Patricia Krenwinkel

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
8175c6428facfcc9422ae7ed5ac47339--adult-cartoons-sexy-cartoons.jpg Este artigo trata de uma mulher malvada.

Ela deixa qualquer um babando, faz o que bem entender e provavelmente
é mais gostosa e adorada que a mocinha.


Placa70.png

Este artigo discute coisas intrínsecas aos Anos 70's!
Se você pertenceu àquela época, vê SE TENTA fazer alguma coisa útil, seu velho!

Patricia Krenwinkel
}Patricia Krenwinkel drink.JPG
Nascimento 03 de dezembro de 1947
Los Angeles, Califórnia , Estados Unidos
Organização Família


Patricia Krenwinkel Dianne (nascido em 03 de dezembro de 1947) conhecida por vários apelidos, como "Big Patty", "Yellow" e "Mary Ann Scott" e "fuckn bich" mas para a família era mais conhecida como "Katie".

A menina com muitos pelos[editar]

Krenwinkel nasceu em Los Angeles Califórnia ,seu pai, um vendedor de seguros e uma mãe dona de casa. Ela frequentou a Universidade Westchester High School, tanto na área de Los Angeles onde era frequentemente estuprada e por isso sofria de buceta assada e era freqüentemente provocado por excesso estúpros e que causava um crescimento excessivo de pêlos na buceta e no cú formando dreads rastafaris na sua vagina. Depois que seus pais se divorciaram, Krenwinkel 17 anos de idade permaneceu em Los Angeles com seu pai até que ela se formou. Por um tempo ela ensinava catecismo e considerou tornar-se freira. Ela decidiu participar do american idol filme sexta feira treze, ela desistiu e voltou para L.A.

Primeiros anos de "A Família"[editar]

Ela conheceu Charles Manson, em Manhattan Beach, Califórnia em 1967, juntamente com Lynette Fromme e Mary Brunnere se tornaram as "Charlie's Girls". Em entrevistas posteriores, Krenwinkel afirmou que ela tinha dormido com Manson na primeira noite eles se encontraram, e que ele foi a primeira pessoa que disse que ela era bonita. Hipnotizada pelo carisma Manson e sedentos de atenção, ela decidiu ir para San Francisco e a Família Manson cresceu, Katie (como Krenwinkel ficou conhecida na Família) embarcou na grande turnê de sexo, drogas e sexo com drogas e sexo por 18 meses do norte ao sul oeste americano em um velho ônibus escolar preto. Ela viria a narrar uma versão idealizada dos primeiros dias da Família: Como uma ninfa sedenta por sexo em um bosque arvores orgásticas.

O encontro com Dennis Wilson e os Beach Boys[editar]

No verão de 1968, Krenwinkel e a membra da família do companheiro, Ella Bailey, estava de carona em Los Angeles, quando membro fundador e baterista dos Beach Boys Dennis Wilson, apanhou-as. Krenwinkel e Bailey foram capazes de manter contato com A Família e quando Wilson voltou mais tarde naquela noite, ele encontrou Manson e toda a Família dormindo em seus quartos e festa dentro e fora de sua casa e foi contagiado com a algazarra que durou meses de muito orégano, cogumelos e garotas nudistas. Após o movimento hippie acalmou em 1969, Patricia Krenwinkel e a família decidiram viver em isolamento do resto da sociedade. Eles convenceram o cego e idoso George Spahn que lhes permita viver em sua propriedade, e convergiram em Rancho Spahn. Krenwinkel agia como uma figura materna para a família de vários filhos ilegítimos e bebês e sempre foi intensa e dedicada seguidora de Charles Manson.


Prisão[editar]

A sentença de morte imposta a Krenwinkel (assim como Manson, Watson, Atkins e Van Houten) foi automaticamente comutada para prisão perpétua por venda de Lsd e Plantação de orégano..