Pernambucanês

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Eduardo Campos, governador de Pernambuco, recomenda esse dicionário.

Pernambucanês é um dicionário cabra da peste, língua lida e falada por um bocado de abestados e bexiguentos. Ôxe, tu num visse ele ainda não, minino? Pois num se avexe não, leia e pare de ser peitica de não querer saber da genti, seu cabra! Ou então eu vou ficar muito arretado e dar-te uma pisa que tu vai te cagar!


Pronomes[editar]

Como sabemos, os pronomes do caso reto são usados para representar o sujeito da oração, e os oblíquos são usados para representar os complementos da oração, como objetos e adjuntos. Na gramática pernambuquense, isto ocorre de maneira inversa:

  • Gramática portuguesa: Faça isto por mim!
  • Gramática pernambuquense: Faça isto por eu! (leia-se purêu!)
  • Gramática portuguesa: Deixe todo o trabalho para eu fazer.
  • Gramática pernambuquense: Deixe todo o trabalho pra mim fazer.
  • Gramática portuguesa: Deixe todo o trabalho para mim.
  • Gramática pernambuquense: Deixe todo o trabalho pra eu.

Também podemos usar uma junção de dois pronomes de casos diferentes, o EU e o ME, para fazer uma palavra composta com significado próprio:

  • Gramática portuguesa: Eu não me importo.
  • Gramática pernambuquense: Eu-me! (mesmo significado acima)


Também existe uma forma específica para o termo "em mim", usado como complemento de verbos, que é trocado por "in-neu":

  • Gramática portuguesa: Pare de falar em mim!
  • Gramática pernambuquense: Pare de falar in-neu!
  • Gramática portuguesa: Ele veio bater em mim!
  • Gramática pernambuquense: Ele veio dar in-neu!

Plural[editar]

Na gramática portuguesa, o plural é a flexão de número de palavras que representam dois ou mais objetos/indivíduos. Também sabemos que existem regras para flexionar as palavras para seus plurais. Uma delas é que o substantivo deve concordar com o adjetivo, artigo e numeral (quando houver). Na gramática pernambuquense esta concordância é um pouco diferente. Quando se aplica o plural, apenas o numeral e o artigo vão para o plural; o substantivo e o adjetivo são inflexíveis em número:

  • Gramática portuguesa: Comprei três pães.
  • Gramática pernambuquense: Comprei trêi pão.


  • Gramática portuguesa: Você comprou os três pães?
  • Gramática pernambuquense: Tu comprou us trêi pão?.


  • Gramática portuguesa: As crianças correm muito.
  • Gramática pernambuquense: As criança correm muito.


Outra regra, talvez a mais fácil, da aplicação do plural é que palavras inflexíveis não se flexionam. Isto quer dizer que palavras inflexíveis não vão para o plural. Na gramática pernambuquense as palavras inflexíveis são flexionadas, e sem nenhum remoço:

  • Gramática portuguesa: Que coxas!
  • Gramática pernambuquense: Quis coxa!


  • Gramática portuguesa: Eita, que pernas!
  • Gramática pernambuquense: Eitas, quis perna!

Em ambos os exemplos, a palavra "que" está representando um pronome relativo invariável, mas isto não o impede de variar em número. Notem que os substantivos permanecem no singular.

Substituição fonética:[editar]

Como sabemos, as letras que formam as palavras são lidas com seus respectivos fonemas. Se você souber ler, quer dizer que você conhece os fonemas que as letras representam. Caso você não saiba ler, como está conseguindo ler este artigo? '=O

Troca do S pelo R:[editar]

É geralmente usado em aplicações do plural, mas pode ser feito em qualquer ocasião.

  • Gramática portuguesa: OS meninos correm atrás DAS meninas.
  • Gramática pernambuquense: UR menino correm atrás DAR menina.


  • Gramática portuguesa: Tu vais ver AS moças hoje?
  • Gramática pernambuquense: Tu vai ver AR nêga hoje?


  • Gramática portuguesa: Que mentiras são estas?
  • Gramática pernambuquense: Quirs mentira é essa? (flexão do pronome relativo invariável "quis" junto com aplicações do plural)


Notem que o substantivo permanece no singular.

  • "nêga": mulher jovem que tem-se o intuito de ter algum tipo de relação afetiva, seja esta duradoura ou instantânea.

