Pedra do Anta

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome-searchtool blue.png Pedra do Anta é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
Judas perdeu as botas aqui.

Sciences de la terre.svg.png
Cquote1.png Dá para comprar refrigerante em açougue naquele lugar! Cquote2.png
Qualquer um que já foi em Pedra do Anta sobre a cidade.

Cquote1.png PORRA! Cquote2.png
Papaco sobre citação acima.
Cquote1.png Nunca mais eu volto aqui. Cquote2.png
Latino sobre Pedra do Anta.
Cquote1.png Acho que errei Cquote2.png
Deus sobre Pedra do Anta.

Pedra de você do Anta é uma cidadezinha remota no meio de do nada Minas Gerais, desconhecida e abandonada pelos governantes. É mais uma daquelas cidades que as pessoas apenas param para limpar a bosta do sapato, para limpar pneu, ou para abastecer, fora isso, não tem nada demais. Suas ruas são inúteis, desprovidas de entretenimento, fazendo os moradores locais terem sérios problemas psicólogicos. E por favor, pelo bem de sua integridade mental, não pare nesta cidade.

História[editar]

Uma pedra, e uma anta em baixo....sacou!

Em 1820, major José Luís da Silva Viana violentado pela guarda nacional na guerra do Paraguai em 1864 veio com seu amante capitão-mor Luís Manuel de Caldas Bacelar para este lugar remoto onde poderiam viver uma alucinante paixão no meio de todo esse mato cheio de cobras e mosquitos PICAdores. Os dois possuíam nesta região grande quantidade de terras (pois eles eram cheios dos esquemas com os homens mais poderosos do país). O Major José Luís ficou de posse da fazenda e boate das loucas Santo Aleixo e o capitão-mor Luís Manuel de Caldas da fazenda da Catinga, ponto de encontro da comunidade GLS. Como devotos de São Piroca, trouxeram de Pau Grande, uma imagem do santíssimo cacete de Durandé, que é venerado até hoje pela população de Pedra do Anta. Trouxeram também um padre chamado Bruno que celebrou uma missa em Ação de graças e frescuras. Após a missa, uma quantidade de terras foi doada em benefício das donzelas do lugar. Nestas terras foi enterrado, por baixo de paus (ou melhor: um cruzeiro de braúna). O Bruno até tentou construir uma igreja, mas deu a louca nele e ele morreu antes mas graças ao empenho do Major José Luís da Silva Viana e o capitão-mor Luís Manuel de Caldas Bacellar que fizeram direitinho. Depois a zona igreja ficou pronta. Pedra do Anta ficou por uns tempos com o título de Patrimônio de São Sebastião embora há quem diga que o verdadeiro nome foi´Patrimônio de São Clodovil´. Fugindo pelas matas dessa localidade,os escravos mineradores do Arraial do Tijuco, hoje, cidade de Diamantina ,paravam lá por um pouco de diversão com os moradores e seguiam para o arraial do Arrepiado,atual Araponga para se esconder. Alguns mineradores a procura de escravos fizeram uma parada em Pedra do Anta para experimentarem um pouco da hospitalidade local. No caminho para Araponga eles mataram um veado em torno de uma pedra. A partir daí veio o nome de Pedra do Anta (eles colocaram anta no lugar de veado pra disfarçar, mesmo ambos servindo de adjetivos para os moradores locais). Havia ao redor da capela inicial (ponto de sexo fácil), uma aldeia de índios, confiada a catequese do padre Ângelo da Silva Peçanha que dava muitos ensinamentos religiosos para os índios, aliás, DAR era o que ele mais sabia e gostava de fazer. O Major José Luís da Silva Viana e o Capitão-mor Luís Manuel de Caldas Bacellar levaram Pedra do Anta a construir 21 sobrados para simbolizar os 21 estados brasileiros existentes na época,todos em estilo colonial, pau-a-pique e barreados a mão. Eles mandaram construir também 24 casas para simbolizar as 24 cidades gays do Brasil(tirando Juiz de Fora, as demais eram gaúchas). As casas foram feitas em estilo pós-moderno rosa , pau-a-picapique e barreado a [[Pênis|você sabe o quê... Um dos sobrados do major, construído com sacada, era ligado ao do capitão-mor por uma única porta utilizada para fins pessoais.

Comportamento do povo de Pedra do Anta[editar]

  1. Se vestir de mulher
  2. Adora um rodeio ( Principalmente os peões com aquelas calças apertadas)
  3. Se achar superior ao povo de Teixeiras, Ervália, São Miguel do Anta, Canaã, etc.
  4. Estudar no ESUV , FDPFDV e UNIVIÇOSA.
  5. Não sabe torcer bando de marias
  6. Adoram comer o cuMPADRE de quem fica lendo esta merda de escrita, cambada de sem noção

População[editar]

É composta de 3800 (há apenas uma rua cercada de duas favelas) sendo 800 prostitutas, 1500 viciados, 500 vereadores, 500 pastores, 499 donos de botecos e 1 anão. É impressionante uma cidade com uma amostragem de pessoas tão pequena ter portadores de HIV, deficientes de todos os tipos, pedófilos em geral e ainda 1 anão. As taxas de mortalidade e natalidade são impressionantes sendo 145 mortes e 145 nascimentos diários, uma vez que as meninas engravidam aos 6 anos e 57 pessoas morrem por dia só de acidente de carro, moto ou de anta (que ironia!). Os demais mortos são por AIDS, esfaqueamento, paulada na cabeça ou picada de cobra.

Economia[editar]

A economia gira em torno do tráfico de drogas e do point da cidade que atrai turistas do mundo inteiro, o Bar do Zé de Rômulo um lugar tão aconchegante que você pode cuspir, xingar e arrotar a hora e aonde bem entender sem ser repreendido. Nesse estabelecimento a jogatina corre solta com jogos como Truco, Marimbo e Caxeta. Seus quitutes são temperados devido a sujeira de suas mãos já a 35 anos sem lavar. Há também a viação Pedra do Anta que explora os pobres agricultores de subsistência que tem que vender toda sua lavoura para pagar uma passagem de ida para ele e seus 23 filhos até a cidade mais próxima onde podem comprar escravos fósforos e Coca-Cola.atualmente a passagem custa em torno de R$8,10 a R$8,50