Oriente

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Este artigo se refere ao oriente geográfico, não ao eufemismo da terra dos japas, chinas e jogadores de RPG.


FuturamaBender.gif 01000100 01010000 — · · · — — ·

Este artigo contém altas doses de tecnologia. Isso quer dizer que robôs estão te vigiando para pegar suas informações e dominar o mundo com iPods do mal que derretem cérebros e tocam Michel Teló.

Nenhum nerd foi ferido na criação deste artigo.

Chip.JPG
Gengis Khan no auge de sua juventude quando dominou o Oriente Oriental e farreou a noite toda usando ópio
Ancestral mumificado do Ronaldinho Gaúcho, datado do século IX. Acredita-se que tenha inventado o futebol no Oriente.

Cquote1.png Você quis dizer: Orientar Cquote2.png
Google sobre Oriente
Gn.gif Nenhum resultado encontrado para "Paz no Oriente"
Google sobre Oriente

Cquote1.png É pra lá de Bagdá Cquote2.png
Piadista sobre Oriente
Cquote1.png Roubei o macarrão de lá Cquote2.png
Marco Polo sobre Oriente
Cquote1.png A pólvora também Cquote2.png
Marco Polo sobre citação acima
Cquote1.png O sorvete também Cquote2.png
Nero sobre citação acima
Cquote1.png Filos da puta, né? Cquote2.png
Oriental sobre citação acima
Cquote1.png PAPAAAI Cquote2.png
Peste Negra sobre Oriente
Cquote1.png Tudo dominado!! Cquote2.png
Gengis Khan sobre Oriente no século XI
Cquote1.png Oriente: Ame-o, ou morra torturado. Cquote2.png
Velho provérbio chinês sobre Oriente (muito popular na época de Tio Mau)

Oriente é o lugar onde se encontra a maior parte das culturas estranhas, politeístas, psicopatas, comunistas, masoquistas, filosóficas e yaoistas do Planeta Terra. Seus habitantes vão desde os europeus do lado de lá (que não se aceitam como orientais), descendo até os egípcios (governados pela coalisão dos espíritos de Cleópatra e Munra), passando pelos somalis, homens bomba do Oriente Mérdio, otakus, até chegar à Austrália, a ilha de seres mitológicos. O oriente foi descoberto por um cartel de navegantes composto por: Marco Polo, conhecido como "o ladrão de macarrão", pelos irmãos Davy e Indiana Jones, e Vasco da Gama, o vice na liderança da limpeza do navio. O cartel era liderado pelo capitão-pirata Lars Grael, quando sua perna ainda era de pau.

História[editar]

Marco Polo fazendo tráfico de elefantes. Os elefantes seriam usados pelo cozinheiro do navio para a fabricação de hamburguers, enquanto Indiana Jones ficava de vigia.
Monumento a Ki Mori 'ngao, nobre e honorável filósofo do Oriente datado do século X

O Oriente foi descoberto por acaso, quando o experiente cartel de navegadores estava procurando uma nova rota para as Índias (um puteiro indiano muito famoso entre os europeus tarados que não aguentavam mais suas esposas gordas). Com o pretexto de ampliar seus negócio e ganharem mais dinheiro, os navegantes partiram em viagem. Foram indo - ao o infinito e além - até passarem do ponto de desembarque para as Índias por conta de um descuido do timoneiro Davy, que ficou olhando para a bunda cauda de uma sereia. Alguns quilômetros mais tarde, repentinamente, o jovem Vasco da Gama avistou uma terra estranha que não se parecia em nada com as Índias, já que haviam lamaçais de arroz arrozais para todo lado que se olhasse. Quando chegaram perto o suficiente para desembarcar, ao invéz das belas índias, avistaram uns caras de tartaruga carecas, de roupas coloridas e olhos puxados: estavam descobertos os Monges Shaolin.

Achando que se tratavam de ciganos, o anti-semita Davy Jones quis levar suas almas e escravizá-los para trabalhar em um projeto solo que ele estava desenvolvendo chamado Holandês Voador (que se tornou muito famoso posteriormente). Entretanto os orientais eram muito bons de porrada e armou-se uma tremenda confusão - que resultou num olho roxo em Vasco da Gama, uns Shaolins com bundas chicoteadas (cortesia do velho Indiana Jones) e Marco Polo com um bambu enfiado em um lugar de igual terminação fonética. Por se sentir dolorosamente incomodado com o bambu mal entendido, Marco Polo decidiu fazer as pazes com os monges-ninjas, dizendo que foi sem querer querendo. Para festejar decidiram fazer um jantar beneficente em prol das criancinhas órfãs, cujos pais morreram de Peste Negra mongol e foi nesse jantar foi que Marco Polo viu um jeito de ganhar dinheiro em sua terra natal.

