Petrolina

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Petrolina
"Capital do Inferno"
Bandeira de Petrolina.png
Bandeira
Aniversário
Fundação 1870
Gentílico petrolinense
Lema É fogo, é fogo, é fogo, isso aqui tá queimando de novo
Prefeito(a) Ivete Sangalo
Localização
Localização de Petrolina
Estado link={{{3}}} Pernambuco
Mesorregião Liga das Cidades Pernambucanas Dependentes do São Francisco
Microrregião Favelas de Petrolina
Região metropolitana Petrolina Juazeiro
Municípios limítrofes Juazeiro, Sobradinho, Casa Nova, Lagoa Grande, Afrânio, Dormentes
Distância até a capital 3 Km de Juazeiro quilômetros
Características geográficas
Área Não disponível
População Não disponível
Idioma Caipirês, caipirÊs-baianês, caipirês-baianês com pernambucanês, rajadês
Densidade hab./km²
Altitude metros
Clima Insuportável, o diabo traz protetor solar quando vem
Fuso horário UTC
Indicadores
IDH
PIB R$
PIB per capita R$

Cquote1.png Que calor do Cão!! Cquote2.png
Capeta sobre o castigo em Petrolina
Cquote1.png Na União Soviética o bode come VOCÊ!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Petrolina
Cquote1.png Tempo bom, 360ºC nublado, pedimos aos senhores passageiros que usem roupa apropriada. Cquote2.png
Aeromoça sobre Petrolina
Cquote1.png Hoje é sábado vou pro shopping Cquote2.png
Guria retardada sobre Petrolina
Cquote1.png Talento nunca me faltou: já nasci com a rosca assada Cquote2.png
Travesti do viaduto sobre Petrolina
Cquote1.png Fica na Bahia Cquote2.png
Carla Perez sobre Petrolina
Cquote1.png Vamos vadiar na Eco Center? Cquote2.png
estudante anencéfalo sobre Petrolina
Cquote1.png Como se escreve "Petrolina"?? Cquote2.png
Universitários de Petrolina
Cquote1.png Isto ecziste! Mas non deveria... Cquote2.png
Padre Quevedo sobre Petrolina.

Petrolina é um pequeno feudo que é considerada oficialmente como uma pseudo cidade-estado de Pernambuco, tendo como seu maior bairro Juazeiro, que pode-se chamar também de Cohab 7, mas que por se localizar do outro lado do rio goza de certa autonomia administrativa e política. Sabe-se que Petrolina é um dos lugares mais quentes do mundo, tanto que segundo a NASA, a probabilidade de se conseguir sobreviver por mais de 5 segundos é de próximo ao zero.

História[editar]

Em 50.000.000 a.C. tudo era fogo e larva. Nesse clima caliente, o capeta decidiu fixar residência. Começou a criação de uma cidade que inicialmente só seria para ele. Porém, no fim de sua construção, ele achou que a temperatura era extremamente elevada, e abandonou o local. Antes de ir, nomeou-o de Rajada em alusão aof ato do vento fazer a curva no local e não atingir a região, e foi embora para construir outra cidade que ficaria conhecida posteriormente como Teresina.

Anos depois, uma desbravadora de nome Terezinha Teixeira (fundadora do colégio Dom Bosco, River Shopping, Transamerica, Cabaré dos Padres, Igreja Matriz, Orla 2, Sex shop's gospeis e dos curtumes), estava perdida pelo deserto quando encontrou uma placa escrita "Bem-vindo a Rajada". Ela queria correr pois conhecia a fama deste buraco, mas essa desbravadora era tão limitada mentalmente que não achava o caminho de volta e resolveu ficar e povoar o local.

Saiu pelo deserto a procurar homens suficientemente inteligentes para ter se perdido no deserto como ela. Depois de 3 travestis, ela finalmente encontrou um Coelho, começando assim o povoamento, se tornando Terezinha Teixeira Coelho. No início foi complicado, pois os novos habitantes iam para a cidade mais próxima, o Inferno, pois lá a temperatura era mais amena. Mesmo com todas essas dificuldades, aos poucos ele foi conseguindo o seu objetivo. Em 1910, houve uma baixa no número da população (que já era baixa), quando houve uma Guerra Civil. A população petrolinense havia se dividido em dois grupos: os conservadores, que defendiam a honra da fundadora da cidade, Terezinha Teixeira Coelho, em prol do regime de "vida terrena no inferno para a vida eterna no céu"; e os radicais, que propunham o roubo das Torneiras e Copos Mágicos da Igreja Infernal do Reino do Capeta.

A principal arma dos conservadores foi o seu estranho e fétido odor, gerando uma massa de fedor que não permitia a circulação de ar já quente do local, abafando ainda mais o clima daquela cidade. Hoje, Terezinha Teixeira Coelho é considerada a patrona da cidade, em detrimento do Supremo Senhor Infernal e dos Coelhos, que na verdade são criaturas satânicas criadas pelo próprio Capeta. Normalmente, uma vez por semana, a cidade dobra e até triplica de tamanho, quando os pagodeiros de Salvador e seguidores de Geraldo Azevedo invadem a cidade.

Economia[editar]

Centro de Petrolina

A economia local é baseada no tráfico de bode, lavagem de dinheiro e tráfico de juazerenses. Sendo que os principais produtos de exportação são bode, puta, bode, viado, bode, manga, bode, uva, bode e petrolinenses.

Atualmente Petrolina é o maior produtor de bode, galinha, uva e canção do Brasil, tornando-o um grande polo de referência nacional, fazendo com que outras cidades como o Rio de Janeiro fiquem de queixo caído com a qualidade das galinhas e bodes de petrolina.

Em qualquer lugar da cidade você pode encontrar alguém vendendo espetinho, e como a cidade é tão quente, não precisa nem acender a churrasqueira, basta colocar o espeto no vento que a carne já está bem assada.

População[editar]

A população petrolinense é constituída de 3000 cactos, 400 jumentos, 2400 bodes, alguns coelhos e um número irrelevante de pessoas. Mas dentre a população de humanos, Petrolina é composta por 25% de caloteiros de Serra Talhada, 6% dos foragidos de Arcoverde, 25% de pióiense (pessoinhas do Piauí), 25% de baianos (bastardos de Juazeiro), 10% de maconheiros de cabrobó, 5% de gente perdida do Rio Grande do Norte, 4% de argentinos do Peru, 5% de traficantes do Rio de Janeiro e apenas 1% de pessoas pernambucanas natas.

Cientistas bêbados da FACAPE tentam desvendar os motivos da população petrolinense cuspir tanto na rua. Já foi provado que cuspir virou uma necessidade fisiológica natural e incontrolável, exclusiva da região de Petrolina e seu bairro mais antigo, Juazeiro. "Se aperrei não bixim, que isso é normar!!" Disse Terezinha Teixeira sobre o assunto.

Bairros[editar]

Fatos.png
O Deslistas tem uma lista sobre
Bairros de Petrolina


Como Petrolina tem mais de 300.000 habitantes, estes são organizados em centenas de bairros, quase todos chamados de "Cohab", eufemismo para "favela legalizada". O maior bairro da cidade é Juazeiro, isolada do outro lado do rio São Francisco.

Educação[editar]

Suntuosa entrada do Hospital Universitário de Petrolina, um modelo para os hospitais de todo Pernambuco.

Petrolina é a única cidade de sua região que possui universidades, sendo as principais:

  • UPE: Única faculdade estadual paga do universo, que não paga a conta de água de manhã e por isso os trombadinhas do Aplicação ficam sem água, sendo obrigados a ir tomar água na FACAPE ou terem que pagar a conta da água os estudantes mesmo. Maconha, crack, oxxy, heroina, tudo isso e muito mais você encontra com facilidade, é só chegar com a grana.
  • FACAPE (Faculdade do Capeta de Petrolina, e pronunciada como FUCK UP) - Pode ser considerada como praça de guerra local. Conta com uma biblioteca novinha, mas que está sempre vazia e não tem livros.
  • UCBG (Universidade de Criação de Bodes e Galinhas) - Com campus na Areia Branca e na Cohab Massangano.
  • UNIVASF (Universidade Federal de Viados do São Francisco) - Espécie de American Pie em versão petrolinense, também possui grande número de usuários de drogas que sustentam grande parte da economia local, além dos bodes e galinhas. Sua esmagadora maioria de alunos são mulheres e viados.
  • IF (Instituto de Fudidos) - Lá nunca foi considerado uma faculdade, mesmo tendo curso superior. Quase ninguém arrisca estudar lá à noite, porque fica na entrada do João de Deus.

