Padrão Globo de Qualidade

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.
Este artigo aparece na TELEVISÃO!

Cuidado com as mensagens subliminares que estimulam você a comer no McDonalds ou habilitar o novo Office.

ReversalTV.jpg
Típica demonstração do Padrão Globo de Qualidade em termos práticos.

Cquote1.png Você quis dizer: Se der audiência pode tacar que vai durar Cquote2.png
Google sobre Padrão Globo de Qualidade

Padrão Globo de Qualidade (a.k.a. "Tudo que dá IBOPE") é uma filosofia de trabalho de tudo que pertença à Rede Glóbulo, que versa sobre sempre oferecer o melhor para cada um dos telespectadores que ainda assistem essa porra no Brasil e em alguns países aí. Ou seja, como já dissemos umas duas vezes acima: só o que a mente bugada dos brasileiros é capaz de curtir o tempo todo é o que a Globo vai passar. Daí, tendo isso em vista, vamos às opiniões da internet:

Cquote1.png A GLOBO É GOLPISTA! Cquote2.png
Petista sobre Globo

Cquote1.png A GLOBO É COMUNISTA! Cquote2.png
Bolsomínion sobre Globo

Cquote1.png A GLOBO É DO SATÃ! Cquote2.png
Crente mala sobre Globo

Cquote1.png Ah, a Globo só fala verdades, adoro a Nazaré Tedesco! Cquote2.png
Sua mãe sobre Globo

Cquote1.png QUE BUNDA DO CARALHO! Cquote2.png
Você sobre Anitta dançando no Domingão do Faustão

Enfim, essa porra de padrão no fim só me faz pensar "pra que diabos eu tô falando de um canal que eu nem assisto?" É que é divertido ser o Do Contra. Vai ver por isso tanto imbecil igual você fica nas redes sociais xingando até a própria mãe.

Como surgiu?[editar]

A Globo pensa em um dia voltar a ter programa infantil. Dica para apresentadora não falta, e de preferência com esse figurino...

A Globo, como muitos sabem, nasceu de um pacto de Roberto Marinho com o capeta os gringos da Time-Life em 1962, e foi posta ao ar enfim em 1965, já com todo o "saber como deixar oco na mente do povo". Assim, Valter Cracudo, o primeiro diretor-geral da josta, ainda no ano inaugural, criou todos os padrões que praticamente nunca deixaram de ser os mesmos:

Novelas[editar]

As telenovelas seriam o padrão principal da programação da Globo, criando, junto com o Jornal Nacional, o tal de "horário pobre". Diferente da Band que investe em esportes, a RedeTV! em qualquer merda do universo, a TV Tupi em polêmicas, a Manchete em mulher pelada e o SBT em Chaves, a Globo priorizava suas produções hollywoodijacarepaguênces, com novelas de época cheias de erros grosseiros de história, novelas sobre a cultura de algum povo ou país que é mais atrasado que tribo africana nômade, novelas sobre povo das brenhas e que falam um italiano de quinta categoria, novelas sobre um matador maluco, novelas sobre a putaria e corrupção brasileira, novelas popularescas pra caralho, novelas sobre a safadeza geral da humanidade, novelas com caras sarados de peito de fora, novelas feitas por usuários de LSD e principalmente novelas sobre Helenas, porque sem Helenas ninguém assiste as novelas, tem que ter as Helenas sempre. Mesmo que sejam também Heloísas...

Telejornais[editar]

A Rede Glóbulo inaugurou o conceito de telejornais, ao criar o primeiro Jornal Nacional (sim, esse nome é por ele ser o first igual você nos comentários do Orkut Facebook). Através dessa maravilha criada por Amando Suabeira, O Velho que Faz Dublagem da Bíblia e Hilton Gomes, esse logo substituído por Serginho Chapeleta, foi possível levar ao povo todo a assistir sempre as mesmas notícias, mandando as notícias locais pra puta que os pariu, negócio é saber que o resultado no Maracanã do Fla-Flu deu 5x0 pros Molambos...

Tempos após seguiram o processo de lavagem cerebral criando um jornal pra dar Bom Dia Brasil e já chupar a mente de manhã cedo; o Jornal da Globo pros insones não conseguirem mais dormir com as notícias de bombas atômicas explodindo no cu de Judas; o Jornal Ontem, com piadas velhas e âncoras engraçadalhos pra fazer sua mulher assistir achando que é novela; o Fantástico nos domingos mostrando um reino da fantasia; e quando todos achavam que não havia o que mais inventar, surgiu o Hora Um da Notícia, e você que acorda cedíssimo tentando escapar de clicar na Globo se fode novamente com a Monalisa Perrone olhando com seu olhar e sotaque sensual pra você. Isso pra não falar do G1 e seus apresentadores bonitinhos metidos à geeks, e o pior demônio de todos, o Plantão Globo, que traumatizou 20 em cada 1 brasileiros. Perto desses, Amaral Neto, o Repórter virou uma baita bostinha logo ejetado da programação.

Cquote1.png Adoro ligar a TV e assistir a Rede Globo. Lá só passa as notícias que eu gosto de ver: o mundo uma bagunça, mas o Brasil uma maravilha! Cquote2.png
Emílio Garrastazu Médici sobre a censur... digo, as maravilhas do Jornal Nacional mostrando a verdade do país.

Programas de auditório[editar]

Faustão dizendo como considera o Padrão Globo de Qualidade. Pôrra mêu!

A princípio o padrão teve dificuldades para lidar com esse tipo de programação. É que geral que tinha TV anos 60 odiava esse tipo de programação cheio de gente pobre, e aí Chacrinha teve que se trumbicar pra bem longe da emissora. Mas uma pedra no sapato deles ficou: Sílvio Santos, que resistiu até 1977 na antiga TV Paulista (à época já comprada pela Globo), enquanto também trabalhava em mais duas emissoras vendendo seu Baú da Felicidade. A Globo só se livrou dele em 1978, e não sabiam eles que estariam criando o maior inimigo deles (pelo menos até meados dos anos 2000 né, agora o SBT virou a eterna ex-vice de audiência...).

Por fim, vendo que o número de pobres aumentava mesmo no mundo da TV e não adiantava tentar ignorar a importância dos programas de auditório, a Globo recontratou o Velho Guerreiro (que já tava tão velho que morreu rapidinho). Após o Chacrinha bater com as dez, tentaram chamar o Gugu e até ligaram pra ele, que já dominava as noites do SBT, mas o Dono do Baú negou o passe e restou a eles chamar o Faustão, que também dominava as noites, mas era na Band. Daí pra frente a desgraceira de auditório só piorou, com o surgimento de coisas como Altas Horas, Caldeirão do Huck e Esquenta, entre outros. O único senão nesse estilo foi um tal de "Sociedade Anônima", mas deixemos isso pra depois...

Reality Shows[editar]

A emissora foi a pioneira em importar essa porra para o Brasil, com o No Limite. Daí pra frente o país seria inundado por diversos programas importados de quinta categoria com um monte de paus no cu desconhecidos andando pelados de um canto a outro da tela e querendo ver o outro morto e o pior é que você retardado ainda assim ia ligar e perder mais de R$ 2,00 de sua grana (ou bem mais) pra poder votar no paredão do Big Brother Brasil e tirar um randômico em favor de outro tão randômico quanto e quanto você.

Outros programas[editar]

  • Malhação: Inaugurou o gênero "técnicas para tornar os adolescentes em adultos babacões forever". Também gerou um monte de atores e atrizes que sumirão em menos de um ano (ou seja, irão para a Record).
  • Programas de humor: Sempre no gênero "piadas de tio recicladas forevermente". E dá certo, vide o povo que zilhões de anos depois ainda repetem "cala a boca Magda" ou "CUECÃO DE COURO MANÔOOOOOO!", pra não dizer os que ainda falam de "PIPIPIPIPI! Vou lá e PIMBA!"...
  • Desenhos animados e programas infantis: Os desenhos sempre eram escolhidos pela velhice absurda. Claro que quando a Manchete mostrou que ficar assistindo desenho velho dos americanos e outros chupa-bolas do ocidente não tava com nada, o negócio é ver anime, a Globo logo comprou uns, mas só de sacanagem censuravam até os cabelos do rabo do Goku pra não pensarem que era do cu dele. E os programas infantis, quando existiram, sempre primaram por apresentadoras respeitáveis às crianças, que nunca tiveram nenhum escândalo. Mas a um bom tempo desistiram de tudo ao perceber que por incrível que pareça não conseguiam mais conquistar os muleques, seja porque eles andavam se chapando demais, ou por estarem se emburrecendo demais ou pior, destruindo seus neurônios.
  • Futebol: Você quis dizer "Flamengo", ou "Corinthians"?

Ver também[editar]