Outlander

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.
Alerta de spoiler: O artigo pode conter alguns spoilers, tais como o fato de que

Frank Randall é corno, Black Jack é gay e sodomiza Jaime Fraser, Geillis Duncan também é uma viajante no tempo e Jaime Fraser sobrevive à Batalha de Culloden e casa com Laoghaire.,

Então leia por sua conta e risco, e não se esqueça de dar uma de Pattinson.
PepinoVerde.png Este artigo é relacionado à história.

Lembre-se que os alemães perderam a guerra. Duas vezes.

Outlander

Outlander-logo-600x300.jpg

Gênero Drama, Fantasia e Putaria histórica
Quem criou Diana Gabaldon
Onde passa Starz
Faixa etária 18 anos por excesso de Putaria, seios e bundas a serem mostrados
Um bando de escocesas evocando o capeta em Craigh na Dun, segundo os costumes da bruxaria pagãos, no Samhain.
Porque o melhor modo de celebrar o fim da Segunda Guerra Mundial é tomar um porre.

Cquote1.png Eu tenho dois amores, que em nada são iguais. Cquote2.png
Marco Paulo sobre Claire Beauchamp
Cquote1.png Todo o mundo vê Game of Thrones, vou ver Outlander. Cquote2.png
Hipster sobre Outlander
Cquote1.png Eu amo esse seriado! Jaime Fraser é lindo, um ruivo delícia!!! Mas passo à frente todas aquelas cenas de batalha, são um enche saco! Cquote2.png
Guria retardada sobre Outlander
Cquote1.png Seu pote de mel esta vazio Cquote2.png
Jaime sobre depilação

Outlander (em português "A Viajante no Tempo", para você que é burro) é mais um seriado histórico anglo-escocês, mas que se mistura com fantasia, porque a protagonista consegue viajar no tempo. Não é ficção científica, porque ela viaja através de umas pedras místicas celtas, naquele que deve ser o equivalente escocês de Stonehenge, Craigh na Dun, também um círculo de pedras esquecido num sítio remoto das Terras Altas da Escócia.

Essa bosta é baseada na saga literária A Viajante no Tempo da escritora estadunidense Diana Gabaldon, iniciada em 1991, mas que só em 2014 foi adaptada a série porque os produtores acharam que isso ia ter sucesso, apanhando carona na fama de Game of Thrones: se os teleespectadores queriam ver porras medievais, também iam querer ver as revoluções jacobitas escocesas do século XVIII, e queriam roubar audiências à HBO. Na verdade, as gurias retardadas só veem isso porque acham Jaime Fraser um "ruivo delícia", "lindo de morrer", e estão cagando e andando para a parte histórica.

Esse seriado enche-saco se esforça muito para ser sério: tendo o telespectador de levar com informações históricas de 5 em 5 segundos, tem de haver sempre um personagem céptico para manter o suspense parvo, há uma constante e irritante narração por parte da protagonista, toda a banda sonora leva Gaita-de-fole (para você saber que está assistindo um seriado que se passa na Escócia), mesmo que você perceba inglês tem de ver essa porra com legenda porque ninguém compreende aquele sotaque escocês forçado, quando alguém fala gaélico não há legenda, e uma promoção constante da Escócia e dos seus Fascismos, que odeiam a Inglaterra.

Onde se passa essa porra?[editar]

Poster alternativo disso.

A estória se passa no Pós-Segunda Guerra Mundial, em 1945, e segue as aventuras exicitantes (Ou não) de Claire Beauchamp, uma ex-modelo da Victoria's Secret enfermeira inglesa (mas interpretada por uma pseudoatriz irlandesa), que trabalhou nas trincheiras como auxiliar de médico, que vai passar umas férias às Terras Altas da Escócia com seu marido, Edmure Tully Frank Randall, um historiador que trabalhou como torturador investigador policial no MI6 durante a guerra, pelo que estiveram separados, chifraram-se mutuamente e agora querem regressar à "vida de casal", ter filhos, carro, casa e essas porras todas. Mas a bruxaria o Destino tinha outros planos, e Claire vê-se a voltar 200 anos atrás no tempo e vai parar a 1743, antes da Revolução Jacobita escocesa, um fracasso total, em que os clãs escoceses tentaram rebelar-se contra a Inglaterra para restaurar os Stuart ao poder, só pelo mimimi de não quererem ser governados por um rei protestante, e acabam por ser chacinados na Batalha de Culloden, em 1746.

Como raio se viaja "através das pedras"?[editar]

O seriado dá resposta a isso, não vão os telespectadores pensar que a protagonista usou uma pedra como prancha de surf e saiu voando até ao passado: só algumas pessoas conseguem viajar no tempo no universo Outlander (mas nunca é explicado o porquê, se é alguma mutação genética ou são descendentes de extraterrestres ou bostas semelhantes) e ouvem sempre um zumbido vindo da pedra maior de Craigh na Dun, sendo sugadas pela mesma até a um tempo passado. Convenientemente, as personagens em Outlander que conseguem viajar no tempo vão todas parar ao século XVIII escocês e regressam sempre ao seu presente original: ou a porra das pedras estão viciadas, ou não têm outra opção de tempo histórico. Deviam chamar a manutenção dessa bosta para abrir mais opções de viagem, e mandar os personagens para a Idade da pedra.

Personagens Principais[editar]

Claire Elizabeth Beauchamp Randall Fraser (Caitriona Balfe)[editar]

Figurino habitual de Claire.
Claire na sua atividade favorita.

A protagonista e narradora dessa bosta, com requintes feministas, só porque foi criada por seu tio engraçadão arqueólogo que viajava pelo mundo, e começou a fumar aos 5 anos, mas deixou o vício quando conheceu Frank Randall, historiador e professor na Universidade de Oxford, que é um manso que trabalha no duro, que se tornou seu marido só porque é conveniente para o enredo e para, mais tarde, ajudar Claire a criar a sua filha com Jaime, Brianna. Foi enfermeira na frente de batalha durante a Segunda Guerra Mundial, o que a deixou traumatizada, e fez desenvolver um gosto por botânica para usos medicinais; é uma daquelas adeptas alienadas das tretas da Nova era.

Como paga-pau para mulher independente (excepto quando faz de tudo para voltar para o marido e depois quando entra em crise existencial por estar sem Jaime, na 2ª Temporada), isso traz-lhe problemas quando aterra no século XVIII, altura em que as mulheres eram vistas como propriedade de um homem, pelo que se faz passar por uma curandeira viúva de Oxfordshire, e, como não consegue regressar ao século XX, vira cachaceira, acabando furtivamente com o stock de whiskey do Castelo de Leoch, a mansão do clã MacKenzie, onde ela é feita prisioneira hóspede.

James "Jaime" Alexander Malcolm MacKenzie Fraser (Sam Heughan)[editar]

Típica cena em que Jaime aparece, com o objectivo de cativar as gurias retardadas.

O William Wallace guerreiro da Escócia do século XVIII, conhecido por ser um jacobita ruivo galã metido a comediante. No fundo, é um hipster, porque já era revolucionário antes de existir o Comunismo. Apresenta-se sob o nome de "Jamie MacTavish", um simples moço que trabalha nos estábulos, para esconder o fato que é rico e Laird de Broch Turach (a mansão do clã Fraser), e dar uma imagem de alguém que subiu na vida de modo honesto e não hereditário. Também é um ex-presidiário e fugitivo à lei, porque se recusou a dar bunda para Black Jack, depois de ter sido chicoteado por este, quando esteve preso em Forte William, uma terrorífica prisão, conhecida por suas práticas de tortura, mas que também tem academia e Dentista, pois todos os seus prisioneiros são bombados e seus dentes não apresentam quaisquer sinais de podridão devido à má alimentação que devem lá ter.

