimetal.jpg Cadê o moedinha?

Este artigo é judeu! Ele odeia samaritanos, foi escolhido por Javé e não come lagosta porque é caro e anti-kosher. O autor deste artigo provavelmente é contador e deve estar cuidando da lujinha.

Marie Louise Hartman
Curiosidades do mundo adulto o macho alpha nina hartley.jpg
Parece uma bruxa
Nascimento 11 de Março de 1959
Bandeira dos Estados Unidos Estados Unidos
Ocupação Atriz pornô
Altura 1,63
Cabelo Louro

Nina Hartley é uma velha caquética que já está caindo aos pedaços, e mesmo assim não consegue tomar vergonha naquela cara enrugada. Trabalha desde 1900 e guaraná com rolha como atriz pornô, e não dá sinais de que vá parar tão cedo. Em compensação, dá várias outras coisas, que nem é necesário mencionar quais são, pois como bom punheteiro que você certamente deve ser, senão nem teria vindo parar neste artigo, já deve estar careca de saber.

A idade de Hartley já é tão avançada que ela nem sequer pode mais ser encaixada na categoria MILF, sendo portanto uma das raras profissionais do séquiço a serem consideradas GILF. Não sabe o que é? Joga no Google, preguiçoso de merda.

História[editar]

Hartley em seus tempos de glória.

Nascida em alguma cidade que não interessa dos Estados Unidos, Nina Hartley vem de uma conceituada família praticante do judaísmo. Como tal, ela seguiu durante algum tempo as leis impostas pelos judeus, até que seus pais decidiram se converter ao budismo. No entanto, Hartley não estava a fim de aprender os ensinamentos de Buda, e preferiu optar pelos ensinamentos de bunda ao invés disso.

Durante a faculdade, começou a trabalhar como stripper para conseguir pagar o curso de enfermagem no qual estava se graduando, e foi assim que adotou seu nome de guerra para não ser reconhecida entre colegas e pacientes. Embora tenha conseguido se formar, Hartley foi enfermeira durante pouquíssimo tempo, pois sua aparência natural de loira peituda dos olhos azuis a tornava praticamente uma cosplayer erótica e ninguém a levava a sério na profissão. Além disso, muitas das pessoas que iam ao hospital se tratar com ela para curar alguma doença acabavam saindo piores ainda, vítimas de uma terrível hemorragia nasal.

Embora seja frequentemente assediada por muitos homens desde a sua juventude, Hartley é assumidamente lésbica e defende causas a favor do feminismo, sendo uma presença constante em protestos tipo a Marcha das Vadias e outras palhaçadas similares.

Carreira[editar]

Ainda na época de estudante, Nina Hartley foi convidada para adentrar e ser adentrada no cinema pornográfico. Sua musa inspiradora e grande mentora foi a já falecida Juliet Anderson, outra balzaquiana que teve muita dificuldade em assumir que acabou envelhecendo e trabalhou como puta paga até os momentos finais de sua vida.

Por ter um estereótipo complemente diferente, praticamente oposto ao das japonesas, Hartley também fazia muito sucesso entre os turistas nipônicos que frequentavam os puteiros em que ela fazia striptease, então chegou a realizar produções voltadas exclusivamente para o mercado pornô japonês, atuando em alguns live-action hentai.

Sua carreira ainda chegou a se estender um pouco para o cinema tradicional, rendendo a ela alguns papéis como figurante em filmes enlatados de Hollywood com os quais ninguém se importa.

Atualmente[editar]

Além de continuar trabalhando como atriz, Nina Hartley agora também dirige pornografia, talvez por estar se convencendo aos poucos de que virou uma anciã e poderá ter que se aposentar brevemente para evitar um possível ataque cardíaco durante as gravações das cenas em que atua. Por se autodeclarar feminista, outra de suas mais recentes ocupações consiste em frequentar programas nos quais dá palestras defendendo a liberação sexual feminina, o que é um tanto irônico, já que é constantemente sodomizada por algum ator pornô, mesmo preferindo colar velcro.