Nossa Senhora

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Aviso importante: Fanatismo religioso aqui NÃO, cazzo!
A Desciclopédia é um site de humor, logo, NINGUÉM aqui se importa com suas crenças, seja você budista, onanista, satanista ou macumbeiro. Seja engraçado e não apenas idiota.

Nossa Senhora é uma deusa pagã adorada em muitas religiões (que vão do catolicismo ao umbandismo) e cuja história remonta à Pré-história, quando tribos de caçadores a adoravam sob a identidade de Gaia, a Mãe Terra que literalmente devorava seus filhos quando estes iam para o túmulo (Os caçadores eram selvagens, mas não eram bárbaros. Eles enterravam seus mortos, sim senhor.)

Na antigüidade[editar]

Nossa Senhora segundo os hindus

Na História antiga o mito de Nossa Senhora era popular entre muitos impérios. A Babilônia, por exemplo, cultuava a deusa sob o nome de Astorete, a mãe dos deuses que era casada com Baal, o deus do sexo (e que por isso era reverenciada com surubas imperiais). No Egito Nossa Senhora recebeu o nome de Ísis, esposa de Osíris e mãe de deuses zoomórficos nascidos de relações sexuais com crocodilos, chacais, falcões e outros bichos. Na Assíria o mito tomou o nome de Ishtar, outra deusa mãe cuja adoração era caracterizada por sacrifícios humanos (que horror!).

Na era cristã[editar]

No início da era cristã o mito de Nossa Senhora estava esquecido, porém ressurgiu na Grécia e em Roma sob os nomes de Hera e Juno, ambas deusas mães muito populares no mundo civilizado. O mito acabou se infiltrando no cristianismo quando a deusa assumiu a identidade da "virgem" Maria (que não foi virgem coisa nenhuma, pois teve sete filhos com seu MARIDO (a Igreja Católica queimou na fogueira todos que ousaram concordar com essa verdade) a quem amava muito (E se você ama, você dá. Ou vice-versa)), mãe de Jesus Cristo.

Atualmente[editar]

Nossa Senhora na visão dos umbandistas

Hoje além de ser adorada pelos católicos, Nossa senhora também é adorada pelos hindus sob o nome de Shiva, a deusa dos 24 braços que tem 12 amantes; pelos budistas sob o nome de Brahma, a deusa da cerveja; pelos xintoístas sob o nome de Amaterasu, a deusa do sol com seios reluzentes que cegam a vista dos mortais e é amante de Tsukuyomi, o deus da lua; e pelos umbandistas sob o nome de Iemanjá, a deusa do mar com seios de Fafá de Belém.

As muitas encarnações de Nossa Senhora[editar]

Os católicos adoram cerca de 450 versões diferentes de Nossa Senhora (e acreditam que todas são muitas e ao mesmo tempo são uma só. vai entender), o que se trata do maior caso de sockpuppetry da história da Humanidade. Algumas delas são:

Nossa Senhora dos tabaqueiros: protege do câncer de pulmão.

Nossa Senhora da camisinha: protege de doenças venéreas.

Nossa Senhora de Adamantium, um exemplo clássico das facetas do espírito santo de Maria.

Nossa Senhora da caninha: protege da cirrose hepática.

Nossa Senhora da bala perdida: protege de tiros e de assaltos.

Nossa Senhora do barquinho: protege os barbeiros do mar navegantes.

Nossa Senhora do racha: protege os barbeiros motoristas.

Além disso, é conhecida no meio artístico como Madona sendo, por isso, representada em várias pinturas.