O seriado ainda vende a ideia de que esse galã, que anda aos amassos com loiras escocesas pelos cantos do Castelo, é virgem, mas dá orgasmos à sua esposa, Claire, na noite de núpcias: isso é a fantasia erótica de Diana Gabaldon a funcionar. Quando é sodomizado por Black Jack e gosta, entra em crise de identidade sexual pela possibilidade de poder ser bissexual.

Frank Randall (Tobias Menzies)[editar]

Historiador e professor na Universidade de Oxford: Como é um manso que trabalha no duro, acaba chifrado por sua esposa, Claire. Quer ter filhos com Claire, mas seu esperma está estragado, pelo que é estéril. Tem uma paixão pela Escócia, ironicamente a mulher chifra nele com um escocês, e por saber quem são seus antepassados. Quando Claire está de volta, aceita passivamente o fato de ser corno e torna-se pai adoptivo de Brianna.

Jonathan Wolverton Randall, "Black Jack" (Tobias Menzies)[editar]

Quem é o seu daddy, bitch?

Antepassado sósia de Frank, é o capitão da Oitava Companhia dos Dragões de Sua Majestade do Exército Britânico e comandante de Forte William, que tem como ocupação torturar e matar escoceses das Terras Altas (por isso ganhou a alcunha de "Black Jack" que mais parece uma marca de whiskey ou de marca de tabaco) e tem como passatempo favorito perseguir sexualmente Jaime Fraser; ou seja, partilha a mesma opinião das gurias retardadas que assistem isso.

Apesar da sua reputação de estuprar mulheres, na verdade é gay. É o Christian Grey dessa porra, pois delira com Sadomasoquismo e teve orgasmos múltiplos enquanto chicoteava Jaime.

Murtagh Fitzgibbons Fraser (Duncan Lacroix)[editar]

O padrinho de Jaime, conhecido pelo seu mau cheiro porque é alérgico a tomar banho. Acompanha Jaime e Claire até França, onde dá umas escapadelas com a empregada francesa, que devia estar habituado ao fedor da choldra que era Paris na época.

Colum MacKenzie (Gary Lewis)[editar]

Nessa história de cornos, ele é o corno-mor. É o Laird do clã MacKenzie, e tio de Jaime. Como é aleijado das pernas (sofre de Síndrome de Toulouse-Lautrec), não faz uma porra, e passa seus vidas enfiado no Castelo de Leoch. Só ali está para dar abrigo a Claire, assinar papéis e recusar-se a participar na Revolução Jacobita, de resto não tem contribuição para o enredo.

Dougal MacKenzie (Graham McTavish)[editar]

O irmão mais novo de Colum MacKenzie, que funciona como "chefe de guerra" do clã porque o irmão é aleijado, além de lhe ter "dado um herdeiro", Hamish, já que Colum não conseguia nem engravidar a esposa. Dougal é, ainda, o cabecilha dos Jacobitas das Terras Altas da Escócia, e aproveita as costas de Jaime para fomentar o ódio aos ingleses e ganhar mais seguidores. Apesar de ter Geillis Duncan como puta paga, quer comer Claire a todo o custo, mesmo quando esta já está casada com Jaime, ainda que acredite que ela é uma espia britânica, só porque é conveniente para o enredo.

Geillis Duncan (Lotte Verbeek)[editar]

Reacção de qualquer um que vai ser queimado vivo na fogueira. Ou não.

A esposa do procurador fiscal de Cranesmuir, Arthur Duncan, um vilarejo perto de Castelo de Leoch, é uma ruiva gostosa, mas louca inveterada, cujo nome verdadeiro é "Gillian Edgars", sendo também uma viajante do tempo mas da Década de 60. É uma fascista tresloucada que viajou no tempo para se juntar à causa jacobita e colocar um Stuart no trono, porque quer uma "Escócia independente e grandiosa". Se essa porra se passasse nos EUA, ela votaria Donald Trump. Dizem que ela é bruxa porque vende "artefatos mágicos" e faz abortos.

