Oganessônio

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
ESTE ARTIGO É SOBRE QUÍMICA

Caso exista na natureza, tem pra caralho nas praias de Guarapari.

Quimico.jpg
60px-Bouncywikilogo.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Oganessônio.

Cquote1.png Isso non exziste! Cquote2.png
Padre Quevedo sobre oganessônio.
Cquote1.png Isso existe? Cquote2.png
IUPAC sobre oganessônio.
Cquote1.png É nóis! Cquote2.png
Seabórgio sobre a homenagem do oganessônio.
Cquote1.png Será que vai dar a bunda pra flúor? Cquote2.png
Radônio, sacaneando o xenônio, sobre oganessônio.
Cquote1.png Pesado! Cquote2.png
Mc Zaac sobre oganessônio.

O oganessônio (antigo Ununóctio), chamado incorretamente pela facção criminosa paulista de punheteiros FAPESP de oganessono, seria um elemento químico de existência duvidosa, de símbolo Og, localizado em algum canto perdido da Tabela Periódica. Ele seria o elemento mais pesado que exista, mas ninguém nunca o viu, exceto os caras da IUPAC e meia dúzia de nerds que supostamente o criaram em laboratório. Além de ser (ou não) o elemento de maior massa, ele tem o nome mais feio dentre todos os outros, sendo uma homenagem a um tal de Yuri Oganessian, um cara aleatório que dizem ser um cientista russo, apesar do nome de armênio.

História[editar]

O que acontece quando alguém procura o oganessônio no Google.

No ano 2000, um grupo de nerds de uma universidade famosa que ninguém conhece, cansados de ler artigos da Wikipédia e jogar World of Warcraft, pensam em competir pelo prêmio dado pela União Internacional de Química Pura e Aplicada para quem criar um novo elemento para encher linguiça e aumentar a Tabela Periódica.

Cientistas de todo o mundo realizaram experiências para criar um novo elemento e assim aumentar a tabela que é o pesadelo de qualquer estudante de química. Até que um grupo de nerds cientistas dizem ter descoberto o tal novo elemento mexendo com um monte de átomos e fazendo cálculos que ninguém entende. O problema é que nem a Torcida do Flamengo já viu ou ouviu falar dele. Essa coisa não aparece nem nas provas mais assustadoras. Por isso, muita gente tem certeza acha que esse elemento não existe, ou pode ser encontrado no Acre caso exista.

A IUPAC afirma que o oganessônio realmente existe, além disso, até trocou aquele horrendo nome antigo por um mais bonito (mas que ainda continua terrível). Meu professor disse que nunca ouviu falar nesse troço. Padre Quevedo declarou que o ununóctio non eczxiste, sendo apenas uma ilusão presente na cabeça dos químicos.

Nome[editar]

Foto mais recente do oganessônio.

Quando o elemento foi descoberto, lhe deram aquele nome extremamente feio e estranho de praxe. Em 2012, prometeram mudar o nome dele para um mais simples, mas só no ano de 2016, o novo nome finalmente foi aprovado, mas provavelmente tudo mundo já se esqueceu da promessa (na verdade, acho que todo mundo já esqueceu da existência do próprio elemento em si, dada a sua irrelevância). Fora o fato de que o nome atual continua uma porcaria, sendo tão feio quanto o antigo.

Características[editar]

Localizado a coluna dos Gases Nobres, em baixo do radônio, o oganessônio seria igual ao radônio, tendo as mesmas características que ele. Mas não se engane, é mentira. Como nem os especialistas mais inteligentes conhecem bem o tal do oganessônio, eles dizem que o elemento é igual ao radônio apenas para ninguém descobrir que não se sabe nada sobre ele, o que despertaria suspeitas sobre sua existência.

A única coisa que os cientistas apontam, é que o Oganessônio seria um tipo de hipsterzinho dos gases nobres sólido, se diferenciando de TODOS OS OUTROS ELEMENTOS DA FAMÍLIA e usando balelas relativísticas e quânticas como desculpa para isso que é só mais uma invenção para iludir a sociedade ingênua sobre o conhecimento de tal elemento.

Usos[editar]

O oganessônio serve apenas para aumentar a Tabela Periódica e para obrigar alunos a saberem mais um nome de elemento, além de aliviar a frescura de bicha os diversos incômodos causados nos portadores de transtorno obsessivo-compulsivo que se inconformavam com a falta desse e mais três elementos que deixavam um puta espaço vazio lacunas na tabela.

Ver também[editar]