Parque Nacional Rapa Nui

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Parque Nacional Rapa Nui é uma reserva ambiental na Ilha de Páscoa, só que mais parece uma reserva cultural pois o parque não abriga 1 árvore sequer, nem mesmo algum arbusto, apenas gramado.

A reserva foi primeiramente habitada por povos oceânicos que se espalharam na Oceania tal qual bactérias, até culminarem na ilha mais ocidental do Oceano Pacífico e morrerem ali.

Atualmente sob domínio chileno, está sendo estudada a possibilidade de criar um aeroporto na reserva, mas as placas tectônicas locais estão levando a ilha para o continente a uma velocidade de 9 milímetros por ano e daqui a 5.100.000 de anos ela vai estar grudada no continente. O governo declarou "Pra que construir um aeroporto, se a ilha vai estar aqui em poucos dias".

O parque se divide em várias seções que são Rano Kau & Orongo, Puna Pau, Rano Raraku, Anakena, Ahu Akivi, Costa Norte e Hanga Roa:

Rano Kau e Orongo[editar]

Belas Artes.

A área vulcânica da ilha, possui uma cratera amedrontadora e difícil acesso. Longe do mar, não é possível escutá-lo, por isso é um grande silêncio.

No local há o chamado Orongo um altar dos sacrifícios para acalmar o deus do fogo e assim ele não devastar a ilha com uma erupção vulcânica.

Puna Pau[editar]

Cquote1.png Experimente também: Pau do Puma Cquote2.png
Sugestão do Google para Parque Nacional Rapa Nui

Uma área curiosa da reserva, aonde todos os moais estão vestindo estranhos chapeus e são chamados de Pukao. Várias teorias procuram responder esse fato. Algumas dizem que foi Leonardo da Vinci fazendo algum código secreto de conspiração, outros acham que ali viveu uma tribo mais original e descolada.

Quando a sociedade Rapanui estava em crise superpopulacional, o alimento acabou, a água acabou e a pobre sociedade teve que recorrer ao canibalismo. Os últimos rapanui viveram em Puna Pau depois de dizimar as outras regiões da ilha.

Rano Raraku[editar]

Aonde se localizam a maioria dos moais, mas muita coisa está incompleta. É a área sem interesse do parque.

Anakena[editar]

Descobertas das escavações arqueológicas.

Área costeira, aonde se localiza a praia. O local foi aonde aportou o holandês Jacob Roggeveen, o descobridor da ilha. Foi também seu cemitério, pois a população nativa achou extremamente fora do comum uma pessoa aparecer ali daquele jeito e mataram o holandês de susto.

Ahu Akivi[editar]

A área principal da reserva. Aonde estão esculpidos em pedra vulcânica de Rano Kau todos os moais que você vê nas fotos da Ilha de Páscoa. A procedência das esculturas é extraterrestre, os arqueólogos tentam em vão descobrir o mistério dos moais usando métodos tradicionais, mas os únicos que avançaram nos estudos foram os adeptos do ocultismo que estão quase resolvendo o mistério dos moais.

Alguns acham que aquelas cabeças foram feitas apenas como forma de combater o tédio, algo muito presente na ilha.

Costa Norte[editar]

Essa área da reserva, hoje uma campina, foi um bosque há 1500 anos atrás. O local foi alvo de intenso desmatamento pelos habitantes da ilha para construírem jangadas e derem o fora dali.

Hanga Roa[editar]

Área de Hanga Roa.

Local aonde o Bispo Valparaíso descobriu a ilha pelos relatos na garrafa de Jacob Roggeveen, junto com Gulliver fundaram o Estado Chileno da Ilha de Páscoa e a Reserva de Rapa Nui.

O local é a área urbana da ilha, aonde chegam os barcos dos turistas. Recentemente a Internet atingiu a ilha e os guias turísticos finalmente conseguiram algo de bom para fazer nos intervalos do trabalho.

Ver também[editar]