Ouro Verde de Goiás

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Ouro Verde de Goiás é uma colônia de férias de Anápolis, as vezes também chamada de "Beco dos Marginais de Anápolis". Cidade sinistra, pode ser avistada do alto do morro onde é possível observar as almas penadas sobrevoando a cidade.

História[editar]

Lex Lutor adquirindo uma criptonita em Ouro Verde de Goiás.

"Cidade" (se é que podemos chamar aquilo de cidade) fundada em 1935 com o nome idiota de Boa Vista do Matão, quando Jaspion constrói a Capela de São Megazord, em homenagem à Daileon. Em torno da capela foram se juntando marcianos que criaram através da abiogênese o que hoje conhecemos como "ouro-verdenses".

A cidade atinge um elevado grau de desenvolvimento graças à tecnologia alien de cultivo de milho e construções de tijolo, um avanço sem igual para os padrões da época. Já em 1948 passa a se chamar apenas de Matão devido a esta ser a única coisa existente por aquelas bandas, e porque ficar falando toda hora "Boa Vista do Matão" cansava os baianos que por lá viviam.

O líder sindical dos plantadores de milho verde, o Lanterna Verde, em 1963 combate e expulsa os marcianos que escravizavam humanos nas plantações, e eleva Matão ao status de município, tornando-se o primeiro prefeito da cidade, agora com o nome Ouro Verde de Goiás em homenagem ao milho verde (você não achou que existia mesmo ouro ali né?).

Sabe-se que Anápolis sempre esteve por ali, logo, transformaram Ouro Verde de Goiás num curral que é hoje.

Economia[editar]

A cidade é muito importante na economia goiana por ser o principal esconderijos das muambas furtadas em Anápolis. Tirando isso há as vastas plantações de café criadas no intuito de disfarçar as plantações de maconha que estão mais lá pro fundo. Sempre houveram rumores sobre a existência de ouro verde nas proximidades da cidade, afinal porque teria aquele nome? Mas depois que mineiros do mundo inteiro apareceram por lá, descobriram que aquilo não passava de criptonita. A exportação de criptonita passou a ser um forte fator econômico da cidade.

A grande força da cidade é sem dúvidas a venda de dorgas... Sendo na praça principal o encontro dos dorgados de Campo Limpo de Goiás, Petrolina de Goiás, Nerópolis e Anápolis. Vulgarmente conhecida como "Cracoverdolandia", a praça central da cidade tem tornado-se ponto de referência por nunca faltar dorgas, seja ao meio dia ou as três da matina. Os nosso amiguinhos do tráfico estarão sempre lá solícitos para arrumar um tequinho para você.