Piranguçu

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Carroca1.jpg Enxada-2.pngEsti artigu é caipira, sô!!Enxada-1.png

Este tar di artigu pareci caipira, foi escritu purum caipira, ô ele é de fato
CAIPIIIIRRA!!!

Num istraga eli naum, si não nóis crava a inxada pra riba docê!


Nota: o trecho seguinte está "compactado" de modo a despoluir visualmente o contexto da página toda.

Cquote1.png Você quis dizer: Piranguinho? Cquote2.png
Google sobre Piranguçu
Cquote1.png Você quis dizer: Fim do mundo? Cquote2.png
Google sobre Piranguçu
Cquote1.png Experimente também: Trocar de cidade Cquote2.png
Sugestão do Google para Piranguçu
Cquote1.png Experimente também: Deixar de ser caipira Cquote2.png
Sugestão do Google para Piranguçu
Cquote1.png O time de futebol da cidade é muito forte Cquote2.png
Perna de pau sobre ECP
Cquote1.png Foi foda encontrar algo legal para fazer Cquote2.png
Chuck Norris sobre Autobiografia de Norris: as 10 missões mais difíceis
Cquote1.png Piranguçu é o lugar em que todos sabem mais da sua vida que você mesmo Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Piranguçu
Cquote1.png A língua do povo é enorme Cquote2.png
Você sobre moradores de Piranguçu

Piranguçu é uma dessas cidades pequena de Minas Gerais.


Da emancipação desse "lindo" povoado[editar]

Desde o início da Idade das Pedras, Itajubá era o representante de uma certa extensão territorial que uma parcela pertence atualmente a Piranguçu.

Mas, o espírito cachaceiro revolucionário dos animais pirangussuenses um dia libertaria dos domínios do feudalismo imposto por Itajubá. Para isso, algum conflito deveria acontecer para promover tal mudança.

E isso aconteceu! Foi no ano de 1962 sua emancipação. E adivinhem o motivo? Acertou quem disse que foi a "marvada" da cachaça.

Na seção "Celebridades" temos a descrição do célebre ....Canabrava. Seu fundamentalismo talibã libertário e visionário abriu a visão dos pirangussuínos antigos indígenas moradores de tal região: tinha-se um líquido Vermelho e de Grande uso que libertava a mente humana para sensações desconhecidas até então, mas que era muito popular e cobiçada pelos colonizadores itajubenses.

Inicia-se uma grande luta de pedra_papel_e_tesoura sangrenta para ver que deveria ter os domínios de tal território. A mudança físca do ambiente e do feitio da população foi muito notável. Mas, utilizando os conhecimentos geográficos locais, com o devido cuidado na plantação de cana-de-acúçar promovido por Canabrava, o abastecimento da população local propiciou cada vez mais força para a Independência de Piranguçu.

Surgiu-se então o famoso grito "Independência ou porre" que amedrontou os itajubenses e foi imposto a eles um tratado comercial, conhecido como Tratado da Marvada, que durou apenas alguns anos, quando os derrotados aprenderam toda a técnica de produção local.

Mesmo assim, a independência trouxe um sentimento de maior liberdade, apesar dos índices econômicos estarem sendo agravados pela baixa cotação da marvada na Bovespa, inflacionado a virgem e inocente cidade acostumada com o leite com pera fornecido tempo atrás por Itajubá.

A solução adotada foi investir no futebol municipal e em bares em abundância para promover uma justa distribuição local do "remedinho" (uma espécie de socialismo em tempos de crise do capitalismo da pinga produzida em Piranguçu).

Dessa forma, vê-se que algo bom pode ter acontecido, apesar de tantas mazelas existentes.

O interessante é como surgiu esse nome de mau gosto o nome "Piranguçu": foi em homenagem ao líquido Vermelho e de Grande uso pelos moradores tupis antigos, pois é um vocábulo que significa "grande vermelho", através da junção dos termos pyrang ("vermelho") e usu ("grande").

