Pinheirinho do Vale

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gauchodanc.jpg Mas bah, tchê!

Este artigo buenaço e tri-legal é do mais puro humor gaudério dos pampas, vivente, então veste tua bombacha, recolhe teu pelego no galpão e toma um mate amargo com a gente, macanudo!

Chima.jpg
O pinheirinho que o velho tarado se amarrava.

Predefinição:W Pinheirinho do Vale é a desconhecida cidade habitada por pessoas com cérebro de ameba e que fica no sul do Rio Grande do Sul. A região é conhecida pelo péssimo bacalhau que plantam na região.

Cquote1.png Peraí! Bacalhau não se planta! Cquote2.png
Você sobre bacalhau

Ah, mas em lugares tão estranhos quanto Pinheirinho do Vale, até isso é possível. O céu é o limite!

História[editar]

A história do município é obscura e aconteceu durante os anos 50 quando os italianos estavam procurando um lugar onde não tivessem alemães. Acabaram achando que Pinheirinho do Vale era o lugar perfeito, porém havia alemães na região sul do Brasil também... Foi um dos maiores fails que já foram feitos pelos italianos em seus séculos de existência.

A vila que antes de ser município, chama-se, tão somente "Pinheirinho", tem, inclusive, RUA DO COMÉRCIO. Mas é única Rua que não tem comércio algum. Ficou pra trás o "Mercado do Mando Rech, o antigo salão de Baile, etc". Quanto ao nome: quase uma ideia maluca transforma esse lugar em "Lindolfo Collor" em homenagem ao ex-presidente Fernando Collor. Mas devido à vidência de um ex-paranormal que existia no lugar (carinhosamente chamado de "Farmacêutico") este acreditava que não seria uma ideia boa. Talvez previsse o que seria o neto diante da Presidência. Assim, por poucos votos, venceu a ideia de "Pinheirinho do Vale", dentre outros que perderam como Pinheirinhos, Porto Novo (ideia do Raimundo).

Continuaram sua vida normal, sempre sendo xenofóbicos e achando que todos os que visitavam sua cidade (mesmo que fossem italianos) tinham algo a ver com alemães.

Depois de muitos anos sendo uma das cidades mais xenofóbicas e racistas já vista no sul, a região se emancipou, porém o nome que tinham era "terra do Bacalhau". Então se lembraram de uma história de um velhinho que era botanófilo e que era apaixonado por um pinheiro que ficava em um vale. Colocava o dito cujo em um buraquinho e fazia enquanto pessoas passavam, pois aquilo era um vale! Vales não são usados para isso!

Depois que formigas acabaram mordendo o seu falo, ele acabou castrado e passou a apenas acompanhar o pinheiro, feito uma pessoa normal até a sua morte. De certa forma, pelo menos não morreu virgem.

Economia[editar]

Vendem 90% dos pinheirinhos de natal, provando que a cidade é exatamente o que parece ser: vende o que tem em seu nome e pelos olhares comerciais é inútil e inviável investir em um lugar assim. É uma cidade onde os administradores defendem "inducação"; é a terra do jogo de "víspora"; e onde o esporte mais popular é jogado com as mãos: "baralho". A maior renda vem da aposentadoria dos velhinhos. Onde a "Tele-sena" é vendida para 10% da população todos os meses, mas ninguém ganha. Só os espertos, noticiando falsamente que algum velhinho ganhou. Esta seria uma cidade rica se cobrassem imposto sobre a "fofoca". Existe rádio local e funciona pela internet; mas que tal. O futuro da cidade depende da água; todos esperam que esta porcaria vá "água abaixo" com a construção de uma hidrelétrica. São todos a favor, menos os que dependem da prefeitura e os que pescam (salário do INSS como pescador)

O asfalto já foi pago 3 vezes, mas nunca foi feito. Há bons apostadores quanto à ideia da construção do asfalto. Um deles, hoje residindo em Frederico Westphalen chegou a prometer do próprio bolso o dinheiro para construir o asfalto entre Pinheirinho do Vale e Caiçara se, e tão-somente se o Governador viesse mesmo CUMPRIR a palavra de construção do asfalto até Palmitinho. Pois olha, lá se foram 4 governadores....e nada de asfalto.

Mas este ano tem eleição...mais promessa e mais poeira. E o povo votando nos mesmos. Pelo lugar teria que ter uma LEI PROIBINDO O ASFALTO!!!

Agora querem ponte para Santa Catarina!!! Já tá saindo. Até comprei uns tijolos la no "Fibe" pra começar a obra.

Atualmente[editar]

A cidade tem um pinheiro com a estátua de um velho tarado colocando seu pinto em um buraquinho do pinheiro. É uma menção ao surgimento do nome da cidade e também ao "ilustre" habitante que mais tarde teria levado o costume de botanofilia para o CTG, movimento tradicionalista gaúcho que preza pelo Jihad de todos os estrangeiros.