Pat Beijo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira rj.jpg Coé, merhmão, eshte arhtchigo eh CARIOCA!

Não vandalize, senão a chapa vai ficarh quentche, cara. Agora deixa eu irh na praia pegarh um bronze nesse sol de 50 graush, comendo unsh bishcoitosh.

Nuvola apps core.png Pat Beijo
Patricia-kiss-pat-beijo-7.jpg
Oi, eu não sou a Barbie, sou uma cópia dela.
Origem Petrópolis Bandeira do Brasil Brasil
Sexo link={{{3}}} Feminino
Ocupação Escritora falida
Profissional
Profissão anterior Apresentadora fracassada
Maior aparição Clube da Criança
Conchavo Nenhum
Maior escândalo Não envelhece
Perfil
Nível de inteligência Baixo, ruim, pobre...
Plásticas Incontáveis
Vícios Fazer plásticas, ora
Emissora atual TV Manchete Nenhuma
Preferências
Livro Nuvola apps bookcase.png Os de sua autoria
Música Emblem-sound.svg.png As que ela mesma cantava
Prato Vazio
Filme Lua de Cristal

Cquote1.png Quem será essa boneca? Será aquela menina que de tão bonita chegou ao Miss Brasil? Não importa que alguma fada invejosa a tenha transformado em boneca. Uma fada boa a trouxe para o Clube da Criança onde irá reinar junto à garotada. Menina-boneca, boneca-menina – chamada Pat! Cquote2.png
Locutor do Clube da Criança sobre Pat Beijo
Cquote1.png Sou a Barbie humana. Cquote2.png
Pat Beijo sobre si mesma
Cquote1.png Bitch, please... Cquote2.png
Valeria Lukyanova sobre comentário acima

Pat Beijo é uma subcelebridade que atualmente prefere ser chamada de Patrícia Kiss, mas como a Desciclopédia não respeita as vontades alheias, este artigo irá tratá-la pelo antigo nome.

Origem[editar]

Porra, essa mulher não envelhece não?

Nascida em 13 de outubro de 1979 e batizada com o gigantesco nome Patrícia Macedo Nogueira de Oliveira Yalcin Kiss, por questões de necessidade econômica já foi apelidada logo na infância de Pat.

Seu pai era bacharel em direito e delegado policial na cidade de Petrópolis, e sempre foi um homem extremamente rico e muito disputado entre as patricinhas locais, que brigavam entre si para ver quem seria a sortuda que conseguiria aplicar-lhe o golpe do baú. Ele poderia tranquilamente escolher qualquer mulher que desejasse, mas cometeu a enorme burrada de emprenhar uma prostituta após uma longa noite de bebedeira com seus amigos.

Sim, a criança recém-gerada era a própria Pat, e como o dotô adevogado tinha uma séria reputação a zelar, ofereceu uma quantidade cavalar de dinheiro para a profissional do séquiço que emprenhou, uma quantia infinitamente maior do que o valor que a mesma cobrava por seus programas, em troca de seu silêncio. Porém, a dita cuja podia ser puta, mas não era burra, e disse que só manteria o bico fechado sobre as aventuras sexuais do então cliente caso ele topasse se casar com ela, na igreja e tudo. Ele acabou aceitando, e assim ambos viraram oficialmente um casal infeliz.

Carreira[editar]

Desde a época da escola, Pat já era considerada uma piranha muito gostosa, talvez por ter herdado os talentos sensuais de sua mãe. Por sugestão de seus professores e colegas de classe, tudo um bando de tarados que sonhavam em vê-la de biquíni, ela decidiu abandonar os estudos e passar a investir na carreira de modelo.

Na adolescência, participou de incontáveis concursos de beleza, sendo vencedora de grande parte deles. Com isso, começaram a surgir vários convites para ser capa de revistas, e logo a jovem Pat ficou conhecida não somente em Petrópolis, mas no Rio de Janeiro inteiro. Sua beleza chamou atenção dos empresários da extinta Rede Manchete, famosa emissora carioca que estava à procura de uma substituta para apresentar o Clube da Criança, já que a antecessora Angélica havia zarpado para o SBT e a atriz Mylla Christie estava tapando buraco temporariamente em seu lugar. Por ter uma certa semelhança física com a atual esposa do Luciano Huck, Pat foi rapidamente contratada para preencher a vaga, que ocupou por três anos.

Sucesso[editar]

Pat Beijo em seus tempos áureos, com penteado copiado da Xuxa e microfone roubado do Chapolin.

Pat começou a apresentar o Clube da Criança quando tinha 14 anos, sendo então uma bela ninfetinha em ascensão. Como toda apresentadora infantil dos anos 90, foi "promovida" a cantora e gravou um disco infantil horroroso que levava o mesmo nome do programa que apresentava, embora não tivesse nenhuma música que tocasse no mesmo. Também lançou uma versão boneca de si mesma, com a qual não se parecia em porra nenhuma.

A carreira de Pat parecia ir muito bem, até que a Manchete começou a exibir Os Cavaleiros do Zodíaco em seu programa. Com isso, a audiência do Clube da Criança chegava às alturas quando passava o anime, superando até mesmo a grande rival Globo, mas quando terminava e voltava a mostrar as brincadeiras idiotas entre Pat e sua plateia infantil tosca, sem contar as apresentações musicais horrorosas, os índices do ibope caíam feio. Assim, chegou-se finalmente à conclusão de que os telespectadores estavam cagando e andando para a apresentadora, querendo ver mesmo era os desenhos do programa.

Às vésperas de completar 18 anos, Pat foi demitida da Manchete, com a desculpa esfarrapada de que já estava velha demais para apresentar o Clube da Criança e precisava ser substituída por outra ninfeta menor de idade. A verdade é que, quanto mais consolidada estivesse na emissora, mais chances ela teria de pedir um aumento de salário, e a Manchete já dava seus primeiros sinais de falência. Assim, para conter gastos, o canal foi demitindo pouco a pouco todos os seus contratados que podiam ser substituídos por gente que cobrasse mais barato.

Após ser demitida da Manchete, Pat entrou em depressão e nunca mais conseguiu ser contratada como apresentadora, até porque as outras emissoras já tinham suas respectivas musas nos programas infantis. A fim de fugir da tristeza, roubou uma grana de seus próprios pais, que nem perceberam, pois eram milionários mesmo, e foi morar no exterior, onde exilou-se para meditar nas montanhas.

Atualmente[editar]

Hoje em dia, Pat continua muito gostosa, graças às trocentas plásticas que faz regularmente. Já foi casada quatro vezes e é mãe de duas filhas, ou seja, virou uma perfeita MILF.

Já morou na Itália, Etiópia, Suíça, Estados Unidos e sabe-se lá onde mais, até que tomou vergonha na cara e decidiu voltar para o Brasil. Em seu retorno, afirmou em entrevistas que adoraria voltar à televisão e apresentar programas voltados ao público feminino adulto, mas como ninguém deu bola, restou a ela criar um canal independente no YouTube e postar seus próprios vídeos com tutoriais de maquiagem e outras frescuras.

Pat também é escritora atualmente, sendo autora de livros de autoajuda para mulheres barangas e encalhadas que não conseguem arrumar homem.

Galeria[editar]

Ver também[editar]