Aproveitou que ninguém estava olhando e enfiou todo o resto do jantar (lombrigas fritas no alho) dentro do bolso. Trocando as lombrigas por trigo e ovos (já que as lombrigas haviam sido extintas com o saneamento básico), surgiu então o macarrão que conhecemos. Desde então, Oriente e Ocidente vêm mantendo relações amistosas e diplomáticas: O Oriente fornece seda, conhecimento (papel, tinta, polvora, culinária) e mulheres fáceis enquanto o Ocidente fornece poluição, doenças, escravidão, morte e - por vezes - uns espelhinhos e cigarros de maconha tabaco como presente para os nativos.

Tipos de oriente[editar]

A mão que balança o berço dos orientes

O Oriente começou a ficar grande pra caralho demais já que muitas nações antigas acharam o nome legal e também quiseram usá-lo para se auto designarem. Como na época não existiam direitos autorais e quem vencia era o que tinha a espada maior, ficou acordado que o "Oriente" se subdividiria em 5 partes principais: Oriente Africano, Oriente Oriental, Oriente Médio, Oriente Ocidental e Oriente Mitológico. Atualmente refere-se ao Oriente como um todo, mas cada oriente tem suas características específicas e peculiares - com a famosa semelhança de comunismo tradicionalidade, por serem o "Velho Mundo", ou seja, as terras mais desenvolvidas historicamente.

Oriente Africano[editar]

Costume típico entre os africanos orientais: Fazer um vaso sanitário com a cabeça recém cortada e fresca do vizinho inimigo
Cquote1.png A ETIÓPIA É MINHA! Cquote2.png
Francês sobre comprar um país no Oriente Africano e como cortesia, ganhou o Djibouti

Cquote1.png Eu que mando nesta porra! Cquote2.png
Alienígena Faraó sobre Oriente Africano
Cquote1.png Eu me remexo muito, eu me remexo muito, muito, muito... Cquote2.png
Capitães de navios sobre tática de fugir da rota dos piratas da Somália

O Oriente Africano é composto por: Egito (conhecido pela maior população extraterrestre da Terra), Deserto do Saara (tem como ilustre filho o Escorpião Rei), Sudão (o povo semi-árabe-analfabeto), Burundi, Uganda e Ruanda (países carinhosamente lembrados em noticiários quando acontecem desgraças ambientais ou humanas a nível de Holocausto), Zimbabwe (completamente desconhecido até aparecer em um amistoso contra o Brasil pela Copa de 2010), Zâmbia (país cujo povo deu origem à macumba), Malawi (a Suíça africana - refúgio de turistas ricos e/ou trambiqueiros), Etiópia (deu origem aos maiores recordistas de tempo em sobrevivência sem comida), Quênia (país dos super-maratonistas treinados para correr até de leões), Seychelles (candidato a nova Atlântida, graças ao Aquecimento Global), Moçambique (eles falam português), Somália (país conhecido por ter o grupo de piratas mais sanguinários e temidos de todos os Sete Mares) e, por fim, outros países ainda menos relevantes.

Os territórios desses países na verdade lembram mais grandes fazendas desapropriadas por um governo para serem construídas casas populares para aqueles que perderam tudo em uma enchente. Os europeus, que perderam tudo na enchente são gananciosos por natureza, decidiram fazer um leilão para ver quem dava o cu mais pelo Oriente Africano. No fim, a França deu mais, visto que os franceses gostavam de algumas coisas que só se encontram África por excelência - em termos que tamanho e qualidade. É bom ressaltar que, na maioria desses países escravizados colonizados pela França, as coisas que mais se assemelham entre colonizador e colonizado é a língua francesa e suas próprias torres de ferro gigantes, mas com a diferença que essas torres nas colônias foram construídas para ajudar no fuzilamento dos inimigos em uma guerra civil cotidiana qualquer.

Oriente Médio[editar]

Mapa do Oriente Médio, segundo os EUA.
Apenas mais um dia no Oriente Médio.
Programa de TV humorístico do oriente médio. Cquote1.png Se vocês não rirem das nossas piadas vamos matar todos vocês Cquote2.png
Apresentador

Cquote1.png Você quis dizer: Terra de Alah Cquote2.png
Google sobre Oriente Médio
Cquote1.png Você quis dizer: Inferno Cquote2.png
Google sobre Oriente Médio
Cquote1.png Agora, quem manda nessa porra sou eu! Cquote2.png
Osama Bin Laden sobre Oriente Médio
Cquote1.png Hmmmm, Petróleo Cquote2.png
Homer Simpson George Bush sobre Oriente Médio

O Oriente Médio - ou Oriente de Alah - é o termo utilizado para denominar a região das partes à leste do norte do sul do sudeste-noroeste do Mar Mediterrâneo. Não pode se definifir essa região como Europa, nem Ásia, nem África, nem cu do mundo... Enfim, mesmo com todos os povos da região se achando os donos, na verdade é terra de ninguém exceto dos EUA. A região possui cerca de 300.000.000 de habitantes, dentre os quais 85% são fanáticos religiosos, 5% são homens-bomba (antes da explosão, porque depois da explosão o número aumenta para 40%), e o restante é composto por mulheres que sobreviveram às torturas e foram enfiadas em burcas (um tipo de camisinha árabe).

A região é popularmente conhecida como Terra Santa, mas possui um carinhoso apelido muito popular entre os EUA e seus comparsas: Inferno na Terra, já que qualquer rixa, briga ou desentendimento é comumente resolvido com ataques suicidas dos homens-bomba, ogivas nucleares e genocídios em larga escala. Provavelmente a Islândia ganhará uma Copa do Mundo antes de haver paz por lá.

Uma outra característica marcante dessas terras é a abundância de petróleo, fonte de renda dos famosos Shakes árabes e dos EUA. Os Estados Unidos, presididos pelo então emissário de Satanás, George W. Bush, ouviram por aí que Saddam Hussein tinha algumas armas nucleares no porão de seu palácio. Preocupado com a segurança do mundo e da sua conta bancária, os sempre bem-feitores estadunidenses invadiram a região, bombardearam tudo, mataram todos, mas por um grande azar, não encontraram nada. Esses trotes... Ainda vão destruir a humanidade.

Oriente Oriental[editar]

Máscaras ancestrais dos primeiros lutadores do Oriente Oriental. Serviu como fonte de inspiração para desenhos alucinógenos contemporâneos(clique para ampliar)
Tipo de acessório usado para colocar mais graça peito nas orientais do oriente

Cquote1.png Você quis dizer: Pleonasmo Cquote2.png
Google sobre Oriente Oriental
Cquote1.png Você quis dizer: Comunismo Cquote2.png
Google sobre Oriente Oriental
Cquote1.png Eu tenho medo Cquote2.png
EUA sobre Vietnã Oriente Oriental

Oriente Oriental é o oriente propriamente dito. Mesmo incluindo a made in China, o Oriente Oriental pode ser considerado original de fábrica. É neste oriente que surgem todos os objetos, costumes e coisas que fazem lembrar da palavra "oriente", tais como: comida chinesa, kung fu, sol nascente, mão de obra escrava barata, produtos falsificados baratos, ópio, máfica chinesa, pokémon, saquê, entre outros.

Equipe de lutadores de Sumô, Sumorlax. No centro abaixo, está sua treinadora e à sua esquerda o lutador novato.

O Oriente Oriental tem como principais países: China (grande potência olímpica e grande fabricante de produtos falsificados), Taiwan (cópia falsificada da China), Vietnã (o bicho papão dos EUA), Japão (Reino Otaku), Bangladesh (ponto de encontro de todas as catástrofes naturais), Índia (Terra dos Operadores de Telemarketing dos EUA), Coreia do Sul (mestres de uma cópia barata do kung fu) e a Mongólia (Não confundir com APAE). A Coreia do Norte deveria fazer parte do Oriente Oriental, porém, na prática, ela está enquadrada no "oriente de Kin Jon Il", um oriente de perdedores ditatoriais que se isolam do mundo, graças ao seu grande bosta Líder que assim determinou.

Não é recomendado chamar os habitantes deste oriente de "os ditadores de pinto pequeno", pois estes seres são os reis da luta. Neste oriente todo tipo de luta se desenvolveu há milênios - já que nestas épocas não haviam mangás, otakus nem hentais - por isso os monges se viam obrigados a fazer algo de útil para não cometerem suicídio por tédio. Eles começaram a vigiar os insetos e animais em geral afim de aprender seus movimentos.

