131 nosso voto é assim, sou Rio Grande sou Paulo Pudim

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar


Nuvola apps core.svg Paulo Paim
Lenin doin' Macarena.gif
Paulo Paim em discurso no Senado.
Origem - link={{{3}}} Estados Unidos do Sul - Bandeira do Rio Grande do Sul Rio Grande do Sul - Südcaxiasville
Sexo Metade macho metade Fêmea.
Ocupação Vagabundo, jornalista e caloteiro
Profissional
Profissão anterior Ladrão da Assis Brasil de Porto Alegre
Maior aparição Canal do Boi
Conchavo Ana Amélia Lemos
Maior escândalo Ter dado um gritinho feminino no Senado
Perfil
Nível de inteligência 0. 0.
Plásticas Pênis
Vícios Chimarrão, Germano Rigotto.
Emissora atual TV Senado e TV Gay RS
Preferências
Livro Nuvola apps bookcase.svg Diário de um emo.
Música Emblem-sound.svg Meteoro
Prato Linguiça rosa
Filme Nostra viadagem

Cquote1.svg Você quis dizer: Lenin? Cquote2.svg
Google sobre Paulo Paim
Cquote1.svg Você quis dizer: Paulo Painho? Cquote2.svg
Google sobre Paulo Paim
Cquote1.svg 131 nosso voto é assim sou gaúcho sou Paulo Pudim Cquote2.svg
PT sobre Pudim
Cquote1.svg Do'h! Deve ser uma bola! Cquote2.svg
Homer Simpson sobre Paulo Paim
Cquote1.svg Porque não votam em mim em! Cquote2.svg
Germano Rigotto sobre Paulo Paim
Cquote1.svg Meu segundo voto vai para a curitibana perdedora, Abigail Pereira! Cquote2.svg
Paim sobre Abigail Pereira
Cquote1.svg Eu, ele e Átila estamos acima das pesquisas no Rio Grande! Cquote2.svg
Ana Amélia Lemos sobre Paulo Paim
Cquote1.svg Uí! Cquote2.svg
Paim sobre Clodovil
Cquote1.svg Conheço você! Vagabundo! Cquote2.svg
Pedro Simon sobre Paulo Paim

Paulo "Germano" Paim "Lemos" da Silva ""Dutra" e "Pereira" é um político e filósofo gaúcho, natural de Caxias do Sul, que há oito Anos governa a Südregion, na Embaixada Sulista em Brasilia.

Atualmente Paulo Paim é candidato pelo PF (Partido Fascista), e se os "fascistas" quiserem, sempre será eleito.

Vida[editar]

Paim no Senado.
Ana Amélia Lemos, opositora.

Paulo Paim nasceu em Caxias do Sul, na época Bentolândia, casou-se com Ana Amélia Lemos, foi trabalhar na Revolução Farroupilha, lutou ao lado dos maragatos, perdeu a guerra, virou mendigo, foi contratado por Sílvio Santos.

Depois foi para a Rede Globo e morreu de infarto.

Sindicalismo[editar]

Como um bom petista, Paim iniciou sua carreira organizando greves no Sindicato dos Quilombolas Metalúrgicos de Canoas, defendendo os interesses próprio e do partidão dos trabalhadores confortavelmente sentado na sede do Sindicato.

Política[editar]

A carreira política do Paim baseia-se em enganar defender os Aposentados com discursos nos quais ele jura que vai aumentar as aposentadorias, valorizar o Salário Mínimo, acabar com o Fator previdenciário, mas na hora de votar, acaba fazendo exatamente o que o PT manda. Em 2011, Paim votou por um salário mínimo de 545 reais, em detrimento da proposta de 600 reais da oposição. Paim justificou afirmando: "Se o salário é Mínimo, então tenho que votar pelo valor mínimo proposto:545. É questão de coerência". Em 2001, para mostrar o que o PT faria quando chegasse ao Governo, Paim rasgou a Constituição no plenário da Câmara.

Candidatura[editar]

Agora ele é candidato a senador. Seu plano é levar embora todas as riquezas do Brasil e leva-las para a Südregion. No início, a candidatura correu sérios riscos de naufragar, pois as pesquisas o colocavam em terceiro lugar. Assim, os gênios marqueteiros tiveram um bela ideia: colocar o Paim para chorar na TV, contando sua terrível e sofrida vida como escravo, quando não tinha dinheiro para comprar um sapato ou ir na Lan-House... Como os gaúchos são o povo mais imbecil politizado do Brasil, acabaram reelegendo o Paim.

Aposentadoria[editar]

Quando acabar de roubar no Senado, irá se aposentar para roubar mais depois.

Mas como ainda rouba é quase impossível acontecer isto.

Cinema[editar]

Aproveitando a sua incrível capacidade de encenação, mostrada no Senado de Terça à Quinta (de Sexta à segunda o Senado não abre), Paulo Paim teve uma breve carreira no cinema, atuando em filmes que precisavam preencher a cota para Afro-descendentes. Sua participação mais conhecida é no Filme "O Senador Aloprado".

O Senador Aloprado[editar]

Paim atuando.

Neste filme, Paim interpreta um Psicopata que finge ser um Defensor dos Aposentados, prometendo defendê-los do chefe mafioso, chamado de Ministro da Previdência, e de sua tropa de Senadores Aloprados, que pretendem torturar os pobres velhinhos. Mas no final do filme, o personagem de Paim se revela como o vilão da história, ao votar por um reajuste abaixo da Inflação, e logo após, esfaqueia os velhinhos pelas costas.

Apoiadores[editar]

Paim

Grandes feitos[editar]

Estes são so feitos:

  • Corrupção no Senado
  • Enriquecimento dos Pobres
  • Reforma Agrária
  • Viadismo
  • Antisemitismo
  • Corrupção
  • Falta de Vergonha na cara