Cultura[editar]

O comportamento petrolinense é intrinsecamente baseado nos hábitos culturais locais, no qual as pessoas humildes dessa pseudo-cidade ainda acreditam que Petrolina se tornará a capital de São Francisco, pura ilusão. O glorioso estado de Pernambuco jamais desmembraria o lugarejo, não que Petrolina fizesse falta, é apenas por questão territorial.

As meninas da cidade sonham em se casar com sobrenomes do tipo: Coelho ou Cavalcantti (coronelismo petrolinense) para dar um golpe e subir na vida.

Os petrolinenses julgam-se "superiores" ao resto do Vale do São Francisco ( uma merda só) por acreditarem que a pseudo-cidade seja melhor e mais habitável que as demais. Ainda tem os analfabetos, sem noção e com atestado de loucura que insistem em ser bairristas em Petrolina, o nojo do petrolinense pelo juazeirense é tão importante em termos culturais que chega a ser reconhecido pelo fudido Ministério da Cultura. A cidade mal tem área urbana (o google que o diga!), ao chegar na orla (metro quadrado mais caro da cidade e que fede a peixe e curtume) e passar pelo "shops" percebem que a cidadezinha acaba ali.

Apesar de se vangloriarem de ter um "shops" não há muita vantagem nisso. Primeiro porque o shopping parece ser subterrâneo já que até hoje ninguém encontrou um shopping de verdade, apesar de ser pequeno a população nada convencida acha-o gigantesco. Nesse cubículo também há cinema com poltronas nada má conservadas.Aconselha-se sentar no chão para não se deparar com fortes dores de coluna e perda de dinheiro que insistem em cair nos rasgos super discretos das poltronas.

Religião[editar]

Numa pesquisa de 2005, onde foi perguntado "Qual sua fé?" 49% dos petrolinenses afirmaram ser evangélicos, 48% católicos e 3% muçulmanos. O grande numero de católicos e evangélicos deve-se ao fato de as pessoas temerem irem para outro lugar quente depois da morte, já o numero crescente de muçulmanos (principalmente na população masculina) é por causa da promessa que ganhará 70 virgens (algo muito raro em Petrolina) depois da morte.

Lazer[editar]

Pessoas aproveitando o rio São Francisco enquanto este ainda existe.

Petrolina é conhecida pelos diversos eventos oferecidos, sendo os festejos principais:

  • Festival de Primavera - Evento realizado apenas para dizer que houve um evento feito pela prefeitura, o público alvo são as pessoas carentes de Petrolina (97,3% da população) que não podem pagar um único show pago.
  • Aldeia do Velho Chico - Anualmente, todas as bibas do Vale do São francisco se reúnem para demostrações lascivas de arte, e ainda cobram dinheiro, mas para quem tem carteira de identificação GLBT tem 50% de desconto.
  • Animekai - Encontro de masturbação público com hentais, reunião anual de todos os otakus, nerds, emos e andróginos de Petrolina e Juazeiro, com o intuito destes se vestirem de personagens fictícios de vertentes sexuais duvidosas. Qualquer pessoa sensata diz que essa reunião é coisa do demônio, mas a prefeitura nunca proibiu tal atrocidade de acontecer anualmente.
  • São João dos Bairro: - Afim se suprir a necessidade forrozeirística dos petrolinenses, o São João dos bairros é feito para aqueles que não podem pagar uma passagem de ônibus para Olinda, e que moram em bairros periféricos, como Rio Corrente, Dom Avelar e etc, lá você encontrará a nata da mukiragem de Petrolina, além das melhores bandas da região, como: Saliva de Menina, Tochas do Forró, e os Engraçadinhos do Samba!
  • Moto Chico - Evento onde as forrozeiras e pagodeiros da cidade se vestem de preto para parecerem "cool", mesmo sem saber o que significa ser "cool". As forrozeiras tem também outro objetivo, dar para um motociclista rico, mas enfrentam a forte concorrência dos cabarés da cidade que se preparam o ano inteiro para o evento.
  • Festa da Motinha - Esta festa realizada em um pátio de escola pública contava com muitos retardados fazendo uma espécie de dança da Motinha. Dentre os participantes estavam o Cortês pegando todas no canto, o buraco negro na barriga e o rapaz da crocs roxa.

Turismo[editar]

O forte do turismo em Petrolina, além da maconha fácil, é o bode, animal que pode ser avistado e apreciado em toda parte, para ser comido nos dois sentidos do verbo comer. Bairros inteiros são dedicados a vender o mesmo prato.

O que atesta o turismo na região é o fato dos motéis da cidade serem movimentadíssimos, onde as pessoas morrem de picada de cobras sucuris, jiboias, corais e principalmente a cobra do deserto. Ao lado desses movimentados motéis estão os cabarés com suas atrações com o melhor número de putas comestíveis possíveis.

Um dos pontos turísticos da cidade, a escultura de uma peituda nua no meio do rio que evangélicos querem que seja retirada dali por estimular a punhetagem entre os jovens.

Pontos turísticos:

  • Bodódromo - Antes conhecido como Areia Branca, o bairro tem o pomposo nome de Bodódromo, onde você pode escolher entre mais de 150 restaurantes vazios, em qual deles você vai quebrar os dentes saboreando uma maravilhosa carne de bode (que na verdade é carneiro) assada na brasa.
  • Galinhódromo - Logo em seguida temos a antiga Cohab Massangano, hoje conhecida como Galinhódromo, conhecido assim não apenas por seus restaurantes com pratos a base da penosa, como também pelas suas moradoras.
  • Piranhódromo - Outros locais bastante visitados são as faculdades da cidade (FFPP-UPE, FACAPE, e UNIVASF) que são conhecidas pelos turistas como Piranhódromos, de vido à quantidade massiva de mulheres fáceis e pobres doidas para dar algum golpe do baú.
  • Rodeadouro - A mais conhecida. A perfeita visão do inferno. Peixes podres, que ainda crú, desmancham em sua boca. E você ainda leva pra casa, calazar e hepatite.
  • Monumento de Iemanjá - Localizado num banco de areia no meio do rio, feito por algum estagiário de artes plásticas, parece ser feito de papel machê, todavia é feito de algum material impermeável. Ninguém sabe que é Iemanjá, acham apenas que é uma gostosa peituda simbolizando o turismo sexual que há aos montes no município.
  • Ilha do Fogo - Mais conhecida como "Fumódromo" ou "Ilha da Cracolândia. Frequentada em sua maioria por traficantes e noias de Juazeiro, que lá comercializam suas mercadorias vindas da Colômbia e afins. O melhor orégano da cidade você encontra lá. Inclusive o prefeito de Juazeiro tentou parceria com a prefeitura de Petrolina em um projeto de inauguração de barracas alternativas, facilitando a exposição da variedade de produtos lá disponíveis como crack, oxi, tíner, cola de sapateiro, pó e benzina.
  • Culpe o Vento - Apelidada de Cu pro vento, ninguém sabe ao certo onde fica essa ilha. Dizem que nela foi filmada a serie Lost.
  • Ilha da Amélia - Onde os viados vão transar sem serem vistos.
  • Ilha do Massangano - Antes era uma ilha vazia, até que um dia um morador da Cohab Massangano resolveu fumar maconha longe de casa e acabou chegando lá, e batizou com nome do seu bairro... É frequentado por quem não tem o que fazer e topa esperar horas por um espetinho.
  • Ilha do Boinho - Local onde se reúnem semanalmente milhares de putas, piriguetes, raparigas, e onde rola todo tipo de putaria, se quiser comer uma puta assada é só ir lá.
  • Parque Josepha Coelho - O governo de Petrolina criou uma lei para não ficar ninguém no parque depois das 21hrs para não gerar boca de fumo para evitar as pessoas que gostam de cheirar pó, cola de sapateiro, fumar maconha, baseado, crack, piranga, cheirar benzina e cheirar gatinhos.
  • Ilha das Pedrinhas- O local cheio de merda de coelho que tem um rio cheio de "lego" pedras debaixo d´água que furam os pés com cortes de terceiro grau e a água parecendo o rio tietê.
  • River Shopping (Horrível Shopping) - O shopping de pobre que parece que está debaixo da terra, tem umas lojas foleiras e é tão atrasado que só foi ter um Mcdonald's em 2012 (para disseminar o McCâncer Infantil - e agora só falta esperar mais 100 anos para chegar o KFC, Burger king, Pizza hut, mesmo que ninguém queira realmente comer essas porras). Mesmo sendo microscópico, os cidadãos da cidade insistem que ele é do tamanho do Wallmart, apesar de ser menor do que qualquer colégio da cidade. O shopping segue o modelo pernambucano de cobrar pelo estacionamento, então a população de Petrolina o abandonou pois não tinham mais de onde tirar os 2 reais de estacionamento, e colocam seus carros do lado de fora.