Psicopata completa: assassinou seu marido do século XX antes de atravessar as pedras porque acreditava que precisava de um sacrifício humano, envenenou Arthur Duncan para lhe ficar com o dinheiro (que usava para financiar a Revolução Jacobita) e tornou-se amante de Dougal MacKenzie para subir na vida. Dá o golpe da barriga em Dougal, mas se fode, porque Colum ordena que seja julgada por bruxaria e condenada a ser queimada viva na fogueira. Pregar orelhas de crianças ao pelorinho não era condenável no século XVIII, mas fazer churrasco de mulher grávida era, pelo que adiaram a sentença até ela parir a criança, que foi dada para adopção.

Roger MacKenzie Wakefield (Rory Burns/Richard Rankin)[editar]

Até Brianna sabe que Claire transformou Frank num corno.

Filho adoptivo do Reverendo Wakefield, que é descedente de Geillis Duncan e Dougal MacKenzie, que também consegue viajar no tempo. É considerado uma "personagem principal" mas só está ali para pegar Brianna.

Brianna "Bree" Randall Mackenzie Fraser (Niamh Ewell/Sophie Skelton)[editar]

A ruiva gostosa, filha biológica de Claire e Jamie, e filha adoptiva de Frank, a quem chama de "Papá". Foi criada em Boston e só mete os pés na Escócia para ir ao funeral do Reverendo Wakefield, onde, miraculosamente, conhece seu futuro marido, Roger. Quando descobre a verdade sobre seu pai biológico, Brianna tem o maior ataque de histeria e chama a mãe de "mentirosa" e "puta", e como, qualquer um, recusa-se a acreditar na história de Claire. Só acredita quando vê Geillis a atravessar as pedras.

Primeira Temporada (2014 - 2015)[editar]

... tá, o Frank que se foda, então.

Em 1945, Claire e Frank estão visitando a cidade de Inverness, nas Terras Altas da Escócia, onde entram em contacto com o Reverendo Wakefield que, convenientemente, tem a maior biblioteca do Reino Unido sobre a Revolução Jacobita, em que Frank está interessado por causa do seu antepassado, Black Jack. Claire está cagando e andando para isso ou para os trabalhos históricos de seu marido, e quer é aprender sobre botânica e outras pseudo-ciências, deixando ter a sua mão lida por Mrs. Graham, a empregada do Reverendo: só não fez o Mapa astral porque não houve tempo. No dia seguinte, vai no círculo de pedras de Craigh na Dun para ir buscar uma flor, mas é sugada pelas pedras indo parar ao século XVIII. Para manter o suspense parvo, ela não se apercebe disso ainda. Entretanto, encontra Black Jack, que ela pensar ser Frank, mas logo percebe que não, quando ele lhe aponta uma espada à garganta. Convenientemente aparece um guerreiro escocês que a leva com ele, convenientemente (de novo), para uma casa onde está um Jaime com o ombro deslocado, o que, convenientemente, lhe dá oportunidade de provar suas aptidões de enfermeira, e, convenientemente, levando-a para o Castelo de Leoch, onde, também convenientemente, estão a precisar de uma curandeira e ela ganha o posto: essa porra tem tantos "convenientementes" que mais valia chamar-se A Viajante das Conveniências no Tempo.

Claire lá se apercebe que está em 1743, devido a um conveniente documento que Colum tem sobre a sua secretária. Entretanto, tenta encontrar modo de fugir para regressar para Craigh na Dun e regressar para o seu tempo e para Frank. Por alguma razão, levam Claire na recolha das rendas do clã MacKenzie, onde ela se apercebe, mesmo não percebo uma ponta de gaélico, que estão a recolher dinheiros para financiar a Revolução Jacobita, que ela sabe que fracassou e conduziu à chacina dos clãs e ao fim do modo de vida das Terras Altas da Escócia: tenta avisar seus agressores disso, mas ninguém dá a mínima porque ela é apenas uma mulher. Black Jack desenvolveu uma obsessão por Claire (o que é inexplicável porque ele é gay: talvez seja a mesma lógica da atracção de Edward Cullen por Bella Swan) e quer aprisioná-la em Forte William, o que, convenientemente causa o casamento de Jaime com Claire, porque o galã ruivo quer protegê-la. Depois da noite de núpcias, Claire esquece acerca de Frank, porque o ruivo é tão bom de cama que ela ficou viciada. Ainda assim, Claire tenta voltar às pedras (porque Frank fazia sexo oral e Jaime não) mas é capturada pelos soldados ingleses, sendo salva por Jaime, que lhe dá tapinha na bunda como castigo de ter colocado todo o mundo em perigo de morte por sua estupidez, fazendo com que Claire amue.

Black Jack finalmente concretiza seu maior desejo: enrabar Jaime.

De regresso a Castelo de Leoch, Claire e Jaime acabam fazendo as pazes quando o cara lhe jura que nunca mais lhe dá tapinha na bunda se ela não gosta, e os dois têm uma noite louca de sexo selvagem, seguida de sexo oral pela manhã. Quando vai visitar Geillis a Cranesmuir, ambas são presas por bruxaria e levadas a julgamento, e enquanto Claire está sendo açoitada, convenientemente Jaime aparece para a salvar, mas Geillis vai arder na fogueira. Ao se aperceber que Geillis também é uma viajante no tempo, Claire conta toda a história para Jaime, que, numa atitude de fuck logic, acredita em tudo. O ruivo leva-a a Craigh na Dun para ela regressar para o seu tempo e para Frank, mas ela decide ficar com o Jaime (ele é melhor de cama do que Frank), e vão para Lallybroch, sua casa de família, onde, um dia, o ruivo é capturado pelos soldados ingleses e aprisionado em Forte William, onde fica à espera de ser executado.

Claire invade a prisão para salvar seu ruivo delícia, mas seu plano fracassa quando é apanhada por Black Jack, Jaime concorda ser a "escrava sexual" de Randall se ele libertar Claire. Black Jack concorda. Voltam a tentar libertar Jaime, e Murtagh consegue, deixando Black Jack meio morto, mas o ruivo permanece numa crise sexual, receando ter virado para o Lado Rosa da Força, porque, no fundo, gostou de ser enrabado por Randall. Para "esquecer", Claire, Jaime e Murtagh vão para França para encontrar o príncipe Charles Stuart e evitar a Revolução Jacobita.

Outros Personagens[editar]

Fuck, Claire! Brevemente, a história do romance gay sadomasoquista entre Black Jack e Jaime.

Século XX[editar]

  • Mrs. Baird (Kathryn Howden): A proprietária do Bed & Breakfast (nome chique usado no Reino Unido para dizer "pousada"), onde Claire e Frank estão alojados;
  • Reverendo Reginald Wakefield (James Fleet): O vigário da paróquia de Inverness e um historiador amador, miguxo de Frank;
  • Mrs. Graham (Tracey Wilkinson): A Puta paga empregada do Reverendo Wakerfield que também é bruxa e profetiza que Claire terá o "amor de dois homens", ou seja, que sua especialidade nessa vida é conceber cornos.

Século XVIII[editar]

  • Rupert MacKenzie (Grant O'Rourke): Membro do clã MacKenzie (O RLY?), é um barrigudo, fedorento e bêbado destacado por Dougal para espiar Claire;
  • Angus Mhor (Stephen Walters): Outro membro do clã MacKenzie e espião de Claire, conhecido por ser metido a comediante enche saco;
  • Glenna "Mrs. Fitz" Fitzgibbons (Annette Badland): É a empregada doméstica-chefe do Castelo de Leoch, que só está ali para dizer que trabalham pessoas na cozinha;
  • Laoghaire MacKenzie (Nell Hudson): Neta de Mrs. Fitz, é uma guria retardada loira e com dentes de coelho, que se apaixonaloucamente por Jaime e faz macumba fracassada em Claire e depois a quer mandar para a fogueira;
  • Letitia MacKenzie (Aislín McGuckin): Mulher de Colum e senhora do Castelo de Leoch, que só trepou com Dougal para gerar seu herdeiro, Hamish;
  • Hamish MacKenzie (Roderick Gilkison): O herdeiro de Castelo de Leoch, que não vai herdar nada, porque em 1746 vão todos com o caralho;
  • Arhur Duncan (John Sessions): O procurador fiscar de Cranesmuir e marido de Geillis, que sofre de flatulência, sendo uma fábrica andante de peido;
  • Padre Bain (Tim McInnerny): É o padre alienado de Cranesmuir que acusa Claire de ser bruxa porque salvou um garoto de morrer envenenado, enquanto ele dizia que o guri estava possuído por um demônio;
  • Ned Gowan (Bill Paterson): Um advogado de Edimburgo que trabalha para o Castelo de Leoch e, paralelamente, para a Revolução Jacobita;
  • Janet "Jenny" Fraser Murray (Laura Donnelly): Irmã de Jaime, com um feitio de merda e enche-saco;
  • Ian Murray (Steven Cree): Marido perneta de Jenny (com quem tem 2 filhos) e amigo de infância de Jaime.
  • Clarence Marylebone, Duque de Sandringham (Simon Callow): É a bicha enrustida, que faz de Black Jack sua puta paga, enquanto financia, secretamente, a Revolução Jacobita.

Segunda Temporada (2016)[editar]

A 2ª Temporada dessa porra apresenta: depilação genital na França do século XVIII.

Essa porra se inicia com Claire de regresso a Inverness do século XX, num estado de histeria que a leva a ser internada na secção de psiquiatria do hospital, onde aparece Frank, rejubilado pela esposa ter aparecido ao fim de 2 anos de desaparecimento, de todo mundo lhe ter dito que ela havia fugido com outro homem. De regresso a casa do Reverendo Wakefield, Claire está obcecada com a Batalha de Culloden, mas não encontra nada sobre Jaime. Mais tarde, Claire conta tudo para Frank e ainda revela que está grávida, ao que o corno reage com felicidade e só depois se lembra que ela esteve desaparecida durante 2 anos. Ainda assim, concorda em ser o pai adoptivo do comprovativo de que foi chifrado, e mudam-se para os Estados Unidos da América, para Boston.

Num flashback ao século XVIII, Jaime, Claire e Murtagh chegam a Paris para sabotar os planos para a Revolução Jacobita na Escócia, onde, convenientemente vão ter uma vida de luxo porque convenientemente o primo de Jaime é um mercador de vinho com os cofres cheios. Assim, Jaime entra em contacto com o princípe Charles Edward Stuart, para lhe estragar os planos, com quem passa as noites no bordel a discutir política e a ver prostitutas francesas, mas ainda não consegue transar com Claire sem se lembrar do que aconteceu com Black Jack, que ainda está vivo e convenientemente aparece em Paris porque seu irmão mais novo, Alex está doente e apaixonado por Mary Hawkins que fugiu de seu apartamento rico para ir viver na favela com ele. Claire está farta das fofocas das socialites francesas e decide voluntariar-se no Hospital dos Anjos, como enfermeira. Apesar de ter prometido a Claire não matar Black Jack até Frank ser concebido, quando o apanha a tentar estuprar Fergus, Jaime desafia Randall a um duelo até à morte, algo que proibido na França. Jaime quase que manda Randall ir fazer de tijolo, o que faz Claire abortar por pensar que Frank nunca irá nascer. Com a cabeça a prémio, Jaime desaparece, e quando volta a reaparecer decidem, então, regressar à Escócia.

Black Jack reencontra-se com Claire em Versailles because reasons.

Com os planos fracassados de evitar a Revolução Jacobita, o plano B é vencer: o que nunca iria acontecer porque a Escócia é afamada pelas suas rebeliões falhadas contra a Inglaterra. Num golpe de sorte, os escoceses conseguem vencer a Batalha de Prestonpans. Mary Hawkins está grávida de Alex Randall, que vai para a quinta das tabuletas em breve, pelo que Claire convence Black Jack a casar com a garota e a fingir que o filho é seu: assim assegura o nascimento de Frank. Perante a iminência da Batalha de Culloden, Jaime leva Claire até Craigh na Dun, para ela regressar para a segurança do seu tempo, ouvem-se canhões como barulho de fundo, mas como a batalha pode esperar, ainda há tempo para a "queca da despedida" e uma declaração piegas para sua namorada chorar.

