Piranhas (Goiás)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Para outros significados veja: Piranhas


Cquote1.png Você quis dizer: Cidade onde o vento faz a curva Cquote2.png
Google sobre Piranhas (Goiás)
Cquote1.png Piranhas é MARA! Cquote2.png
Seu Ladir sobre Piranhas
Cquote1.png Você traiu o movimento da civilização, véio!!! Cquote2.png
Dado Dolabella sobre Piranhas
Cquote1.png Quem nasce em Piranhas é o quê??? Cquote2.png
Engraçadinho sobre Nome da cidade
Cquote1.png Vamos para o Shopping?!!! Cquote2.png
Habitante da cidade sobre Supermercado João Claudino
Cquote1.png Esta cidade tem bastante potencial turístico Cquote2.png
Prefeito da administração 1956-1960 sobre Piranhas
Cquote1.png Esta cidade tem bastante potencial turístico Cquote2.png
Prefeita da administração 2004-2008 sobre Piranhas
Cquote1.png Esta cidade tem bastante potencial turístico Cquote2.png
Prefeito(a) da administração 2124-2128 sobre Piranhas
Cquote1.png Em Piranhas, a prefeitura é quem não rouba você! Cquote2.png
Reversal Russa Reversa sobre Piranhas
Cquote1.png Vou ganhar dinheiro nesta cidade! Cquote2.png
Desavisado pensando que a cidade tem futuro

Vista do centro de Piranhas às margens do rio Piranhas.

Piranhas, apelidada carinhosamente de Pexa ou Piranhas city (Goianês:Pexolândia) é uma cidade localizada (dizem) em algum lugar de Goiás.

Economia[editar]

A economia de Piranhas é baseada no comércio de X-salada, cerveja, forrós e cabeças de gado. Se alguém não trabalha em um desses comércios, provavelmente é porque conseguiu uma "peixada" na prefeitura.

Recentemente tem se desenvolvido uma nova modalidade econômica: Festas com nomes imbecis tocadas por um sujeito que se diz DJ, como por exemplo Aleluia Fest, Natal Fest, Glammour Fest, entre outras bizarrices...

Qualquer novidade que ouse quebrar a rotina pacata e besta da cidade não sobrevive nem uma semana, como por exemplo a Feira da Lua que tentou ser implantada na cidade, lan-houses ou lojas de videogames.

Geografia[editar]

A existência desta cidadezinha ainda não foi comprovada cientificamente... Lendas antigas relatam que trata-se do lugar onde Judas perdeu as meias, pois as botas ele já tinha perdido há muito tempo.

Única vegetação é formada pelo mato seco sem rumo, ou seja, a cidade não possui o mínimo e mísero mato verde.

A cidade é cortada pelo Rio Piranhas, onde se encontra inúmeros problemas o orgulho do povo local. O rio é conhecido por suas altíssimas taxas de lixo por metro cúbico de água, pouca água, e quando chove alaga as casas que ficam em meio a região, então se estiver pensando em ir tirar um dia para ir banhar la, saiba, ou voce atola e afoga a cara na areia,ou te quebra nas pedras. Maconheiros frequentam a região para fumarem em paz em sossego e harmonia, pois sabem que lá os policias não irão por plena preguiça

Em meio a esse rio maravilhoso, encontra-se a maravilhosa ponte de Piranhas, sem espaço para pedestres, a qual se você inventar de passar por baixo você é automaticamente atropelado em meio aos carros. A suposta passagem para os pedestres são feitas por os blocos de cimento que balançam, o que significa que a qualquer momento aquilo pode desabar.

Clima[editar]

As quatro estações do ano piranhense são: Verão, Mormaço, Calor e Inferno. Sendo divido da seguinte maneira:

  • De Janeiro a Maio: Sol e calor
  • De Junho a Dezembro: Calor e Sol

Política[editar]

A prefeitura é reconhecida por nunca ter feito nada de útil, os funcionários são os mesmo a mais de 25 anos, nunca trocam e fica por isso mesmo.

População[editar]

Moça piranhense mostrando a verdadeira hospitalidade da cidade.

O povo é tão feio, que eles precisam se contentar e ligam apenas para a beleza interior, e não é a toa que de tão interior a beleza das pessoas chegam quase a cair em Foz do Iguaçu.

Transporte[editar]

O trânsito é relativamente tranquilo com uma frota de carros formada por 35% de HILUX, 70% de Gol prata (nunca mudam a cor,porque sempre tem um copiando o outro), 10% de motos no geral, 15% de Fuscas e 5% dos demais carros.

Educação[editar]

A não ser que você pretenda futuramente ser mais um estúpido que continue nessa roça, trabalhando com gados e ganhando menos até que os mendigos, a melhor opção é dar o fora e ir estudar em Goiânia. Senão, as únicas alternativas de estudo superior é optar por fazer faculdade de licenciatura em tolices (e.g. virar professor) de Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Libras, Geografia, História, Matemática, Química, Física... Esqueça Enfermagem, Piranhas não possui um hospital que presta. Mas isso aí tem mais a ver com saúde que com educação, então vamos parar por aqui.

Turismo[editar]

Único atrativo turístico da cidade

A cidade é mais um Paraíso dos goianienses, pois eles não acham mulheres em sua cidade que foram roubadas pelos brasilienses, e então vão para Piranhas arranjar mulher fácil, ou você acha que o nome da cidade é em homenagem a algum peixe carnívoro? Claro que não, mas sim homenagem às mulheres fáceis da cidade.

A cidade é praticamente uma Dubai dos goianienses, quando homens chegam aqui em Piranhas e se empolgam já pegam logo no mínimo 3 mulheres cada.

O turismo piranhense é focado nos seguintes programas:

  • Três tombos (cachoeira)
  • Três tombos (cachoeira)
  • Três tombos (cachoeira)
  • Três tombos (cachoeira)
  • Descida para o Cemitério
  • Três tombos (cachoeira)

Há mais de 2500 anos que os piranhenses dizem que a cidade tem potencial turístico, entretanto a cidade sempre ficou só no potencial. Nunca se fez nada, e os poucos turistas desavisados, quando querem visitar as cachoeiras se perdem no mato, odeiam a cidade e não voltam nunca mais.

A única opção verdadeira de turismo é encher a cara e dar em cima das piranhas que habitam a cidade e sonham em dar o golpe do baú em algum forasteiro. Tudo isso ao som de uma bela música sertaneja, não raro tocadas por três ou quatro carros, querendo ver quem "bate" o som do outro.

Principais eventos[editar]

  • Barraquinhas: Evento onde a população se junta para comprar produtos importados diretamente do Paraguai e beber bastante
  • Pecuária: Evento onde a população se junta para "prestigiar" cantores importados diretamente do Paraguai e beber bastante
  • Festa da Maria viúva: Evento onde a população se junta para dançar forró ao som de cantores importados do "areia" e beber muito...

Cemitério[editar]

O Cemitério São Miguel é uma atração a parte na cidade de Piranhas, pois já não basta ter nascido piranhense e ter uma vida inteira para ser chamado assim, tem que ser também humilhado durante a morte. O cemitério é apertado, superlotado e vítima de alagamentos constantes, as covas são rasas e ninguém tem direito a sete palmos abaixo da terra. Certa vez, ao cavar uma cova, mais pareciam que estavam furando uma cisterna e meteram o pobre coitado (que claro, preservaremos o nome) água abaixo, e jogaram terra por cima. Esse morreu duas vezes...

Por lá, ao invés do uso do paletó, as visitas aos defuntos são realizadas com roupa de mergulho ou com as várias canoa ao lado da covas (não se esqueça de amarrá-la na cruz).

O que NÃO tem em Piranhas[editar]

  • Ateus;
  • Aquecedor;
  • Restaurante;
  • Gente bonita;
  • Lojas decentes;
  • Praia;
  • Artistas da Globo gravando cenas da novela das oito;
  • Shopping (o "Shopping" Carajás não conta);
  • Escada rolante;
  • Elevador;
  • Feira Hippie;
  • Tempo frio;
  • Gente usando blusas de frio;
  • Cinema;
  • Prédio com mais de um andar;
  • Pessoas que NÃO GOSTAM de fofocar;
  • Góticos, Punks e afins (senão seriam queimados como bruxos pela população suuuper tolerante);
  • Ensino de qualidade;
  • Hospital;
  • Habitantes pacientes;
  • Qualquer outro tipo de diversão relacionada aos tópicos anteriores ou a qualquer outro não citado (por mero desconhecimento dos habitantes locais).