Troca do RAM pelo RU:[editar]

É usado ao final das conjugações da terceira pessoa do plural do pretérito perfeito do indicativo:

  • Gramática portuguesa: Vocês terminaRAM o trabalho?
  • Gramática pernambuquense: Vocês terminaRU o trabalho?


  • Gramática portuguesa: ComeRAM, bebeRAM, fugiRAM e não pagaRAM!
  • Gramática pernambuquense: CumeRU, bebeRU, fugiRU e não pagaRU!


Números terminados em S e Z:[editar]

Para números que terminam em "z", troca-se o "z" por "izi". Para números que terminam em "is", troca-se o "is" por "isi". Para números que terminam em "s", troca-se o "s" por "isi".

  • Gramática portuguesa: Um, dois, três, quatro, cinco e seis somam vinte e um.
  • Gramática pernambuquense: Um, doisI, trêISI, quatro, cinco e seisI dá vinte e um.


  • Gramática portuguesa: Dez meninas na avenida!
  • Gramática pernambuquense: DeIZI menina na avenida!


APOIS e IAPOIS:[editar]

Apesar de serem palavras bastante comuns, a maioria das pessoas não sabem a diferença entre elas, apesar de usarem no dia-a-dia.

Apois:[editar]

É usado com o significado de "então", como conjunção.

  • Gramática portuguesa: Maria não vai? Então eu não vou!
  • Gramática pernambuquense: Maria não vai? Apois eu não vou!


Iapois:[editar]

É usado com conector de certeza, tais como "com certeza", "certamente", "sem dúvida". ENTRETANTO, apesar de ser um conector, que costuma ligar palavras na frase, o "iapois" deve aparecer sozinho na frase", parecendo uma interjeição.

  • Gramática portuguesa: - Se Maria for, você vai?

- Com certeza! '=D

  • Gramática pernambuquense: - Se Maria for, você vai?

- Iapois! '=D


Pode também aparecer junto da palavra "ouxe" para enfatizar ainda mais o significado. Esta é a única palavra que pode acompanhar o "iapois":

  • Gramática portuguesa: - Se Maria for, você vai?

- Com certeza! '=D

  • Gramática pernambuquense: - Se Maria for, você vai?

- Ouxe, iapois! '=D

Dicionário Pernambucanês-PortuguÊs[editar]

A[editar]

Abestalhado - Bobo, besta, pateta.

Abestado - Bobo, tolo, idiota.

Abiscoitado – Bobo, ingênuo

Abilolado – Bobo, indivíduo ingênuo.

Abufanar – Provocar; irritar; perturbar

Abusar – Perturbar, passar dos limites

Acochado - Apertado. Cquote1.png Se aperreie não, doutor. Vou deixar os parafusos da roda do carro bem acochadinhos. Cquote2.png

A como é - Quanto custa. Cquote1.png A como é o quilo do tomate, seu Biu? – Pra senhora é de graça, freguesa! Cquote2.png

Afolosado – Frouxo, quebrado.Cquote1.png Não sente na cadeira, doutor, que ela está afolosada! Cquote2.png

Alcatifa – Carpete.

Alpercata – Sandália de couro.

Altear – Aumentar o volume da TV ou do aparelho de som.

Aperreado - Preocupado, com problemas, agoniado.

A pulso – À força, na marra. Também se usa “na lei do a pulso”.

Arrasta-pé – Forró.

Arretado (1) - Muito bom, excelente, maravilhoso. Cquote1.png Êta dicionário arretado! Cquote2.png

Arretado (2) – Irritado, com raiva de algo ou alguém.

Arribar – Sair, ir embora.

Arrodear - Dar a volta. Ex: -Mãe, o portão de casa está trancado! Cquote1.png Arrodeia e entra pelos fundos, menino! Cquote2.png

Aruá – Caramujo de jardim; pessoa muito lerda.

Arupemba – Peneira

Assanhado - Atrevido; ousado

Assuntar - Refletir sobre algum assunto

Atanazar – Aperrear, deixar irritado Cquote1.png Esse animal só vive me atanazando o juízo Cquote2.png”)

Atarantado - Cheio de obrigações, de tarefas a cumprir, superocupado

Avacalhar – Esculhambar; ironizar

Avalie só - interjeição equivalente a: imagine só, veja só.

Avexado – Apressado.

Avexar - Apressar

Avia – Apressa, agiliza Cquote1.png Avia logo com esse serviço, menino!” Cquote2.png

Avuado - Desorientado

Azuretado – Confuso, no mundo da lua.

Azucrinar – Aborrecer, irritar alguém

B[editar]

Badoque – Estilingue, atiradeira.

Babão - Puxa-saco

Bafafá – Confusão, bagunça

Baitola - Bicha, homessexual masculino

Baixa-da-égua - Lugar muito distante

Balai-de-gato – 1. Situação confusa; 2. Coisa muito ruim.

Baleado - Ligeiramente embriagado

Bambo - Por acaso, por sorte Cquote1.png Não sabia o endereço, acertou no bambo Cquote2.png

Banana - Tolo, idiota

Barata-de-igreja - Beata

Barraco – Baixaria; situação vexatório; escândalo

Barroada - Choque, batida entre dois ou mais automóveis

Bascui – Sujeira, entulho

Bater-fofo - Falhar, não cumprir o prometido

Berrante - Revólver, arma de fogo

Berreiro - Gritaria

Beiço – Lábio

Bestice - Besteira

Bexiga – Coisa ruim; situação complicada

Bexiguento – Patife, cretino

Bicada – Dose de aguardente, dose de bebida alcoólica

Bicado - Embriagado

Bicha – Homossexual masculino

Bigu - Carona

Bila – Bola de gude

Bilola – Pênis

Bimba - Pênis

Bimbada - Trepada; ato sexual

Bip – Pessoa insistente; pessoa pegajosa; pessoa que fala muito

Biritado – Bêbado, embriagado

Biruta – Amalucado, louco

Biscoito/bolacha – Atenção, paulistas: vamos esclarecer de vez este quiprocó: biscoitos são DOCES, enquanto bolachas são apenas as SALGADAS! (Aqui em Pernambuco, pelo menos é assim...)

Bizu - Cola de prova; fraude em vestibular

Boca-de-siri - Pessoa que guarda segredo

Boca-quente – Pessoa influente, importante

Bodeado – Chateado; embriagado

Bode-moco - Pessoa com problema de audição

Boga - Cu, ânus

Boiola – Homossexual masculino

Bombeiro – Frentista de posto de gasolina.

Boneca - Homossexual masculino

Boresta - Não liga para nada, estar a tôa. Cquote1.png Estou de boresta Cquote2.png

Borná – Saco ou bolsa, usado a tiracolo, por caçadores ou para transporte de ferramentas

Borocoxô – Desanimado, triste, cabisbaixo

Borrão -bloco de rascunhos.

Borrego – Filhote de ovelha

Botar galha – Cornear, ser infiel

Brebote – comida geralmente gostosa, mas de má qualidade, pouco nutritiva; por ext.: besteira, bobagem, porcaria. Cquote1.png Não vá comer brebote antes da janta, viu menino?! Cquote2.png

Bregueço – Objeto sem valor, desprezível

Brenhas - Lugar longe e de difícil acesso

Bufar – 1. Peidar, dar peidos; 2. Gemer de raiva.

Bujinganga – Conjunto de objetos variados, sem ou de pouco valor; miudezas

Buliçoso – Aquele que gosta de mexer em tudo.

Bulir – Mexer em algo.

Bunda-nacasta – Cambalhota

Bundeira – Mulher que pratica sexo anal mas continua virgem (Cquote1.png Ela ainda não tá perdida, é só bundeira) Cquote2.png

Buruçu – Confusão

C[editar]

Cão chupando manga - 1. O bom, o cara que sabe tudo, o tal. 2. Pessoa ou coisa muito feia

Cabaço – Hímen; virgindade Cquote1.png O safado tirou o cabaço da moça e não casou Cquote2.png

Cabra – Pessoa não identificada; pessoa má; trabalhador braçal

Cabra-cega – Brincadeira em que uma criança, e olhos vendados, tenta pegar outra

Cabreiro – Desconfiado; arredio

Cabrita – Menina-moça, moça sapeca

Cabroeira – Grupo de cabras, pessoas

Cabuetar - Denunciar

Cabuloso – Chato; desagradável Cquote1.png O sujeito é muito cabuloso Cquote2.png

Cabreiro - Desconfiado

Cacareca - Coisa velha, objeto sem valor

Cachete – Comprimido

Cafofa - No futebol, chute fraco, sem força

Cafuçú – trabalhador braçal.

