Página principal

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Bem-vindos à Desciclopédia

A enciclopédia livre de conteúdo que qualquer um pode editar.

61 524 artigos · 204 040 imagens

Ajuda

Embaixada

Perguntas

Políticas

Portal comunitário

Mídia

Chat

Contribuir

Artigo em destaque
Pictograma do esporte.

Extremo revezamento da tocha olímpica também conhecido como extremo revezamento do fogo, revezamento do extintor, protestos contra Dilma Rousseff, manifestações afrente do Planalto, e até mesmo Movimento Libertário do Tibet é uma modalidade olímpica introduzida nos jogos olímpicos do inferno na China em 2008. Esse novo esporte foi inventado pelo governo chinês em uma tentativa de mostrar um gostinho das olimpíadas para os cidadãos, fazendo com que eles também pudessem participar.

O Extremo revezamento da tocha olímpica é uma competição em grupo (ou grupos) que também é chamada de "a maior corrida de obstáculos da história". É uma competição para aumentar a consciência dos participantes sobre a prevenção de desastres e de incêndios, e não tem nada a ver com assuntos atuais ou políticos. Muito pelo contrário, o objetivo desse fuzuê todo é causar caos e desgraça por onde os competidores passam.

Normalmente são duas equipes, a primeira delas chamada de "Equipe de Revezamento" ou "Equipe Intrusa", passará às ruas de vários países carregando o cuspe sagrado de Zeus (o foguinho), enquanto a segunda equipe, chamada de "Equipe da Sabotagem" ou "Equipe da Casa", montará armadilhas, arrastões, jogará estalinhos, fará panelaço e os caralha 4 para poder fazer com que a equipe de revezamento não chegue à linha de chegada, de preferência roubando a tocha e apagando o fogo. Segundo o comitê olímpico, tudo é permitido, desde passar por cima com bicicleta, até atropelar meia dúzia de gente com um tanque de guerra.

Compartilhe: Compartilhe via Facebook Compartilhe via Twitter



Eventos recentes


Neste dia...



Imagem do dia
 
Apresentação
Batata desciclo sem texto.gif
Bem-vindo(a) à Desciclopédia, uma (des)enciclopédia escrita com a colaboração de seus leitores. A Desciclopédia é um site de humor debochado e seu conteúdo não deve ser levado a sério. Todas as nossas regras e políticas convergem para um só princípio: ser engraçado e não apenas idiota. É um princípio amoral, mas que implica numa ética subjacente. Significa que, no âmbito da Desciclopédia, só podem ter procedência as críticas que se refiram à qualidade divertida de um artigo. Não tem, portanto, nenhum sentido tentar defender os méritos morais ou artísticos de algo que você gosta (banda, filme, personalidade, programa, game, etc.) e que tenha sido sacaneado num artigo da Desciclopédia. Essas coisas não interessam nem um honorável pouquinho aqui.


Participação

Todos podem publicar conteúdo on-line desde que não sejam vândalos ou desrespeitem as regras.

Dentre as diversas páginas de ajuda à sua disposição, estão as que explicam como criar um artigo, editar um artigo ou inserir uma imagem. Em caso de dúvidas, não hesite em perguntar e dar sua apnião.


Comunidade
A comunidade vem crescendo dia após dia. Porém precisamos de mais colaboradores para podermos ampliar o número de artigos em língua portuguesa e expandir, melhorar e consolidar os que já existem.


Projetos irmãos

A Desciclopédia existe graças à entidade sem fins lucrativos Fundação Desciclomídia. A Desciclomídia opera vários projetos em diversas línguas, sempre com conteúdo livre: