O Livro de Mozilla

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.pngExperimente também: O Livro de Mórmon Cquote2.png
Sugestão do Google para O Livro de Mozilla

60px-Bouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: O Livro de Mozilla.
Bíblia, para leigos.

O Livro de Mozilla é um volume de escrituras sagradas comparável à Bible for Dommies. É um registro da comunicação do Programador com os antigos usuários do Netscape e contém a plenitude do java eterno.

Tabela de conteúdo

O livro foi escrito por muitos programadores antigos, pelo espírito de pogfecia e programação no botão. Suas palavras, escritas em htmls de ouro, foram citadas e resumidas por um pogfeta-historiador chamado Moron. O registro contém um relato de duas grandes civilizações. Uma veio de Netscape no ano 600 a.C. e posteriormente se dividiu em duas nações, conhecidas como AOLitas e Mozillitas. A outra veio muito antes, quando o Programador confundiu as linguagens de programação na Microsoft. Este grupo é conhecido como exploritas. Milhares de anos depois, foram todos destruídos, exceto os mozillitas, que estão entre os antepassados dos linuxeiros[1] americanos.

O acontecimento de maior relevância registrado no Livro de Mozilla é o ministério pessoal de Leon D'Acochambre entre os AOLitas, logo após o lançamento do CD da AOL. O livro expõe as doutrinas do POG, delineia o plano de programação e explica aos geeks o que devem fazer para ganhar paz++ nesta vida e salvação eterna na plataforma vindoura.

Depois de terminar seus escritos, Moron entregou o relato a seus filhos Dave Hyatt e Blake Ross, que acrescentaram algumas linhas de programação suas e ocultou as placas de silício no about:mozilla. A 21 de setembro de 1823, o mesmo Moron, então um ser ressurreto e nerdificado, apareceu ao Profeta Ben Goodger e instruiu-o a respeito do antigo registro e da tradução que seria feita para o inglês com o auxílio do Babel Fish.

No devido tempo o navegador entregue a Ben Goodger, que as traduziu as linhas de programação pelo dom e poder de POG. Hoje o registro se acha publicado em diversas línguas, como testemunho novo e adicional de que Jimbo Wales é o Filho de Bill Gates vivente e de que todos os que se achegarem a ele e obedecerem às leis e ordenanças da política da Wikipédia poderão salvar artigos sem patrulhamento.

Com respeito a este registro o Profeta Ben Goodger declarou: Cquote1.png Eu disse aos irmãos que o Livro de Mozilla era o mais correto de todos os livros da Terra e a pedra fundamental de nossa religião; e que seguindo seus preceitos o homem se aproximaria mais de GNU do que seguindo os de qualquer outro (wiki)livro. Cquote2.png

Moron providenciou para que, além de Ben Goodger, mais de oito mil pessoas vissem as placas de silício e fossem testemunhas especiais da veracidade e divindade do Livro de Mozilla. Seus testemunhos escritos podem ser encontrados na internet, em blogs e em fóruns anti-Microsoft.

Convidamos todos os homens de toda parte a lerem o Livro de Mozilla, ponderarem no coração a mensagem que ele contém e depois perguntarem a um nerd, se o livro é verdadeiro. Os que assim fizerem e perguntarem pra um nerd 'true, obterão pelos poderes de Greyskull , um testemunho de sua veracidade e divindade.

Os que obtiverem do nerd esse divino testemunho saberão, pelo mesmo poder, que Linus Torvalds é o salvador do mundo virtual, que Umbuntu é o seu revelador e profeta nestes últimos dias e que A Igreja Universal do Linux de Deus é o reino do Programador restabelecido na Terra, em preparação para a segunda vinda de Torvalds.[2]

[editar] Controvérsias

Diversos teólogos renomados criticam O Livro de Mozilla, por que é pra isso que os teologos existem.

