Pet Shop of Horrors

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Posses Misdreavus.png UWAAAA!! Este artigo se trata de macumba otaku
coisas assombradas de anime!

E deixa a Samara no chinelo.


Pet Shop of Horrors
ペットショップ オブ ホラーズ
Petshophorror1.jpg
Um pet shop do barulho!
Gênero Demônio, Animal, Terror
Mangá
Autor Matsuri Akino
Divulgação Asahi Sonorama
Onde sai Nos pet shops
Primeira publicação 1995
N° de volumes
  • 10 de Pet Shop of Horrors
  • 5 de Shin Pet Shop of Horrors
  • Anime
    Dirigido por Yasuhiro Imagawa
    Estúdio Madhouse
    Onde passa Japão, Brasil, Carapicuíba
    Primeira exibição 1999
    N° de episódios
    Filmes
    OVAs 4

    Cquote1.png Você quis dizer: Tosa ruim Cquote2.png
    Google sobre Pet Shop of Horrors
    Cquote1.png Já levei minha poodle nesse lugar, foi aterrorizante, eles usavam shampoo barato! Cquote2.png
    Ricaça sobre Pet Shop.
    Cquote1.png Nosso lema é vender amor, sonhos e esperança. Cquote2.png
    Count D e o lema de sua loja.
    Cquote1.png Chipizibitz! Cquote2.png
    Rato-morcego do Count D sobre qualquer coisa.
    Cquote1.png Como assim um Shoujo de terror? Cquote2.png
    Qualquer um sobre Pet Shop of Horrors.

    Pet Shop of Horrors é mais um daqueles animes de terror que não metem medo em ninguém e que ainda tentam passara alguma mensagem moral fajuta, encontrada facilmente naqueles livros de R$9,90 em qualquer banca de jornal do Brasil cujo autor deve ter cursado psicologia na UniNove.

    Personagens[editar]

    Count D e seus olhos estranhos ao lado de seu rato-morcego de estimação.

    São três os personagens que importam, todo o resto aparece apenas em um episódio só para se fuderem e terem suas vísceras arrancadas ou para figurar dizendo que trabalham na puliça.

    • Count D ou Conde D — É o dono do pet shop que tende a vender animais pouco comuns aos clientes alé de sempre er um contrato em mãos, o que prova que ele além de demônio deve ser um adevogado. Se veste feito mulher, pinta a unha e seus olhos mudam de cor em cada episódio do OVA's, sendo que não é proposital e sim falta de atenção do pessoal da Madhouse. Ele é chinês e viciado em chás e doces, adorando a torta da Senhora C, o que nos leva a crer que tem o pessoal do alfabeto inteiro.
    • Leon — É um coxinha, ele não tem nenhuma grande utilidade. É da divisão de assassinatos e sempre pega os casos mais bizarros que são de pessoas que compraram alguma coisa com o Count D e tiveram uma morte trágica, o que o faz viver no pet shop.
    • Demônio rato-morcego kawaiii — É o elemento fofo da história é um rato com asas de morcego que acompanha o Count D e que adora morangos, tenta transmitir um pouco de fofura ao clima carregado da trama e não consegue, a única coisa que sabe dizer é "Chipizibitz" ou algo assim.

    História[editar]

    O temível Count D e sua cestinha de piquenique.

    Tudo se passa em Chinatown, num pet shop muito sombrio comandado por um chinês de sexualidade suspeita, parecido com o Marilyn Manson somado à Lucy Liu, com um toque de Jet Li e no estilo do fantasma de Hikaru no Go. Esse pet shop é do Count D que vende os animais que o cliente quiser, qualquer um só que ele sempre faz um contrato que deve ser cumprido à risca para não perder a garantia e se o contrato for descumprido consequências terríveis acontecem.

    01 - Daughter (Filha)[editar]

    No primeiro episódio o Count D começa a ser infernizado por um policial que estava achando que ele era um mafioso chinês pois muita gente que morria de forma estranha era cliente do pet shop do chinês, mas logo o policial vê que a coisa não era culpa do vendedor que tinha tudo bonitinho.
    bem, esse é o coelho que o Count D vendeu para seus clientes.

    Enquanto a investigação ocorria um casal que perdera a filha queria um animal para ocupar o lugar da menina, o Count D vende-lhe então uma raríssima espécie de coelho que tem cara de gente, WTF? Mas só os compradores viam o coelho com o corpo da filha. Eles compram o coelho e assinam um contrato com três condições:

    1. Ninguém pode ver o bicho, senão o ibama fode com o esquema;
    2. Não deixe o incenso acabar (???);
    3. Não dê nada além de água e salada para o coelho.

    Então o coelho em forma de menina foi para a casa dos pais que não demoraram muito para dar uns biscoitos para o ser, já que ele pedira de forma tão fofa. Resultado: a menina coelho pirou com o açúcar da coisa, copulou sozinha, talvez com o rodinho do banheiro e começou a ter coelhinhos-guri saindo de sua narriga, os bichinhos infestaram a casa e mataram o marido da mulher.

    Não exagere nos biscoitos de seu coelho-menina alucinado, as consequências são graves.

    Para resolver aparece o Count D e o Leon na casa dos clientes e veem o local repleto de coelhos carnívoros, Count D encontra a mulher e deixa claro para ela que foi culpa dela a morte de sua filha, duas vezes. Isso porque ela não sabia dizer não e não chamou a Supernanny, por culpa dos pais a filha original morreu de overdose por ser viciada em cigatinhos e a versão cópia-coelha morreu de diabetes fulminante. Nesse momento os coelhos atacam a cliente do pet shop e... Morrem no pulo, isso porque os conservantes de toda aquela biscotaiada agiu como veneno neles, provando que você tem de parar com esse negócio de negócios industrializados.

    02 - Delicious (Gostosa)[editar]

    Até hoje ninguém sabe o que é essa coisa.

    O segundo OVA mostra o caso de um tal de Iason que perdera a esposa que caíra do alto de um cruzeiro minutos após terem trocado as alianças. O cara arrasado vai ao pet shop ver a encomenda de sua ex-mulher e se depara com uma sereia com as feições de sua amada, Evangelina Blue, cantora gospel com nome de atriz pornográfica. O cara então decide levar a sereia para casa, isso seguindo os termos do contrato que o Count D sempre impõe para evitar problemas na justiça. Sendo eles, nesse caso:

    1. Ninguém pode ver o bicho, senão o ibama fode com o esquema;
    2. Deixe-a em um reservatório grande de água do mar e troque a água;
    3. Não a deixe com fome.
    O cara se apaixona pelo peixe. Enquanto isso vai se investigando a morte da moça e o Leon é o responsável por isso já que seu instinto diz que não foi acidente. Ele revira tudo e chega em uma moça que era ex-namorada do Iason e que esstava na hora do acidente, ele a interroga.
    Após a mulher morrer o cara acha uma sereia que é a cara dela, só o Count D mesmo para arranjar animais tão legais, ele também vende no Mercado Livre caso esteja afim.


    A moça mente dizendo que não fez nada e vai falar com o Iason e percebe que ele está pirado e com um peixe feioso na piscina. Ela vai à polícia e conta que o Iason e ela estavam se pegando após o casamento e o cara disse que estava se casando por interesse, a esposa ouviu e se suicidou na sequência pulando no mar, eles se casaram num cruzeiro, chique não?

    Com isso não houve crime, apenas uma emo morta, saldo positivo. Só que na piscina o Iason estava dando uns pegas na sereia e a esqueceu de alimentar, o peixe com fome devorou seu amante, quando a polícia chegou era tarde, apenas deu para matar o peixe onde descobriu-se que ele também devorara a Evangeline quando ainda estava no mar.
    Cena de zoofilia, mal sabia o cara que ele é quem ia ser comido no final.

    03 - Despair (Desespero)[editar]

    O episódio gira em torno da morte de Robin Hendrix um ator de segunda categoria que fez apenas um filme durante sua vida inteira e viveu com o estigma de ser um príncipe alienígena altruísta, portanto, otário. Ele era quase um Cigano Igor, ícone da canastrice teatral. O cara era meio infeliz com isso e a mulher dele ainda o abandonara, resultado ele fora encontrado morto, sem sinal de assassinato ou algo do gênero. A única pista sobre sua morte que não tinha nenhum resquício era um lagarto prateado que estava no pescoço dele, morto junto com o ator.

    O Leon é o investigador e pelo lagarto descobre que o ator era cliente do Count D e comprava répteis suspeitos, o investigador vai falar com o cara do pet shop e ele conta a historinha de quando vendeu uma górgona, que ele chama erroneamente de medusa para o ator, uma mulher-cobra vendada, o investigador não acredita inicialmente, mas depois de tudo que vira ele engole a história, o Count continua contando a história e fala que a medusa, que era um lagarto, gostara do homem e especificou os termos do contrato da vez, que se quebrados dariam em merda:
    A medusa da história, cadê o cabelo de serpentes?
    1. Alimentar o bicho apenas com frutas frescas ou pequenos animais selvagens todos os dias;
    2. Ninguém pode ver o bicho, senão o ibama fode com o esquema;
    3. Nunca olhá-la nos olhos, para não virar pedra.
    Até disso tem cosplayers...

    Se algum termo for quebrado, o que sempre acontece, o Count D não se responsabiliza por mutilações, traumas psicológicos ou mortes terríveis.

    Continua-se narrando a trajetória de Hendrix, antes da morte, ele tentou arranjar um último papel, já uqe precisava de dinheiro para manter seus animaizinhos, agora que sua esposa o chutara. Ele tenta uma vaga numa espécie de High School Musical, mas ele perde para um outro cara que tinha uma empresária que era amante do diretor, resultado o Robin perdeu o papel e teria de se desfazer de seus bichinhos por falta de capital de giro.

    O ator desistiu da própria vida e preferiu fazer um gran finale e montar um jantarzinho com um clima todo especial para ele e sua górgona de estimação, tudo para ele poder ver os olhos de sua amada, que até relutou em mostrar, mas acabou olhando para o ator que morreu literalmente de mal olhado. Sentindo-se culpada a mulher-réptil se olhou no espelho e virou um lagarto de pedra. O policial engole a história e dá o caso por encerrado de forma bizonha.

    04 - Dual (Dualidade)[editar]

    O último OVA começa com uma historinha sem sentido sobre um tal de Kirin, um animal fodástico que era capaz de tornar qualquer austríaco ditador da Alemanha, o bicho tinha o poder de dar fama, amor e todas as garotas que o cara quisesse para o seu mestre, isso às custas de sangue. Um nerd, assessor de um político, para variar um pouco, corrupto acha um diário de um ex-presidente de McDonaldlândia que comprara esse bicho com o Count D. Para seu chefe ele decide, também, comprar uma dessas feras míticas, o tal do Kirin.
    Count D e dois adoráveis Kirins, que tem a cara do Shen Long e corpo de cavalo.
    Esse nerd, Kelly (tinha esse nome sendo homem, coitado), era um idealista e queria tornar seu amigo, Roger, um político digno do congresso brasileiro em presidente dos EUA, mas ninguém ia muito com a cara do Roger, porque elee era mulherengo e safado, para desespero de sua mulherzinha Nancy, que era apaixonada pelo Kelly após se frustrar com o traste de seu esposo.
    Ao longo de 4 OVA's o Count D tomou alguns litros de chá, provando que é viciado em cafeína.
    Kelly e Roger conseguem convencer o Count D a vender o Kirin, sendo que dessa vez não havia aquelas três cláusulas porque o Kirin sabia o que fazia e escolheria um mestre para torná-lo governante, o Kirin era um ser sem nada para fazer e ficava pondo idiotas em cadeiras do governo, o que explicaria a eleição do Fernando Collor de Mello, isso se ele tivesse sido eleito num país com menor concentração de otários. O que assustou os compradores foi a forma do Kirin de uma menina oriental, tanto que acharam que o Count D estava fazendo tráfico de pessoas. Eles compram o Kirin do Count D, que depois aparece fuçando os próprios arquivos de quem já comprara um Kirin, na lista apareciam, Stálin, Hitler, Roosevelt, apenas a nata dos assassinos da humanidade, gente boa para caramba todos. Com o Kirin no carro, Kelly e Roger pegaram a estrada que passava numa espécie de desfiladeiro. No caminho o Kirin escolheu qual seria seu mestre, que seria apenas um dos compradores e seria a fera que decidiria, então, para sacanear, o bicho pôs um ônibus com pirralhos desgovernado na frente do carro dos dois, que pararam o ônibus prensando-o na montanha, mas acabaram caindo no precipício. Lá embaixo só o Kelly sobrevivera e o Kirin, agora na forma original, de Shen Long cavalo, perguntou o que Kelly queria, ele respondeu que desejava que Roger fosse presidente para acabar com a pobreza e queria o sorriso da Nancy. Pedido aceito, Kelly acorda no hospital, no corpo de Roger com a moral lá em cima por ter salvado um ônibus escolar desgovernadoe com uma mulher gostosa, o que traz a seguinte moral: "Eu queria ter um Kirin."
    Count D mostrando que também é chegado num sushi.

