Overwatch

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Overwatch se trata de um jogo virtual (game)

Enquanto isso, um Chefão faz mais uma vítima.


Overwatch
Bootywatch-Spandex Edition cover.png

Capa original do jogo antes do movimento feminista censurar tudo

Informações
Desenvolvedor Blizzard Entertainment
Publicador Blizzard Entertainment
Ano 2016
Gênero Tiro, porrada e bundas bomba
Plataformas Preixsteichon 4, XBosta One e PC da Xuxa
Avaliação Bom pra jogar até com uma mão só
Idade para jogar 12 (Ou 18, dependendo do seu ponto de vista)

Cquote1.png Você quis dizer: Overrated Cquote2.png
Google sobre Overwatch
Cquote1.png Jogo caro da porra! Cquote2.png
Você sobre ser pobre Overwatch
Cquote1.png A mais gostosa é a Widowmaker! Cquote2.png
Nerd punheteiro sobre Widowmaker
Cquote1.png FILHO DA PUTA!!! Cquote2.png
Você sobre ser morto 3x consecutivas por Bastion
Cquote1.png Alguém pega Suporte? Cquote2.png
Jogador que escolhe um personagem repetido sobre seu time
Cquote1.png HORA DE ACERTAR AS CONTAS... Cquote2.png
McCree segundos antes de te matar.

Widowmaker, nada vulgar...

Overwatch (pt:OvoWash/Lavar o ovo) é apenas um Team Fortress com Hentai, um jogo pornô da Blizzard em que você precisa matar o grupo inimigo ou fazer nada durante toda a partida. Devido ao marketing agressivo relacionado ao jogo e ao fato dos fãs da Blizzard não possuírem cérebro ou vontade própria para filtrar o que é bom ou ruim, o jogo alcançou um aceitável sucesso entre o público nerd sedentário, porque se dependesse da diversão proporcionada seria sem dúvida um fracasso.

Como era um jogo destinado a um público de nerds punheteiros que nunca pegaram uma mulher de verdade na vida, obviamente cenas de seminudez e mulheres sexualizadas foram introduzidas, o que gerou revolta de pessoas de bom costume, forçando os produtores do jogo a vestirem suas personagens femininas com roupas mais decentes (ie, spandex fincados na bunda das personagens - o suficiente para manter as feministas longe, mas não evitar que ergam uma sobrancelha em desconfiança).

Produção[editar]

Depois de ganhar milhões às custas do vício de nerds virgens adoradores de warcraft/starcraft e outros produtos controversos, a empresa multimilionária convenceu-se que destruir a adolescência de seus jogadores não seria o suficiente para alimentar a fornalha de almas que a empresa usava para alçar seu valor na bolsa de valores, e por isso, decidiu também destruir a vida dos jogadores adultos que sobreviveram à febre de seus jogos anteriores.

E qual seria a ferramenta para sugar a alma desses pobres desgraçados? Vamos dizer que você está bem no lugar certo.

Overwatch foi parido com a união de diversas mentes diabólicas, produtores e diretores criativos dos outros três jogos já citados anteriormente. impacto que essa união teve sobre a mídia gamer fora comparável ao da união das mentes brilhantes por detrás do projeto Manhattan, e é claro que o resultado não poderia ser outro.

Pré-Lançamento e Beta[editar]

Durante o processo de desenvolvimento e criação do jogo, os diretores criativos da Blizzard fizeram uma parceria com o Capeta, um já colaborador de projetos passados com longo tempo de casa interessado em investir nas ideias do novo jogo, Overwatch, o qual garantiria a alma de diversas crianças, adolescentes e adultos ao redor do globo. A quantidade de almas dragadas alcançariam níveis estratosféricos - superando outras séries como Call of Duty e Dark Souls. A Blizzard, porém, não sabia criar jogos que não se assemelhassem com um Elder Scrolls com a câmera do Dota e a pornografia do Warcraft (isso pelo menos era original) - o Capeta cedeu o fermento do bolo que o pessoal da Blizzard precisava para o projeto deslanchar:

Cquote1.png Coloquem uma garotinha hiperativa usando laicra, um ninja robô, um psicopata fã de Slipknot e um macaco gigante, deem a eles armas e habilidades copiadas do Dota e criem fanservice copiado do League of Legends. Não tem erro Cquote2.png
Diabo e seu método de salvar a empresa

À isso, os produtores de Overwatch, perguntaram, incrédulos.

Cquote1.png O que você quer que nós façamos? Um filme Pornográfico? Cquote2.png
Blizzard sobre o que Overwatch acabou sendo

E assim, a Beta de Overwatch era lançada com esses mesmos conceitos. Como de praxe, todas as habilidades dos personagens eram quebradas para cacete, tudo era colorido e os personagens insinuavam relações homoafetivas através desses diálogos. E você sabe o que acontece quando se une Tumblr, Overwatch e fanboys de jogos da Blizzard com o mínimo de talento: ships...

O diabo não poderia estar mais certo: bastou largarem um curta mostrando os personagens de Overwatch com a mesma fofura satânica dos filmes da Disney e, PIMBA! O jogo já era um sucesso. E o curta nem precisava ter sentido: basicamente mostra duas garotinhas, um gorila e um emo invadindo um museu aleatório sobre um grupo aleatório de heróis aleatórios que salvaram o mundo de alguma ameaça aleatória. E o motivo deles entrarem nesse museu também não poderia deixar de ser aleatório.

Não acredita em mim? Confira na integra!

Ah, são tantos porquês! Por que Windowmaker e Reaper invadiram logo um museu supervigiado em pleno dia E durante uma perseguição feita pelos seus inimigos? Por que eles acharam uma boa ideia conseguir a porra da manopla do Doomfist? É sugerido que o casal de vilões realmente queriam a manopla, então, desde o começo eles planejavam fazer esse assalto enquanto eram perseguidos por um macaco gigante e uma guria desmiolada? O que Reaper e Widowmaker são? Incompetentes?

No final das contas, é bem isso que a Blizzard quis nos mostrar: dois gurizinhos da 4ª série que nem tem pelo no saco conseguem nocautear supervilões - sendo que um deles é um veterano de guerra com pelo menos uns 30 anos de experiência e a outra uma trollpick cuja habilidade suprema causa zero de dano e tem zero de utilidade também.

E se parar para analisar, é bem isso que a Blizzard quer passar aos seus inocentes consumidores e futuros dependentes de Overwatch: "Venha... Entre em nosso mundo mágico, onde você pode ser um superherói e fazer tea bag naquele noob sem mira do outro lado. Onde você pode ser amado pela sua waifu sem ser julgado e onde a comunidade é tão tóxica que o Instituto Butantan coleta saliva dos jogadores de competitivo para pesquisar novos tipos de antídotos para venenos de víboras. Overwatch é uma experiência única!"

E logo que sua popularidade alcançava níveis insuportáveis, a Blizzard sabia. Era hora de liberar seu monstro ao mercado e ver a grana crescer.

Heróis[editar]

O discurso de "um novo gênero de FPS combinado com MOBA" colou o suficiente para os fanboys da Blizzard propagarem o nome de Overwatch aos sete mares e quatro cantos mais distantes do mundo, pisoteando completamente jogos parecidos e botando na UTI versões paraguaias. E enquanto Overwatch faz um sucesso estrondoso, todos fingem que Team Fortress ainda faz algum sucesso e que o Quake Champions vai se estabelecer como plágio do jogo.

De toda forma, o jogo sustenta-se nessa mistura de "heróis" com FPS. À primeira vista, o jogador estranhará pelo fato dos personagens terem munição infinita e basicamente, não tomarem dano de queda - apesar que alguns jogos já tem isso. Porém, a maior ofensa é ao que diz respeito do enfoque MOBA do jogo - e a transição é ainda mais traumática àqueles jogadores que pensam que Overwatch é igual a Call of Duty.

E não estou lecionando à favor de Overwatch, mas completamente contra! Existe todo tipo de arma colorida e brilhante, que tal como Unreal Tourtament tem da mais bosta até a mais overpower. Dos choquezinhos que dão cócegas de Winston até a bazuka-pistola-apelona-da-porra de Pharah. Armas para todos os tamanhos e gostos. E o jogador será frustrado mais uma vez caso não entenda que terá de se virar com uma pistolinha pelo resto da partida pois seu personagem tem uma arma apenas - ou quando tem duas armas, certamente uma delas é inútil, servindo só para trollar.

Por sorte, você pode mudar de personagem quando quiser. Isso deve ser uma vantagem... Ao menos que alguém pegue antes de você o único personagem que você sabe jogar. Aí, jogue de Widowmaker ou outro personagem inútil e ameace foder com o jogo desse elemento com picks horríveis, até o desgraçado ceder à sua birra e deixar que você jogue com aquele McCree delicioso que você tem como papel de parede em seu celular.

A não ser que você jogue de Widowmaker... Nesse caso, recomendo que você desinstale o jogo.

Ofensivos[editar]

Segundo a Blizzard, são aqueles personagens pegos por idiotas que pensam estar jogando outro jogo de tiro. Sua função é preencher o vazio desses jogadores, fazendo-os se drogar com a ilusão de que estão contribuindo com a equipe sendo ouro em eliminações, mas perdendo mais tempo passeando pelo mapa e perseguindo inimigos (que irão matá-los de qualquer forma) ao invés de fazerem coisas úteis de fato, como proteger os curandeiros ou tomar a porra do ponto.

