Papahānaumokuākea

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Papahānaumokuākea (havaiano: Papa-léguas que foi comido pelo coiote) é um conjunto de recifes e atóis em algum lugar semi-paradisíaco no Oceano Pacífico que pertence ao Japão aos Estados Unidos. É considerado a maior zona de proteção marítima do mundo, não que os americanos sejam bonzinhos, mas por ser um atol isolado pra caramba para alguém conseguir ir degradar.

História[editar]

A água-viva Homorroidus Scrotus, uma das várias espécies endêmicas do Papahānaumokuākea.

Depois que os americanos conquistaram estes atóis dos japoneses na Segunda Guerra Mundial instalaram lá secretamente armas de destruição em massa para guardar o sarcófago de Cthulhu que lá repousa. James Bond foi quem, esperto, decidiu fazer do local um Monumento Nacional para que ninguém fosse autorizado a bisbilhotar a região. Conforme o Departamento de Peixes, Lulas, Moluscos e Siriguejos, a área total de proteção dispõe de 363.000 km².

"Papahānaumokuākea" é a deusa havaiana da fertilidade. O seu nome foi adotado para as ilhas como uma homenagem ao mapa dos atóis que lembra vagamente a anatomia externa de uma buceta.

Em 2011 foi considerado patrimônio mundial pela UNESCO por nenhum motivo válido, apenas para pagar pau para os Estados Unidos. Por isso, atualmente são permitido nos atóis apenas práticas de pesca esportiva, mergulho e documentários para o National Geographic.

Ecossistema[editar]

O Papahānaumokuākea concentra mais de 7.000 espécies de plânctons, o que torna esta reserva ambiental de importância única e ímpar para o mundo. É também lar de inúmeras espécies marítimas endêmicas como a tartaruga-verde, a tartaruga-cor-de-burro-quando-foge e a foca-Monge-budista-hippie-que-planta-maconha-para-subsistência, lagosta e siri (protegido para não virar hamburguer de siri).

Há ainda as aves que vivem lá, como o albatroz-de-laysan e o condor-do-pacífico. E nenhuma pode ser capturada para virar ceia no Dia de Ação de Graças