Niquelândia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Niquelândia é a única coisa que pode ser realmente chamada de "cidade" naquela área da Chapada dos Veadeiros. Considerada uma cidade histórica, na época que os portugueses extorquiam todas as riquezas do Brasil, já tinha miserável trabalhando na Antiga Niquelândia, até hoje a coisa não mudou muito, aqueles miseráveis continuam cavando na montanha atrás de riquezas para seus patrões.

História[editar]

Pessoal trabalhando feliz em Niquelândia.

Vilarejo fundado no século XVIII como quartel de caça a indígenas. Era o fim do mundo que os soldados mais azarados eram mandados para aturar o calor intenso, hantavirose, febre amarela e ataques constantes de dardos envenenados de canibais.

Em 1735 saíram de Pirenópolis uns boiadeiros em busca de um novo lugar depois que as suas mulheres lhes colocaram chifres. Encontraram esse local no meio do nada, e se estabeleceram ali para cavar ouro que de acordo com os livros de história, abundava no Brasil inteiro, é incrível como existia ouro em qualquer buraco.

Pouco depois, em 1755 já era um grande vilarejo conhecido como São José do Tocantins. Se você já viu filmes de faroeste, então já conhece a Antiga Niquelândia.

Após a descoberta de níquel em 1943, todos pobres das redondezas migraram para o local para tentar ganhar a vida. Se deu certo ou não, tanto faz, desde que continuam cavando níquel, ninguém reclamará.

Geografia[editar]

Niquelândia é considerado o maior município goiano, no entanto do que adianta, se o município é um buraco de 9843,170 km² de mato e morros. No horizonte é possível ver chapadas, que na verdade eram morros, mas foram cortadas pelos mineradores até se transformarem nas atuais chapadas.

O solo erodido, o cerrado devastado e os lençóis freáticos poluídos com coisas como mercúrio formam o relevo local.

Economia[editar]

Economia baseada na mineração do resquício de níquel explorado por séculos de destruição de solo. A Companhia Níquel Tocantins (CNT) e Votorantin exploram e extorquem as riquezas naturais de Niquelândia, enquanto o futuro do município é certo como de qualquer cidade mineira do mundo. Quando o níquel acabar, acaba também a cidade.

Destaca-se na exploração mineira o cobre, calcário, esterco, cobalto, mica, mico, ferro, manganês, mangas, cristal, ouro, amianto, tua mãe, diamante, pedra, quartzo, feldspato, mármore, batatas fritas, e claro, o níquel.

Como nem todo mundo pode ir martelar pedra nas minas, a economia da cidade também se sustenta na agropecuária, porque espaço para plantar banana não falta.

Mas para o povo normal e preguiçoso, o único serviço lucrativo é ser político.

População[editar]

Cidade de 40.000 caipiras, sendo considerada uma das maiores fazendas do norte goiano.

Turismo[editar]

Niquelândia se aproveita do fato de ser o único município que pode ser chamada de "cidade" nas proximidades da Chapada dos Veadeiros para atrair turistas a procura de programas na natureza.

Todo aquele bando de mato tem muitas cachoeiras, grutas e lagos isolados, onde turistas que não tem dinheiro para entrar no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros podem ir desfrutar de ir acampar nesses lugares. Destaca-se o Lago de Serra da Mesa, longe da cidade, nem dá para dizer que aquilo fica em Niquelândia, mas quem quiser mergulhar, é lá.

Há ainda espalhada por toda a área do município, ruínas antigas de cemitérios indígenas amaldiçoados, o que justifica a grande quantidade de macumbeiros em Niquelândia.