Planura

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Planura é o maior exemplo de cidade entendida com a política: todos os cidadãos mostram se importar quem será o prefeito da cidade e ano passado, elegeram um mendigo que prometeu parar de beber para ser posto como prefeito. De qualquer maneira, a cidade é atípica a região sudeste: todos são pobre, burros e só ficam ouvindo pagode e olhando a grama crescer enquanto sai baba da boca.

Cidade[editar]

Quando você lê "Planura" é porque você está no lugar errado.

A cidade é perto de Frutal, cidade que talvez tenha passado esse gene maldito que torna as pessoas em nordestinas para a região do triângulo mineiro. A cidade de Planura tem cara de sertão, pessoas do sertão, músicas do sertão, mas não é o sertão... Quer dizer, é um sertão sim, só que não um sertão nordestino.

É o mais clássico exemplo de cidade que só está lá para mostrar todo o lado ruim do Brasil e de sua política de "pão e circo":

  • Pão: Os habitantes são instruídos apenas a plantar, arar e vender coisas que nem eles mesmos sabem o que é.
  • Circo: Os habitantes passam o dia se divertindo vendo um mosquito batendo na lâmpada ou então encarando os estrangeiros que passam pela avenida principal da cidade.

A primeira coisa que você pensa quando você passa por uma cidade dessa com certeza é:

Cquote1.png Estou no nordeste, só pode ser... Cquote2.png
Pensamento do estrangeiro em Planura

Política[editar]

A cidade usa a política da roma antiga. Oque a maioria deve pensar quando ouve isso? "Oh, a cidade é bem moderna e culta, está usando o modelo econômico do mais bem-sucedido império da história!". Porém, se o império romano fosse bem-sucedido, não teria caído e o pior de tudo é que o modelo econômico que me refiro é o do Alto império, uma das fases do império romano mais deprimentes e om menor desenvolvimento intelectual.

Planura seria essa política o tempo inteiro: a política do pão e circo. Os romanos se divertiam com as prostitutas e o pão que davam para eles (em outras palavras, os cidadãos eram pseudo-mendigos). Em Planura não tem nem prostitutas e nem pão, mas o habitantes tem que fingir que se divertem lá para ganhar algo.

A cidade também tem o chamado "voto morto": o habitante só pega um papelzinho com o número de seu candidato que achou no banheiro público e coloca lá, sem nem se importar de quem estará roubando ele novamente. Geralmente esse papelzinho foi plantado lá pelo Marão...