Nostálgicos Anônimos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Logotipo da organização
Os Nostálgicos Anônimos (NA, sigla que pode ser confundida com a dos Narcóticos Anônimos mas que não é a mesma coisa - apesar de ambos tratarem de dependentes de entorpecentes) são uma organização sem fins lucrativos que reúne pessoas que permaneceram empacadas na Década de 80 para tentar convencê-las de que o Século XXI já chegou há muito tempo e ninguém mais agüenta falar sobre coisas que fazem parte do passado há quase 30 anos.


Formação do Grupo[editar]

A primeira reunião do grupo data de março de 2003, quando o empresário carioca Marcelo Marmelo Martelo percebeu que a banda mais moderna que ouvia era João Penca e seus Miquinhos Amestrados e que tinha vários pôsteres do Balão Mágico e do Bozo. Para ele não haveria nenhum problema, se não fosse o fato de que nenhuma mulher realmente boua freqüentava os rituais de adoração do demônio as festinhas supertransadas onde uma galerinha que é puro alto-astral curte todas num clima de muita azaração às quais ele costumava ir, chamadas de Festas Ping-Pong Bubaloo Ploc.

No início, seus amiguinhos não lhe deram muita atenção, e continuaram trocando a pelada dos fins de semana por passeios sobre Pogobóis e bicicletas Monark BMX. Porém, pouco a pouco os pais dessa turminha da pesada foi ficando cansada de ter que diariamente ouvir os discos da Xuxa e ver todos os episódios de He-Man e Caverna do Dragão e resolveu mandar seus filhos (já na faixa dos 35-45 anos) tomar vergonha na cara e um rumo na vida.

A casinha de Marcelo e seus amiguinhos
Assim, Marcelo e seus colegas começaram a se reunir num clubinho de madeira construído em cima de uma árvore para tentar encontrar uma maneira de largar para trás os remanescentes de sua dourada infância. Quiseram batizar o local de Clubinho do Gluglu Piupiu Só si fufu, mas depois concordaram que Neuróticos Nostálgicos Anônimos ficava mais legal.

No início foi difícil se concentrar, já que todas as discussões descambavam para uma animada conversa sobre episódios do Chaves ou das séries da Sessão Aventura, mas com o tempo os nostálgicos foram percebendo que aquela época havia passado e o Século XXI havia trazido muitas outras nerdices para serem veneradas, tais como desenhos japoneses animes e mangás.

Atualmente, Os Nostálgicos Anônimos já contam com grupos em diversas cidades brasileiras, auxiliando outras pessoas a deixarem a Década de 80 no esquecimento, de onde jamais deveria ter saído. Marcelo Marmelo Martelo, hoje um famoso psicólogo, recebeu em 2006 o prêmio "Faz Diferença", distribuído pelo jornal O Globo, como destaque na manutenção da sanidade alheia.


O Tratamento[editar]

Como as reuniões são destinadas a remover à força os nostálgicos do universo paralelo em que se encontram, normalmente elas destroem de forma bastante violenta os ídolos que eles veneram. Assim, pôsteres são queimados, LPs são quebrados e bonecos explodidos com bombas de fabricação caseira. Além disso, os pacientes são informados de que:

  • A Simony não é mais uma menina-prodígio e deu mais que sua mãe quando era nova;
  • O Fofão tinha, de verdade, uma tesoura enferrujada escondida em sua barriga;
  • As balas Juquinha davam câncer no cérebro;
  • Pular em um pogobol causa danos irreversíveis aos "Países Baixos";
  • A Xuxa fez mesmo um pacto com o Capeta;
  • Os Thundercats estimulavam a homossexualidade precoce;
  • Praticamente todas as bandas brasileiras daquela época derretiam o cérebro se ouvidas com muita freqüência;
  • Renato Aragão é um mau-caráter que deixou seus parceiros de Trapalhões na merda.
  • Sérgio Mallandro tem graves problemas de desenvolvimento mental.
  • Nunca existiram 150 Pokémons, des de o começo foram 151, e hoje em dia já existem 649.

Como reconhecer um nostálgico[editar]

Você sabe que é um Nostálgico Anônimo em potencial quando:

  • Repassa aqueles e-mails do tipo "Você se lembra...?" e/ou os lê até o fim quando os recebe. Todas as vezes.
  • Usa tênis All Star (quando não encontra o Rainha).
    • Na verdade, você queria mesmo era usar o Bamba.
  • Sabe de cor todos os episódios do He-Man, da She-Ra, dos Thundercats, do Cavalo de Fogo ou qualquer outro desenho daquela época.
  • Tem um pôster da Luma de Oliveira ou da Magda Cotrofe peladas.
  • Ouve músicas num walkman e tem uma vitrola em casa.
  • Acha o som do vinil melhor que o do CD.
  • Vai a Festas Ploc.
  • Sua música preferida do Raul Seixas é Pluct Plact Zum.
  • Assiste Canal Nostalgia ou se chama Felipe Castanha.

Ver também[editar]

Illuminati.jpg
Th heyleyroy.jpg