Paulete Lebrezinha

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Vadergay.jpg Este artigo pode levar-te para o lado rosa da Força!

E adora Brokeback Mountain.

Não o leia, exceto se você for macho, mulher ou está pintando as unhas de glitter.

Paulete no início da manifestação.

Paulete Lebrezinha é quando o Paulo Coelho, aquela garrafeira sem vergonha entra em seu outro eu, devido às noias provocadas por excesso de bebida (se beber não leia, só leia se estiver bêbado), nessas fases ele gosta mais de escrivinhar sorre o lado mulher que existe nele bem expresso, mas nem tenho a intenção de transformar isso em ofensas sobre a masculinidade de Paulo Coelho, nada disso, é apenas uma forma de homenagem ao seu lado mulher.

E que aconteceu..?[editar]

Paulo Coelho não predende ser do lado rosa, nunca pretender isso, mas ele ao se encontrar com seu outro eu em uma das sessões de macumba (ou bruxaria, ou feitiço, como quiser), ele descobriu que seu outro eu era uma mulher e muito fogosa, vadia e desbocada, de modo que se surpreendeu, mas descobriu porque ele tem aquela falinha mole e aquele olharzinho kawai (kawai do avesso, mas kawai). Algumas de suas reações era dançar erguendo os saiotes, mas como não estava de saiote, ele tirava as carça e começava a dançar coisas, do tipo kuduru, você, você, você quer..?, créu velocidade cinco e outras dessas.

Lebrezinha correndo atrás de um bofe.

Para impedir que Paulete Lebrezinha, nome que Paulo disse ter ao estar naquela situação, saísse fazendo coisas mais graves por aí, o fecharam em um barril, aqueles seus mestres e fizeram sair rolando para só no outro dia o encontrarem e soltarem desmaiado, mas com vida e livre de seu outro eu, que alguns deles desconfiaram que fosse o verdadeiro.

Ele apenas se laamentou, mas conversou com os demais garrafeiros sobre o que fazer, já que eles disseram que agora que Paulo havia encontrado aquela forma ela poderia voltar a qualquer momento. Então a forma que ele descobriu para liberar aquela magia toda, ele deveria então, se concentrar em uma só atividade. Ele pensou por meses, com ajuda de seu mestre garrafeiro em como iria resolver aquilo. Foram assim que nasceram seus panfletos livros, e pode notar ao tentar ler qualquer um deles, que todos são de uma ótica toda feminina, sem é claro, querer ofender as mulheres, digamos que é uma ótica feminina em seus piores dias, como quando briga com a mãe, com o namorado, com o pai, com a tia, prima e sei lá mais quem, sem esquecer a tpm.

Na margem do rio Paulete Lebrezinha senta e chora[editar]

Indo saltitante até a margem do rio Piedra, sentar.

Na Margem do rio Piedra, Paulete Lebrezinha sente e chora, isso porque é um dos locais favoritos em que Paulete baixa ou se manifesta, melhor se manifesta porque Paulete não é download. Seu local preferido para escrivinhar bobagens, e também o nome de um de seus piores livros, veja, o pior deles é fácil saber, mas o melhor, ô coisinha difícil até porque melhor é uma palavra muito difícil nesse caso.

Bom, Paulete não pe totalmente inútil, além de servir para Paulo Coelho ter uma aposentadoria mais do que tranquila, porque a literatura ruim é bem apreciada por muitos, ela também deixou algo que alguns podem mesmo aproveitar... Calma, não é sua porção pomba-gira, porque essa é apenas de Paulo Coleho e ele não deixa que ninguém surrupie, pois adora, quando Paulete não está lhe osprando as obras ao ouvido, sair por aí batendo as tamancas.

A referência era à alguns dos livros, se você for um católico (ou evangélico, se não tiver um ataque ao ouvir nome de santos e da Virgem) daqueles católicos bem chatos mesmo, poderá apreciar O Diário de um Mago, que apesar do nome é religião pura. E se gosta de ler a bíblia (tem mal gosto para tudo), pode gostar um pouco de O Monte Cinco. Mas se quer bruxaria e literatura meia-boca, leia Harry Potter que até isso é melhor.

Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Paulete Lebrezinha no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg