Piau

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Me parece cidade de velho...

Piau é uma cidade muito distinta e pequena localizada em Minas Gerais. A cidade tem a mais tradicional e digna festa regional: a festa da Banana, que devia trazer algum lucro ou turismo para o município mas, pelo contrário, isso não acontece por algum motivo que ninguém sabe o que é.

História[editar]

A cidade foi fundada por um bando de foragidos, entre eles o único filho ilustre da cidade que não tinha nascido lá: o tio de Tiradentes, o cara do feriado.

Como eles estavam sendo perseguidos e Piau tinha uma floresta, muitas Bananas para comer e por justamente ter muitas bananas e ser o pior lugar para se viver era bem ali que eles jamais procurariam eles. Então, na época do Brasil colônia a melhor solução para um foragido era fugir para as florestas... Parece uma boa ideia!

Como é de se esperar, nunca acharam os covardes que não queriam morrer pois eles estavam em um lugar tão remoto quanto o Cu do mundo, se não estarem já no Cu do mundo. Lá eles formaram uma vila longe da coroa portuguesa e no fim oficializaram a cidade. Seja como for, ela viveu como um reino selvagem até a chegada da televisão, que chegou ano passado por lá.

Turismo[editar]

Digníssimo produto do município e o que o prefeito come todo dia.

O ponto forte (ui!) da "capital da Banana" que produz menos banana que um município miserável no nordeste, um município que recebe menos chuva do que esse aqui produz mais do que Piau. Por isso todas as bananas são compradas de municípios e feirinhas de fora, é um trato de "cidade pequena que ajuda pequena".

Depois de comprar as bananas é só adulterar que eles produziram aquilo (ninguém liga se alguém dizer que a banana foi ele que produziu, bananas são as coisas mais fáceis de se plantar) e fazer uma festa tão divertida e famosa quanto a festa da Polenta em qualquer buraco do Brasil.

Atrai alguns desocupados essa festa, desocupados da cidade e de fora dela. Todos se reunem para comer bananas, o que não faz muito sentido já que não há atrações na festa além das bananas. Isso mesmo! nem joguinhos há!

Enfim, a festa é tão interessante que a única banda que compareceu lá não sabia sequer afinar os instrumentos.

Produção[editar]

Banana, Banana, Banana, Banana... Só isso. A base do município é a banana, a base econômica, política e religiosa. No fim, descobrimos como a produção é miserável: 3 cachos por ano. O que nos deduz que alguém comeu as bananas, mas ninguém se pergunta sobre isso. Mas é da natureza do município valer uma banana (ninguém o comprou pois é mais produtivo comer a banana).