Parauapebas

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Tatú peba? Cquote2.png
Google sobre Parauapebas
Cquote1.png É dinheiro ou não ééeh ? Cquote2.png
Sílvio Santos sobre Renda que a Vale paga a Parauapebas
Cquote1.png ÉEEEEEEEEEEEH !! Cquote2.png
Darcy Miojo Lámem ,prefeito de Parauapebas sobre Renda da cidade
Cquote1.png Gostou? Fui eu que fiz! Cquote2.png
Vale sobre Parauapebas
Cquote1.png Parauapebas? Fica no Pará? Cquote2.png
Governador Simão Jatene sobre Parauapebas
Cquote1.png Meu cunhado trabalha na prefeitura. Cquote2.png
99% dos moradores sobre Parauapebas
Cquote1.png A Vale é amiga da Natureza Cquote2.png
99% dos moradores alienados sobre Parauapebas
Cquote1.png Sempre visito quando vou ao CEARÁ Cquote2.png
Carla Perez sobre Parauapebas
Cquote1.png Vou comprar uma daquelas casinhas para o meu cachorro. Cquote2.png
Lucilia Diniz sobre Casas do Núcleo de Carajás
Cquote1.png Na União Soviética, a Vale Explora VOCÊ ! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Vale
Cquote1.png Final de Semana violento na cidade... Cquote2.png
Jornal Local sobre Parauapebas
Cquote1.png Já fui lá... Cquote2.png
Jesus sobre Parauapebas

Parauapebas ou Parauabalas é um município e principal centro econômico do estado do Carajás. É também um enclosure dos Estados Unidos do Sul na região norte e a única cidade com uma qualidade de vida razoável nesses cantos do Brasil, mas só porque tem como comparativos cidades como Marabá e Paragominas, aí é fácil ter qualidade de vida.

É uma das cidades mais sortudas do mundo e está sentada literalmente em cima do ferro. É uma colônia administrada pela Vale, que mais parece uma vitrine dos EUA ou da Europa, por isso vive atraindo milhões de nordestinos pobres otários todos os anos, que pensam que vão viver como os sulistas que migraram para a cidade.

História[editar]

O lamaçal aonde 10 de cada 10 parauapebanos desejam trabalhar.

Com a descoberta de uma vasta reserva de minérios de ferro, ouro e manganês na Serra do Carajá, a então mineradora Vale do Rio Doce recebeu a autorização de ir lá destruir qualquer rastro da natureza para o bem do capitalismo. Surgiu assim um núcleo urbano chamado "Carajás", onde moram aqueles que vieram do sul do país e quem vendeu a alma trabalha para a Vale do Rio Doce. Uns poucos espiões paraenses ainda moram no local. Uma vila perfeita a moldes europeus onde tudo é perfeito e todas as pessoas são felizes. Alguns dizem que lá foi rodada a série Donas de Casa desesperadas (Desperate Housewifes). O Núcleo foi o idealizador e é um dos principais articuladores do movimento separatista que tenta transformar a região no Estado de Carajás para em seguida requisitarem anexação aos Estados Unidos do Sul. A ideia inicial do projeto separatista era de isolar Parauapebas do resto do Antigo Pará. A Serra seria a sede do Governo e o vale de Parauapabas seria coberto por uma redoma de vidro climatizada com ar condicionado para refletir as condições climáticas sub-glaciais dos Estados Unidos do Sul, inserindo a região no estilo de vida do país. Os colonizadores da Serra seriam denominados "alfas" e os maranhenses do vale seriam denominados "betas". A alta cúpula do governo de Carajás decidiu modificar o projeto e incluir Marabá como nova sede do governo, pois assim, os maranhenses iriam migrar para a capital Marabá (por afinal de contas, maranhense adora "migrar" para novas capitais. Vide: Palmas) acabando assim com a criminalidade e vadiagem em Parauapebas. O projeto de extermínio em massa de maranhenses de 2004 (vide: eleição de prefeito PêTista) não deu certo, pois eles se multiplicam mais rápido que a taxa de mortes contabilizada pelo Batalhão de Infantaria da Selva de Parauapebas.

Posteriormente, percebendo que uma mina não funcionaria só com burocratas e executivos, os sulistas donos da mina importaram dúzia de maranhenses para trabalharem como semi-escravos no serviço mais pesado do maquinário e da extração do minério. Fazendo de conta que obedece à lei trabalhista, toda aquela vasta quantidade de miseráveis agora servem de semi-escravos para a mineradora, e obviamente eles jamais seriam tolerados na cidade do Núcleo Carajás, sendo assim criado mais abaixo a maior favela do mundo, a cidade de Parauapebas.

Economia[editar]

A renda per capta é de R$352,60 para maranhenses e US$87.335,00 para demais colonizadores. 110% da economia dessa cidade advém da escravização que a Vale do Rio Doce ali exerce para a extração de ferro.

Parauapebas possui um centro comercial subdesenvolvido e comparável ao de grandes cidades como São Benedito dos Três Pulos, Barra Alta dos Candangos e Carambolaquecetuba. A Rua do Comércio é o principal corredor do comércio local com um total de 3 lojas de eletrodomésticos (inclua peças de fogão) por quarteirão.