Cquote1.png Que porra é essa? Cara retardado. Cquote2.png
Louva-a-Deus sobre o monge shaolin que o encarava

Depois de muito observar os louva-a-Deus, garças, cachorros antes de virarem café da manhã, pombos, esquilos, macacos, girafas, bichos-preguiça, tigres e os bebados das praças, os monges shaolin desenvolveram seus estilos poderosíssimos de luta e começaram a usar máscaras. Estavam inventados os primeiros super heróis. Vendo que isso fazia sucesso com o público feminino, o resto do oriente oriental também resolveu fazer a mesma coisa. Observando o Snorlax, os japoneses inventaram o Sumô; observando o Kim os coreanos inventaram o Tae Kwon Do; observando o Kama sutra, os indianos inventaram o Jiu Jitsu (que ficou popular no Japão e na terra da sacanagem); observando o Steven Segal os israelenses que não tinham animais nacionais para observar inventaram o Krav Maga e assim por diante.

Oriente Ocidental[editar]

Mais uma obra pornográfica pretenciosa da "arte" italiana.
Buda voltando de uma pequena visita ao Oriente Ocidental. Repare na felicidade do sujeito ao experimentar as famosas batatinhas do Demônio

Cquote1.png Você quis dizer: Paradoxo Cquote2.png
Google sobre Oriente Ocidental
Cquote1.png Você quis dizer: Terra dos escultores de pênis Cquote2.png
Google sobre Oriente Ocidental
Cquote1.png Nós vamos invadir sua praia ♪ Cquote2.png
Ultraje a Rigor Orientais Ocidentais sobre as praias do Ocidente

O Oriente Ocidental - mais conhecido como Europa é aquela parte do Oriente que ninguém suspeitava desde o princípio que era Oriente, já que sempre se lembra de olhos puxados e produtos falsificados ao mencionar tal nome. Para aqueles que acham que isto é a wikipédia mataram aula na escola, eis uma pequena explanação sobre o assunto: O Meridiano de Greenwich corta a Terra em duas nádegas partes. À esquerda, fica o Ocidente e, à direita, o Oriente. Acontece que Greenwich corta a Europa, passando bem em cima da cordilheira que divide a Espanha da França, logo, todos os outros países europeus obrigatoriamente tem cidadãos de olhos puxados.

Por fazerem pouco caso dessa divisão tão importante, os europeus são chamados de orientais ocidentais já que, de oriente mesmo, só tem o nome. Apesar disso, a sabedoria oriental ficou ao lado desse povo tão xenofóbico acolhedor e, atualmente, a Europa tem tudo de mais avançado que se pode imaginar - só perdem para os chineses, que têm plantações subterrâneas em túneis secretos (ou nem tão secretos assim). É na Europa que se pode notar os costumes e tradições mais bizarros exóticos do "Ocidente" como, por exemplo, o hábito suíço de todos saírem sem as calças uma vez ao ano ou o hábito alemão de comer sangue de porco (xucrute) ou a tara do povo renascentista italiano por esculpir pênis nas estátuas. Poderíamos, então, chamar o Oriente Ocidental de porra nenhuma indefinido, já que são os capitalistas preservadores de suas estranhices e, no fundo, não são Orientais e nem Ocidentais.

Oriente Mitológico[editar]

Típico animal do Oriente Mitológico
Rinozebramelosereia. Bicho comumente usado como animal doméstico no Oriente Mitológico
Castopatopivara, mais um animal encontrado no Oriente Mitológico
Foto espacial tirada de Nova Guiné. Seu formato de pênis peru o torna inconfundível

Cquote1.png Não voa por lá, porra! Cquote2.png
Dédalo para seu filho Ícaro sobre Oriente Mitológico

O Oriente Mitológico é formado pelos países: Austrália (antigo presídio da Inglaterra), Atlântida, Nova Zelândia (terra do Jaca Paladium), aquele monte de ilhas que ninguém sabe o nome e só serve para ricaços tirarem suas férias e a Nova Guiné (formada por ex-habitantes da Guiné Boçal Bissau). Esta parte do oriente é um lugar extremamente perigoso pois, segundo estudos de grandes biólogos e filósofos australianos que passavam o dia inteiro degustando diversos tipos de plantas, a fauna tem uma mutação diversidade espantosa. Há relatos de cachorros cuspidores de fogo, pássaros venenosos, cobras com asas, lagartas devoradoras de homens, formigas esquartejadoras, chinchilas controladoras do clima, quimeras e vovós virgens.