Cafundó – Lugar muito distante

Califon – Sutiã

Cagada – Coisa mal-feita; acerto por pura sorte, no bambo

Cagado – Sortudo, pessoa de sorte

Cagado-e-cuspido – Semelhante, muito parecido

Caixa-dos-peito – Tórax Cquote1.png O cabra levou um tiro bem na caixa-dos-peito Cquote2.png

Caixa-prego – Lugar muito distante

Califon - Sutiã, corpete

Calombo - Ematoma, galo, caroço

Calunga – Aquele que trabalha descarregando caminhão

Cambito – Perna fina Cquote1.png Ela não tem peito nem bunda e as pernas parecem mais dois cambitos Cquote2.png

Cambota - Pessoa de joelhos separados, que caminha de pernas abertas

Cancão - Posta de comida amassada com as mãos

Cangalha – Pessoa com as pernas arqueadas.

Cangote – Pescoço

Canso - Cansado; Informação velha Cquote1.png Ele casou com ela porque quis, mas estava canso de saber que ela não prestava Cquote2.png

Cão chupando manga – Muito competente no que faz

Capiongo - Desanimado, triste, abatido

Carão - Repreensão Cquote1.png Fez malcriação e levou um carão do pai Cquote2.png

Caritó – Estado da mulher que envelheceu e não conseguiu casar Cquote1.png Ela ficou no caritó Cquote2.png

Carne-de-cu – Coisa ou pessoa ruim Cquote1.png Aquilo é pior do que carne-de-cu Cquote2.png

Carne-mijada – Vagina

Carraspana - Bebedeira, cachaça

Catabiu – Buracos na estrada.

Catatau - Entulho, amontoado de objetos

Catinga – Mau-cheiro

Catingoso - Mul-cheiroso, fedorento

Catombo - Parte elevada de alguma superfície

Catota - Secreção nasal, meleca

Catráia - Mulher sem compostura, vadia

Catrevage - Coisa velha, objetos sem valor

Cavalo batizado – Grosseiro, estúpido

Cavernosa - Pessoa ou coisa misteriosa

Chamar-na-grande – Advertir seriamente

Chamegar – Namorar, se esfregar no namorado. Cquote1.png Tás triste assim por quê, mulher? Cquote2.png Cquote1.png Falta de chamego. Cquote2.png

Chapoletada – Pancada forte (procure não levar uma!).

Cheguei – De corres berrantes, de gosto duvidoso.

Chapuletada - Pancada grande

Chei dos paus – Bêbado

Cheleléu - Puxa-saco

Chililique - Desmaio

Chirimbamba - Mundiça, ralé

Chirre - Sopa rala, caldo sem consistência

Chocha-bunda – Feijão de corda

Chumbado - Meio embriagado

Chupitilha - Refresco

Cocorote - Cascudo

Coivara - Ajuntamento de galhos preparativo na queimada

Comunismo – Carestia Cquote1.png Os preços na feira hoje estavam um comunismo Cquote2.png

Confeito – Bom-bom, bala

Conversa-mole – Conversa vulgar; besteira

Conxambrança – Acordo entre duas ou mais pessoas, com objetivo de ação maldosa

Corta-jaca – Intermediário de namorados

Cotoco – Pedaço muito pequeno de um objeto Cquote1.png O lápis está só no cotoco Cquote2.png

Couro-de-pica – Diz-se da pessoa ou situação que vai e volta freqüentemente sem nada resolver.

Cromo - Calendário

Cu-de-boi – Confusão; caos

Cu-de-ferro – Diz-se da pessoa dedicada, estudiosa

Cunhão - Testículo

Curriola – Grupo de pessoas da baixa classe social

Custar os olhos da cara – De preço muito caro

Cuvico - Pequeno cômodo

D[editar]

Dar o grau - Caprichar num serviço

Dar o prego - Enguiçar, quebrar (o carro deu o prego na subida da ladeira)

Dar uma rabeada – Diz-se quando o carro derrapa,dar puxada brusca

Dar o tango no mango – Dar problema, quebrar, dar a louca.

De hoje a oito – De hoje a oito dias, inclusive. Ex: Você viaja hoje, Biu? Não, Zé, de hoje a oito!

