Pero Vaz de Caminha

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
PortugalDJoãoscary.jpg Manuel, vê-me dois cäcətinhos, o pá!

Æstə ärtigo é purtugäish, gajo. Élə comə cacətinho cum bəcalhau, tuma um ishtränho vinho, adora cumpetir cum a Ishpänha e tem um bigodão.

Se vəndalizarish, um bäenfiquista vai atrás də tua mãe

O famoso Caminha.

Pero Vaz de Borgonha Pacheco de Matos Caminha, 1450 a.C. - 1500 d.C, mais conhecidamente Pero Vaz de Caminha ou simplesmente Caminha, foi o grande escrivão que escreveu uma carta que começou a Segunda Guerra Mundial.

Carta para D.Manuel I[editar]

Pero Vaz de Caminha foi o escritor de Pedro Álvares Cabral, que era analfabeto e precisava de ajuda para ler e escrever relatos de expedição. Foi quando Caminha, que havia se formado na Escolinha do Professor Raimundo, teve a brilhante ideia de se tornar o seu escrivão pessoal. Logo, os dois se tornaram melhores amigos e viviam allahu acabar com o estoque de vinho dos navios durante as navegações.

Quando a frota de Cabral chegou numa misteriosa ilha, descobriram que a Alemanha Nazi estava construindo um super OVNI. Os portugueses chutaram a bunda dos nazistas para fora da ilha, e assim vitoriosos, nomearam a nova ilha de Brisal. Para justificar a conquista da ilha, o homem que não corre escreveu uma carta para o Rei de Roma, mas ela foi roída por um rato que conseguiu sobreviver à viagem sem que nenhum tripulante da tropa de Cabral tentasse caçá-lo.

A verdadeira face de Caminha.

Cquote1.png Deus abençoe os legumes. Cquote2.png
Rato sobre sua sobrevivência.

Não bastasse a carta ser roída pelo roedor inexplicavelmente católico e capaz de falar, a cópia da carta, escrita com tinta de lula, que eles comeram depois, acidentalmente chegou às mãos de D. Manuel I, que também era analfabeto. Através de seu escrivão, ficou sabendo da grande conquista e ordenou que Cabral retornasse à Portugal

Caminha morreu no combate, morto por um tiro laser acidentalmente disparado pelo cozinheiro da tropa. Caminha deixou uma filha, Isabel de Caminha e uma esposa, que ainda não foi reconhecida. A morte causou vários conflitos em Portugal, tanto que os portugueses tomaram a capital, Lisboa, e mataram Manuel com um tiro de doze.

Este artigo é um esboço amaldiçoado por Shao Kahn.
Suma daqui antes que Shang Tsung leve sua alma.