    Mitologia de Pet Shop of Horrors[editar]

    Toda a mitologia acaba sendo distorcida nessa série animada, os seres comuns ao imaginário popular acabam recebendo novas características que ninguém jamais viu, sendo mera imaginação do autor que por não gostar muito da versão original prefere refazer um personagem clássico distorcendo-o de forma similar ao que a Stephenie Meyer fez com os vampiros, mas nada tão radical.

    Típico dia do Pet Shop.

    O primeiro ser deformado são as sereias, que segundo a mitologia são garotas bonitas que cantam, vivem no mar e gostam de atrair marinheiros para o fundo do mar com sua musica hipnotica, elas possuem um canto capaz de fazer qualquer um se apaixonar por elas. Em Pet shop of Horrors, a sereia ainda é gostosa e canta bem, isto é, ela solta sons legais, ela não fala, só que essa sereia é na verdade uma besta-fera carnívora e não um ser que arrasta marinheiros para morrerem afogados, o autor preferiu incrementar um pouco a sereia de Pet Shop of Horrors ainda vira uma piranha gigante e devora seu ex, mas achei isso normal.

    Outro ser deformado na brincadeira são as górgonas, que são chamadas erroneamente de medusas, Meduas foi a górgona mais famosa apenas. Em todo lugar górgonas são mulheres com cabelos de serpente que transformam todos que as olharem nos olhos em estátuas de pedra, elas são feias e malvadas, em Pet Shop of Horrors, as górgonas tem cabelos normais e dorso de cobra, nada haver com a original e elas usam venda e não tiram, elas são capazes de amar humanos e são seres totalmente dependentes do dono, coisa que nenhuma górgona grega aceitaria.

    Quem não percebeu que Count D é Conde D, alusão ao Conde da Valáquia, o Drácula, provavelmente é um otaku sem cultura que não conhece Bram Stoker. O Count é o Drácula após refazer o look na China e ficar mais gay, aquilo finge ser o Drácula, o Drácula não gosta de doces nem é vidrado em tortas, mas ele é capaz de domar demônios e tem morceguinhos de estimação, além de ser imortal, essas além do nome são as semelhanças, que fazem o pobre Stoker se revirar no túmulo ao ver que sua obra-prima foi avacalhada por um otaku.
    Count instantes antes de vender o Shen Long para o Akira Toriyama.
    Seria assim se o Count fosse da CLAMP.

    Animais que foram vendidos pelo Count D[editar]

    • Shen Long — Foi vendido para o Akira Toriyama que o enfiou em sete bolas com estrelinhas para torná-lo o símbolo de seu mangá, inicialmente o bicho não gostou, mas depois do sucesso e de vários hentais zoófilos estrelados ele atingiu um estado de felicidade plena.
    • Mokona — Antes de ser vendida para a CLAMP a empresa era uma editorazinha de quinta que para sobreviver era obrigada a publicar fanfics yaoi dos Cavaleiros do Zodíaco, após comprar o bicho que virou seu amuleto eles conseguiram emplacar e ganhar muito dinheiro, tudo pela coisa fofa vendida pelo Count D.
    • Tartarugas Ninjas — Eram simples tartarugas até que o Count D as vendeu para o mestre rato que as treinou e alcançaram o estrelato lutando contra as forças do mal e pintando quadros na Renascença, hoje tem uma tranquila vida nos EUA alimentando-se exclusivamente de pizza.
    • Pokémons — Numa infestação de bichos inúteis em seu pet shop o Count D acabou fazendo uma liquidação e apareceu uns caras da Nintendo que acharam as criaturinhas fofas, Count D tratou de se livrar das pragas que acabaram ganhando um jogo e hoje são odiadas amadas nos quatro cantos do globo.
    • Você — Seus pais, após perderem o peixinho de aquário precisavam de algo que suprisse a carência afetiva e assim o Count D passou para a frente a coisinha mais chinfrim que ele tinha, você. Sendo algo muito lucrativo, então não acredite nessa historinha de gestação e tudo mais.

    Ver também[editar]

    v d e h
    Este artigo fala sobre um anime.