Panteísmo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Ateísmo chique Cquote2.png
Google sobre Panteísmo
Cquote1.png Só há uma amor: o amor intelectual Cquote2.png
Baruch Espinoza sobre masturbação panteísta
Cquote1.png Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, em relação ao universo, ainda não tenho certeza absoluta. Cquote2.png
Albert Einstein sobre pessoas que não são panteístas
Cquote1.png A religião do futuro será cósmica e transcenderá um Deus pessoal, evitando os dogmas e a teologia. Cquote2.png
Albert Einstein sobre converter as pessoas ao panteísmo

Panteísmo é uma estranha religião cujo anticristo é Baruch Espinoza e cujo falso profeta é Albert Einstein, segundo a qual crê que Deus(es) não existem(m), mas está(ão) em todo o lugar (peraí, comassim?).

Definição[editar]

Basicamente é a poesia da realidade, quer dizer, já que no começo dos tempos da história humana moderna nossos parentes primitivos inventaram deuses para descrever as potências máximas da realidade, apenas são transferidas, em sentido teórico, essas potências à realidade em si, à Natureza, ao Universo, a Deus (sei lá!). Deus e o Universo são a mesma coisa (ficou mais fácil?!). Enfim, é uma boa se você quer expandir sua mente perturbada sem precisar fumar maconha ou consumir LSD.

História[editar]

O panteísmo foi popularizado na era moderna como uma religião filosófica baseada na obra de Baruch Espinoza, que escreveu uma resposta de Whatsapp histórica ao filósofo René Descartes, dizendo a este que corpo e o espírito eram a mesma coisa, e que no Facebook ele exporia isso de forma mais detalhada num textão que até hoje ninguém leu, embora alguns doutores afirmam ter fingido ler Espinoza.

Pandeísmo e Paneteísmo[editar]

Como a história tem demonstrado que é tão fácil criar uma nova corrente filosófica e como é fácil fundar uma nova igreja evangélica, além do panteísmo que já é uma corrente absurda, há também o pandeísmo (do latim, crença no pandeiro), que é a crença que Deus existia como entidade extrínseca ao Universo e o criou como uma transformação de si mesmo em tudo o que existe; e o paneteísmo (do latim, crença no panetone), pelo qual o Universo é e sempre foi parte de Deus, mas este é mais do que o Universo, ambos tendo existência eterna para o passado e para o futuro e por isso Universo tem que ser escrito com letra maiúscula.