A Avenida Sol Poente é outro ponto importante de proliferação de crediário e rivaliza com o mundialmente famoso Mercado Verrupeso em Belém em número de urubus por metro quadrado.

O valor do metro quadrado em bairros como Cidade Nova, União e Beira Rio equipara-se aos valores médios de Manhattan, isso faz com que os pobres maranhenses ingênuos povoem os morros da cidade, tornando-a ainda mais feia.

Política[editar]

Não há políticos em Parauapebas, nem vereadores e nem prefeitos, apenas um monte de gente com rabo preso com a Vale do Rio Doce, que realmente governa a cidade como bem entende.

População[editar]

O Censo Demográfico Brasileiro Sub-Saariano de 2009 apontou a seguinte distribuição de colonizadores de Parauapebas:

  • Paraenses: 7%
  • Mineiros: 1%
  • Paulistas: 1%
  • Cariocas: 1%
  • Gaúchos: 1%
  • Goianos: 2% (porque eles sempre vêm em dupla sertaneja)
  • Gringos: 1%
  • Maranhenses: 83%
  • Outros (baianos, capixabas, potiguares, cearenses, rondonienses, amapaenses, amazonenses, etc): 1%
  • Não sabe / não lembra: 1%

Idioma[editar]

Abaixo algumas palavras do dialeto paraupebano e sua respectiva tradução para o português:

  • Pank - Aquelas meninas que se acham ricas, e insistem em mostrar isso a todos.
  • Fala Corno - Olá Amigo
  • Fala pau no cu - Olá Amigo
  • Fala Zé Buceta - Olá Amigo
  • Fala Viado - Olá Amigo
  • Fala Ruma de Bosta - Olá Amigo
  • Fala Fela da Puta - Olá Amigo
  • I aii fii - Olá Amigo
  • Êê Porra - Olá Amigo
  • Barruar - Atropelar, Passar por cima.
  • Potoca - Mentira. Ex. 'Fulano é só Potoca'
  • Potoqueiro - Mentiroso
  • Is Us - É nóis, geralmente usado na favela de Parauapebas (99,9% da cidade)
  • Pegar decendo - Ir Embora. Ex. 'Eii fii, falow, vô pegar decendo'
  • Pegar a Moleza - Se dar bem em algo, geralmente está relacionado a sexo ou paqueras ex.: 'Moço ontem a fulana tava travada e eu peguei foi a moleza'
  • Travado(a) - Estar embriagado
  • Caixinha de Peixe - Antigamente essa palavra queria dizer que uma pessoa estava fedendo, ex.:' ei moço, passei o dia na rua, tô só a caixinha de peixe', hoje ela já quer dizer mulher fácil, que todo mundo come. ex.: 'fulano deixou fulana por causa de uma caixinha'. * Muagem - (Significado ainda desconhecido)
  • Ruma de Bosta - Monte de Escretos.
  • Paia - O contrário de Legal.
  • Brocado - Com muita fome.
  • Macaco véi - Alguém esperto, ex.: 'eei doido vacila não, fulano é macaco véi, ele vai descobrir'
  • Disdrobrar - Enrolar
  • Gatin da Palmares - Ironia, na verdade quer dizer que a pessoa é feia.
  • Bunitin das Tapioca - Ironia sobre quando alguém quer ser melhor que os outros, pode ser substituído por "só quer ser".
  • Boroca - Mala de Carregar Objetos
  • Pescoço - Alguém curioso
  • Quequeco - Buceta
  • Cu doce - Pessoa fresca
  • Pau de Mel - Homem que se acha gostosão
  • Zé Buceta - Cara fela da puta, prego
  • Caxinha de elite - Meninas que só ficam com caras velhos e ricos.
  • Cego - Pessoa tão bêbada que não lembra de nada.
  • Truar - Beber até acabar

Lazer[editar]

Em Peba (carinhoso apelido da cidade) há festas que agradam gregos e troianos, os pobres e miserpaveis, abastados da sociedades vivem em botecos e bares, lugares estes onde é taxa de mortalidade é comparável a do Afeganistão durante a invasão Soviética. O nível de depravação destas lugares chega aos extremos, capaz de deixar Satanás assustado.

Do outro lado da cidade, as patricinhas, playboysinhos, emos e hackers, tudo bando de metidos que acham muito, usam roupa de marca, como ellus, colcci e coca-cola, ganham motos novas de seus pais só para ir à escola e vagabundar pela cidade e ainda jogar abóboras de Halloween uns nos outros, e consequentemente findarem em um grande numa boate qualquer. Esses lugares são impenetráveis pra pessoas menos desprovidas de dinheiro ou status ou seja só entra quem tem dinheiro, quando tudo isso já perdeu a graça, eles resolvem dizer aos seus pais que resolveram estudar, e se mudam para São Luís, os otários pais iludidos achando que deus ouviu suas preces resolvem deixar, mas não sabem eles que seus filhinhos só foram para 'bater a panka' na capital do Maranhão, ou seja, beber até entrar em coma, se drogar, transar, se prostituir, ou seja virar o bicho longe dos olhos do pai.

v d e h
PROVÍNCIA DO GRÃO PARÁ
Bandeira do Pará.png