Plurificação Portuguesa

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
PortugalDJoãoscary.jpg Manuel, vê-me dois cäcətinhos, o pá!

Æstə ärtigo é purtugäish, gajo. Élə comə cacətinho cum bəcalhau, tuma um ishtränho vinho, adora cumpetir cum a Ishpänha e tem um bigodão.

Cuidado: Ä qualquêr mumento, Napolião podə quirer-tə invədir

Cquote1.png Vocês quiseram falar plurificações portuguesas? Cquote2.png
Plurificação Portuguesa sobre Plurificação Portuguesa

Cquote1.png Na União Soviética, quem Plurifica a Portuguesação é VOCÊ!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Plurificação Portuguesa
Cquote1.png As Árveres somo nozes... Cquote2.png
Plurificação Portuguesa sobre frase: A árvore sou eu
Cquote1.png A Plurificação Portuguesa adora fazer plurais sem sentido. Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Plurificação Portuguesa
Cquote1.png Surgiu há muito, na região da Galícia, exatamente na fronteira com Moçambique, estando ao Norte do Rio da Prata, Canadá Cquote2.png
Carla Perez sobre surgimento da Plurificação Portuguesa
Cquote1.png Cêses tens Bruchoveses?! Cquote2.png
Português ao fazer a piadinha do Bruchove
Cquote1.png Hã?!?! Cquote2.png
Você sobre Plurificação Portuguesa
Cquote1.png Hãnzes, váriosos Hãnzes Cquote2.png
Plurificação Portuguesa sobre frase acima
Cquote1.png lolzes!!!!! Cquote2.png
Plurificação Portuguesa sobre lol
Cquote1.png Glória Menezes Cquote2.png
Plurificação Portuguesa sobre Glória Men
Cquote1.png Jesuis é u jadineiru E as arverezes somus nozes Cquote2.png
Um plurifiquista Português estudando gramática
Cquote1.png Arvoros? Cquote2.png
Plurifiquista Brasileira e não portuguesa
A Plurificação Portuguesa surgiu por volta do século XVI, século em que Portugal estava em plena expansão marítima e desenvolvimento econômico.

O inventor da Plurificação Portuguesa, Cacildisis

Portanto, a necessidade de se ampliar horizontes fez com que vários Manoéis e Joaquins (não nos esquecendo das Marias e Carlotas Joaquinas) ficassem sob pressão e com necessidade de crescer. Ás vezes, isso causava depressão e tristeza entre nossos amigos lusos. E isso fez com que ficassem confusos quanto ao seu comportamento em relação às grandes conquistas.

Foi então que um Grande Rei, o João ( Um, dos 185) teve a brilhante ideia de entregar boa parte do ouro para a Inglaterra (Mas não muito, apenas uns 98%), como "pagamento" da dívida, que foi transferida da colônia que queria ser independente, e que até hoje procura esse ouro.

Essa mania de grandeza resultou no que hoje é conhecida como a Plurificação Portuguesa, que nada mais é do que Plurificar (lusitanamente, claro!) algumas frases que ficam melhor no plural mesmo.

Sintaxe e Morfologia (Especial para Nerds)[editar]

A Plurificação Portuguesa, assim como a Reversal Russa e a Inversão Togolesa, tem a sua característica própria de construção frasal.

Constitui-se basicamente, no básico, de elementos e características básicas que se seguem a seguir:

  • NUNCA, um substantivo e/ou adjetivo presente na frase de um Plurificação Portuguesa deve estar no singular.
  • Quase Sempre, considerando sua origem de um região de extrema Entelijência, o plural será feito de forma errônea, assim como não recomenda o Instituto Internacional da Língua Portuguesa
  • Et cetera

Alguns exemplos (Especial para pessoas com alguma dificuldade de entender o conteúdo)[editar]

Selecionamos aqui algumas frases construídas pela Plurificação Portuguesa:

A primeira frase é uma construção normal, e a segunda (e em negrito) é Plurificada Portuguesamente, ou Lusitanamente, como preferirem os gramáticos

  • A Árvore sou eu // As Árveres somo Nozes...
  • Eu trabalho muito // Nozes trabalhamonos muitoso(s)
  • Eu ganhei!!! // We are the champions!!! (Frase essa copiada por uma bandinha, conhecida em seu bairro como Queen).
  • Itabuna (interior da Bahia) // Itabunas (interiores das Bahias)
  • lol!!! // lolzes!!!
  • Eu edito a Desciclopedia!!! // Nózes editamono(s) as Desciclopediasa(s)
v d e h
Na União Soviética as Metodologias de Debate acessam Você!!