O Guia do Mochileiro das Galáxias (Série de 1981)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

A série televisiva O Guia do mochileiro das galáxias e a melhor representação áudio-visual, que prova que tudo que vem antes é melhor, isto porque esta série é muito melhor que o filme meia-boca de 2006, que é mal-interpretado, tem un roteiro digno do prêmio "Pior uso de uma folha de papel do ano", pois o roteiro é tão deplorável que faz um tigre e três cabeças de AHQFQB-17 sair correndo e voltar para dentro da mãe, o roteiro do filme se transformou em um buraco negro que se auto-sugou e criou uma merda tão grande que quando você vai assistir, um monte de merda sai voando da sua tela, o filme chega a ser pior que o filme do Street Figther onde o Guile é o protagonista. (Sim, chega á este ponto mesmo.) Voltando para a série, ela é a mais coerente com os livros, porém alguns trechos como descrições foram deixadas de lado, pois ninguém é leigo o suficiente para não entender oque está havendo na tela. (A menos que o telespectador for cego.) A coerência da série com o livro(s) é a melhor possível (Mesmo sendo melhor possivel, não significa que é bom.) Pois não mudaram nenhuma parte da história (pois Douglas Adams, ainda estava vivo, e se modificarem ele iria processar até tirar todo o dinheiro do diretor.) o filme retrata bem a nave Vogon e o item "O Guia" que é uma espécie de calculadora com display HD, pode-se notar que as coisinhas brilhantes e futuristas não passam de rabiscos que ficaram em cima de um gel luminoso, para parecer super-tecnológico,na época, pois até uma calculadora da lojinha da esquina é mais potente que os computadores da época.

História[editar]

uma imagem da série, ao fundo podemos ver Marvin, o andróide paranoide.

Em 195181 um integrante do grupo Monte Colt Phyton Monty Phyton, descendente dos macacos e primatas que achava que relógios digitais eram uma grande invenção da humanidade (não era), e vivia em um mundo onde a população não estava nem um pouco feliz, para eles as felicidade se resumia em notas de papel com um número e um rosto impresso, porém não eram as tais notas de papel que se sentiam tirstes, um dia em um restaurante uma mulher descobriu porque as pessoas se sentiam tristes, porém a ideia se perdeu idiotamente para todo o sempre, pois antes de ligar para alguém e contar a ideia, a idéia foi esquecida, porém esta não é a história desta menina, está é a historia da série.

Um dia, Douglas Adams, foi para um estúdio e achou um produtor chamado Gepeto, que vivia triste e sozinho e que fez um boneco sexual chamado Pinóquio, e o Pinóquio caiu em um rio onde foi levado à uma nuvem e estava em queda livre e acabava de ganhar vida ele disse: "Onde estou? Espera ai, quem está falando na minha mente? Ah sou eu, que estou. Mas oque é mente? Olha oque é aquela coisa que estou aproximando em queda? Eu vou chamar de chão, será que vamos ser amigos? OIIII CHÃÃÃO!!!!" Quando achou que ia fazer amizade com o chão, ele virou um cachalote e bateu no chão e morreu, matando assim todo os que estavam no estúdio fazendo a série.

Ver Também[editar]