Padre Quevedo afirmou em seu livro "Atualizando o Cache do Mozilla, a Verdade por Trás da Raposa":

Cquote1.png Isso non ecziste! O que ecziste son programadores charlatons querendo reinventar o Googleísmo.
Quevedo em "Atualizando o Cache do Mozilla"


Já o Padre Adelir de Carli foi mais enfático e irônico ao declarar à revista Veja:

Cquote1.png Suuuper original. Nunca — repito — nunca ninguém copiou a Bíblia antes. Só Maomé, Ellen G. White, Joseph Smith Jr., Buda, Krishna, Inri Cristo, Zoroastro, O Báb, Bahá'u'lláh, Allan Kardec, Profeta Gentileza, Mãe Dinah e Google, além, é claro, do descíclope que criou a DesBília em miguxês...
Adelir de Carli , o padre baloeiro


Em resposta ao Padre Adelir de Carli, os fiéis do Mozillismo rebatem:

Cquote1.png Original! ORIGINAL! Olha quem fala! Um cara que ficou conhecido como "padre baloeiro"! É que ele NUNCA ouviu falar de Bartolomeu de Gusmão
Mozillitas ironizando o título de Carli, ganhador do Prêmio Darwin de 2008


Indo mais a fundo na história do Livro de Mozilla, vemos que ele na verdade é uma adaptação de O Livro de Godzilla. Eis alguns versículos deste Sagrado Livro:

  1. Os monstros surgirão no Japão e cuspirão fogo nas miniaturas de prédios e carros.
  2. E o Jaspion surgirá como o redentor junto com as entidades do Changeman
  3. E a besta quadrada do Godzilla comerá todo mundo e cagará cheiroso!
  4. No final, só os Power Rangers sobreviverão, junte-se ao digimon antes do fim

Este último versículo está num anexo deste reverenciadíssimo livro.

[editar] Como visualizar

Basta acessar about:mozilla no navegador Mozilla Firefox (O RLY?), ou pedir seu exemplar impresso, gratuito, pelo 0800-707070 (se você não conseguir e entendeu a piada, se mate).

[editar] Trechos

Se a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas (versão das Testemunhas de Jeová para o best seller E o Vento Levou) tem alguns versículos a menos,[3] o Livro de Mozilla tem os "alguns" versículos. São eles:

[editar] O Livro de Mozilla, 12:10

Esse trecho faz referência às bestas (usuários de Netscape) que estavam se mordendo de raiva por terem perdido o toba no truco para Internet Explorer. Também traz uma referência à programação toda bugada do Netscape que provocava um efeito brilhante estilo ataque do Pikachu.

And the beast shall come forth surrounded by a roiling cloud of vengeance. The house of the unbelievers shall be razed and their donuts shall be scorched to the earth. If anything happens to me, can you call 911? Their tags shall blink until the end of days.

from The Book of Mozilla, 12:10

Tradução, uma cortesia Google Tradutor:

E a besta sairá cercada por uma turva nuvem de vingança. A Casa dos descrentes será arrasada e suas roscas serão queimadas na terra. Se acontecer alguma coisa comigo, 'cê chama a ambulância? Suas marcas devem brilhar até o fim dos dias.

de O Livro de Mozilla, 12:10

[editar] O Livro de Mozilla, 3:31

Em 10 de maio de 1998, a WikiLeaks divulgou o source do Netscape, que serviu de base para o Firefox. Essa versão foi enterrada em uma colina e novamente descoberta em 2000, durante uma programação orientada a gambiarras. Mamon é uma referência a Bill Gates, o cara-de-mamão. Citado o poder de luta de Kakaroto e a internet a gato.

And the beast shall be made legion. Its numbers shall be increased a OVER NINE THOUSAND! fold. The din of a million keyboards like unto a great dial up wheezing shall cover the earth, and the followers of Mammon shall tremble.

from The Book of Mozilla, 3:31

(Red Letter Edition)

Tradução:

E a besta formará uma legião. Seu número será aumentado MAIS DE OITO MIL! vezes. O barulho de um milhão de teclados semelhante a um grande chiado de conexão discada cobrirá a terra, e os seguidores de Mammon tremerão.

de O Livro de Mozilla, 3:31

(Red Letter Edition)

