Pavão-indiano

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Pavão)
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Este artigo fala do animal bizarro, se procura pela cidade mineira consulte Pavão (Minas Gerais) ou poderia ver a constelação: Pavo (só um rei mesmo pra ter uma constelação só pra ele...


Pavor
Pavão após tomar banho de água sanitária.
Pavão após tomar banho de água sanitária.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Acordados
Classe: Voadores
Ordem: Frangolinos
Família: Faisãonídeos
Gênero: Pavor
Espécie: Pavão-charmoso
Pavor Cristattus



Cquote1.png Experimente também: Faisão Cquote2.png
Sugestão do Google para Pavão.

Pavão-indiano é aquela ave que das poucas vezes em que foi retratada, apareceu como uma ave gay só porque seu rabo é muito enfeitado, e quem não foi que colocou essa fama no Pavão senão os homens, que são 50% veados, embora as pesquisas digam que é só 10%, também ajudaria se você e seu pai assumissem, mas o Pavão usa aquele ornamento para atrair as fêmeas, o que não deixa de ser similar a um pau crescendo, portanto se é que ocorre homossexualimo entre os pavões deve ser bem menor do que na espécie humana, e nem vamos falar das estranhas cruzas do melhor amigo do homem, que na falta de fêmea ou mesmo na presença de, sobem uns nos outros, fazendo aquele espetáculo homo em público.

Evolução[editar]

Pavão atendendo a um de seus súditos.

O Pavão tem origem na Ásia, principalmente na India, onde (novidade) era considerado sagrado, e ainda é em alguns lugares em que sacerdotes sentem falta de uma bichinha de estimação (por causa da dita fama, escolhem o pavão), mas são bastante corajosos de se meter a ter pavões. E do budismo surgem ensinamentos tais como: embasado na ideia de que o Pavão come plantas e répteis pequenos, mesmo que venenosos, sem se contaminar, no Budismo surgiu o grande ensinamento de que das coisas ruins da vida não se permita contaminar, ou algo assim, mas nada disso vai fazer que se possa comer bosta, cheirar, tragar, ingerir, injetar sem ficar tudo fudido.

Haviam poucas variações nas caudas dos pavões, mas com aquela porra de manipulação genética, de onde também surgiu, diretamente do inferno, esse teu cachorro ridículo, há pavões dos cores mais sem noção possível, que claro, perdem de longe para os originais.

Comportamento[editar]

Essas penas mara é que ajudam e atrapalham o Pavão.

O Pavão não tem nada de misterioso e sai distribuindo bicadas mesmo em quem chegar perto, inclusive outros pavões machos que quiserem dar um pega com fêmeas que já tem dono, diferente de você que em termos de dividir mulher é camarada.

Falando no festival de bicadas, talvez justamente por essas classificações, o pavão não é domesticável, e sai bicando pela simples aproximação, mas é criado em cativeiro sem grandes problemas, fora os criadores serem todo picados.

Esse pela cauda murcha deve ter perdido pra outro mais pauzudo caudaloso.

Em seu acasalamento, ora, o pavão simplesmente abre a sua cauda (não essa e nem sua) que é uma espécie de leque gigantesco, podendo chegar a dois metros de invergapicadura e sai dançando e mostrando a energia pélvica para que a fêmea abra a cloaca, a fêmea então vai ficando interessada, mas sem demonstrar, em seguida, sem querer nada vão construindo ninhos, mas só por precaução claro, não que já estejam querendo começar a se precisar por algum motivo, depois disso tem início a putaria, que culmina com berros desagradáveis que se prolongam por várias horas... e é por isso que o pavão jamais vai ser ameaçado de instinção... é mesmo difícil a convivência com humanos.

Eles também adoram trepar em árvores, e dos lugares mais altos possível, chegando lá em cima, gostam de... gritar de novo, com um barulho pior do que de Pica-pau, Araponga e gato se acasalando... e seu acasalamento também é mais escandaloso do que gato traçando sua irmã gata. Ora, mas essa ainda não é a pior filha da putice do Pavão: a pior é quando ele fica invocado e não tendo ninguém pra aliviar o estresse bicando, resolve marcar seu território com aquela coisa conhecida: bosta.

Para não ser atacado por um pavão você só precisa manter uma distância mínima de pelo menos cinco metros.