Orfeu de Lira

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Greece-flag copy.jpg "ΑΝΕΓΚΥΚΛΟΠΑΙΔΕΙΑ Η ΘΑΝΑΤΟΣ!!!"

Re, este artigo é grego! Ele come churrasco grego, joga tudo na janela do carro quando acaba e gosta de ganhar de Portugal na Eurocopa, além de estar endividado pra caralho.


Orfeu

Orpheedeliraeuridice.jpg

Classificação Cavaleiro de Prata
Cavaleiro
Deus a que serve Athena Hades (depois ele vira a casaca de novo)
Armadura Lira
Golpes Músicas horríveis
Perfil
Nacionalidade Bandeira da Grécia Grécia de ascendência francesa
Local de Treinamento Grécia, Santuário
Nascimento 15 de Novembro (Escorpião)
Frase Favorita "Uouo ieie, sem você não viverei..."


Cquote1.png Você quis dizer: Mais um cavaleiro músico? Cquote2.png
Google sobre Orfeu de Lira
Cquote1.png Experimente também: Mime de Benetnasch Cquote2.png
Sugestão do Google para Orfeu de Lira
Cquote1.png Você traiu o movimento punk, véio! Cquote2.png
Dado Dolabella sobre Orfeu de Lira
Cquote1.png Espera, eu te conheço de algum lugar, tu não era da saga contra Éris? Cquote2.png
Otaku sobre Orfeu de Lira
Cquote1.png Mais um cavaleiro tocador Cquote2.png
Mime sobre Orfeu.
Cquote1.png Eu conheço essa sua voz. Cquote2.png
Sasuke Uchiha sobre o fato dele e Orfeu de Lira terem o mesmo dublador.
Cquote1.png Isso!!! Assim mesmo Orfeu!!! Mete tudo no fundo! Cquote2.png
Eurídice sobre Orfeu de Lira

Apresentação[editar]

Nota musical2a.gif

Orfeu de Lira é um Cavaleiros do Zodíaco, que toca umas liras pro Hades ( desencarnado não podia faze-la) e tem a armadura feita do metal prata. Ele é considerado o cavaleiro de prata mais habilidoso de todos, sendo capaz até mesmo de fazer uma pizza no micro-ondas sem queimar o queijo. Faz parte do seleto grupo de cavaleiros músicos do anime de Masami Kurumada, sendo que cada um dos deuses, sem nenhuma razão aparente, tem de incluir entre os seus protetores algum músico (e Saori não faria diferente).

Sua principal arma é uma lira mágica (uma espécie de harpa, só que ainda mais gay) cujas músicas penetram no corpo de quem escuta, causando diarréias fortes e hemorragias fortes dores, sendo que, além dele, apenas a Banda Calypso é capaz de fazer tal estrago.

Ele é o típico cavaleiro vira-casaca da história, que afinal não sabe pra que Deus ele jura lealdade afinal. Possui a Armadura Sagrada de Lira concedida por Athena, mas vive no Mundo dos Mortos, sob o comando do Imperador Hades (vai entender!).

História[editar]

Orfeu canta lindas canções para sua amada.
LIRA.jpg

Depois de muito tempo na labuta para conseguir ser alguém na vida (e não conseguindo nada, virando somente mais um simples músico desempregado no mundo), Orfeu conseguiu tornar-se um Cavaleiro de Prata de Athena (em suma, um tapa-buracos na programação do anime). Em sua vida, doce vida, Orfeu conheceu uma gostosa linda garota chamada Eurídice, que (por mais incrível que isso possa parecer) simplesmente adorava ouvir suas horríveis músicas.

Tudo estava bem e feliz para os dois, ele tocava, ela chupava só ouvia. Mas a vida é uma caixinha de surpresas, e numa dessas surpresas que a vida nos dá, Euridice acabou escutando acidentalmente o minueto-mortal-da-dor-aguda de Orfeu, que ele, sem querer, tocava para relaxar enquanto tomava banho, o que provocou dores em Euridice, que resolveu fugir. Durante a fuga, Euridice acidentalmente pisa em uma enoooooorme cobra, que a pica (do verbo picar), sendo esse o seu último suspiro.

A armadura de Orfeu... Agora, como se veste essa porra?!

Orfeu, muito valentemente (ou não), jurou que iria até o Inferno (literalmente!) para trazê-la de volta, e assim o fez. A primeira coisa que ele fez quando a reencontrou foi fazê-la prometer que quando perguntassem sobre sua morte, que ela dissesse que havia sido atacada por um Mafagafo Amarelo, pra não ficar muito chato pra ele (o que ela aceitou com toda a boa vontade).

O deus do inferno, Hades (ou, no caso, a sua porta-voz Pandora), jurou que deixaria Euridice voltar ao mundo dos vivos se Orfeu tocasse um repertório de músicas da Tati Quebra Barraco. Orfeu tocou cada uma delas, experiência que matou 92 dos 200 espectros, restando apenas 108. Após horas, Eurídice retornou viva para o lado de Orfeu.

Mas como se pobre não tivesse desgraça o suficiente, Pandora os advertiu que eles agora deveriam sair do inferno sem olhar para trás uma única vez, ou eles seriam amaldiçoados e ficariam para sempre alí. O casal, estando quase no fim do trajeto, descuidou-se quando Orfeu coçou o rosto, pensando que o que estava vendo era a luz do exterior ao Inferno (quando na verdade se tratava de uma trapaça de Pandora). Emocionado por achar que tinha chego ao fim, ele virou-se para Euridice, e... ela virou uma escultura de pedra, mantendo somente a cabeça móvel (WTF?). E eles ficaram presos no Mundo Inferior

Faraó de Esfinge e sua... harpa?[editar]

Orfeu sempre fazendo novas amizades aonde quer que ele vá

Como não adiantava mais ficar fazendo "beicinho" para Hades dar-lhes mais uma chance, o casal decidiu se alojar por aí, mas como Orfeu ainda estava vivo, poderia voltar para o mundo dos vivos (já que quem havia morrido era Euridice mesmo), só que ele não quis isso, e preferiu ficar no Inferno, só para tocar todo dia para ela, que, sem dúvida nenhuma, achava melhor que ele voltasse pra Terra e enfiasse aquela lira aonde ele bem entendesse (já que foi por culpa dele que ela estava petrificada), mas ela nada esboçava, já que nem mãos ela possuia mais para tapar os ouvidos.

Em um dia comum no Inferno (que eu nem imagino como seja) Orfeu de depara com o Guardião da Segunda Prisão do Inferno, o Espectro Faraó de Esfinge. Em um curto bate-papoboca Orfeu descobre que era esse Faraó que geralmente animava os ouvidos do Imperador Hades, com músicas de seu enorme instrumento musical (que aqui chamaremos de harpa, pela falta de uma definição maior para aquele trambolho), mas que foi substituído por Orfeu e sua patética lira (se bem que não se sabe quem tocava pior dos dois). Percebe-se que os dois não se deram muito bem.

Chegada dos Cavaleiros de Athena ao Inferno[editar]

A luta de Orfeu e Faraó... mó tédio

Quando os Cavaleiros de Athena Seiya de Pégasus e Shun de Andrômeda chegaram à Segunda Prisão deram de encontro com Faraó de Esfinge. O Faraó mostrou-lhes um pouquinho da sua péssima música do seu poder, o Balanço da Maldição. C&A, estando para ter o seu (já não muito bom) coração arrancado, ouve uma melodia suave e mais escrota ainda, advinda da lira de Orfeu, que o acalma e anula o poder do Faraó, se mostrando bem mais foderoso. Depois de todo aquele papo do sumiço de Orfeu da terra, o próprio se encarrega de limpar a prisão do Faraó dos Cavaleiros e Athena.

Como Orfeu ainda era um deles (ou não) poupa-lhes a vida levando-os para o seu esconderijo atrás da Segunda Prisão (nada muito oculto, pelo visto!). Lá eles conhecer a mulher/pedra Eurídice, que lhes repeta a história que eu já contei acima e o modo como Orfeu virou um completo Emo depois de sua permanencia no Inferno e implora aos Cavaleiros que, querendo ou não, levassem Orfeu de volta para a superfície, pois ela já não aguentava mais todo dia ouví-lo.

Com esse objetivo em mente os Cavaleiros imploram a Orfeu a sua ajuda na luta contra o Imperador Hades e o seu retorno para a terra. Nesse meio tempo, o Faraó aparece e, percebendo que tinha sido feito de trouxa, propõe uma luta contra Orfeu, entre a harpa e a lira. Orfeu aceita e no duelo, descobre a participação do Faraó e de Pandora na sua permanência no Submundo. Muito puto, acaba matando o Faraó, aceita os pedidos de Euridice e a deixa em paz descançar eternamente e promete ajudar os Seiya e Shun na sua luta contra Hades.

Morte de Orfeu[editar]

O verdadeiro Orfeu e a verdadeira Eurídice

Chegando ao Salão de Hades, Orfeu dá de encontro com Minos de Griffon, Aiacos de Garuda e Radamanthys de Wyvern, os três juízes do Mundo dos Mortos e críticos musicais nas horas vagas, convidados por Pandora para prestigiar a lira de Orfeu. Trazendo Shun e Seiya em um baú com flores (para que não fossem descobertos já que as duas são duas flores também), resolveu tocar o seu Réquiem do sono profundo , fazendo todos dormir.

Quando percebe que ninguém se mexe, Orfeu resolve acabar com o Imperador Hades ele mesmo, mas não percebe que um dos juízes não tinha caído no sono de sua lira, esse juiz era o fodástico Radamanthys de Wyvern. Ele ataca Orfeu e praticamente acaba com ele com um único golpe. Seiya o distrai e deixa a morte de Hades para Orfeu, mas, eles acabam caindo em um Genjutsu uma pegadinha, pois Hades nunca havia estado alí para ouvir Orfeu tocar.

Completamente acabado, Orfeu é feito de escudo por Radamanthys. Mas Orfeu pede para que Seiya o ataque, já que ele está mais pra do que pra . Atendendo com muito prazer a esse pedido, Seiya ataca Radamanthys e termina de matar Orfeu, que (finalmente!) morre.

Curiosidades[editar]

Hitler curtindo um som do Fresno. Orfeu de Lira é emo.

Se você não respeitá-lo(a), um deles chamará o Adolfinho para lhe transformar em purpurina.
  • Orfeu é o representante musical de Athena;
  • Mesmo sendo um Cavaleiro de Prata tem o poder de um Cavaleiro de Ouro (mostrando que ele não são nenhum pouco fortes);
  • Os ataques de Orfeu são iguaizinhos do Guerreiro Deus Mime de Benetnasch;
  • Orfeu sabia que sua música era horrível mas mesmo assim deixava Euridice escutá-lo;
  • As músicas que Ovelha canta são de autoria de Orfeu.
  • Como todo personagem do anime, Orfeu tem um correspondente mitológico;
  • Orfeu é Emo e é feliz (ou não).

Vídeo[editar]

Ver também[editar]



Cavaleirospredef2.jpg