Em 1968, Claire está de regresso à Escócia, acompanhada por sua filha Brianna, para irem ao funeral do Reverendo Wakefield, um evento que no universo Outlander é óptimo para conhecer seu futuro marido. Brianna conhece Roger, o filho adoptivo do Reverendo, com quem se envolve numa pesquisa acerca do passado dos seus pais, e descobre que Claire esteve desaparecida durante 2 anos na Década de 40 e, fazendo, as contas, Frank era corno. Brianna confronta a mãe que lhe conta toda a estória, e a ruiva gostosa não acredita. Entretanto, Geillis Duncan, ainda com o nome "Gillian Edgars", anda a fazer propaganda nacionalista nas faculdades e prepara-se para viajar através das pedras de Craigh na Dun. Quando chegam ao local, Brianna vê a louca a "entrar" nas pedras e diz que acredita na mãe: isso é tipo o São Tomé da Bíblia, de ver para crer. Roger, de todos os locais onde podiam ter dito isso, convenientemente, informa Claire que Jaime sobreviveu à Batalha de Culloden, pelo que a alienada apaixonada diz que vai voltar para ele, do gênero: Xau, aí, filha! Estou cagando e andando se você fica bem, minha tesão me chama!

Outros Personagens[editar]

Estou usando demasiado tartan? Que disparate!

Século XX[editar]

Século XVIII[editar]

  • Le Comte St. Germain (Stanley Weber): Um conde francês metido a bruxo que se jura inimigo mortal de Claire, depois desta denunciar que existia varíola no seu navio de mercadorias, causando a sua ruína financeira;
  • Jared Fraser (Robert Cavanah): Primo de Jaime, que é mercador de vinho em Paris, que só está no enredo para dar alojamento;
  • Master Raymond (Dominique Pinon): Um boticário com quem Claire faz amizade em Paris, de modo muito conveniente, já que ele lhe vai salvar a vida várias vezes;
  • Príncipe Charles Edward Stuart (Andrew Gower): Também conhecido pelos escoceses como "Bonnie Prince", é o cara que quer ser rei do trono inglês (mas está quase no fundo da linhagem), e que está a orquestrar a Revolução Jacobita;
  • Louise de Rohan (Claire Sermonne): Socialite francesa, amiga de Claire e preceptora de Mary, que casou com um velho a 3 dias de virar presunto por causa do dinheiro, enquanto é puta paga do Príncipe Charles;
  • Mary Hawkins (Rosie Day): Uma moça inglesa sem sal, sobrinha de Silas, um magnata do comércio do vinho, que está a viver em Paris com Louise, porque vai casar com um velhão qualquer multimilionário;
  • Alex Randall (Laurence Dobiesz): O irmão mais novo de Jack Randall, que é tuberculoso e pobre, mas que se apaixona por Mary Hawkins;
  • Luís XV de França (Lionel Lingelser): Rei de França que tem problemas em cagar;
  • Madame Elise (Michèle Belgrano): A proprietária do bordel parisiense que Jaime, Murtagh e o Príncipe Charles frequentam;
  • Madre Hildegarde (Frances de la Tour): Freira metida a compositora de música clássica, que é a madre-superiora do Hospital dos Anjos de Paris;
  • Fergus Fraser (Romann Berrux): Um orfão francês que se torna filho adoptivo de Claire e Jaime só porque sim;
  • Simon Fraser, Lord Lovat (Clive Russell): O avó taradão de Jaime, cujo único passatempo na vida é casar com garotas de 15 anos;
  • Simon Fraser, Master of Lovat (James Parris): O herdeiro de Lorde Simon Fraser, é um sam-sal gago.