Pires do Rio

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Município de Pires do Rio
"Porque pires não é só para xícaras"
Bandeira de Pires do Rio.png
Bandeira
Fundação 9 de novembro de 1922
Gentílico piresino-riosense
Lema Temos até um lago
Apelidos Cidade em ruínas
Localização
Localização de Pires do Rio
Estado link={{{3}}} Goiás
Região intermediária Casas das Duplas Sertanejas Goianas
Região imediata Pires do Rio e suas Currutelas
Municípios limítrofes Orizona, Vianópolis, Palmelo, Santa Cruz de Goiás, Caldas Novas, São Miguel do Passa Quatro, Cristianópolis, Urutaí e Ipameri
Distância até a capital 83 km
Características geográficas
Área 1 073,369 km²
População Mais de 30.000 hab.
Idioma Goianês e mineirês
Clima Insuportável as vezes
Fuso horário UTC PQP-3

Pires do Rio é uma megalópole do estado de Goiás incrustada no meio do cerrado sendo um ponto de parada obrigatório no caminho para Caldas Novas ou Catalão para comer coxinhas, piriguetes e seres imaginários vindos da Dimensão Paralela do Buraco da Fechadura. Resumindo, não passa de um ponto de parada de quem se aventura nas esburacadas estradas do interior goiano.

Pires do Rio está localizada 2 quilômetros antes do fim do mundo, para chegar, no caminho para Caldas Novas vire em direção ao Afeganistão, abra 7 porteiras, contorne a esquerda, suba uma ladeira, conte dois atoleiros, duas pinguelas e pronto, todos os seus anseios serão saciados.

História[editar]

A moderna estação ferroviária de Pires do Rio... É melhor contratar um caminhoneiro mesmo...

Fundada oficialmente em 1922 durante a construção da ferrovia trans-goiana que ligava a Terra do Metal à Bolívia. Como muitos dos peões que foram semi-escravizados para erguer aqueles trilhos eram baianos, esse contingente de pessoas acabou ficando por ali mesmo onde criaram um povoado. O coronel que ali tinha uma modesta fazenda de 1 milhão de hectares, resolveu grilar e vender alguns lotes para aqueles miseráveis dos quais viriam a se tornar uma linhagem de escravos da roça que hoje é conhecida pelo nome de "piresino", e passam o dia arando a roça. Criada à margem da ferrovia transgoiana, foi alvo de críticas de hikikomoris que se instalaram ali à beira da linha e que não agüentam o barulho do trem.

Muito antes de Goiânia e Brasília, Pires do Rio foi a primeira cidade de Goiás a ser planejada, mas não se sabe porque até hoje os piresinos se orgulham de sua cidade ter sido supostamente a primeira planejada do Centro-Oeste, porque se você olhar Pires do Rio bem de perto, verá que nada ali foi realmente planejado (pois se foi, pode ter certeza que foi extremamente mal-feito).

Vários tropeiros farofeiros que vagavam pelo interior do Brasil paravam em Pires do Rio para apreciar a prostituição que ali ocorria, e assim a cidade foi se desenvolvendo. A cidade só começou a se desenvolver com a criação de prostíbulos, casas noturnas, bares e outras formas de diversão que os habitantes só frequentavam durante a noite, pois de dia aravam a roça, tarefa extremamente difícil até os dias atuais.

Seu sonho é dominar as megalópoles vizinhas Urutaí, Palmelo e Orizona, áreas de difícil acesso, comandadas pela guilda dos CC (Cangaceiros Cheirosos). Enquanto isso não ocorre, a mais incrível explosão tecnológica foi a chegada em 2009 dos refrigerantes Coca-Cola, e em 2010 do sistema de telégrafos.

Clima[editar]

No inverno faz um frio lascado, por isso a cidade é conhecida como Polo Sul do Centro-Oeste, a formação de geada é muito comum nesse período pois as temperaturas mínimas podem ficar próximas a 0°C (a menor temperatura oficial já registrada em Pires do Rio foi de -2,1°C em 21 de julho de 1977). Alguns caipiras da região contam que em alguns anos do século XX foram registrado alguns episódios de queda de neve na cidade. No geral, entretanto, a temperatura máxima média é de 24°C a 26°C, sendo muito incomum alcançar ou ultrapassar os 30°C.

Já no período chuvoso, todo dia tem tempestade com raios caindo na cabeça dos caipiras, trovões assustadores, frequente queda de granizo e ventos que passam dos 100 km/h (nessa época não existe energia elétrica na cidade por causa da queda de árvores na fiação elétrica).

Economia[editar]

Mais uma dessas cidades de economia pouco desenvolvida, que vive do comércio de soja e milho como todas as outras cidades goianas. Destacam-se ainda os produtos arroz, feijão, maconha, cogumelo, mais soja e algumas ervas. Na pecuária houve um maior avanço quando começaram a trocar a carne bovina e suína por carne de gato e gambá. Um avanço similar ocorreu com a filtração da água de esgoto para uso doméstico. Fora a agropecuária, a cidade destaca-se também na exportação de sogras linguarudas e velhas fofoqueiras.

E mesmo assim, apesar de se destacar em absolutamente nada, Pires do Rio consegue ainda ser a cidade polo daquela região... Para se ter ideia de como os municípios vizinhos são porcaria.

Turismo[editar]

Até Pires do Rio tem suas opções de turismo:

  • Rio Corumbá - Na verdade mais parece um riacho, serve tanto de esgoto que ultimamente vem sofrendo dificuldades na pesca do famoso lambari.
  • Cachoeira do Maratá - Com 70 metros de queda livre, é um local para a prática de suicídio e outras atividades como beber água limpa.
  • Usina do Salto - Local que recebeu esse nome porque era o ambiente onde as piriguetes da cidade se reuniam para exibirem seus saltos.
  • Country Clube - Um enorme banheiro coletivo e lugar para festas de casamento da sua tia encalhada.

População[editar]

Com uma população em torno de 27.000 caipiras, Pires do Rio é a maior de sua região, isso tudo contando as galinhas, gatos, cachorros e papagaios que ali infernizam o resto de suas vidas. São um povo formado sobretudo por roceiros descendentes de índios, ex-escravos e camponeses nordestinos baianos sobreviventes da Segunda Grande Guerra de Latinhas dos tempos da Tua Avó. Essa vasta população distribui-se em homens, mulheres, gays, lésbicas, bissexuais, ortosexuais, metasexuais, parasexuais, cissexuais, transexuais, tirando os zumbis e os habitantes fantasmas que servem para manipular os votos nas urnas.

Lazer[editar]

Pires do Rio conta com uma infraestrutura extraordinária para o entretenimento, com a criação do Lago da Família Feliz e a reconstrução da Praça dos Malas, situada no centro da cidade, e a chegada dos bombeiros para apagar o fogo das viúvas que perderam seus maridos na Noite das Garrafadas, a cidade é sempre agitada e com inúmeras opções noturnas para seus habitantes.