Paitrocínio

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Paitrocinio)
Ir para: navegação, pesquisa
"Isto é um esboço" tem 13 letras.
"Editar o artigo" também tem 13 letras!
No Wikipedia.png QUEBROU A CARA!

Os espertalhões da Wikipédia NÃO têm um artigo sobre: Paitrocínio.

Cquote1.png Você quis dizer: Latrocinio Cquote2.png
Google sobre Paitrocínio

Paitrocinio é uma atividade do dia-a-dia de países como o Brasil e a República das Bananas que se baseia em geral em dar o espaço para algum protegidinho em detrimento de alguém que realmente possa ter algum talento.

Em geral, esta atividade é feita por gente que tem um grau de maleficidade tão grande quanto o Moderador Malvado, como por exemplo o Seu Patrão, que não teria o menor pudor de proteger um dos seus puxa-sacos.

Como funciona?[editar]

Basicamente, se baseia no fechamento de portas para aqueles que não conhecem a realidade da empresa ou do negócio, se colocando regras praticamente intransponíveis para a contratação de funcionários e para a seleção de pessoal.

Em meio a este ambiente, se facilita a entrada daqueles que apesar de não ter talento para porra nenhuma, tem alguém bem poderoso, como por exemplo o pai do Filhinho de Papai que possa o proteger.

Praticante do Paitrocínio.

Além disso, se colocam regras intrasnponíveis para caso você queira crescer na profissão, com a intenção clara de reservar a vaga para estes tipos, que quando não tem alguém poderoso na família, entram pelo famoso Teste do Sofá, que na base dá no mesmo.

Como podemos ver, é simples assim, como na propaganda da Oi.

Efeitos[editar]

O mais maléfico dos efeitos desta política e exortar os idiotas "injustiçados" como você para se associar a algum sindicato controlado por líderes que querem implantar o comunismo e quem sabe conseguir com isso alguma boquinha com o controle do estado sobre a vida de idiotas gente como você.

Outro efeito é a abertura das portas das empresas para falcatruas e para a criminalidade, coisa em geral muito dificil de resolver, mas que sempre ganha espaço na midia marrom, seja em jornais pseudo-sérios como o Jornal Nacional, seja em áreas apelativas, tais como o Linha Direta e o Brasil Urgente.