Personagem

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Fake Cquote2.png
Google sobre Personagem
Cquote1.png Você quis dizer: Sock-puppet Cquote2.png
Google sobre Personagem


Personagem é uma criatura que surgiu quando alguém notou que um podia ter consciência que o outro existia. Daí, se percebeu que poderia enganar e, assim surgiu o personagem.

Usos práticos[editar]

Verdadeiro personagem.
Se fazer de personagem anãozinho para não ser notado, algumas vezes é necessário.

Personagem se faz presente sempre em trabalhos de atuação por exemplo: Um ator além, de ter que fazer um personagem para lidar com os colegas nos bastidores, tem ainda que ser um personagem para as câmeras ou, para o palco, no caso de teatro. E nesse último caso tem câmera do mesmo jeito, porém se a câmera for de alguém da plateia, dependendo da frescura dos atores atrizes ou dos produtores, quem estiver gravando pode levar uma cassetada na moleira... nem tanto mas, ele é intimado à desligar a câmera ou até a se retirar educadamente, xingando de filho da puta.

Os atores e atrizes tem sempre contato com o personagem, ele vê que o estão chamando e só baixa como um encosto mas, se o profissional for ruim, apesar de profissional, o personagem não aparece direito mas, ele está sempre disposto a se manifestar, desde que o companheiro ator colabore pra isso com talento e inspiração. Falando em inspiração, é assim mais ou menos mesmo, é como se a pessoa inspirasse o ar e sentisse o cheiro do personagem.

Há uma porção de personagens parambulando por aí, sejam pessoas vivas, mortas ou fantasmas (se acha que fantasma e morto são a mesma coisas pense melhor), o personagem é uma coisa muito sinistra e adora se fazer notar. As pessoas o usam várias vezes e, mais usam dependendo de com quem forem tratar, daí é só respirar normalmente porque o bicho está contido nos átomos de oxigênio. Falando em bicho, o personagem bicha é algo que mais tem, tanto é que, ao invés de dar emprego a uma bibinha simpática quando se precisa de um gay em algo de dramaturgia, é um ator heterossexual mesmo que o faz, o que é um desperdício mas também acontece o contrário: Biba interpretando heterossuxual mas, como a maioria deles já é enrrustido, fica fácil poruqe estão acostumados a fazer um personagem heterossexual na vida normal deles.

Tipinhos[editar]

Exemplo de personagem rato que vai dar uma de rato.

Os personagens são inúmeros, devido ao tempo dos humanos na face da mãe Terra, tem muitas coisas gravadas no mainframe desse planeta, não se pode contar. Quando você sente uma coisa estranha que você normalmente não faria, é um personagem que está lhe falando no ouvido, tipo um duende sem noção no ombro e se acha que pra isso é preciso de cachaça, noia, dorgas, perturbação mental ou algo assim, você está mais apto ainda a ser capturado por um personagem.

Claro que, algumas vezes você apenas entra em contato com um que tem a ver com você ou com o que está fazendo no momento mas, se ele se manifestar demais pode mesmo ser perigoso.

Algumas vezes o personagem toma conta.

No geral, algumas pessoas que sentem os personagens com muita força e nem indo na sessão do descarrego resolver, podem pô-los pra fora, ou se tornando atores, ou brincando de Max Steel, de Barbie (ui) ou algo parecido, ou fazendo aquele game de 3D de criar personagem que esqueci o nome agora mas, de uma forma ou de outra ele acaba sainho legal assim como o cocô sai da bunda quando você está com as funções intestinais legal.

Mas, um personagem que costuma irritar é o fake ou sock pupet, a maioria deles irrita ma,s pior é quando você que é bem tonto se ilude com aquela guria de 20 anos, estudante de Educação Física, gostosa e quando vai ver era: ou uma pré-adolescente mais pirralha que você, gordinha e feia, ou uma coroa de quarenta anos mãe de quatro filhos, ou véia de sessenta anos, avó de oito netos, ou era um cara confuso com sua condição sexual, ou era seu vizinho zoando com sua cara e, coisas do tipo.

Por esses motivos é que se deve redirecionar esses personagens que querem se manifestar como exus em terreiros para uma coisa construtiva como diz tia Juju. Não é aconselhável também se tornar um mentiroso de carteirinha porque cedo ou tarde descobrem que você não tem um carro importado, mas nem carteira tirou ainda e tem uma bicicleta carcomida. Não minta para os seus pais também, que alguns tipos de mãe e pai costumam conhecer todos os personagenzinhos dos filhos, desde o chorão ao brabinho... claro, que algumas vezes pode ser necessário mentir pros pais, principalmente aqueles que merecem e fazem personagens para que você não faça tudo que eles costumam fazer e mentem e fingem que não.

Abusos práticos[editar]

Existem pessoas que abusam disso de sentir personagens, por exemplo, os mangakas que tem zilhões de serezinhos sinistros ao redor e fazem disso um uso prático, aquele modo contrutivo da sessão anterior da tia Juju, porém eles abusam disso: Abusam criando personagens fodões e histórias canhestras bem como hentais que nos deixam viciados e lá se vai todo o nosso tepo livre e dinheirinho suado (ou dos pais) em mangás, games, e tranqueiras.

Isso não é apenas culpa dos mangakas, não... existem também pragas do tipo Ben 10 e, até seu avô conta que foi vítima desses personagens na infância e adolescência, de modo que a coisa e antga. Qual a diferença dos personagens desenhados para os reias, que também fazem uma desgraça consumista? Simples: Harry Potther, por exemplo tem tralhas, os livros, dvd e tal mas, é só, já esses desenhados, tem as mesmas tralhas e mais o mangá que parece interminável e, ainda os do tipo Biba Aranha Homem Aranha eles saem dos quadrinhos (ou mangás no caso dos de mangás) e vão para os filmes, já o contrário é mais difícil acontecer.

E enquanto os tontos ficam sendo enrrolados e consumindo, os fia da mãe continuam ganhando e criando mais personagens malditos mas, um dia eu ainda mudo de lado, não esse mas, o de criar pra enganar os tonto e não ser o tonto otaku.