Alguns desses biólogos concordam em incluir o Japão no Oriente Mitológico por causa de sua fauna também radioativa excepcionalmente diversa. O Japão é berço de criaturas como o Godzilla (monstro vagabundo que vive destruindo cidades), dragões em geral (sempre cultuados pelos nerds em seus RPGs), Digimons (monstros aparentemente inocentes que lavam o cérebro do público infantil) e os Super Sentais (comunidade desprovida de massa cefálica plageada da produção estadunidense Power Rangers). O Japão sofreu e ainda sofre com esses ataques mas, graças à enorme quantidade de super-heróis que estão sempre migrando para a ilha, as cidades só são destruídas a cada 6 meses. Quando esses super-heróis viraram heróis nacionais, surgiram os mangás e com eles o reino otaku. Mangás nada mais são do que as histórias verídicas do Oriente Mitológico contadas em forma de quadrinhos.

Entre as centenas de criaturas mitológicas, podemos destacar:

Culinária do Oriente[editar]

Cquote1.png Você quis dizer: Caracol Cquote2.png
Google sobre Escargot francês
Cquote1.png Experimente também: Gafanhoto ao molho sugo Cquote2.png
Sugestão do Google para tradicional culinária chinesa
Cquote1.png Experimente também: Sopa de cachorro Cquote2.png
Sugestão do Google para tradicional culinária chinesa

Iguaria do Oriente: Pertinho de você em qualquer pastelaria chinesa!
Bushpapão em uma de suas visitas ao oriente
Oriental degustando seu religioso croquete da marmita da mamãe
Mini oriental aprendendo as manhas de se decapitar um cachorro desde cedo - muito necessário na cozinha

A culinária oriental pode ser descrita principalmente pela sua variedade, que reúne os elementos culturais de regiões e, por algumas vezes, países. Vejamos primeiramente a África. Lá não se come nada a culinária é extremamente diversificada. Na Tanzânia, por exemplo, por ser um país com tendências muçulmanas, é comum evitar a carne americana de porco e carne de mulher também - para se manter as tradições religiosas. Em outros países mais tradicionais, é comum se matar o primeiro animal carnudo e comestível que estiver à frente mesmo que seja da sua própria família já que a comida não é tão abundante. Ainda sobre a África, no Deserto do Saara costuma-se caçar cobras e lagartos para servirem de refeição - vez em quando um cavalo doente mas se você tiver sorte, poderá enontrar O Pequeno Príncipe.

Na Europa, quanto mais antiga for a civilização, maior o número de ingredientes "exóticos" a serem encontrados nas receitas tradicionais. Os países nessa região são - por história - muito individualitas, o que acaba identificando bastante cada uma das culinárias mais famosas. A França, mesmo tendo os costumes mais nojentos exóticos do mundo, conseguiu grande notoriedade em seu cardápio por toda preocupação e cuidado nos modos de preparo dos pratos extremamente refinados, como o caviar e o escargot. Portugal merece créditos por espalhar a sardinha e o bacalhau por toda a Europa, além de sodomizar todos os brasileiros a comprarem essas porcarias no Natal. A Alemanha se destaca por produzir mais de 1500 tipos de salsichas, aproveitando todas as partes imagináveis dos cadáveres suínos provando quanta salsicha esse povo come além de se amarrarem numa cervejada. Falando em cerveja, a Holanda tem um hábito peculiar de servi-la: Dentro de uma bota velha e cheia de fluídos corporais de um holandês bem macho. Se você considerar maconha e prostitutas uma forma de se alimentar, diríamos que na Holanda ninguém passa fome. Ah, tem a Itália, mas a pizza virou coisa dos EUA assim como o macarrão e a lasanha, transformando essa meleca de farinha e ovo em alimento capitalista ocidental, portanto não merece menção aqui.

Enfim, a Ásia: precursora do fast food. Foi em feiras ao ar livre em grandes cidades da Tailândia que a cultura peculiar e simples se iniciou e recentemente foi importada pelos chineses. Cultura essa que tem por hábito comer espetinho de escorpião, doritos de grilo, croquete de barata e a tradicionalíssima sopa de cachorro; criada como forma de poder se alimentar normalmente, visto que os salários em ambos os países são tão grandes quanto a sua vontade de experimentar tais pratos tão suculentos. No Japão, a ideia inicial era a de acabar com todos os peixes existentes em sua extensão marítma para poder usar a área como reservatório de vodka da Rússia, que ofereceu milhões de dólares pelo espaço e pelas inovações tecnológicas como o Robô Ed, que Vladimir Putin tanto gostou quando se sentia forever alone. Isso explica o desespero em comer tudo ainda cru. Ainda por essas bandas, devemos atribuir ao Oriente Oriental a graça que nos foi concedida de chupar um sorvetinho no calor, comer aquela macarronada aos domingos e tomar um saquê vez em quando.

Religiões do Oriente[editar]

Garoto sagrado na cultura do oriente. Estátuas em sua homenagem foram erguidas.
Ganesh, divindade cultuada pelos indianos e pelo Mauricio de Sousa

Cquote1.png Ufa! Escapei Cquote2.png
Vaca sobre virar hambúrger no Oriente
A religiosidade no oriente é muito forte em geral. Um número grande de divindades foram surgindo por todo o oriente nos últimos milênios sob influência de plantas orientais. Na Índia se cultua o Buda (um mendigo que inventou o ópio), o Goro cabeça de elefante - conhecido como Ganesh - e aquela vaca sagrada que fica perambulando nas ruas de trânsitos caóticos de qualquer cidade indiana. Os indianos tem uma compulsão curiosa em dizer que qualquer coisa, animal ou ser humano que tenha algum tipo de mutação sinistra diferença, seja um super deus encarnado super jocoso que veio à Terra comer bananas, cheirar margaridas e comer cerejas colhidas ao meio dia numa tarde de outono.

No Japão se cultua também o Buda (o ópio que ele vendia era "do bão"), Goku (que morreu e ressuscitou mais de 8 mil vezes) e os fantasmas que aparecem no Xintoísmo. Os japoneses também acreditam que os espíritos de seus ancestrais residem nas velhas armaduras samurais expostas nos museus, nas frutas, nas fotos e nos lírios do campo, além de acreditar que existem capetas do bem e do mal (principalmente os fãs alucinados de Inuyasha). No Vietnã, todos os vietcongues sobreviventes são cultuados como deuses vivos por espantar o Satanás de suas terras.

Diferenças entre Ocidente e Oriente[editar]

No Ocidente a mulher se protege com anti-concepcional na hora do sexo, no Oriente a mulher se protege com a burca.

Desde que Henry Ford e Sr. Toyota começaram a disputar quem fazia o carro mais bom, bonito e barato, Oriente e Ocidente vem se cutucando com a vara numa interminável rixa. Comunismo pra um lado, Capitalismo pro outro e, o que começou em um simples Jo-Ken-Po, terminou em uma brilhante e psicodélica corrida armamentista entre o Japão (oriental comunista) e os Estados Unidos (ocidental petrolífero capitalista). Batendo o martelo no bruto, a rivalidade entre os hemisférios passou de bomba para conquista do espaço e desta para avanços tecnológicos e atualmente a rivalidade dos hemisférios só é motivo pra piadas entre gordos consumistas e japoneses do pinto pequeno. Abaixo, segue uma relação com as principais diferenças Oriente/Ocidente:

  • No Ocidente, camelos chamam-se lhamas; no Oriente, camelos chamam-se camelos;
  • No Ocidente, cheira-se gatinhos; no Oriente, come-se gatinhos;
  • No Ocidente, a expectativa de vida depende do quanto você ganha; no Oriente, ela depende de quantos filhos você tem;
  • No Ocidente, Mc Donald's é necessidade; no Oriente, Mc Donald's é luxo;
  • No Ocidente, a AIDS é um problema; no Oriente, a AIDS é um fato;
  • No Ocidente, come-se a vaca; no Oriente, adora-se a vaca (depende da vaca);
  • No Ocidente, terremoto é o Apocalipse; no Oriente, terremoto faz parte do cotidiano;
  • No Ocidente, sua família te sustenta até os 21 anos; no Oriente, VOCÊ os sustenta até os 21 anos com trabalho infantil;
  • No Ocidente, robôs são ficção; no Oriente, robôs são empregados domésticos;
  • No Ocidente, o cachorro é o melhor amigo do homem; no Oriente, o cachorro é o pão nosso de cada dia;
  • No Ocidente, dragões são sonhos de consumo dos nerds jogadores de nerdgic; no Oriente, dragões são animais de estimação.
Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Oriente no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg
Diamante.gif O Desafio dos Artigos da Desciclopédia Diamante.gif
Edições: 1 - 2 - 3