Família tradicional de Piranguçu, reunida para um almoço dominical.

Consequências de sua extensão territorial[editar]

1º) Cidade tão pequena que todos os moradores sabem o nome um do outro (claro, tem-se os nomes mais comuns, como José, Maria, Ana...).

Se você for visitar a cidade, provavelmente muitos velhinhos vão te perguntar:

- Você é filho de quem? 
- Quem é o seu pai?
- Onde você mora? 

E a resposta será a mesma sempre:

- Conheci muito seu avô, tio, avó, tatatatataravô.

2º) Atualmente, para evitar os danos das fortes chuvas sobre as estradas rurais, o prefeito decidiu que não vai mais chover na cidade. Para isso, comprou um pedaço de lona pra cobrir o município!

3º) O uso do Disque-Denúncia em Piranguçu não se faz útil, pois é a única cidade do globo terrestre onde é identificada uma denúncia anônima!!! E o pior que é verdade, sem sacanagem!

Coisas interessantes/Curiosas de Piranguçu[editar]

Não se tem nada pra fazer na cidade. Para a criançada, resta sua única forma de lazer: jogar bola no terrão ou mesmo na quadra da cidade, utilizando bola de meia como "bola" para a prática de tal esporte. Em educação, a cidade caminha para a formação de um amontoado semiletrados que jamias terão o sonho (ou perspectiva) de fazer uma universidade/faculdade em suas vidas. Os mais idosos vão para a missa todo domingo de manhã para falar mal da vida de terceiros rezar. Ou seja, essa é única coisa que tal faixa etária faz nessa cidade. Ops: havia me esquecido de citar que os velhinhos contam inúmeras vezes (para as crianças) suas recordações passadas, que são resumidamente tristes pelo fato do trabalho escravo infantil que eles praticaram 100 anos atrás. Para os adultos, diversão não falta: bares, brigas em bares, falar mal de terceiros em bares,entre outras coisas, como namorar em bares ou em outros pontos (como a pracinha da orgia paz, situada próxima à igreja do município).

Breve resumo da população[editar]

Em Piranguçu existem mais cães na rua do que pessoas. Por se tratar de roça, os moradores são pessoas muito jumentas e humildes, bebem cachaça todos os dias em bares (que são inúmeros em toda extensão territorial), as crianças são franzinas, inocentes e analfabetas devido a alta taxa de corinthianos na cidade.

Piranguçu possui vários exemplares de pessoas: temos alguns emos, alguns manos, muitos caipiras, algumas piranhas, várias barraqueiras, vários bêbados, mas esses já diminuíram bastante devido ao índice de mortalidade dos mesmos.

Os emos são a parcela que fazem amizades com as poucas meninas gostosas bonitas da cidade. Ou seja, para você se dar bem, tenha ao menos um amigo emo! Para isso, basta curtir no Facebook alguma banda que eles gostem, como Restart e Hevo24 Hevo 84. Seja esperto!

Os caipiras representam uma sociedade trabalhadora (alguém tem que trabalhar né!), mas que se deixam levar por escolhas erradas, devido o baixíssimo nível da educação básica da cidade. Mas, por si só, são muito engraçados.

As piranhas e barraqueiras são amebas seres que vivem na busca de brigas e confusões por toda cidade. Qualquer novidade é espalhada por todo município em uma velocidade maior que a da luz, contrariando Albert Einstein e toda sua formulação na Física Moderna. Realmente, é incrível o poder dessas duas classes citadas.

Os bêbados dispensam comentários, pois representam o mais preciso significado de Piranguçu.

A pratica do Pirangubol é mantida de gerações por gerações.

Esporte[editar]

Logicamente, em uma cidade tão pequena e pobre, os vagabundos moradores de Piranguçu tentam jogar jogam futebol em grande parte de seus tempos livres (acreditem, são muitos).

Como lazer, tal esporte é praticado em demasia, o que não quer dizer que existem bons jogadores. Em sua maioria, o futebol praticado é de péssima qualidade, conhecido mundialmente como Pirangubol.

Como representante da cidade em torneios regionais, o E.C. Piranguçu já conquistou alguns títulos: o de time mais disciplinado (algumas milhares de vezes, diga-se de passagem!), time mais alcoolizado do Sul de Minas (claro, milhares de vezes), além de títulos como o de pior campanha dos torneios que participa (esse daí o E.C. Piranguçu é imbatível).

Em relação a esportes conhecidos oficialmente, pode-se apenas acrescentar o futsal (mas esse tem a mesmo fim que o futebol).

Mas a participação dos pirangusuínos moradores da cidade em esporte radicais e excêntricos é muito forte. Devido à vida boêmica de mais da metade de sua população, existem diversas corridas para bebuns, citando-se o triatlo e corridas de bicicletas.

Para impulsionar futuramente os bares, o ensinamento da bebedeira é levado a sério!

Economia[editar]

O comércio da cidade é uma tristeza: não se encontra nada, até mesmo o Mazzaropi iria sofrer na cidade!

Nos mercados, não há variedades de produtos, principalmente das rações que sua população tanto necessita para sobreviver. Tipicamente, sobra nos mercados o produto de maior exigência de sua população: a marvada da cachaça. Esse produto não falta em nenhum momento, pois sua ausência já causou algumas greves e revoltas populares. Por isso, o prefeito da cidade libera para sua população o Bolsa Aguardente, com o propósito de colocar um cabresto agradar seu potencial eleitorado.

A maior receita vinda de comércio é movimentada pelo inúmeros bares. Bar está para Piranguçu assim como roubo está para política. Faça sua vista nessa cidade e comprove o que você leu!

A seguir, temos uma famosa demonstração da cultura do povo pirangussuíno desse lindo município com o potencial econômico dos donos de bares:

O povo é tão analfabeto ignorante que certa vez passou uma madame que vinha dos lados de Campos do Jordão... Ela havia parado em Piranguçu porque sentiu uma forte vontade de fazer xixi; então estacionou seu carro bem na frente de um bar e perguntou para o comerciante:

- Aqui tem toallet?

E o tosco virou-se para a prateleira, olhou e olhou, sem nada encontrar e respondeu:

- Dona, hoje eu num vô te não, mas a semana que vem senhora passa aqui que vão chegar um caminhão cheinho...


Celebridades[editar]

Como uma cidade de analfabetos, ignorantes e bebuns, as maiores personalidades de Piranguçu ganharam prestígio social através da vivência em bares e do acúmulo de experiências em tal meio.

Para promover maior privacidade e respeito à memória de tantas celebridades excêntricas, esse artigo científico texto se conterá em colocar os sobrenomes ou apelidos das estrelas pirangussuínas municipais de Piranguçu.

....Canabrava: Famoso herói local, responsável pela luta de emancipação da cidade e rés a lenda que o início das plantações dos canaviais de "Pinguçu" se deu através das catarradas sempre frequentes de Canabrava, devido ao seu forte gosto e uso de tal "remédinho". Dessa forma, tal ícone está intimamente relacionado com à força econômica dos bares e o enraizamento do uso da marvada da cachaça.

....Julião: Não muito conhecido na cidade, seus feitos no mundo da bebedeira serão sempre um ícone a ser praticados em bares. Rés a lenda que tal "herói" não necessitava de se alimentar normalmente (comer as rações que os indivíduos dessa cidade tanto necessitam), pois o álcool era digerido em seu organismo e transformado em todos os nutrientes essenciais para o exercimento das atividades de ser humano. Dessa forma, sua vida foi prolongada, contrariando cientistas de todo mundo, em especial os do Instituto de Tecnologia de Massachusetts.