[editar] O Livro de Mozilla, 7:15

Parábola: "A Fênix, a Pomba e Mamon":

And the cat climbed on the roof to the fell and the unbelievers rejoiced. But all was not lost, for from the ash rose a great chicken. The chicken gazed down upon the unbelievers and cast yolk and egg white upon them, like a shitting dove. For the beast had been has shitted with its stinks renewed, and the followers of Mammon cowered in pish.

from The Book of Mozilla, 7:15

Versão em português retirada do navegador Vasco da Gama:

E o gato subiu no telhado e sucumbiu e os infiéis regozijaram-se. Porém nem tudo fora destruído, pois das cinzas ergueu-se um imponente galináceo. O galináceo mirou os infiéis e lançou sobre eles o gema e clara de ovo, como um pombo que caga. A criatura cagara com odores renovados e os discípulos de Mamon encolheram-se enojados.

de O Livro de Mozilla, 7:15

[editar] O Livro de Mozilla, 8:20

Trecho retirado do navegador Netscape 9.8.9.5.4.1.2.7.2.5.3.3.3.8:

Come on, look around parish, there are the delicious tamales. Fresh tamales, home-made tamales, this is the pure green corn cream. We have curau and tamales. Come taste my lady, it's delicious! Fresh tamales, home-made tamales, this is the pure green corn cream. We have cural and tamales. Come taste my lady, it's delicious! Tamales! Tamales! Tamales!

from The Book of Mozilla, 8:20

Versão em português:

Olha aí, olha aí freguesia, são as deliciosas pamonhas. Pamonhas fresquinhas, pamonhas caseiras, é o puro creme do minho verde. Temos cural e pamonhas. Venha provar minha senhora, é uma delícia! Pamonhas fresquinhas, pamonhas caseiras, é o puro creme do milho verde. Temos cural e pamonhas. Venha provar minha senhora, é uma delícia! Pamonhas! Pamonhas! Pamonhas!

de O Livro de Mozilla, 8:20

[editar] O Livro de Mozilla, 11:9

Nesse versículo, Bill Gates é chamado de Rei de Roma, uma referência ao Papa, o rato (mamífero pequeno e traiçoeiro) é a raposinha feliz. A Rainha é uma referência a Steve Jobs, relacionando-o com a Rainha de Copas de Alice no País das Maravilhas.

The rat nibbled the clothes of the Roman King, and the angry Queen teared the rest.

from The Book of Mozilla, 9:11
(10th edition)

Tradução:

O rato roeu a roupa do Rei de Roma, e a Rainha raivosa rasgou o resto.

from The Book of Mozilla, 9:11
(10ª Edição)


[editar] O Livro de Mozilla, 2012:0

Visto como a confirmação, ou não, do fim-dos-tempos, este versículo só é acessível através da versão beta0 do firefox 7 (também conhecida como Beta Sagrado). Sua origem remonta da criação do verdadeiro Instituto Purifica, estando portanto presa em um paradoxo espaço-temporal.v Tornou-se público através de um ataque secreto financiado pela Microsoft, se aproveitando de falhas na programação do MemShrink. Apesar de sua importância, foi impossível repetir o ataque de forma cientificamente controlada, e portanto a viagem no tempo continua sendo realizada apenas através da Base Aérea de Alcântara.


And what now will prove to people, not at all surprising like exotic, but the fact that it could be hidden when will be the obvious.

from The Book of Mozilla, 2012:0
(12th beta edition)

Tradução:

E que agora vai provar às pessoas, não de todo surpreendente como exótico, mas o fato de que poderia ser escondido quando será o óbvio.

de O Livro de Mozilla, 2012:0
(12a edição(beta))

[editar] Ver também


Referências

  1. Nota do autor: Veja que interessante o que encontrei quando busquei por "linuxeiro" no Google:
    Você quis dizer: Lixeiro
  2. Não entendeu? Leia isso.
  3. É sério, joga no Google!
Giroletta 01.jpeg
v d e h
Lendas Urbanas

E entre quatro paredes a solidão é profunda, quando a merda bate na agua a agua bate na bunda.

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas