Paulo Guina

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Descitacoeslogo2.png
O Descitações possui citações de/sobre Paulo Guina.
Desentrevistasminibox.PNG
O Desentrevistas
possui uma entrevista com
Paulo Guina
Paulo Guina
Paulo Guina.png
Cquote1.png Vou deixar um oco nesse rabo Cquote2.png
Nacionalidade Bandeira do Brasil Brasil
Ocupação
  • Pedreiro
  • Professor
  • Encanador
  • Filósofo
  • Ator
  • Deixador de Ocos
  • Amigão para todas as horas
  • Pescador
  • Limpador de Piscinas
  • Presidiário
  • Caçador de ursos grandes, peludos e mansos
  • Personagem de jogo
  • Transformador de homis em vagabundas
  • Signo Virgem, assim como Jailson Mendes
    Olhos Pretos, pois esta cor é uma boa condutora do Olhar 43 de Guina
    Cabelo Só no cu cabeludinho de macho
    Filho(s) James Matarazzo, o filho de família, fruto de seu relacionamento relâmpago com Jailson Mendes
    Influências
  • Erick Munhoz
  • Rogéria
  • Nanny People
  • Nível de inteligência Alto , é necessário uma esperteza e malandragem acima da média para conseguir capturar e domar tantos ursos grandes, peludos e mansos
    Vícios Deixar ocos em rabos alheios

    Cquote1.png AAAAAI, QUE DELÍCIA DE ATOR, CARA! Cquote2.png
    Pai de Família

    Paulo Guina é um renomado filósofo, ator, professor, pedreiro, pescador, limpador de piscinas, trocador de mangueiras, caçador de ursos grandes, peludos e mansos e deixador de ocos e personagem do jogo brasileiro, assim como o Careca da Brazzers ele é um profissioconal multifuncional, com mais de vinte e quatro especializações em seu curriculum ocae.

    Ganhou fama nacional e internacional ao filmar e jogar na Deep Web o momento em que deixa um oco no delicioso Jailson Mendes, mais conhecido pelos nomes de guerra "Pai de Família" e "Delícia".

    História[editar]

    Na infância, Paulo Guina deixava o oco no dono da mercearia, no taxista, no cobrador de ônibus e no padre da paróquia, isso mesmo, ele molestava até o padre. Por conta disso, lendas urbanas relatam que Paulo Guina foi o primeiro macho virgem a, verdadeiramente, perder a virgindade antes do próprio pai (o paradoxo dos gêmeos do espaço-oco).

    Ainda na infância, Guina deixou um oco no leão, na feiticeira e no guarda-roupa. Desde então, o leão mudou de signo e virou virgem (assim como Jailson Mendes), a feiticeira perdeu seus poderes e virou entregadora de peças na oficina do Kauan e o guarda-roupa teve um filho, Mário do Armário, que não sai de trás do armário mas pelo menos não fica dentro do armário.

    Na adolescência, começou a "ocar" (esta palavra foi inventada por ele, uma redução de "socar" e que agora soa com mais ênfase e vigor) ursos grandes e peludos, e a fazer um trabalho grande e gostoso nos mesmos. Quando completou 18 anos, Guina resolveu enviar seu curriculum ocae para a Ícaro Studios, e após contratado, passou a aparecer em vários vídeos de pornô coletivo (vários homens e uma mulher) onde aperfeiçoou a sua arte de deixar ocos.

    Após sua fase de gangbangs, Guina realizou uma quantidade considerável de trabalhos em produções de pornô shemale, da qual se destaca sua atuação com Danielle Evangelista, uma shemale cujo oco rivaliza com o de sir Jailson Mendes, mas que Paulo conseguiu domar com sua firmeza e destreza.

    Alguns meses após começar sua jornada espiritual na Ícaro Studios, o reino das delícias, Paulo conheceu Jailson Mendes, apelidado carinhosamente de "Jajá", o macho de sua vida. Com o Mestre das Delícias, Paulo conheceu o suco de laranja e aprendeu como trabalhar o cacete de uma maneira deliciosa, de uma maneira que apenas machos virgens fazem. Desde então, eles travam diversas batalhas, para obter, com precisão, o ponto G do Pai de Família (ponto de gravidade, onde Jailson não caia mais de onde ele esteja sendo enrabado, última vez ele caiu da mesa de mármore) que a Carla Perez insiste em dizer, ficar no "G" do nome do Jailson.

    Momento em que Paudo Guina dialoga com Jailson Mendes, imagem vencedora do Ocolitzer de 2017 (Foto: National Geographic).

    No ano de 2017, Paulo Guina se candidatará para prefeito, participando do mesmo partido de Jailson Mendes, o "PDD" (Partido da Delícia), por isso, não seja vacilão, para prefeito vote Paulão, O Guina - 696924, o candidato do povão. Porque se tiver algum macho virgem votando errado, ele come já!

    Fama[editar]

    Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Ursos Grandes, Peludos e Mansos

    Dia desses, Jailson Mendes estava a toa, aproveitando uma manhã ensolarada, sentado no terraço tomando um suco de laranja para relaxar antes de ir para seu trabalho estressante que não é uma delícia, cara. Percebendo que Jailson estava precisando desestressar, Guina, na maior boa vontade e benga, aparece do nada, já pelado, derrubando tudo na cozinha e pede gentilmente que o Pai de Família trabalhe em seu cacete, mas no primeiro momento, foi rejeitado com um sonoro "Não, cara!". Apesar de estressado, Jajá é um empregado exemplar, que primeiro trabalha, depois ele brinca, né?

    Mas Guina é brasileiro e não desiste nunca. Após várias tentativas, nosso herói finalmente ganhou uma pegadinha, uma chupadinha de Jailson, que não resistiu as investidas de Guina, vai. Então, após muita chupação e piroca no rosto, no cara, Guina finalmente realizou a cena que lhe rendeu um Oscar como "Melhor Ator Delicioso". Ele deixou um oco no brioco de Jailson, que exclamou para toda a vizinhança ouvir e depois tirar sarro dele como ele estava achando tudo aquilo delicioso.

    Percebendo que essas cenas pornográficas gay poderiam lhe render alguns trocados, Guina postou tudo isso no XVideos, utilizando o nick de "Delícia". Normalmente, o vídeo seria ignorado pela maior parte da população, e visto apenas por sujeitos como aquele aluno que o próprio Guina come em outro de seus filmes (esta produção será mencionada posteriormente). Porém, mas, entretanto, todavia, um anão viado moderador do finado BRchan acabou encontrando essa delícia, e postou lá em seu site. E o resto da história todo mundo já sabe...

    Deixando um reboco na loirinha[editar]

    Aquele crossover especial de fim de ano que irá substituir o show do Roberto Carlos em 2017, que só os machos virgens irão assistir.

    Apesar de ganhar fama, Guina não ganhou dinheiro, pois as produtoras pornográficas do Brasil que produzem filmes gay insistem em contratar para suas produções apenas atores com nome de viado, como Rafael Carioca, Ygor Pikachu, Jailson Mendes, Paulo Mangueira, Tião Bazuca e desastres do gênero. Pessoas com nome de macho virgem como Guina não conseguem destacar-se no mercado.

    Precisando de uma graninha para continuar deixando ocos nos travecos da Avenida Paulista, seu hobby, Guina arrumou um bico como pedreiro, onde começou a trabalhar em parceria com o grande (por favor, sem duplo ou triplo sentido) Kid Bengala. Certo dia, enquanto andavam pelo meio do mato (não me pergunte o que esses dois estavam fazendo no mato), esses parças viram em uma casa uma placa de "Contrata-se Pedreiros" (ou algo assim, sei lá como era a frase exata).

    Ao avistarem esta oportunidade de trabalho, Guina e Kid não pensaram duas vezes, foram ver quando podiam começar a trabalhar e relaxar[1]. Porém, a dona da casa era uma loirinha, não tão gata quanto o Jailson, mas que dava para o gasto. Quando a viram, Guina e Kid não pensaram duas vezes, pegaram-na e deixaram um oco, transformando esta mulher em uma lenda viva, por ter aguentado essas duas criaturas ao mesmo tempo.

    De acordo com as boas e más línguas que chupam um cu e pá, na verdade quem protagonizou este filme foi Jailson Mendes, porém ele foi substituído digitalmente pela loirinha com cu largo pra porra. A imagem ao lado é utilizada em sites de conspiração para reforçar esta teoria.

    Professor Pac-Man[editar]

    Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Escolinha do Professor Guina
    Quero ver a galera do fundão zoar tendo esse professor aqui.

    Não satisfeito em ganhar pouco como pedreiro, Guina foi ganhar pouco como professor. Formado pela Universidade de Manutenção em Caralhos, Hidráulises e Ocos (UNIMACHO), Guina arranjou emprego facilmente, pois o seu método de ensino revolucionário (que escreveu como TCC, em educação) prometia mudar completamente os métodos atuais de ensino superior, transformando (não em transformistas!) o sistema em algo realmente eficaz.

    A didática proposta por Guina é bastante simples, mas funcional: Se algum aluno deixar de corresponder ao esperado em sala de aula, não resolvendo os exercícios, questionando o professor ou de algum modo impedindo ou prejudicando o bom funcionamento e ensino no grupo, ele é comido já. Tal método de educação é extremamente satisfatório, e recebeu recentemente a aprovação do MEC, por ter sido o único a conseguir calar a Turma do Fundão, transformando-na em uma espécie de Associação Cristã de Moços.

    O único problema presente neste método de ensino revolucionário são os boiolinhas afeminados, que antes estudiosos, ao conhecerem a mecânica do método de Guina começam a aprontar de maneira explícita. Mas logicamente, isso é discutido em horário a parte com Guina e o aluno, que precisa de orientação e um "puxão de orelha".

    Após Guina, em seu primeiro dia como professor de uma escola pública no meio do mato, declarar o pequeno trecho "E se tiver aluno fazendo coisa errada, a gente come já", tudo mudou. A galera da Turma do Fundão não abriu mais a boca, com medo de ter que abrir o boco. A única exceção foi um viadinho, que ficou vendo revista de homem pelado propositadamente atrás da escola só para conhecer mais profundamente o professor Guina, em uma aula de filosofia ou 'introdução' ao ensino superior.

    O grande amigo[editar]

    Guina, muito sentimental, emociona-se ao reencontrar-se com seu velho amigo.

    Engana-se quem pensa que Guina, por ser um dos mais carismáticos e deliciosos atores do cenário pornô do século XXI, apenas pensa em socar no rabo de pais de família e alunos que fazem coisa errada. Na verdade, Guina também possui sentimentos, estes que foram demonstrados na mega produção Steven Spielberiana que ninguém viu denominada "O Grande Amigo", na qual Guina reencontra-se com um urso que conheceu em sua adolescência turbulenta.

    Seu grandessíssimo amigo, já estava a alimentar as rolas com o grão na praça, quando de repente avista Guina e resolvem conversar sobre o tempo que não mais se viram desde a adolescência. Então, Guina leva seu amigão para sua casa para poderem matar a saudade depois de anos sem sentirem-se coisas boas (ou não) que ficam dentro da gente e nunca se vão. Guina parece não se lembrar da casa de seu amigo, onde muita coisa aconteceu. Papo vem, papo vai, sapato que tira, calça que cai e Guina que nunca deixa de estar na ativa, está mais uma vez socando no cu de um safado. Os diálogos dos amigos são comoventes, são coisas que enchem o toba espírito de coisas que não podem ser esquecidas.

    Cquote1.png Tá gostoso minha pica no seu rabo? Cquote2.png
    Um ótima frase para iniciar o dia com o melhor amigo.

    Após palavras amistosas de Guina ao seu best friend, o mesmo termina ocado e transformado em mais um urso safado, mostrando que uma boa amizade realmente sempre termina com um pau dentro do cu.

    Trocando Mangueiras[editar]

    Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: O Problema na Mangueira
    Mangueira Boy, o cara que não tira o boné nem pra dar o cu, sugere que Paulo Guina verifique a mangueira.

    Após muitos anos de prática como um solícito professor de ensino médio, com seu sistema educativo já consolidado, e o salário não dando nem pra pagar as camisinhas para as aulas particulares, ele se demite e consegue emprego como bombeiro, por ser um inveterado profissional em utilizar mangueiras em bicos que fazia para complementar a renda. Numa manhã ensolarada de outubro de dois mil e lá vai prego, Paulo Guina recebe um estranho telefonema de emergência, no qual o filho de um de seus velhos amigos (mas não aquele "velho amigo") relata um certo problema na mangueira, do fogão é claro. Como bem treinado e preparado para situações envolvendo estes problemas hidráulicos (na "hidráulise"), dirige-se de já para casa do moço em apuros. O moço estava só em casa pois sua mãe provavelmente saíra para fazer programas, digo compras, e seu pai a caçar ursos na floresta.

    Chegando na residência há muito abandonada cujas baratas tomavam conta dos móveis, o garoto sugere que o problema está localizado na "parte di trás". Guina percebe então que o problema era só na mangueira, quando o garoto passa a assediá-lo dando indiretas sobre um papo de necessidade de engrossar a mangueira pra ela não sair mais do buraco onde deveria estar.

    Guina como excelente professor especializado em "oratória", sacou já a metáfora e resolveu mostrar a mangueira extra que carregava consigo para casos de emergências, o que o acabou levando a necessidade de ficar nu (e por isso mais a vontade) e explicar ao pobre garoto o que dava para fazer com "um mangueirão" (BOY, Mangueira, 2000 e lá vai pregas, digo prego, ep 1 de 1).

    As coisas tornaram-se sérias quando por impulsos internos o boy resolve experimentar o objeto pondo-o em sua boca e fazendo movimentos horizontais com a cabeça até a mangueira ficar com uma forma singular, o que o deixou ainda mais esperançoso de vê-la em outros lugares... O serviço termina então com o Sr. Guina dando-lhe o cartão com seu telefone para algumas eventuais probleminhas na mangueira o garoto lhe telefonar.

    Após o término da análise de mangueiras, o garoto, que mais tarde viria a ser conhecido como "Mangueira Boy", entra definitivamente na lista de ursos deliciosos, e passa a ser a presa primária dos caçadores que fazem parte da "Ordem Nacional dos Caçadores de Ocos". A partir daí, foi capturado e domado diversas vezes.

    Além disso, a interação deliciosa entre Paulo Guina e Mangueira Boy deixou uma lição de vida valiosa para os machos virgens que aquilo assistiram: Tem gente que não tira o boné nem pra dar o cu.

    Indo em cana e metendo cana[editar]

    Guina negociando os lucros com o másculo Policial Gaúcho.

    Em uma de suas rotineiras caçadas aos ursos grandes, peludos e mansos, Paulo Guina acaba sendo preso, pois as criaturas peludas e deliciosas, por estarem entrando em extinção, estavam sendo protegidas pelo IBAMA, e as suas capturas com o único propósito de deixar ocos estava terminantemente proibida pelas autoridades.

    Na cadeia, Paulo Guina adaptou-se rapidamente, pois os seus colegas de xadrez eram machos virgens, tão machos que não deixam de ser machos nem quando estão chupando outro macho. Enfim, em um determinado dia perdido no espaço-tempo, enquanto os presidiários trabalhavam na organização do pavilhão, que consistia em um arrumar e o outro ir e desarrumar o que o primeiro fez, Paulo Guina, ao perceber que um dos boiolinhas machos estava de olho em sua mangueira, vai para uma sala vazia, e é prontamente seguido pelo seu admirador nada secreto.

    Após alguns poucos minutos de delícias ilimitadas, os dois meliantes são flagrados por um terceiro elemento, que declara em alto e bom tom que "enquanto todos estavam trabalhando, Guina e o seu admirador estavam gozando". Isso gerou uma pequena confusão entre os machos virgens presentes, que naturalmente acabaria se tornando uma orgia muito máscula, se o alarme cujo barulho se assemelha a um cachorro chorando não tivesse soado, alertando o competente Policial Gaúcho de que estavam acontecendo problemas no pavilhão.

    Ao chegar lá e perceber do que se tratava realmente a confusão, confusão, o policial gaúcho percebe que poderia lucrar alguns trocados com um sórdido esquema de prostituição homossexual, fazendo de Guina um de seus agentes comedores de machos virgens. Após negociar a noite inteira com Guina, e de descobrir com quantos paus se faz uma delícia, o policial gaúcho resolve inserir Guina em seus planos, assim como o inseriu em seu orifício anal agora ocado. Mas antes disso, o policial pergunta para seu mais novo parceiro quantos machos ele aguenta por noite, e é respondido com um sonoro "pode mandar quantos quiser, deixo um oco em todos".

    Após alguns meses deixando o cu dos machos virado no oco, Guina termina de cumprir a sua pena, e é libertado, o que gera uma rebelião sem precedentes no presídio em que estava.

    Treta com a Ocosoft[editar]

    Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Ocolast
    O jogo onde o Guina é bicho e você tem que correr pra caralho pra não ser pego, porque caso contrário...

    Graças à atuação de sucesso de Guina na série "Pai de Família", que fez vários machos rirem, chorarem e se gozarem, uma desenvolvedora de jogos decidiu lucrar em cima e em baixo de Guina, baseando-se em seus "greatest hits" cinematográficos para criarem um jogo indie de delícia em primeira pessoa, que utiliza-se de cenas deliciosas em CGI. De acordo com Mangueira Boy, o primeiro a gravar um vídeo para o YouTube demonstrando a jogabilidade de Ocolast, estas cenas são coisa de louco.

    Vários fãs de Guina (no caso, as guináticas) compraram o jogo ainda em sua pré-venda, achando que iriam ver a rola do Guina em 3D, o que fez com que tal peça de software desaparecesse das prateleiras rapidamente. Em uma semana, foram vendidas mais de dez cópias por dia, o que deixou um oco nos estoques. Por conta da escassez do produto, várias guináticas arrombaram as lojas de jogos de madrugada, bagunçaram tudo e as deixaram fedendo e largadas, buscando por seu exemplar raro.

    Mas esse foi apenas o menor do problemas: a desenvolvedora estava lucrando sem conhecimento de Guina, o qual não lucrou com o uso de sua imagem para o jogo; nem um cu cabeludinho de macho ele ganhou. Ele nem sabia que estavam fazendo dinheiro em cima da imagem de seu pau, até que, em uma bela manhã, não estando com disposição para aparecer do nada na cozinha de um pai de família qualquer, ele estava navegando pelo YouTube procurando coisas deliciosas, como novas maneiras de se preparar um suco de laranja, como resolver problemas com a pia (pois consertar fogões ele já sabia) e etc, quando acabou descobrindo um vídeo de um jogo chamado Ocolast (nome dado em homenagem ao oco deixado em seu macho), o qual fazia uso de sua imagem.

    Nosso macho deixador de ocos ficou puto com a sacanagem que fizeram com ele, então decidiu buscar seus direitos, e como bom macho que é, Guina procurou saber quem desenvolveu o jogo. Após alguns minutos, Paulo Guina descobriu que essa desenvolvedora se chamava Ocosoft, versão deliciosa da Ubisoft. Guina exigiu seus direitos como cidadão trabalhador e entrou com o salame na Ocosoft, que além de ocada, foi obrigada por um juiz da vara de Guina a pagar mais de dois bilhões pro nosso trocador de mangueiras, professor e arrombador de loirinhas.

    Duas semanas após ter recebido o dinheiro pelo processo atribuído a Ocosoft, Paulo Guina recebeu uma ligação de uma outra desenvolvedora chamada Santa Ocada Studios, a fim de negociar o uso de sua imagem para um jogo de "hack and slash" que seria ambientado na Grécia antiga e receberia o nome de Macho of War, o qual contaria a história de um macho espartano que queria vingança contra o Deus da merda Demacores por ter matado seu amigo Jailtocles, e que usaria uma mangueira de fogão para bater nos seus inimigos. Paulo Guina recusou de início, mas ao ouvir o valor que receberia, aceitou prontamente, pois estava mesmo precisando de grana pra comprar camisinhas, e fechou o acordo com a Santa Ocada Studios. O jogo está previsto para sair em março de 2018 e contará com duas DLC's pré venda: Macho of Sparta e Chains of Delicia.

    Nota[editar]

    Enquanto o senhor(a) estava lendo esse artigo cultural Paulo Guina deixou um oco em seu aparelho excretor...

    Tenha um excelente restante de dia.

    Referências[editar]

    1. Trabalhar e relaxar sem peças, só com pás, cimento e rebocos

    Ver também[editar]

    RatinhoViadão.jpg

    Procurando algo, viadão?