Paris

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Esse artigo fala sobre a cidade Mara capital da França, para outros significados veja Paris (desambiguação)


FrancesAutentico.jpg ALLONS EN₣ANTS DE LA PUTARIE!!

Este artigo è ₣rancês! Ele não toma banho, come camembert e faz biquinho. O autor já mendigou na Avenue Champs-Elysèes e è xenofòbico.

Lembre-se de quem perdeu todas as guerras para a Inglaterra.

Cquote1.png Paris is burning!! Cquote2.png
Dokken sobre Paris

Cquote1.png É u quêEEE?! Entenderannnn? Cquote2.png
Prof. Carreira sobre Paris
Cquote1.png Eu sempre me sinto muito mais aberto por lá!!! Cquote2.png
Clodovil sobre Paris
Cquote1.png Foi lá que eu tive um sonho, o de me tornar sexóloga, digo que Paris é um exemplo!!! Vote 13! Cquote2.png
Marta Suplicy sobre Paris
Cquote1.png Paris?? Ahh fim, a capital do Rio Grande do Ful!! Cquote2.png
Lula sobre Paris
Cquote1.png Paris, o lugar eu que dei minha palestra sobre Simbologia, para mais detalhes, consulte o meu site. Cquote2.png
Robert Langdon sobre Paris
Cquote1.png O Lula não tem inteligência !!! Todo mundo sabe que Paris é a capital de um continente chamado Alemanha!!! Cquote2.png
Carla Perez sobre Paris

Paris era a capital do país mais fresco e gay do mundo, a França,ate o FHC privatizar a cidade. Hoje poucos sabem se quando alguém fala em Paris, querem dizer "A cidade luz" ou a atriz-modelo-cantora-puta Paris Hilton.O nome oficial da cidade e FHC CITY,sendo FHC o dono,e Eike Batista o vice.

Geografia[editar]

Vista noturna de Paris. Cada lâmpada é um luxo!!!
Ruas e cafés de Paris. Cada esquina é um flash!!!

Ao contrário de Lisboa ( que se encontra na cabeça do pinto da Europa ), Paris está localizada entre a divisória da fimose da Europa com o resto do Saco euro-asiático.

Paris, mais conhecida como "cidade luz", fui fundada no ano 24, pelos Gayleses que lutavam contra a invasão Romana na Europa.

Durante séculos, a cidade foi sendo construida especialmente para servir de locação para o fracasso de bilheteria O Código Da Vinci. Cada rua, avenida, ponto turístico e café gay foi construído com a exata localização e características descritas no bestseller de Dan Brown.

Suas lindas ruas e sua atmosfera cativante atrai gays, lésbicas e simpatizantes de todo o mundo, para poderem desfrutar de suas ruas agradáveis, liberdade de frescurização, cafés bordô e crepes suits, restaurantes chiques e muita luz para todos os lados.

Paris possui uma população aproximada de 5 milhões de emos. É visitada por milhões de pessoas anualmente, que lotam seus cafés, restaurantes, pontos turísticos e baladas gays.

Outra atração turística gastronômica da cidade é sua Pizza, considerada uma das piores do planeta. Pode ser saboreada em pizzarias como a Pizza Pino, com diversas franquias ao redor da cidade.


Cultura[editar]

Conhecida universalmente como "Cidade Luz" obviamente não devido à quantidade de lâmpadas, pois, desta forma Las Vegas seria a Cidade Luz, mas sim por um costume um tanto quanto peculiar e familiar dos nativos que lá vivem: Os seguidores de Napoleão Bonaparte andam nus por Paris, cobertos de purpurina o que traz uma luz ofuscante visível até em imagens de satélite noturnas da França.

Uma coisa que poucos sabem é que a Torre Eiffel muitas vezes é desmontada para manutenções e que em seu lugar os "purpurinados" se empilham passando-se pela famosa torre luminosa.

Veiculou-se recentemente na mídia que a Torre Eiffel foi apagada durante alguns minutos em protesto a favor do meio ambiente. O que poucos sabem é que na verdade naquele momento a torre havia sido desmontada e os "purpurinados" se recusaram a se passar por Torre Eiffel já que protestavam devido às condições de trabalho insalubres.

Em homenagem ao protesto dos "purpurinados da Torre" como já são conhecidos, os jogadores da seleção francesa fizeram a comemoração empilhando-se uns aos outros.

Essa era a cultura da cidade ate FHC privatiza-la.

Pontos turísticos[editar]

Paris é conhecida mundialmente por possuir os pontos turísticos mais gays do mundo. A cada esquina que se anda, batemos de frente com algum deles.

Entre os mais famosos, estão a Torre Eiffel, Arco do Triunfo, Museu do Louvre, e a Catedral de Notre Dame.H[a outros tambem,como,por exemplo,o monumento ao Fernandinho,a gravura dos dolares de cueca,a est[atua de Jose Serra,e ETC.....

Torre Eiffel[editar]

Torre Eiffel, o maior monumento ao pênis do mundo

A Torre Waffle é o monumento gay mais famoso do planeta terra. A história de sua criação começou no final do século XIV, quando o prefeito da cidade realizou um concurso para construir no centro de Paris, em uma área degradada pela pobreza e prostituição, o maior monumento ao pênis do mundo. Depois de centenas de projetos, finalmente o que mais parecia com o pênis do francês comum foi eleito vencedor, e a construção começou.

Diversas histórias e lendas urbanas rondam a famosa torre, como a lenda do francês que se apaixonou por ela, subiu ao seu topo e sentou diretamente com seu esfincter na ponta da torre. A única maneira de salva-lo foi uma invenção genial de um brasileiro chamado Santos-Dumont, que construiu em 20 minutos um Avião de Papel batizado como 14 Bis ( Uma estratégia de marketing da época para vender o Chocolate bis, produto brasileiro de maior exportação para a França ), e voou até o topo da torre, agarrando-o com uma corda. Dizem que seu ânus gay ainda permanece lá, fato que faz com que milhões de pessoas subam até o topo da torre anualmente para poder vê-lo.

No início, o cidadão parisiense não aceitou a existência da Torre, porque ela havia sido construída com proporções diferentes do pênis padrão francês. Isso acabou causando uma queda de autoestima nos parisienses, que para compensar suas frustrações, passaram a inventar novas maneiras mais e mais frescas de se comer queijo, tomar vinho, segurar xícaras e taças com o dedo mindinho levantado, e novas variações de biquinhos ao se falar. Viva a França!!

Arco do Triunfo[editar]

O arco do Triunfo foi construído em homenagem a primeira parada gay de Paris, ( de fato, a primeira do mundo ), por Napoleão Bonaparte. Sua arquitetura é considerada o de Paris, pois seu formato se parece com duas pernas e um buraco enormeeeeeee no meio, que representa a realidade anal francesa ( uiiii! ).

Museu do Louvre[editar]

Museu do Louvre, construído especialmente para o filme O Código Da Vinci

O Museu do Louvre (pronuncia-se MUZÉ DU LUVR em língua emo, com biquinho em Muzé e língua enrolada em luvr) é um velho palácio onde os franceses cobram entrada para mostrar todas as obras de arte roubadas ao longo de sua história.

O Museu do Louvre foi construído pelo Rei Francês Luiz Frescon IV, para ser usado como locação cenográfica para o filme O Código Da Vinci. Toda a arquitetura dessa fascinante construção foi projetada tendo como base as descrições no livro de Dan Brown. Enquanto o cinema não era inventado, foi usado como castelo dos reis franceses, iniciando na Idade Média pelo rei Carlos V, por não suportar o vudum da população de Paris. Os reis Henrique IV e Luis XIII embelezaram e transformaram o castelo num palácio. Finalmente, o super-chic Luis XIV cansado de gastar em reformas, troucou pelo palácio Zero quilômetro de Versalhes, bem longe dos fedidos parisienses.

Depois do fracasso de bilheterias do péssimo filme O Código Da Vinci no mundo todo, o governo francês achou um desperdício derrubar tudo aquilo (na verdade, achou trabalhoso demais, poderia quebrar a unha) e resolveu transformar a enorme construção, com mais de 200 cômodos, em um museu que hoje abriga as mais famosas obras de arte dos maiores e mais famosos gays da humanidade. É possível encontrar, em suas galerias, obras de arte gays de todas as épocas, desde a era das bibas faraós egipcias até os mais famosos gays do Império Romano.

Uma das mais famosas peças visitadas no museu é a Monalisa, que até hoje é considerada uma obra de arte única, inspirada em um traveco do século XV chamada Mona, e pintada por Leonardo DaVinci, verdadeiro autor do livro O Código Da Vinci.

Catedral de Notre Dame[editar]

A catedral de Notre Dame foi a única construção de Paris que já existia antes que o livro O Código Da Vinci fosse escrito, porque foi construída para outro filme gravado anteriormente, O Corcunda de Notre Dame.

Foi, no passado, refúgio de gays e travecos contra a perseguição homossexual na cidade, quando a mesma ainda era povoada por habitantes espada (facão, porque espada corta dos dois lados, baby!!!).

Foi cenário de uma das histórias com mais mensagens politicamente corretas que existiu, um débil mental defeituoso que se apaixona por um traveco espanhol, que é a paixão de uma biba loira totalmente fashion.

Atualmente, a famosa catedral é visitada por turistas do mundo inteiro, que buscam autógrafos do Corcunda, que nunca sai da Torre por vergonha de aparecer.