Orizona

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Orizona, o Arizona tupinambá! Cidade de grande beleza, se destaca pela felicidade da população em relação à sua grande pobreza.

História[editar]

Engarrafamento na avenida principal de Orizona.

A criação de Orizona remonta de 1850 quando fiéis de Minas Gerais sem ter absolutamente nada de melhor pra fazer, pegaram seus facões e adentraram o mato até chegarem num local aleatório qualquer onde decidiram construir uma capela pra nada. No início do século XX, o vilarejo já era a megalópole que conhecemos hoje, com mais de 53 casas e 156 habitantes, todos morando ao redor de um famoso cabaré, que concentrava em suas mãos todo o ouro e putas da cidade. Isso gerou uma revolta por parte da Igreja Católica, que tentou saquear por diversas vezes o prostíbulo. No entanto, a situação durou até o início da década de 1920, quando a Igreja juntamente com as Farc, conseguiu acabar com aquela putaria e deixar apenas a pedofilia como prática sexual típica da cidade. Para celebrar sua vitória, os padres construíram uma capela e passaram a chicotear com correias todos os derrotados no conflito. Além disso, em homenagem ao episódio, mudaram o nome da cidade para Capela das Correias.

Tudo se desenvolveu quando o Capintão José da Costa Pereira, um bebum vindo de Minas Gerais, passando pelas terras da região, foi obrigado pela mãe natureza a dar uma bela cagada quando encontrou uma grande pepita de ouro. Esta descoberta atraiu todo o tipo de vagabundos, ladrões, traficantes e boiolas de Goiás e Minas Gerais. Alguns baianos também resolveram seguir para essas terras, mas devido à sua lendária preguiça, resolveram ficar pelo planalto central e construir Brasília. Com isso surgiu uma enorme população de cornos (já que suas mulheres tinham ficado em casa disponíveis para os leiteiros), o que levou a construção de um grande e famoso prostíbulo. A região ficou conhecida então por aquilo que oferecia de melhor: o ouro e a zona, e daí o nome atual da cidade foi modificado para Ourizona ou Orizona.

Em 1941, os alemães invadiram a cidade e instituíram um dos campos de concentração mais conhecidos do interior de Goiás. A partir de então, o município ficou conhecido como Campo Famoso. Com o fim da guerra em mil novecentos e quarenta e dez, a putaria voltou a dominar a cidade e como era de se esperar, mudou-se novamente o nome da cidade para Ouro e Zona (Orizona). O ouro, porém, foi levado pelos padres e pelos alemães e já não existia mais. A zona, no entanto, pode ser vista até hoje.

Em 1950 na falta de uma cidade nas redondezas, Orizona é elevado de distrito do Nada para município de Goiás.

Economia[editar]

Cidade que outrora liderou a economia de arroz no Brasil, depois de uma praga de pulgões as terras de Orizona viraram um brejo infértil.

Atualmente 95% da população trabalha nas indústrias de leite e cachaça da cidade, ordenhando vacas e triturando cana, se não trabalha nisso é porque é vagabundo e passa os dias mendigando nas ruas da cidade gastando o que ganha com a cachaça produzida nas indústrias locais.

Geografia[editar]

Orizona está localizada no meio do cerrado, naquele limbo ali entre Goiânia, Brasília e Catalão, região conhecida como Triângulo das Bermudas do Planalto Central. Fotos de satélite confirmam que a cidade está no meio de uma grande poça de barro.

População[editar]

Cidade de uma população de 15.000 habitantes, todos da etnia caipira.

Cultura[editar]

Orizona é reconhecida pela sua música sertaneja, conhecida também como corno music, representa bem a vida da cidade.

Turismo[editar]

A cidade oferece um pseudo-turismo para seus pseudo-visitantes. Orizona devido à sua abundância de mato é até cadastrada na Agência Goiana de Turismo, mas não passa de um nome mais na lista de lugares que ninguém deseja visitar.