De jeito maneira – de modo algum.

Delicado – Homossexual masculino; homem afeminado

Derna – Desde

De rosca – Algo difícil de ser realizado, duro de sair. Ex: E este gol que não sai? Parece que está de rosca?

Derrubado – Pessoa feia, decrépito; coisa desgastada

Descabaçar – Desvirginar uma donzela

Desapiar – Desmontar do animal

Desenxavido – Desinibido

Desopilar - Descontrair

Desmilinguido – Magro; sem vigor

Despachada – Pessoa desinibida; pessoa folgada

Despautério – Desaforo

Despanaviado – Desajeitado; tonto

Desparafusar – Perder a razão; enlouquecer

Destrambelhado – Desajeitado

Desunerar – Engrolar; ficar mal cozido ou mal assado; comida fora do ponto

Difunço – Gripe, resfriado

Disgramado - Atrevido ou sujeito desgraçado

Dois gatos pingados - Platéia minúscula, pouca gente

Do tempo do ronca – Muito antigo, fora de moda,ultrapassado

Dor de veado – Dor abdominal que dá em quem bebe muito líquido e vai fazer exercício logo depois.

E[editar]

Esmoléu – Mendigo, pedinte.

Esse menino, essa menina – (Vocativos) Cquote1.png Que horas são, essa menina? Cquote2.pngCquote1.png Hora de deixar de ser enxerido, esse menino! Cquote2.png

Estar com a bexiga lixa – Estar com o diabo no couro, estar com tudo.

Estar com a bobônica – Igual a estar com a bexiga lixa, só que no interior do estado.

Estar com a febre - Variação de “estar com a bobônica” (ambos na verdade são corruptelas de “estar com a febre bubônica”), também usado no interior do estado. Evite usar esta expressão em Recife: vão pensar que você é “matuto”!

Estar com a macaca - Mais uma variação de “estar com a bobônica, com a bexiga lixa”.

Estar com a moléstia – Estar mais do que com a bexiga lixa, estar muito “arretado”!

Estar com o cú torando aço - Estar com medo

F[editar]

Fazer o balão – Dar a volta com o carro em um circular.

Febre do rato – Expressaõ de expanto.

Fera – Sujeito recém-aprovado no vestibular.

Filar – No colégio, olhar a prova dos outros.

Fodeu a tabaca de chola! - O que já estava ruim piorou de vez! Equivalente ao espanhol “Ahora és que si fodió todo!”. Note que “chola” siginifica cachorra vira-lata no cio. Bem, “fodeu a tabaca” dispensa maiores explicações.

Frango – Denominação usada para o gênero masculino homossexual.

Frisos – Enfeites cromados em um carro.

Fuleiro – De má qualidade (objetos), sem-vergonha (pessoas)

G[editar]

GabiruRato grande.

Galego – Pessoa loura ou alourada.

Gelo baiano – Blocos de concreto pintados de branco usados para separar as vias de trânsito.

Girador – Do trânsito de veículos: circular, rotatória.

Graxa - Molho de comida.

Guaiamum – Tipo de caranguejo de casco azulado e carne adoçicada, muito apreciado.

Guaraná – Denominação genérica de qualquer refrigerante. Cquote1.png Que guaraná você quer, Juquinha? Cquote2.pngCquote1.png Coca-Cola, mainha! Cquote2.png

I[editar]

Invurtou-se – Desapareceu, virou vulto

Inhaca – Catinga, mau cheiro.

J[editar]

Jante – Roda do carro.

Jerimum – Abóbora.

L[editar]

Lapada – Dose de cachaça ex. Coloque uma lapada de cana.

Lanterneiro – funcionário da oficina mecânica que corrige imperfeições na lataria do carro.

Leseira – Abestalhamento, idiotice. Liso – Sem dinheiro.

Loló – Mistura de éter e clorofórmio utilizada como entorpecente no carnaval. É proibido e prejudicial à saúde!

M[editar]

Macaxeira – Variedade comestível de mandioca.

Mamulengos – Bonecos de espetáculos para divertir as crianças.

Marretar – Furtar coisas de pouco valor.

Marreteiro – Ladrão vagabundo.

Massa! – (interjeição): Muito bom, legal, excelente!

Matuto – Caipira, pessoa do interior.

Meio-fio – Paralelepípedos que separam a calçada da rua. Meiota – Garrafa de refrigerante de 290ml, cheio de cachaça

Metido a cavalo do cão – Metido a besta, sujeito que pensa que é muita coisa sem ser.

Moringa – Vaso de barro onde se armazena água.

Muriçoca – Pernilongo.

N[editar]

Nó cego – Problema de difícil solução; sujeito enrolado, complicado.

Nopró – Problema de difícil solução. Cquote1.png Já recebeu o dinheiro? Cquote2.png Cquote1.png Que nada, deu o maior nopró lá no banco! Cquote2.png

Nos cafundós do Judas – Muito longe. Variantes: Nos quintos dos infernos, onde o vento faz a curva, onde o urubu faz salto mortal.

O[editar]

Oitão – Parte do quintal que dá para os lados da casa.

Oxe,oxente – (interjeições de espanto) Corruptelas de “Oh, gente!”.

P[editar]

Paia - Mulher feia; festa desanimada; objeto ruim, de má qualidade.

Peba – Vagabundo, de má qualidade.

Pirangueiro – Sovina, mão-fechada.

Peguento – Suado, suarento.

Peitica - Sujeito insistente, renitente.

Perronha – Sujeito que joga mal o futebol.

Pichaim – Cabelo carapinhas, enrolado.

Pichete – O mesmo que cabelo pichaim.

Q[editar]

Que nem – Igual a, tal qual. Cquote1.png Se avexe, menino, você hoje está que nem aruá! Cquote2.png

R[editar]

Relar – Arranhar. Cquote1.png Foi passear de tobogã, relou a bunda Cquote2.png.

Rela-buxo – Festa onde se pode dançar; forró.

Rodagem – Estrada (mais usado no interior do estado).

Romper o ano – Atravessar a festa de ano novo. Cquote1.png Onde você vai romper ano? Cquote2.pngCquote1.png Em Boa Viagem, é claro! Cquote2.png

S[editar]

Sarará(1) – Formiga pequena, da bunda vermelha.

Sarará(2) – Pessoa de feições negras e cabelo alourado ou avermelhado (provavelmente resultantes do cruzamento de negros e holandeses).

Sargaço – Algas marinhas.

Se abrir – Gargalhar, rir em demasia.

Segurar a vela – Acompanhar um casal de namorados ao restaurante, ao cinema. etc.

Sem um tostão furado – Sem dinheiro. Ver “liso”.

Supra sumo do cu do pato – O bom, o maioral, aquele que está acima do “tampa de Crush” e do “cão chupando manga”.

T[editar]

Tabacudo – Abestalhado, abobado, abilolado.

Tamborete de zona - Sujeito baixinho.

Tampa - Sujeito bom em algo.

Tampa de Crush – É o cara que é “muito tampa”: o tipo do sujeito que toma uma Crush quente sem fazer careta!

Tirar o cabaço – Desvirginar.

Torar – Partir, quebrar.

Torar um aço - Sentir medo intenso, passar por situação de aperto. A origem do nome tem a ver com a contração dos esfíncteres.

Tabelier – Painel do carro.

Traquino – Menino traquinas, agitado.

Treloso – O mesmo que traquino.

Tribufu – Mulher feia.

U[editar]

Um pé lá, outro cá – Ir e voltar rapidamente.

V[editar]

- Abreviatura de “visse”

Virado no molho de coentro – Estar com tudo e não dever nada a ninguém. Ser capaz das maiores realizações, por exemplo subir em um pé de coentro sem curvar seu caule.

Vôte, homem! – (interjeição de espanto)(corruptela de “Vou-te, homem!”). Mais usada no interior do estado.

Z[editar]

Zambeta – .Indivíduo que tem os dois pés tortos

Zarói – Pessoa caolha, estrábica

Zarolho – Vesgo, que tem os olhos trocados.

Zoada - Barulho, confusão. Cquote1.png Que zoada é essa? Cquote2.pngCquote1.png A banda passando, Coronel! Cquote2.png

Zona – Baixo meretrício (puteiro), bagunça, confusão. Cquote1.png Joãozinho, vá arrumar seu quarto, que está a maior zona! Cquote2.png

Zonzo – Tonto; sem rumo certo

Zueira – Mal-estar, tonteira

Zumbido – Barulho estridente

Zuadento – Barulhento

Zureia – Orelha