Existem dois tipos de personagens Ofensivos: os idiotas que flanqueiam e os personagens úteis.

Ryūjin no ken... Guohhh![editar]

  • Habilidades : "Jogar shurikens que sempre erram e dão dano minúsculo", "Investida que dá dano mas só serve pra fugir" e "Deflexão dos covardes".
  • Ultimate: Pulo duplo Genji saca uma espada gigante com um dragão verde flamejante, soltando um urro em japonês que instantaneamente o faz ser hookado pelo Roadhog mais próximo.
  • Dificuldade: Você nunca será bom o suficiente para você jogar com ele.

Genji é um ninja ciborgue. A existência desse personagem por si só é um insulto à inteligência do jogador de videogame mediano e ele deve ser evitado feito a praga. Porém, isso não impede sua presença de 11 a cada 10 jogos.

Claro, antigamente o personagem era tão Overpower que sua "investida que dá dano mas só serve pra fugir" de fato dava dano! Porém, a Blizzard nerfou até o chão, a ponto de Genji ser só mais um personagem idiota que faz cócegas nos tanks e tem algumas habilidades bonitinhas. A tragédia é que os antigos jogadores de Genji não acompanharam essas mudanças e um paradoxo ocorreu: quanto pior o personagem ficava, mais pessoas jogavam com ele. E os níveis dessas transgressões pioravam: logo vinham Genjis para defender ponto, Genjis que "ultavam" ao redor de quatro Roadhogs esperando que mataria todos eles, Genjis que pedem cura ao tomar 3 pontos de dano...

É o tipo de personagem que deixa você preocupado quando um jogador o reclama como "seu personagem favorito, o que ele dominou e melhor joga".

É Hora do acerto de... Ughhhh![editar]

  • Habilidades : "Pistola que só causa dano caso mire no meio dos olhos do inimigo", "biribinha" e "rolada acrobática"
  • Ultimate: McCree emana um brilho satânico atrás de si enquanto fala uma frase. Entre 1 a 3 segundos após começar a falar a frase, ele é hookado pelo Roadhog mais próximo.
  • Dificuldade: Você pode achar que é bom jogando de McCree, mas o resto do mundo acha que não.

McCree é um cowboy ciborgue que fuma um charutão e reúne em si todos os clichês de cowboys conhecidos. Ocasionalmente é visto tendo relações homossexuais com Hanzo ou sendo morto antes de poder usar sua ultimate.

McCree está no mesmo patamar de Genji, no rol da infâmia dos personagens nerfados que são inúteis agora. Ele pode ser bem poderoso em batalhas obviamente injustas - diga-se, mirando numa Mercy retardada que não fuja ou numa Tracer que fique parada. Logo, é o tipo de personagem que reúne todos os noobs que não tem colhões para jogar de Genji ou Hanzo, mas que ainda assim querem posar de legais. E porquê ele é tão ruim? Vamos dizer que a culpa está em sua rolada e o fato dele ser tão lento quanto as telas de carregar do Skyrim.

O pior momento da partida é quando um McCree está com ultimate e decide flanquear seus inimigos. Ele deixa seu próprio time à mercê do time inimigo, sendo trucida para ter "sua chance de brilhar". E quando ele (de fato) brilha, sua ultimate causa os seguintes efeitos no time inimigo: primeiro eles ficam desesperados buscando sua luzinha satânica. Segundo Se você for um McCree mediano, já deve estar exposto e todos devem estar te vendo. Terceiro seus oponentes tomam uma reação. Quando as bolinhas estavam prestes a se fechar, o Reinhardt ergue seu escudo, o Winston ergue seu escudo, a Symmetra joga seu escudo, a DVa ergue seu escudo E voa até você, possivelmente te matando e também, não podemos esquecer, você ainda pode ficar encarando um muro, colocado para dormir, hookado para morte instantânea, arremessado para morte e basicamente, descobrir que sua ultimate só não é tão ruim quanto a da Widowmaker porque você ainda pode matar um Zenyatta desgarrado, tão lerdo quanto você.

A justiça vem de... Aaaaah![editar]

  • Habilidades : "Bazuka de seis tiros do Doom", "voar", "voar mais alto", "empurrar pessoas para morte"
  • Ultimate: Pharah despeja todo seu arsenal por 1 segundo antes de ser hookada pelo Roadhog mais próximo.
  • Dificuldade: Existem dois tipos de Pharahs - as que morrem para Soldados e as que morrem para todo resto. Tente não ser do segundo tipo.

Pharah é a tentativa da Blizzard de compensar suas personagens mais sexualizadas colocando uma mulher numa armadura completa e carregando uma bazuka gigante - basicamente, Pharah é a versão atenuada de Zarya ao que se diz respeito de quão aprovada pelas feministas independentes e fortes são suas personagens femininas. Ah, claro, as feministas também acham que ela é sexualizada por usar uma tanga de ferro em sua armadura - então nem mesmo sua tentativa mais intensiva fora o suficiente para apaziguar as feminazis.

Pharah é um dos poucos heróis ofensivos que não foram nerfados o suficiente para serem inúteis - na realidade, se alguém for bom o suficiente como jogador de Pharah, o objetivo do outro time pode alternar para "tomar o ponto A" para "matar a filha da puta lançando mísseis sobre nossas cabeças". Na maior parte das vezes, Pharah sairá incólume... A não ser que você jogue só no Jogo Rápido - povoado de Genjis e Hanzos que nunca acertam seus alvos - no Jogo Competitivo, no entanto, a verdadeira realidade surge e você descobre que em cada partida sempre existirão um McCree que sempre acerta tiros na cabeça (improvável) e um Soldado 76 que simplesmente nunca erra (bastante provável).

Morram, Morram M... Uhhhh![editar]

  • Habilidades : "Escopetas autografadas do Evanescence", "Invulnerabilidade dos cagões da escuridão", "A morte se aproxima...", "cura 2 pontos de vida ao comer almas" e "soquinho que só serve para cancelar a animação de recarregar para recarregar mais rápido"
  • Ultimate: Reaper se enfia no meio de quatro inimigos na esperança de matá-los sendo hookado instantaneamente pelo Roadhog mais próximo.
  • Dificuldade: Provavelmente o personagem mais fácil de aprender a jogar - será que feri seus sentimentos, poser que joga de Reaper?

A ideia na criação de Reaper era simples. Certo dia, a Blizzard pensou: "Ei, estamos conseguindo alcançar o público masculino e feminino - mas ainda não alcançamos os emos! Os Emos fazem parte das minorias que as feminazis sempre usam como degrau para ganhar relevância em suas críticas; então, que tal criarmos um personagem emo que corta os pulsos e escuta My Chemical Romance?". O resultado foi essa aberração (no sentido físico e no sentido de ser emo) que vive repetindo tantas vezes que é a morte em pessoa que é impossível ser levado a sério.

Reaper é um daqueles personagens neutros que os jogadores pegam porque acham que sabem jogar. Ele só é efetivo quando o outro time é composto por um bando de retardados que jogam de Hanzo e sempre erram suas flechas (como sempre). Além do mais, se assemelha muito a Genji, com o diferencial que as habilidade de Reaper permitem que ele de fato consiga jogar sozinho - mas principalmente, gastando 7 minutos de partida enfiado em cantos escuros, como demanda a tradição camper e atirando contra Pharahs no céu, dando 1 ponto de dano (dependendo da distância).

Por final, sua ultimate. É uma espécie de especial do McCree, só que móvel - o que não a torna menos bosta. Normalmente, os emos que jogam de Reaper ativam sua ultimate para um só cara quando são fechados no canto, prestes à morrer. É esse o momento que os homens mostram sua verdadeira faceta: na hora da morte, ao serem esmagados... Fazendo isso, com o que esses Reapers se parecem?

Você está na minha m... Mahhhh![editar]

  • Habilidades : "Rifle genérico", "Mísseis que poderiam muito bem ser de um lançador de granadas acoplado", "corridinha" e "campo de cura para você fingir que está contribuindo para a equipe"
  • Ultimate: O Soldado ativa seu hack de Aimbot, fazendo seus inimigos correrem para cobertura mais distante antes de ser hookado instantaneamente pelo Roadhog mais próximo.
  • Dificuldade: Genérico o suficiente para qualquer idiota saber jogar.

Soldado 76 é um daqueles personagens receosos que a Blizzard só criou pois ficou preocupada se seu jogo FPS da Disney iria vingar. "Como vamos atrair os jogadores de Battlefield, acostumados a mirar feito pessoas normais?" A resposta era simples: colocaram um soldado genérico com um rifle genérico, deram as mesmas habilidades dos FPSs comuns e pronto! Eis Soldado 76, o único herói ofensivo que vale à pena pegar.

O caso desse personagem foi o oposto dos outros. Enquanto Genji e McCree eram nerfados, Soldado recebia buffs - em dado momento, haviam tantos tanks em cada partida que ele era o único personagem viável que você poderia escolher antes de seu time iniciar uma flamewar sobre como seu pau é pequeno e o quanto sua mãe curtiu ser arrombada ontem pelos membros de sua equipe.

É um Jogo Competitivo e já pegaram a Widowmaker? Não sabe jogar com outro personagem? Jogue de Soldado! Qualquer idiota joga de Soldado!

Claro, isso antes do buff do Bastion...

Estou Dominando o Ponto, Que tal uma... Aughhhh![editar]

  • Habilidades : "Pistola automática de cócegas", "Teleportador irritante", "Invisibilidade que só presta para correr" e "Hack que ninguém nunca usa apesar de ser 'overpower'"
  • Ultimate: Sombra usa seu Ultimate no meio de quatro inimigos e morre, tirando 50 pontos de vida do Roadhog que iria hooká-la.
  • Dificuldade: É uma personagem tão invisível que sequer tem presença de jogo. Deveria ser movida para seção de suportes, e mesmo lá ainda seria pior que a Symmetra.

Ah, Sombra... No momento que a personagem saiu, boatos correram sobre o quão apelão ela seria. Que sua habilidade de hackear pacotes de saúde destruiria o equilíbrio do jogo. Que sua pistola que dispara cócegas mataria até mesmo Roadhogs. Só que... Não.

A Blizzard conseguiu ilustrar muito bem como trollar seus jogadores. A nova personagem metia medo e há quem proferisse que ela seria o contra do Reinhardt - e apesar de sua habilidade de transformar personagens em completos inúteis, Sombra deve praticamente encostar o nariz na fuça de seus inimigos para ter a chance de hackeálos - e mesmo assim, se ela levar um peido que tire 1 ponto de dano... O processo deverá ser recomeçado. Mais. Uma. Vez. E existem vários tipos de Sombras! As que ficam invisíveis e se enfiam no ponto só para dizer que estão fazendo alguma coisa; aquelas que usam seu teleportador para criar glitches nos cenários bugados de Overwatch e aquelas que nunca hackeiam - e que por isso são ainda mais inúteis.

Enquanto todos os outros personagens ofensivos conseguem de fato matar alguma coisa, Sombra se destaca por não conseguir matar porra nenhuma, sendo o Winston dos personagens ofensivos - e tal como Widowmaker, seu ultimate é uma merda, ainda mais quando uma "Sombra DPS" acha que te chance contra quatro Roadhogs com a mão do gancho coçando só pela petulância da tentativa de matá-los.

SANIC RÉDHOG[editar]

  • Habilidades : "pistola dupla de munição mínima e dano ridículo", "blinkar irritantemente" e "voltar no tempo irritantemente"
  • Ultimate: Tracer joga uma granadinha azul do Halo que geralmente erra. Logo após isso, ela é hookada por um Roadhog.
  • Dificuldade: Provavelmente foi o primeiro personagem que você tentou. Provavelmente você trocou para Soldado 76 depois disso.

Tracer, a waifu de todos os punheteiros de Overwatch e ao mesmo tempo, hentai girl dessa porra toda. Usando calça laicra que inevitavelmente atrai olhares indiscretos ao seu "meio", atualmente desenhistas tentam adivinhar se aquilo é uma calça ou uma espécie de calça-camisa, pois o negócio vai além de seu umbigo! De toda forma, provavelmente você conhece o jogo através dela e por isso veio acabar aqui.

Quem joga de Tracer geralmente teve um começo melhor e menos traumático no jogo, pois o processo natural é que os noobs acabem jogando de Genji e, por consequência, acabem destruindo muitas classificações de Competitivo. Se alguém teve um bom começo de Tracer e entenda que ficar blinkando feito um idiota para todos os cantos não o torna um bom jogador, provavelmente esse alguém possa algum dia ser um jogador valioso na equipe. Mas é claro, antes disso você terá que descobrir uma forma para não morrer por acidente contra disparos aleatórios de seus inimigos, afinal, sua vida é um cuzinho e o número de blinks menor ainda.

E existe a polêmica da bunda. O traseiro é o atrativo de Tracer e seus emotes fazem questão de realçar tais atributos. Quando reduziram aquele traseiro ao mesmo tempo feminazis ao redor do globo gargalharam maleficamente triunfantes, conseguindo dobrar uma empresa que era famosa pela sua pornografia élfica e armaduras sutiãs aos seus desejos perversos de tornarem todas as personagens femininas de jogos de videogame em lésbicas. Ora essa, Pharah é lésbica, Tracer é canônicamente lésbica e Zarya praticamente um homem! Qual é o próximo passo? Um jogo nervoso como Battlefield permitir que mulheres possam segurar uma arma?

Habitate natural de Pharah, como se pode ver, ela não permite a entrada de McCree.

Defensores[editar]

Se existe uma verdade constantemente confirmada nesse grande jogo que Overwatch se tornou é que nenhum personagem defensor vale a pena o comentário. Por quê? Dos seis personagens nessa categoria, todos disputam a colocação entre os piores personagens do jogo - nos dois sentidos. Isso mesmo, no sentido de serem apelões ao nível de arruinar completamente a diversão dos outros quanto no sentido de serem ruins mesmo.

Claro que todos sabemos que a colocação de pior personagem do Overwatch pertence à um personagem apenas (e ao seu irmão, por extensão). Mas realmente, se você olhar para os personagens de defesa, todos não passam de um bando de campers imundos e seus jogadores realmente acreditam que seu herói pode solar num ataque!

Prova de que personagens defensivos são horríveis por padrão está no fato que, de todos os trollpicks do Overwatch tem, literalmente TODOS estão classificados como personagens defensivos - estou olhando para vocês, Torbjorn-escoltador-de-carga, Junkrat-que-NUNCA-joga-de-healer-porque-não-sabe-apertar-um-botão, Hanzo-que-usa-ultimate-do-ponto-de-respawn e... Windowmaker. É. Só Windowmaker já basta.

Robô que carrega um pinto[editar]

  • Habilidades : "mini-metralhadora genérica do Soldado 76", "morrer para Pharah ao plantar sentinela", "metralhadora giratória mata-noobs HUE HUE HUE", "autocura irritante" e "emote do passarinho"
  • Ultimate: Bastion vira um tanque com um canhão que arregaça os traseiros do time inimigo, em seguida, se suicida por ter ultado com 2 de vida e o dano de respingo do canhão matá-lo.
  • Dificuldade: Qualquer retardado joga de Bastion. E se você continua jogando de Bastion até hoje, é porque estava jogando contra outros jogadores que, além de retardados, faziam parte do grupo de criancinhas que pedem para nerfá-lo.

Bastion é um exemplo raro de personagem que a Blizzard criou e rapidamente perdeu controle. De forma parecida com Ana, a aparição de Bastion no beta levou a todos xingarem esse projeto falho da Blizzardd num erro irreparável na história da humanidade.

Mas esse erro foi reparado, tirando a única coisa apelona de Bastion (o quinto cavaleiro do apocalipse, seu escudo) e colocando ele, nu e cru exposto aos inimigos, rapidamente tornando-se um personagem útil apenas contra jogadores de nível 10 para menos - e depois, um peso morto.

Por mais incrível que pareça, Bastion mata qualquer coisa muito rápido. Claro, isso depende de diversos fatores como um Genji não estar na sua frente defletindo, uma Tracer não estar arregaçando você por trás, uma Dva, Reinhardt, Mei ou Symmetra erguendo um escudo/barreira ENORME na sua frente, um Roadhog não hooká-lo... Até mesmo a porra de uma Widowmaker é ameaça! Praticamente tudo mata Bastion. Quando ele entra no campo de batalha, você sabe que será um jogo de 5 contra 6.

Contudo, na 4ª temporada competitiva essa realidade mudava, com a Blizzard tendo um acesso de piedade pelos personagens Defensivos e Atacantes estarem crescentemente mais inúteis ao passo que os Tanks sempre se encontram no meta. E aí, eles olham para Bastion com seu fodendo índice de 10% de vitórias em jogos competitivos (e claro, eles olham para aquela coisinha feia chamada Sombra antes de ignorar sua inutilidade) e decidem colocá-lo novamente no rol dos personagens apelões. Removeram sua cabeça (a parte mais merda de ser Bastion), ele se cura enquanto caminha e quando em sentinela recebe tanto dano quanto a quantidade de crimes que o Lula foi condenado pela lava jato. Claro, mas a redução de dano dele criou uma nova geração de jogadores autistas que ainda acreditam que aquela barreira invisível ainda existe de alguma forma.

Tão inútil quanto o Aquaman[editar]

  • Habilidades : "arco e flecha supostamente snipers, mas sem mira à distância", "flecha que revela inimigos à plena vista do resto do time", "flecha dissipadora que 90% dos Hanzos não sabem usar" e "escalar paredes"
  • Ultimate: Escalar paredes Hanzo invoca (geralmente do ponto de respawn) dois dragões brancos de olhos azuis que faz seus oponentes desviarem dele. "Ao menos serviu para dispersá-los"
  • Dificuldade: Se você tem menos de 12 anos e não tem pelos no saco, não o use. Se você tem mais de 12, também não o use. Principalmente em todos os jogos.

Hanzo é uma desculpa dos designers entediados da Blizzard desesperadamente buscando armas diferenciadas aos seus personagens supostamente... Diferenciados. Um arco e flecha naturalmente viria a brotar - e, por que não, também um samurai? Claro, faz todo sentido dar uma espada samurai à um ninja e um arco e flecha para um samurai! Faz mais sentido ainda pôr dragões chineses tatuados no peitoral exposto desse samurai, mesmo ele sendo japonês! Isso nem é racista!

Fora tudo isso, existe uma aura por detrás desse personagem - aquela mesma que cerca McCree e Genji. Da mesma forma que crianças de 8 anos se sentem atraídas em apostar (e perder) dinheiro com CS:GO, estas mesmas crianças sentem a necessidade de jogar como um arqueiro-samurai-do-futuro que faz literalmente nada a não ser usar duas skills que levam 10 segundos para recarga e as quais (graças à incompetência destas mesmas crianças) irão dar 0 de dano. Claro, a flecha dispersora mata rapidamente qualquer noob que se aproximar de você, mas bastar qualquer personagem que não tenha menos de 150 de vida se aproximar e você estará também rapidamente morto.

Hanzo e McCree partilham esse aspecto bosta em seu design. Ambos são lentos pra caralho. Ambos dependem da mira da criança vesga atrás da tela. Ambos tem 15 personagens que funcionam de contra. Atualmente, literalmente TUDO cria escudos - e a previsão é que hajam mais e mais. E justamente, Hanzo (assim como Genjis e McCrees) se tornam ainda mais bostas e inúteis por justamente essa ser suas fraquezas.

  • Junkrat - Um mendigo drogado que lança granadas e armadilhas como uma bixa loca. Em seu especial, ele solta um tatu-bola explosivo. Apesar de sua fama de terrorista islâmico, ele é australiano.
  • Mei - É a personagem mais filha da puta do jogo. Ela é tipo a Elsa do Frozen versão made in China, Desacelera e congela oponentes com um raio de gelo, se envolve dentro de um bloco de gelo sendo curada e sem levar dano; Pode levantar uma muralha de gelo tipo Game of Thrones para te foder e seu especial é lançar uma nevasca congelante. É a personagem preferida dos trolls.
Mei depois de sentar numa rola privada quente.
  • Torbjörn - Parece um Papai Noel Ciborg; Pode construir mini canhões que podem ser aprimorados, no seu especial ele aprimora os canhões muito mais rápido e ganha uma arma dura(ui) extra.
  • Widowmaker - É a líder em punhetas-batidas do jogo; É uma atiradora profissional, tem mira de longe, e consegue subir em lugares grandes ( ͡° ͜ʖ ͡°) que outros heróis não conseguem. Seu especial é compartilhar uma visão infravermelha com os aliados.

Tanques[editar]

São os barra pesada, resistem a muito dano e podem mandar uma galera agrupada direto pra casa do caralho:

  • Nerf this! - Uma garota sul-coreana viciada em Starcraft 2 que fica dentro de um robô, podem atirar sem ter que recarregar, seu especial é usado quando o robô é destruído, podendo chamar outro novo. Ela pode sair do robô para morrer tentar atirar de forma mais precisa. Por ser gamer e nerd gostosa, é a segunda preferida dos punheteiros (perdendo apenas para a Widowmaker).
  • Reinhardt - É um velhote alemão doido de armadura, que usa uma barreira para proteger o grupo, ele também plagiou o martelo do Thor e seu especial é bater com o martelo no chão (grande coisa...), fazendo com que todo mundo caia e leve dano.
  • Roadhog - Um homem-porco que usa uma máscara de gás e parece o Cauê Moura; É capaz de puxar oponentes com um gancho bugado e seu especial é disparar tiros contínuos.
  • Winston - Plágio do Gorila Grodd; Tem uma arma elétrica que alcança múltiplos inimigos. Em seu especial ele fica loco e sai distribuindo pancada como se não houvesse amanhã.
  • Zarya - A mais macho do jogo, é uma versão feminina do Kleber Bambam, só que mais macho; Tem uma arma de partículas, cria escudos que absorvem energia e seu especial cria um campo magnético que atrai e causa dano aos oponentes.
Zarya mostrando como ser um macho alfa

Suportes[editar]

Possuem poderes que ajudam em porra nenhuma todos os aliados, como cura ou velocidade:

  • Ana - Mãe da Pharah, uma sniper velha e caolha que ainda atira melhor do que você. Ela usa um rifle que cura seus aliados se atirar neles ou causa dano nos inimigos, ela tambem pode negar a cura dos inimigos, além de também poder colocar eles para dormir. Seu especial ela injeta um esteróide anabolizante nos seus amigos que deixam eles mais fortes,mais resistentes, mais rápidos e mais loucos por um período de tempo.
  • Lúcio - É o personagem brasileiro, fazendo poderes musicais; Não, não é funk... Usa uma arma sonora e ajuda quem tiver próximo podendo alternar entre velocidade ou cura. Seu especial cria um escudo para ele e seus aliados.
  • Mercy - Uma médica fantasiada de anja, usa um vibrador gigante que solta um raio que cura um aliado, ou dá mais prazer fazendo com que ele cause mais dano, ela tambem pode voar próximo aos seus aliados graças a sua fantasia de anjo, seu especial faz ela ressuscitar seus aliados
    Mercy e seu enorme vibrador.
    que morreram ou perderam a vida(?). Apesar da Mercy ser gostosa, ela tem 37 anos caralho! de idade, ou seja, é uma personagem feita para punheteiros que tem fetiche por MILFs.
  • Symmetra - Uma indiana que cria torretas que solta laser nos inimigos, envolve aliados com barreiras que absorvem dano e em seu especial ela faz sexo portais para aliados. Entretanto, a maioria das pessoas só jogam de Symmetra pela punheta mesmo, pois a maioria mal sabe jogar com ela e ainda dizem que é a personagem mais lixo do jogo.
  • Zenyatta - O herói mais WTF de todos: É uma versão robô do dhalsim que fica em estado de meditação; Ele tem um monte de bolas(huuuum) flutuantes, chamadas orbes; Pode usar uma orbe para curar aliados ou para causar dano ao inimigo. Em seu especial ele entra no estado supremo da retardadice meditação, sem levar dano e curando aliados próximos.
"Ôh mãe, que peste é isso"

Jogabilidade[editar]

Tipos de partida:

  • Objetivo: Atacantes precisam tomar no cu fazer tarefas enquanto defensores os atrapalham.
  • Motoboy: Atacantes precisam levar uma pizza um veículo até o outro lado da arena enquanto os defensores atrapalham (de novo?)
  • Suruba: Ambos grupos tentam ficar o mais tempo possível em uma área limitada, daí rola tiro pra todo lado e o grupo que conseguir se manter melhor vence (dãããh)
  • Motoboy 2: Atacantes precisam buscar o veículo para depois leva-lo pra casa do caralho.

Polêmica da bunda da Tracer[editar]

A polêmica pose de comemoração!... Espere, não foi essa a pose, era só uma mulher de costas... Ainda é um mistério para a humanidade o motivo de tanta polêmica.

Enquanto mulheres estão tendo seu clítoris mutilado no interior de Ruanda, mulheres são mantidas como escravas no interior da Nigéria, mulheres não podem dirigir um carro na Arábia Saudita e mulheres estão sendo estupradas por islâmicos na Europa, integrantes do valoroso movimento feminista decidiram que deveriam militar contra a bunda da Tracer que estava sendo considerada muito indecente nesse joguinho eletrônico para punheteiros chamado Overwatch. Como o assunto mais polêmico da humanidade são os mamilos que são muito polêmicos, a comunidade de virgens gordos punheteiros leitores de hentai sentiram-se extremamente violados com essa reclamação, gerando assim uma grande discussão em torno da bunda da Tracer.

Tudo começou quando a personagem Tracer, numa de suas poses de comemoração, virava de costas e exibia o seu rabo socado num spandex amarelo. Só essa besteira já foi o bastante para revoltar um grande número de mulheres que desejam que todas usem burcas e nunca virem de costas (a pose da Widowmaker nunca foi contestada, porque é uma laien, então foda-se). Os nerds punheteiros por sua vez ficaram morrendo de medo de que os jogos passassem a ser populados por mulheres peludas, pelancudas, mal maquiadas e mal cuidadas, algo extremamente broxante para a biologia natural da estética.

Como toda polêmica, esta não chegou em lugar algum, exceto que a Blizzard removeu a tal pose de comemoração do jogo, deixando muito punheteiro objetificador de mulher frustrado e puto da vida por não poder mais ver direito a bunda digital e virtual de uma personagem de videogame.

PS. Lembre-se de nunca mostrar para estas feministas jogos como Dead or Alive, Metroid, SoulCalibur e Metal Gear.

Todavia, para não ficar queimado para sempre com os seus fãs nerds/punheteiros/virgens/derrotados/moleques/etc, a Blizzard decidiu no Natal de 2016 oficialmente erotizar a Tracer, transformando-a gratuitamente numa lésbica, passando assim a justificar o spandex amarelo que ela curte usar fincado na bunda e todas demais putarias gratuitas que possam desejar usar nela, dando uma nova resposta para o feminismo.


v d e h
Overwatch-logo.png